A matemática do Corinthians

225

E a derrota de ontem, acendeu um alerta no Corinthians, ou pelo menos assim todos vendem, pelo fato de dar alguma graça na parte de cima da tabela.

Realmente, são duas rodadas de diferença, contudo não custa lembrar que só restam 08. Ou seja, além de torcer para o Corinthians continuar com campanha pífia no returno, ainda é necessário que Palmeiras e Santos realmente consigam fazer o belo returno.

Se lembrarmos do final do primeiro turno, Corinthians conquistou 47, contra 35 do Santos e 32 do Palmeiras. Se pensarmos que o Tite considera que 72 já torna o clube candidato ao título e com 75 é garantido, vamos passar para os postulantes.

Pensando em 72 pontos, para o Corinthians faltam 13 pontos dentre os 24 restantes, para o Palmeiras e Santos restam 19 dos 24, tanto o time da Leila quanto o da praia, tem pouca margem de erro para atingir a pontuação boa.

Além disso, significaria que Palmeiras faria um returno de 40 pontos. Um ótimo returno.

Olhando para a tabela, temos:

Corinthians: Ponte (fora), Palmeiras (casa), Atlético-PR (fora), Avaí (casa), Fluminense (casa), Flamengo (fora), Atlético-MG (casa) e Sport (fora). Sinceramente, os próximos dois jogos são perigosos para uma perda de título incrível, fora isso, é completamente tranquilo buscar os resultados nas demais partidas.

Palmeiras: Cruzeiro (casa), Corinthians (fora), Vitória (fora), Flamengo (casa), Sport (casa), Avaí (fora), Botafogo (casa) e Atlético-PR (fora). A tabela do Palmeiras para quem quer buscar uma arrancada histórica é ótima, mas precisará contar com o tropeço do rival, fora isso, apenas ir bem, não dará certeza de nada.

Santos: São Paulo (fora), Atlético-MG (casa), Vasco (casa), Chapecoense (fora), Bahia (fora), Grêmio (casa), Flamengo (fora) e Avaí (casa). O Santos é o azarão nessa disputa, tem uma sequência complicada fora de casa e pode ficar pelo caminho após voltar de Salvador.

Por fim, apesar da emoção gerada pelo returno pífio do Corinthians, o Palmeiras teria que repetir história parecida com a de 2009, quando na oportunidade ele era o Corinthians e viu o título escapar de forma incrível nas últimas rodadas do campeonato.

Para o Corinthians, basta olhar com atenção para o que aconteceu em 2009 com o arquirrival para não repetir os mesmos erros. Do pouco que vi, acho que Carille pode arriscar uma mexida ou outra no time, como “perder” um pouco do meio e ganhar agressividade nos jogos em casa.

Na matemática, ainda assim é muito difícil o Corinthians perder, o problema é que mesmo a matemática no futebol é subjetiva.

Anúncios

O Brasileirão do rebaixamento…

neymar__.jpg

Sei que ando escrevendo pouco no blog esse ano, acho que a qualidade do Brasileirão esse ano tem me decepcionado muito.

E a culpa não é dos treinadores, tampouco dos jogadores, a culpa é do nosso sistema. Vivemos de imediatismo no Brasil, temos que nos preocupar com o resultado de amanhã ao invés do trabalho de amanhã, e isso passa pelo mundo corporativo e nas nossas relações.

No trabalho, está mais preocupado em entregar no prazo do que fazer certo, não que os dois não sejam importantes a ordem é que é perigosa, em casa lavamos a louça rápida sem necessariamente lavar ela de fato. E isso reflete no futebol, um espelho do que nos cerca.

O treinador está mais preocupado em errar pouco do que arriscar muito, veja a frase de um dos principais jogadores do virtual campeão de 2017: “Vai vencer essa partida quem errar menos.” (Rodriguinho, meia do Corinthians no duelo contra o Grêmio ontem).

A frase indica o nosso pensamento atual, os times estão indo bem porque erram pouco e não porque arriscam muito, porque criam mais.

Sem desmerecer o Corinthians, que será campeão porque fez mais pontos, isso por si só já é de um mérito sem tamanho. A questão é que essa pontuação foi conquistada a base de errar menos que o adversário ou viver do erro alheio.

E antes que muitos venham dizer que estou diminuindo a conquista do Corinthians, reforço, todos os clubes brasileiros vivem disso hoje, todo jogam para errar pouco ou o mínimo possível, o Corinthians é o que melhor faz isso, por isso será o campeão.

Mas não podemos nos contentar com isso, esse campeonato é para mim o mais fraco tecnicamente falando, o mais pobre do ponto de vista tático e técnico, só o
Corinthians mostra um belo padrão de organização, Grêmio, Cruzeiro e o Botafogo mostram algumas boas partidas, além dos dois baianos que apesar da fraca qualidade do elenco, são times com bons padrões táticos.

Fora isso, uma preguiça e uma desorganização latente em vários times, é difícil acompanhar uma sequência de bons jogos.

Não é à toa, quando pensamos no campeonato de 2017, lembramos o quanto ninguém faz frente ao Corinthians que caiu de produção e no returno, mas principalmente pela intensa disputa no rebaixamento.

Virou o Brasileirão do rebaixamento, porque é lá onde os mais fracos jogam que a disputa está intensa, porque tem muita gente apresentando pouco futebol.

2017 e o desafio da nova safra de treinadores

klopp02012017

E começou 2017!

Acho que entre todas as expectativas que surgem em todo o inicio do ano, a minha maior é sobre os treinadores.

Existe uma geração nova chegando e com enormes desafios pela frente. Entre os 20 times da Série A + o Internacional, são 3 treinadores que estão na faixa de 61 a 70 anos, 6 na faixa de 51 a 60, 9 na faixa de 41 a 50 anos e incríveis 3 na faixa de 31 a 40.

Distribuídos da seguinte forma:

De 61 a 70 anos: Carpegiani, 67 (Coritiba), Abelão, 64 (Fluminense), Autuori, 61 (Atlético-PR)

De 51 a 60 anos: Cristovão, 57 (Vasco), Dorival, 54 (Santos), Mano, 54 (Cruzeiro), Renato Gaucho, 54 (Grêmio), Guto Ferreira, 51 (Bahia) e Silas, 51 (Avaí).

De 41 a 50 anos: Marcelo Cabo, 50 (Atlético-GO), Vagner Mancini, 50 (Chape), Zago, 47 (Inter), Eduardo Baptista, 46 (Palmeiras), Zé Ricardo, 45 (Flamengo), Carille, 43 (Corinthians), Ceni, 43 (São Paulo), Argel, 42 (Vitória) e Roger, 41 (Atlético-MG).

De 31 a 40 anos: Jair Ventura, 37 (Botafogo), Felipe Moreira, 35 (Ponte) e Daniel Paulista, 34 (Sport Recife).

E se pensar que independente dos motivos, esse ano nenhum dos treinadores a seguir estarão iniciando no comando de algum clube da série A nacional: Vanderlei Luxemburgo, Oswaldo de Oliveira, Joel Santana, Leão, Falcão, Muricy Ramalho, Levir Culpi, Marcelo Oliveira, Felipão e Celso Roth. 10 nomes que normalmente estariam em algum clube e se não fosse o Fluminense que anunciou Abel Braga, era um time completo.

Entre os com mais de 60, além do Fluminense a dupla do Paraná (Furacão e Coxa) também estão com os sexagenários.

Agora ainda para a turma da renovação, temos SP como um destaque, dos 4 grandes, 3 vem com treinadores novos, sendo que São Paulo e Corinthians com treinadores de primeira viagem, ótimas apostas e podem contribuir muito para novos conceitos para o futebol local.

Isso sem falar na turma abaixo dos 40, Sport, Ponte Preta e Botafogo estão iniciando o ano com treinadores que até ontem eram jogadores ou que poderiam ainda estar em campo.

No ano em que nosso melhor técnico está na seleção e consolidando seu trabalho, 2017 vem com a boa nova de dar espaço para novas cabeças mostrarem seus trabalhos aqui no Brasil.

Eu sei que a garantia de inovação é incerta, até porque tem muito novo com espirito de velho e vice-versa. O mais certo é que será tudo novo, com muita gente buscando seu espaço.

Espero de verdade que no final de 2017, possa olhar para esse post e ver que ao final bons e novos nomes surgiram, mesmo que ao mesmo tempo alguns não tenha vingado ao longo do ano. E para os “veteranos” que também surpreendam e mostrem que novos conceito nunca fui atrelado a idade.

Bola de Prata do Cadê Meu Camisa 10?

622_c9333db0-e932-343c-ae26-c872aa2d790a

E ontem teve a premiação do Bola de Prata. O prêmio que leva em consideração notas que os jogadores obtem durante os jogos, teve a seguinte seleção final:

Jailson (PAL), Jean (PAL), Rever (FLA), Geromel (GRE), Fabio Santos (ATMG), Arão (FLA), Tche Tche (PAL), Moisés (PAL), Dudu (PAL), Jesus (PAL) e Robinho (ATMG). Tec. Cuca (PAL).

E logicamente nesse exercício de montar uma seleção, o Cade Meu Camisa 10 não poderia ficar de fora, meus critérios são um pouco mais simples do que o Bola de Prata, simplesmente é de quem eu gostei na posição.

Vejam os meus eleitos:

Jailson (PAL), Jean (PAL), Mina (PAL), Geromel (GRE), Jorge (FLA), Tche Tche (PAL), Renato (SAN), Moisés (PAL), Diego Souza (SPO), Marinho (VIT) e Robinho (ATMG).

Na defesa, coloquei Mina e Jorge, para mim foram mais importantes para seus times e contribuiram em vários momentos importantes para o time, além de com a bola no pé os dois mostrarem mais futebol do que seus concorrentes.

No meio trouxe Renato e Diego para os lugares de Arão e Dudu, Trouxe o Renato porque todos os jogos do Santos que eu vi, a atuação dele foi impecável, muita classe e capacidade para ser o porto seguro da molecada, já Diego foi o cara do Sport, terminou artilheiro do campeonato e sua atuação individual foi fundamental para a manutenção do Leão na primeira divisão.

No ataque, a polêmica maior do meu time, tirei o menino craque Jesus. Coloquei Marinho. Confesso que vi alguns jogos do Palmeiras uns 15, e apesar de saber de todo o potencial dele, não vi ele sendo tão importante e tão decisivo para o clube nesses jogos, diferentemente do Marinho para mim, que todo jogo do Vitória que ele estava era fundamental para a campanha do time baiano.

Outra ressalva importante, fiz uma escolha muito mais emocional do que técnica. Jailson no gol foi bem demais e carrega a estatística de não ter perdido nenhum jogo, mas para mim, ninguém foi tão exigido (por motivos óbvios) e pegou tanto, quanto o Danilo Fernandes, o goleiro do Inter assim como em 2015 pelo Sport, fez outro campeonato brasileiro gigantesco.

Para técnico, escolho Jair Ventura, os números do Cuca são inquestionáveis, mas no início do campeonato qual era a pretensão do Palmeiras? Sim, jogar pelo titulo. E qual era a do Botafogo, mesmo com G6 ninguém ousava dizer que o time brigaria pela Libertadores, não só brigou, como ficou com a vaga, por isso meu voto vai nele.

E para vocês, qual a sua seleção do campeonato?

E se o campeonato acabasse na 29ª rodada?

valdivia101016

O Palmeiras seguiria campeão.

O time faria o dever de “casa” e venceria o América-MG em um jogo vendido para Londrina onde só teve torcida dos “visitantes”. Absurdos que a CBF faz por você. Do lado do Palmeiras, ele não tem nada a ver com isso, do lado do América, um claro sinal de quem já não está mais nem ai para a Série A, do lado da CBF, o papel ridículo de permitir essa zoeira sem fim.

Flamengo segue na cola e o Galo precisará fazer valer seu mando no confronto direto com os dois rivais e ainda conseguir alguns tropeços por parte deles por aí, começo a achar que está ficando um pouco difícil para o Galo.

Completando o agora G6, estariam, Santos, Fluminense e Atlético-PR. Sendo que Grêmio, Botafogo e Corinthians seguem de perto na disputa para ir a fase premilinar da Libertadores, para o Furacão e o Fogão seria um prêmio pela campanha surpreendente, para os demais uma “quase obrigação”.

No meio da tabela, destaques para o declínio de Chape e Ponte, ambas as equipes tiveram três derrotas seguidas e fica a sensação de que acabou o gás, a Chape claramente se encantou pela Sulamericana mais uma vez, a Ponte pode estar sofrendo da sondagem excessiva em cima do comandante. Na parte positiva, o Cruzeiro, que embalou duas vitórias e pelo elenco e pela chegada de Mano, se o pessoal do G6 bobear demais, ele chega hein.

Já na parte debaixo da tabela, seguimos com Inter, Figueira, Santa e América-MG. Com Sport, Vitória e o meu tricolor  por perto, resta saber o quanto Chape e Ponte continuarão caindo para ver se eles também entram nessa disputa. O Inter dá leve sinais de recuperação, apesar das duas vitórias consecutivas, o time sofreu muito para obtê-las, e ainda continua na zona. O Figueira parece que caminha por ser mais um de Santa Catarina a povoar a Série B. A briga parece ser pela última vaga e promete ser concorrida.

Por fim, a 29ª rodada terminou com apenas 19 gols, média baixa, foram 5 vitórias dos mandantes, dois empates e três vitórias dos visitantes. Meu destaque individual nessa rodada, vai para o menino mais lindo, o Valdivia, o meia do Inter em uma rodada de pouco destaque, apareceu por assumir que cavou o pênalti que garantiu a segunda vitória consecutiva do Colorada.

E para vocês, como seria se o campeonato acabasse na 29ª rodada?

E se o campeonato acabasse na 28ª rodada?

moises-041016

Ah, o Palmeiras seria o campeão.

O alviverde que ainda não perdeu no segundo turno e acumula 11 jogos sem perder, fez uma partida emocionante e divertida contra o Santinha e venceu por 3×2. O Cucabol segue excelente agora com o melhor ataque, melhor saldo, terceira melhor defesa e melhor visitante e pelo jeito está querendo lançar um desodorante que elimina qualquer cheirinho.

Completando o G4 vem o Flamengo, Atlético-MG e Santos. Apesar que agora virou G6, mas particularmente, acho que esse G4 não muda, assim como o Fluminense será o 5º, a questão é que a briga ficou boa pelo sexto lugar. Tinha gente que achava que ia jogar na turma do marasmo e de repente abriu uma possibilidade. Hoje a última vaga seria do Furacão, o que seria um prêmio ao bom trabalho de Autuori e companhia.

No meio da tabela, destaque positivo para Botafogo, Coritiba e Vitória. O primeiro se afastou de vez de qualquer sombra do Z4 e agora pode inclusive almejar uma vaga para a Libertadores tem mostrado consistência para isso, já Coxa e Vitória respiraram bem nessa rodada tornando o Z4 uma sombra real para os grandes.

O destaque negativo fica para Grêmio e São Paulo, os tricolores patinam na tabela, enquanto para os gaúchos isso faz com que o time apenas fique cada vez mais distante de qualquer pretensão no Brasileirão (ainda que reste o G6), para os paulistas o sinal de alerta toca alto no Morumbi, o time tem uma sequência duríssima de onde precisa somar pontos para o desespero não bater de vez nas últimas rodadas.

Na parte debaixo, América-Mg e Santa ficam aguardando quem serão os outros dois companheiros, a sensação é que o Figueirense que resolveu trocar de novo de treinador corre sérios riscos de ser um candidato, depois disso, Inter que precisa ver como atuará no próximo jogo é o principal candidato.

Por fim, a 28ª rodada terminou com 25 gols, uma média razoável, onde tivemos 6 vitórias dos mandantes, 1 empate e 3 vitórias dos visitantes. Meu destaque da rodada, apesar da grande atuação do Vitória em Chapecó, vai para um cara que tem sido fundamental para o sucesso alviverde, o meia Moisés, ele é o verdadeiro motor desse time e responsável pelas partidas boas ou ruins do alviverde favorito ao título, portanto, agora que faltam apenas dez jogos para acabar, achei por bem dar o mérito.

Aliás, Moisés, Robinho e Diego (quem diria que depois de 14 anos a dupla voltaria a ser destaque em uma mesma edição de Brasileirão), são para mim os candidatos a melhor do campeonato.

E para vocês, como seria se o campeonato acabasse na 28ª rodada?