Pitacos: Alguns times prontos e outros nem tanto…

Galera do blog, mais um fim de semana repleto de futebol. Mas vamos concentrar nossa análise em dois jogos, Internacional e Botafogo no sábado e São Paulo e Atlético-MG no domingo.

No sábado, Inter e Botafogo proporcionaram um ótimo jogo, de muita movimentação no meio de campo que mostrou que é possível montar um meio de campo repleto de jogadores que sabem jogar bola.

O jogo teve um tempo para cada equipe. O primeiro tempo foi do time Colorado que tinha em Oscar e D’Alessandro os principais lances de criação do time, ora aproveitando as subidas de Fabricio, ora buscando os atacantes Dagoberto e Leandro Damião e foi assim que chegaram ao gol.

Em cruzamento de Oscar, Damião errou a cabeçada, mas acabou dando uma assistência para Dagoberto que só teve o trabalho de empurrar para as redes. O gol acordou o Botafogo, mas o primeiro tempo terminava com o resultado justo.

Veio o segundo tempo, e o despertar do Botafogo resultou em gols, primeiro em ótima finalização de Andrezinho, depois o mesmo Andrezinho cruzou na cabeça de Fellype Gabriel para virar o marcador.

Aliás, no segundo tempo, Andrezinho, Fellype Gabriel e Vitor Junior jogaram muito bola, o trio de meio de campo acompanhado de Renato que é um jogador fora de série mostraram uma qualidade incrível contra o Inter.

Em resumo, o Botafogo possui um elenco excelente e que tem potencial para ir mais longe esse ano, basta perder a síndrome de cavalo paraguaio. Para o Inter, uma derrota inesperada, mas que não tira o time como um dos favoritos ao título. Para mim, Dorival precisa apenas decidir se Dagoberto ou D’Alessandro vão colaborar na marcação, os dois sem marcar atrapalha.

No jogo do domingo, o jogo já foi um pouco mais sofrível, no papel ambos possuem potencial para ter times bem montados, mas para no papel. De bom mesmo, só a homenagem que o São Paulo fez para os campeões da primeira Libertadores conquistada pelo clube.

O São Paulo sente a falta de um organizador na partida, Jádson não exerce essa função e “a magia” que mantinha Cícero no time titular acabou. Canete é a esperança quando retornar, ou a busca de alguém de mercado. Lorenzetti da La U é uma boa opção.

Além disso, a indefinição da dupla de volantes também atrapalha o melhor entrosamento, Fabrício parece precisar de um forte banho de sal grosso, Denilson não continuara no clube e Wellington ainda ficará alguns meses afastado, ou seja, não existe uma dupla de volantes definida para o restante do Brasileirão.

Já no Galo, os problemas são parecidos. O time também carece de um organizador, Ronaldinho, Danilinho e Bernard são jogadores que atuam aberto pelas pontas, falta aquele cara que alimenta esses velocistas e o próprio centroavante (seja André, seja Jô).

Com os três atuando, o time inevitalmente fica preso nas pontas e deixa muito espaço para o volante adversário avançar no buraco que deveria ser ocupado por esse jogador centralizado.

Enfim, acompanhei os jogos de quatro grandes times que figuram no alto da tabela, mas cariocas e gaúchos estão mais azeitados para o restante do campeonato, mineiros e paulistas ainda estão preparando o time.

Pitacos: Quando uma goleada que podia ser sua, vai para o adversário…

Galera do blog, ontem começou o Brasileirão. Logo de cara acompanhei o jogo do meu tricolor e ele mostrou sua essência do ano. Junto com o seu adversário é o time mais bipolar deste campeonato, seus torcedores terão que ter nervos de aço para sobreviver as 38 rodadas.

O São Paulo veio a campo com Jadson no lugar de Fernandinho. E o baixinho foi o destaque da primeira etapa, com muita movimentação e buscando as subidas de Douglas e Cortês, o São Paulo dominou o primeiro tempo e criou inúmeras chances.

Uma delas logo ao 12 minutos terminou em gol de Jádson, o baixinho concluiu de primeira a boa investida de Lucas e abriu o marcador.

E assim seguiu o primeiro tempo com o São Paulo partindo com tudo para cima do Botafogo e cansando de desperdiçar chances de gol, Cortês, e duas vezes Lucas podiam ter levado o São Paulo com maior vantagem no segundo tempo. Uma vitória por 3×0 não seria nenhuma mentira.

Veio o segundo tempo, e parece que a questão era o lado do campo, pois foi a vez do São Paulo errar muitos passes, enquanto o Botafogo impôs o seu jogo e massacrou o São Paulo em seu campo.

Logo aos 4 minutos, veio o gol de empate com Herrera (que havia entrado no segundo tempo no lugar de Loco Abreu). O Botafogo continuava pressionando, mas foi surpreendido, novamente Jadson o melhor em campo pelo São Paulo cruzou bola para Luis Fabiano que testou sem chances dessa vez para o gol de Jefferson e voltou a colocar o São Paulo em vantagem.

O gol que serviria para fazer o São Paulo colocar a bola no chão, não mudou o panorama do jogo.

O São Paulo continuou encolhido e errando de mais na defesa, enquanto o Botafogo pressionava. E novamente a infelicidade bateu a porta de Paulo Miranda, coube a ele cometer pênalti infantil em cima de Vitor Junior. Herrera cobrou e empatou novamente a partida.

A pressão continuou forte do Botafogo, mas foi a sorte e duas falhas que definiram a partida. Primeiro a sorte, que acompanhou Vitor Junior em sua cobrança de falta. Na cobrança, a bola desviou em Cicero e tirou completamente Denis da jogada. O Botafogo ficava na frente pela primeira vez no placar.

E aí vieram as duas falhas. A primeira e mais grave cometida por Leão, o treinador optou por tirar o melhor jogador em campo (Jádson) e fazer suas famosas substituições, colocar Fernandinho e Maicon.

E o segundo resolveu errar bem na frente da área e entregar um presente para Herrera fazer o seu terceiro gol dele, o quarto do Botafogo. Garantindo ao argentino, o direito de pedir música no Fantástico.

Para o São Paulo, o jogo serviu pra observar que falta padrão tático defensivo, seja por ignorância do técnico ou daqueles que compõe o sistema defensivo. Não pode zagueiro direito estar marcando o lateral direito do adversário. Além disso, o time não pode ser tão bipolar em uma partida. Leão e diretoria são os principais responsáveis.

Para o Botafogo, o jogo serviu para mostrar que o time não pode jogar de forma tão apática como jogou no primeiro tempo.
Que o time tem um bom elenco, vários jogadores de qualidade, mas que precisam ter um espírito vencedor, não adianta ficarem tão passivos ao ver uma derrota. Se não fosse os erros individuais do São Paulo, o time carioca sucumbiria a derrota.

E vocês o que viram na primeira rodada deste Brasileirão?

Rapidinhas do Camisa 10 – 02.05.2012

Vírus Mortal. Uma epidemia vem derrubando todos os clubes na América do Sul, chama-se Neymar e sua letalidade aumenta de acordo com o nível de pontapé que tentam o afastar de qualquer maneira. Europa que se cuide.

Algo no ar. Pela segunda divisão do Paulistão, o Atlético Sorocaba se classificou em um jogo “emocionante”, após estar perdendo por 3×0 empatou em 3×3, com jogadores expulsos do outro lado e pênalti aos 50 minutos do segundo tempo. Muito mais suspeito do que emocionante.

Surpresa no banco. Botafogo é um novo time depois da chegada de Oswaldo de Oliveira, o time segue sem perder desde a sua chegada e o time para ter se acertado, Fellype Gabriel tem sido fundamental nesse esquema, além da experiência nipônica do “professor” parece ter melhorado muito o seu repertório.

Maternidade paulista. Segundo o balanço dos clubes paulistas, as despesas com a categoria de base estão na ordem de (em milhões): São Paulo – 19,3; Santos – 12,8; Corinthians – 9,7; Palmeiras 6,6. Agora, dá para entender porque 143 “bebês” foram dispensados do São Paulo.

Nau desorientada. Barcos é o retrato em campo do Palmeiras. Enquanto, tudo estava bem, foram 10 jogos e 9 gols, quando a maré virou, a situação mudou “só” um pouco, agora já são 08 jogos com apenas um gol marcado.

Lista palestrina. Continuando a debandada, no Parque Antartica, Chico, Gerley e Tinga já partiram. Ricardo Bueno e Marcio Araujo são os próximos candidatos. O time busca reforços para todas as posições.

Lista do “loucos”. Pelo bando de loucos, depois de dar fim ao imperador, os próximos na lista são Liédson e Vitor Junior. No Corinthians, a busca é por um segundo volante e um atacante de referência e “pedigree”.

Tufão na seleção. Nosso ex-atacante fofinho, Ronaldo, disse se identificar muito com o personagem da novela Avenida Brasil. Tanto pela figura do pai, como pela paixão pelo rubro-negro, como pela forma física. A dúvida foi se a Carminha representa Suzana Werner, Cicarelli ou Bia Antony..

Zoropeada rápida. Na Europa, entre os principais torneios, temos apenas o Dortmund decretado campeão na Alemanha, na Espanha só uma tragédia tira o título das mãos de Mourinho. Assim como em Portugal, Porto já pode reservar a cerveja da festa do título. Em compensação, na França, Itália e Inglaterra o campeonato promete fortes emoções.

Libertadores em andamento. Ontem, tivemos mais dois jogos pela Liberta. O Velez confirmou seu favoritismo e conseguir vencer o Atlético Nacional na Colômbia pelo placar mínimo. Placar bom, também foi conquistado pelo Libertad que foi até o México e segurou um empate por 1×1.

Dúvida da semana. O Botafogo deveria dar uma medalha pela Taça Guanabara para a gandula/musa/professora de educação física Fernanda Maia?