#ForcaChape

chape291116

Tive que esperar mais ou menos dez horas para escrever sobre o assunto. 

O que aconteceu com a Chape é muito maior, mexe com nosso jeito de encarar a vida e mexe com a capacidade que o esporte tem de envolver as pessoas. 

Confesso que sempre me considerei um apaixonado por futebol, quem me conhece sabe que amo mais o esporte do que o meu clube, e hoje tive a certeza de quanto eu realmente vivo a emoção do futebol.

O que aconteceu hoje está entre as maiores tristezas que senti na minha vida, é sério eu nunca achei que isso iria me abater tanto por algo “teoricamente” distante de mim, que mexeria com tudo que penso, repensando tudo.

A Chape vem mostrando uma história maravilhosa no cenário atual do futebol, vem sobrevivendo na Série A de forma brava, mostrou uma cidade que respira futebol e vem caindo no gosto dos brasileiros, mesmo que vira e mexe apronte contra o próprio time que a pessoa torce e porque isso?

Porque a Chape, assim como o seu verde, representa aquela esperança, aquela fé às vezes no improvável que move muitos de nós, que tentam não abaixar a cabeça diante do golpe sempre pronto a acertá-lo. 

Estamos em tempos de intolerância a tudo, onde alguém sempre precisa escolher um lado e sempre será julgado como um lado bom ou errado, vivemos um ano muito pesado, com inúmeras perdas, com uma descrença na humanidade. E aí, de repente, como se alguém quisesse em meio a tanto caos construir um último ato, ele vem de forma tenebrosa, em um ato tão mais trágico para quem sabe, assim, iniciar uma mudança profunda.

A mobilização que está sendo gerada no dia de hoje, mostra que o caminho da união é sempre o melhor, que o pensamento deve ser olhando o outro, conhece a palavra empatia? Então, talvez, você enfim esteja praticando ela, e talvez ela seja a lição mais importante para sobrevivermos nesse mundo.

Lembra aquele pensamento de um cara sensacional do passado, ame o próximo como a ti mesmo. Então, talvez agora, faça sentido.

E o pior (ou melhor), nascemos com ele, praticamos empatia e a essência dessa frase desde criança, nessa idade não julgamos, não criamos filtros, respeitamos e brincamos com todos, seja o gordinho, o magrinho, o branquinho, o pretinho, o menininho ou a menininha.

A comoção é enorme porque a história da Chape poderia ser qualquer um de nós.

E por isso, nos envolve tanto, somos Chape durante toda nossa vida.

#ForcaChape

Tem gente que não entende o futebol…

622_f178e308-8b9f-3494-a69b-82864c5fc960

Ontem foi aniversário do Rei e também o dia que vi a virada mais épica da minha vida, não sei quando verei alguém tirar 4×0 contra e fazer 6 no jogo de volta, como fez o Guarani, ainda mais para um time que também foi buscar um 3×1 para ir as finais.

A história completa dessa saga deixarei para outra hora, deixa a final acontecer e voltamos a contar a epopéia completa do Bugrão.

Sobre o aniversário do rei, recomendo a todos a lerem um texto que fiz no passado sobre isso, clique para ler.

Porém, entre essas duas histórias maravilhosas que relembram o quanto o futebol é mágico, outras duas vieram na contramão para tratar o torcedor da pior forma possível e mostrar que a preguiça, a falta de compromisso e o desleixo ainda tomam conta de alguns setores.

Primeiro foi o absurdo bloqueio feito nas proximidades do Allianz Parque, só quem estava com ingresso poderia passar pelo bloqueio, acabando com a bela festa feita pela torcida antes do jogo começar, até porque nem sempre toda a torcida vai para o estádio, as vezes a grana tá curta, ou o ingresso acabou, nem por isso, eles não podem se reunir para ver os amigos, criticar aquele volante, elogiar aquela promessa, chamar o treinador de teimoso, etc.

Depois, a atitude da polícia carioca ao colocar os 3 mil corintianos todos sem camisa, conforme a foto acima, como se uma revista de presídio ocorresse, algo completamente desproporcional para humilhar todos em detrimentos de alguns marginais.

Por fim, chegamos ao ponto principal, essas duas medidas foram feitas para coibir violência. Uma eventual que poderia ocorrer próximo ao estádio palestrino e a que realmente aconteceu inclusive contra um PM dentro do Maracanã.

A questão que fica é sempre a mesma, quando realmente vamos mergulhar no tema profundamente e criar leis sérias para punir os bandidos, parece chover no molhado, é sempre bater na mesma tecla. Generalizamos a torcida, abandonamos elas e entregamos na mão da criminalidade, não punimos realmente, porque é interessante manter esse sistema e por fim vamos matando aos poucos a festa do futebol.

Quando realmente cuidarmos do nosso patrimônio, imagina só, até duas torcidas misturadas no estádio será possível, porque os bandidos ou estarão presos, ou estarão com medo de sofrerem a punição que realmente aconteceria.

A semana terminou linda, a virada do Bugre é de lavar a alma de ver que o futebol é caprichoso e incrível, mas tem gente afim de atrapalhar demais isso.

Restam 4 na Copa do Brasil!!

copadobrasil201016

E ontem a Copa do Brasil definiu seus semifinalistas, restam apenas 4 times na luta pelo título. São apenas mais 4 jogos até a volta olímpica. E virou um Sul-Minas.

Curiosamente, no ano que a liga foi criada e que originalmente seria apenas um Sul Minas até a chegada do Fla x Flu para participar do torneio também. Os dois grandes do Rio Grande do Sul e os dois grandes de Minas Gerais irão se enfrentar pela vaga na final.

De um lado Atlético-MG x Inter, do outro Cruzeiro x Grêmio. Irei escrever qual minha expectativa pelos confrontos e se normalmente vou mal nos palpites, as quartas acertei 3 dos 4 semifinalistas, achei que passaria o Santos ao invés do Colorado.

No duelo entre Galo e Inter, está o duelo dos extremos no campeonato nacional e que pode ter total relevância para os jogos, o Inter ainda sente o fantasma da Série B, apesar da arrancada recente, o time não se encontra confortável e precisa conciliar a fuga da zona incomoda com a possibilidade de salvar o ano com um título, o mesmo vale para o Galo que luta pelo título.

Aliás, o próprio Marcelo Oliveira declarou que nesse momento é impossível priorizar, ou seja, era com força máxima nas duas e apesar do elenco recheado e fortíssimo do Galo, o time sofre com constantes desfalques por lesão, ficando difícil até projetar qual será o Atlético que jogará.

Um duelo com muitos nuances, tem Grenal antes da primeira partida, entre a ida e volta, o Galo enfrenta o Flamengo, ou seja, a complexidade e o impacto desses jogos podem afetar diretamente a dedicação e ânimo para os jogos. Acho que mais que a ordem dos mandos, a capacidade de trocar a chave em cada competição será fundamental.

Time por time, o do Galo é melhor, é meu favorito tem a vantagem de decidir em casa, mas sem uma ampla vantagem.

No outro duelo, um Cruzeiro e Grêmio que evitou um clássico paulista, ao eliminarem respectivamente, Corinthians e Palmeiras. Apesar de ambos ainda possuirem pretensões no Brasileirão, Grêmio já assumiu que se dedicará a Copa, se vier G6 no campeonato foi sem querer, já a Raposa apesar do perigo do rebaixamento ainda presente, o time evoluiu e apesar da tabela perigosa parece que se livrará com tranquilidade da zona, se permitindo buscar a chance de também concluir o ano com um título.

De qualquer forma, apesar de achar o time do Cruzeiro melhor do que o time de Renato Gaucho e companhia, acho que essa tensão do rebaixamento pode ter impacto no time, enquanto do lado gaúcho a exclusividade em se dedicar a Copa contribui e é sempre bom decidir o confronto em seus domínios.

Minha aposta é que a final seja entre Atlético-MG x Grêmio.

E para vocês quem fará a final?

 

E aí, seu advogado é craque?

tecnologia-arbitragem-1376

E resolvemos continuar falando da arbitragem.

E o melhor, isso não fica apenas para nós torcedores, vai para o comentarista, vai para os blogueiros, vai o jornal, para o treinador, para os jogadores, e para os tribunais. Sim, como já disse aqui inúmeras vezes, como nosso STJD gosta de “disputar” o campeonato brasileiro e curiosamente sempre prepara uma entrada triunfante na reta final do Brasileirão.

Já faz tempo que damos espaço maior que o devido para eles, sim, a culpa é de todos os envolvidos, eles só aproveitam para aparecerem.

Para mim, tudo começa na falta de apoio aos árbitros e uma comunicação clara, é preciso um limite de tempo para se tomar a decisão final sobre um lance. Não se pode gastar 13 minutos para se decidir se um gol é válido ou não. Em treze minutos, todo mundo no estádio já sabe o que realmente aconteceu.

E se no futebol não permitimos o uso de tecnologia é porque assumimos que o erro faz parte do jogo, é bem difícil acertar sempre, portanto, de maneira prática, a arbitragem deveria gastar 30 segundos para decidir um lance duvidoso, o árbitro acha uma coisa, o bandeira próximo ao lance acha igual ou diferente, aí o árbitro precisa decidir, ou seja, em trinta segundos, uma decisão deve ser tomada e segue jogo.

Se errar, paciência, tá dentro da expectativa.

Isso independe de profissionalização (que eu defendo), isso independe de calendário fechado de arbitragem (que eu também defendo), isso independe de outras várias medidas para ajudar a arbitragem, enquanto não aceitar o uso da tecnologia para resolver a partida, o erro fará parte.

Ou teriamos alguma discussão, se Ricci tivesse dado o gol do Flu e pronto? Ah, ele tava impedido, sim, mas ficaria apenas na conta dos famosos erros que acontecem, nem tampouco o Figueira entraria agora com a mesma ação.

E para aproveitar a chance de aparecer, o STJD decide que irá julgar até o mês de Novembro, ou seja, ganhou a chance de brincar de dono da decisão do campeonato, é patético.

Enquanto isso, fica a sensação que além de um bom time, os clubes precisam se preocupar em trazer como reforço a cada temporada, um bom advogado, porque em algum momento, ele poderá ser útil.

Já tô vendo que para o próximo album de figurinhas do campeonato brasileiro, além do craque do time, teremos um espaço para o advogado do clube.

E aí, seu advogado é craque?

É mais fácil lidar com o time do comentarista, né?

maurocezar111016

E a foto acima gerou um frisson nas redes sociais ontem.

Nela, Mauro Cezar Pereira, comentarista da ESPN aparece em meio a torcida do Flamengo no jogo do Pacaembu, vestindo camisa do West Ham e agasalho do Milan.

Foi o suficiente para uma onda de ataques ao comentarista começar sobre a preferência clubística dele, primeiro porque Mauro sempre foi ácido (no bom sentido) e seus comentários mais duros, despertam a ira de todo mundo, segundo porque se criou uma obsessão estúpida sobre descobrir o time de cada comentarista.

Como o próprio Mauro disse, é engraçado como o torcedor se preocupa mais com a torcida de um comentarista do que de um presidente, técnico ou jogador do clube.

Além disso, sinceramente, não fui muito atrás da torcida dele, se é mesmo ou não para o Flamengo, porque eu mesmo já frequentei arquibancadas para assistir jogos de todos os demais grandes de São Paulo sem que o meu tricolor jogasse, assim como já assisti outros jogos de times quaisquer.

A grande questão é, porque importa tanto o clube do comentarista?

Para mim, é irrelevante o cara assumir ou não, muitos assumiram, assim como muitos preferem não relevar, é um direito deles e o saber deve ficar restrito apenas a questão da curiosidade. Do tipo, legal saber que fulano torce para tal time, mas e daí?

O importante é se ele realiza seu trabalho de maneira correta, informa, busca noticiar as informações sobre o tema proposto, tenta sempre dentro do razoável ser imparcial, ou seja, ser jornalista acima de tudo.

E Mauro, gostem ou não, é um ótimo jornalista, você pode não gostar da linha dele, mas não pode dizer que executa mal o seu trabalho.

E uma coisa que ele disse é bem interessante de se pensar, já parou para pensar que você (torcedor) se preocupa tanto com o que o comentarista que torce para o rival fala, porém pode ter um atacante resolvendo as partidas para o seu time que torce para o arquirrival? Ou que as decisões do seu clube passam pela mão de alguém que sempre torceu pelo outro time? Ou mesmo que um treinador pode enfrentar o time do coração e ser sensível a isso?

Pois é, pense bem, talvez saber por qual time o comentarista torce é mais fácil de lidar né, por isso a obsessão absurda, porque se começar a olhar dentro do próprio time, pode se assustar.

E se o campeonato acabasse na 29ª rodada?

valdivia101016

O Palmeiras seguiria campeão.

O time faria o dever de “casa” e venceria o América-MG em um jogo vendido para Londrina onde só teve torcida dos “visitantes”. Absurdos que a CBF faz por você. Do lado do Palmeiras, ele não tem nada a ver com isso, do lado do América, um claro sinal de quem já não está mais nem ai para a Série A, do lado da CBF, o papel ridículo de permitir essa zoeira sem fim.

Flamengo segue na cola e o Galo precisará fazer valer seu mando no confronto direto com os dois rivais e ainda conseguir alguns tropeços por parte deles por aí, começo a achar que está ficando um pouco difícil para o Galo.

Completando o agora G6, estariam, Santos, Fluminense e Atlético-PR. Sendo que Grêmio, Botafogo e Corinthians seguem de perto na disputa para ir a fase premilinar da Libertadores, para o Furacão e o Fogão seria um prêmio pela campanha surpreendente, para os demais uma “quase obrigação”.

No meio da tabela, destaques para o declínio de Chape e Ponte, ambas as equipes tiveram três derrotas seguidas e fica a sensação de que acabou o gás, a Chape claramente se encantou pela Sulamericana mais uma vez, a Ponte pode estar sofrendo da sondagem excessiva em cima do comandante. Na parte positiva, o Cruzeiro, que embalou duas vitórias e pelo elenco e pela chegada de Mano, se o pessoal do G6 bobear demais, ele chega hein.

Já na parte debaixo da tabela, seguimos com Inter, Figueira, Santa e América-MG. Com Sport, Vitória e o meu tricolor  por perto, resta saber o quanto Chape e Ponte continuarão caindo para ver se eles também entram nessa disputa. O Inter dá leve sinais de recuperação, apesar das duas vitórias consecutivas, o time sofreu muito para obtê-las, e ainda continua na zona. O Figueira parece que caminha por ser mais um de Santa Catarina a povoar a Série B. A briga parece ser pela última vaga e promete ser concorrida.

Por fim, a 29ª rodada terminou com apenas 19 gols, média baixa, foram 5 vitórias dos mandantes, dois empates e três vitórias dos visitantes. Meu destaque individual nessa rodada, vai para o menino mais lindo, o Valdivia, o meia do Inter em uma rodada de pouco destaque, apareceu por assumir que cavou o pênalti que garantiu a segunda vitória consecutiva do Colorada.

E para vocês, como seria se o campeonato acabasse na 29ª rodada?