E se o campeonato acabasse na 29ª rodada?

valdivia101016

O Palmeiras seguiria campeão.

O time faria o dever de “casa” e venceria o América-MG em um jogo vendido para Londrina onde só teve torcida dos “visitantes”. Absurdos que a CBF faz por você. Do lado do Palmeiras, ele não tem nada a ver com isso, do lado do América, um claro sinal de quem já não está mais nem ai para a Série A, do lado da CBF, o papel ridículo de permitir essa zoeira sem fim.

Flamengo segue na cola e o Galo precisará fazer valer seu mando no confronto direto com os dois rivais e ainda conseguir alguns tropeços por parte deles por aí, começo a achar que está ficando um pouco difícil para o Galo.

Completando o agora G6, estariam, Santos, Fluminense e Atlético-PR. Sendo que Grêmio, Botafogo e Corinthians seguem de perto na disputa para ir a fase premilinar da Libertadores, para o Furacão e o Fogão seria um prêmio pela campanha surpreendente, para os demais uma “quase obrigação”.

No meio da tabela, destaques para o declínio de Chape e Ponte, ambas as equipes tiveram três derrotas seguidas e fica a sensação de que acabou o gás, a Chape claramente se encantou pela Sulamericana mais uma vez, a Ponte pode estar sofrendo da sondagem excessiva em cima do comandante. Na parte positiva, o Cruzeiro, que embalou duas vitórias e pelo elenco e pela chegada de Mano, se o pessoal do G6 bobear demais, ele chega hein.

Já na parte debaixo da tabela, seguimos com Inter, Figueira, Santa e América-MG. Com Sport, Vitória e o meu tricolor  por perto, resta saber o quanto Chape e Ponte continuarão caindo para ver se eles também entram nessa disputa. O Inter dá leve sinais de recuperação, apesar das duas vitórias consecutivas, o time sofreu muito para obtê-las, e ainda continua na zona. O Figueira parece que caminha por ser mais um de Santa Catarina a povoar a Série B. A briga parece ser pela última vaga e promete ser concorrida.

Por fim, a 29ª rodada terminou com apenas 19 gols, média baixa, foram 5 vitórias dos mandantes, dois empates e três vitórias dos visitantes. Meu destaque individual nessa rodada, vai para o menino mais lindo, o Valdivia, o meia do Inter em uma rodada de pouco destaque, apareceu por assumir que cavou o pênalti que garantiu a segunda vitória consecutiva do Colorada.

E para vocês, como seria se o campeonato acabasse na 29ª rodada?

Anúncios

Valdivia precisa falar menos no Twitter e jogar mais…

Valdivia

Valdivia, voltou a aparecer e logo virou polêmica.

Extravazou no seu Twitter, como de praxe, e sobrou até para Alexandre Mattos.

Ficou incomodado como a imprensa tratava sua renovação, reclamou dos valores divulgados (segundo ele, a cada momento ele ganha um valor), disse que não tem problema em fazer contrato de produtividade, falou que jogou infiltrado algum dias desses e mais um monte de outras coisas tentando se defender da fama de jogador bom, porém chinelo e que ganha muito.

Particularmente, não posso analisar as questões sobre o quanto é chinelo, o quanto é problemas com lesões crônicas. Mas consigo ver a questão custo/benefício.

Sinceramente, dentro do Brasil, acho que só Adriano no Corinthians teve um custo-benefício pior do que Valdivia.

E os corintianos não precisam me lembrar do gol contra o Atlético, o Imperador atuou por 350 minutos em 08 partidas com apenas 2 gols marcados. Custou um belo salário e foi embora sem deixar saudades.

A conta de Valdivia é mais complicada, são 6 anos e meio somando-se suas duas passagens. Um título paulista em 2008 e uma Copa do Brasil em 2012. Nesse tempo todo foram pouco mais de 200 partidas pelo clube. 231 até então. Só para se ter uma ideia é o mesmo número de partidas que Neymar tem pelo Santos. Ou se comparar Valdivia com Valdivia, em sua primeira passagem de apenas 2 anos foram 93 jogos, enquanto na atual de 4 anos e meio foram 138 jogos.

E o pior de tudo custando caro ao Palmeiras desde sempre, com retorno ao clube muito pequeno.

Não questiono o talento de Valdivia, pelo contrário, acho excelente quando joga, basta ver a diferença do Palmeiras do ano passado quando ele estava em campo e quando estava fora. A questão é se vale a pena ter tudo isso?

Sinceramente, acho que o momento do Palmeiras ajudou toda essa manutenção de Valdivia, um clube que tem carência de ídolos na história recente, desde que o time conquistou a Libertadores de 1999, ninguém assumiu essa posição. Alex até tentou, mas foi mais feliz no Cruzeiro e depois no seu Coritiba. Kleber Gladiador foi Kleber Gladiador e ponto final. Diego Souza nunca quis essa alcunha, sobrou para Valdivia que nessa relação conturbada, pelo menos está sempre por lá.

Acredito que esse novo grupo palmeirense ainda não tenha esse jogador diferenciado, Valdivia ainda pode ocupar, mas tanto para a torcida quanto para o próprio Valdivia a melhor coisa foi esse bom time, pois com ele acaba a pior coisa em um relacionamento, a dependência.

Valdivia depende da torcida do Palmeiras e vice versa.

Quem sabe agora com um time que pode trazer resultados com as próprias pernas, a torcida só “ame” Valdivia pelo craque que é, assim como Valdivia tire o peso das costas de só ele resolver pelo time, ele pode apenas atuar pelo clube com todo o talento que tem.

Mas, uma coisa é certa, Valdivia precisa falar menos no Twitter e jogar mais…

Quem custa mais?

Damiao 141114

Valdivia, Pato, Damião, Elias e Luis Fabiano, foram bons investimentos?

Hoje estava lendo que o Santos pagava a última parcela do seu centroavante e que o clima era de velório, devido ao alto investimento feito e pouco retorno dentro de campo.

E fiquei com os nomes que mencionei acima, como exemplos os quais a conta não parece muito satisfatória.

Valdivia – O chileno é um caso emblemático nessa lista. É nítido que ele gosta do Palmeiras, seja por necessidade ou por empatia. Assim como é claro a relação de amor e ódio entre ele e torcida. O Mago, possui muito futebol é nítido o quanto pode ajudar o alviverde, mas parece não entender realmente sua importância, joga às vezes, vira e mexe se envolve em polêmicas e acabava deixando o time na mão por várias.

Dessa forma, toda a grana investida, mas o quanto custa mensalmente ao clube, sempre gera a pergunta, valeu todo o investimento.

Alexandre Pato – O queridinho de Fiorela no momento possui uma conta mais simples. O Corinthians pagou muito por ele, ele não rendeu no Corinthians, resta agora, saber quanto o Timão consegue recuperar em uma futura venda para saber se a conta fecha.

Leandro Damião – O centroavante da lambreta em um argentino possui uma conta com mais fatores. Assim como no caso do Pato, o clube investiu uma grana pesada pelo jogador, na verdade foi um fundo de investimento, mas que caso não tenha retorno, a dívida passa a ser do clube. Damião ainda tem apoio dentro do clube, mas parece não render.

Resta ao Santos, saber se aquele Damião do Inter foi apenas uma boa fase, ou essa atual é apenas uma má fase.

Elias – O volante corintiano não chegou a custar uma fortuna ao clube, mas seu histórico de ídolo na primeira passagem, tem feito com que Mano sinta uma obrigação em mantê-lo como titular, só que Elias não está rendendo, Bruno Henrique tem se mostrado mais eficiente do que Elias.

O volante foi responsável por um arranhão na relação entre Guerrero e clube. Tudo porque Gobbi não foi 100% sincero com Paolo sobre o teto do clube, e gerou uma rusga entre o peruano e a diretoria. Ou seja, não foi caro comprar Elias, mas é caro mantê-lo.

Luis Fabiano – Por fim, o sempre controverso centroavante são paulino. Fabuloso custou caro aos cofres tricolores e também vive uma relação de amor e ódio com a torcida. Ninguém questiona seu talento como finalizador e no último jogo mostrou que ainda tem condição física de jogar.

A questão é que Luis parece precisar do conflito, quando o momento é bom e de calmaria, cai o rendimento, quando é muito questionado, resolve render. Soma-se a isso, seu histórico de expulsões infantis, tudo isso para complicar o fator “fechar a conta”.

E aí, entre os listados, todos estão se pagando? O que vocês acham?

 

Os “sims” do Futebol!!

Futebol imita a vida, ou a vida imita o futebol.

Ontem, foi daqueles dias repletos de partidas. Acompanhei Atletico de Madrid 1×0 Juventus, Botafogo 2×3 Santos e vi o segundo tempo de Corinthians 2×0 Atlético-MG. Comecei vendo um argentino levar a Libertadores para dentro da Champions League e terminei vendo uma dancinha ridicula do Mano Menezes que parece ter adquirido o mesmo complexo de Dunga.

Mas, entre essas partidas, assisti ao jogo do Santos e vi Robinho jogar. É impressionante a relação de Robinho com o Santos, ele nasceu para jogar lá, tanto que durante a transmissão na TV, o comentarista Ledio Carmona disse “eles (Santos e Robinho) foram feitos um para o outro, igual a um casamento”.

E aí fiquei pensando na questão do matrimônio que Ledio mencionou. Primeiro, achei bacana porque a visão dele ainda considera o lado romântico de tratar um casamento como um laço perfeito entre duas pessoas. Depois, fiquei ainda pensando como essas relações jogadores-clubes representam por muitas vezes algumas relações que acontecem ao nosso redor.

Ceni – São Paulo: Essa é aquela relação de casamento da família tradicional apostólica romana. Se casaram por conveniência, e aprenderam a se gostar. Hoje se amam, ninguém imagina um, sem falar do outro, se fosse um casamento real, estaria comemorando bodas de diamante. Seria aquele casamento que você só visualiza no seus avós, acha muito bacana, mas vire e mexe concorda que será bem díficil algo parecido acontecer nos dias de hoje.

Valdivia – Palmeiras: Sabe aquele casamento que você olha de fora e não entende porque dá certo. Que fica a sensação de que um é muito diferente do outro, que normalmente pedem um tempo, para pensar, mas no final não conseguem viver sem? Então, assim é o chileno e o alviverde. O Chileno abusa do Palmeiras, faz o que bem quer, mas lá no fundo, algo faz o Palmeiras acreditar nele. É como se fossem filhos de pessoas criadas na relação acima, portanto forçam um casamento infeliz porque entendem que é obrigação dos dois fazer ele dar certo.

Fabio – Cruzeiro: Uma espécie de casamento arranjado. Fabio era feliz no Vasco, Cruzeiro era feliz com Gomes. Mas, todo mundo entendeu que seria melhor para eles largarem seus amores e apostarem em uma relação direita. E assim fizeram, muito religiosos aceitaram que a escolha fosse feita por outros. Tanto é que você não enxerga que um precise tanto do outro, mas estão lá, a 10 anos e possuem um carinho imenso um pelo outro. Carinho e só.

Existem aqueles como Diego Souza, Luizão (centroavante), Romário e entre outros que gostam de casar. Gostam tanto, que casaram com vários clubes, uma espécie de jogador Fabio Junior, bobeou, tá casando. Existem os casamentos tipo Denilson Show, que enquanto esteve no São Paulo amou de verdade o clube, mas depois quando foi para o Palmeiras amou também o alviverde, a ponto até de destratar o ex-amor.

E por fim, Ledio despertou meu imaginário por causa de Robinho que parece ser feliz apenas no Santos, e me fez comparar os casamentos reais com os casamentos do futebol. Mostrando mais uma vez que o futebol imita a vida. Qualquer dia desses, escreverei sobre como o jogador em campo, reproduz muito da personalidade dele no dia a dia.

E se o campeonato acabasse na 25° rodada?

felipao_scolari_gremio_reu01 (1)

E se o campeonato acabasse na 25° rodada?

Sim, já está chato eu ficar repetindo isso, mas o Cruzeiro seria o campeão.

Agora, a disputa pela Libertadores ganhou detalhes extraordinários. O Galo teria abocanhado a última vaga, deixando Corinthians e Fluminense de fora.

Aliás, São Paulo, Galo e Grêmio terminariam empatados em números de pontos, o paulista e o mineiro ficariam com a vaga devido ao saldo. Mas, vale lembrar que o Grêmio está a 9 jogos sem perder e a 8 sem levar gols, Felipao parece ter superado o 7×1.

O Furacão e o Peixe se tivessem melhor aproveitamento fora de casa, poderiam bagunçar ainda mais essa disputa.

Na parte de baixo da tabela, o Flamengo ainda não afastou por completo a zona da degola, mas ao mesmo tempo percebe que tem muito mais time interessado nela do que eles.

Coritiba e Criciuma parecem que independente de qualquer resultado, eles sempre terminam a rodada entre os rebaixados.

Entre os grandes, Palmeiras e Botafogo são os que mais namoram a série B. O Palmeiras é a mulher de malandro do “malandrinho” mago Valdivia, disposto a fazer o que quiser com a camisa verde.

Já o Botafogo precisa entender que Mancini gastou as artimanhas para manter um time que não recebe motivado, está na hora de acertar as contas, ou os juros dentro de campo, se manifestarão com jogos de terça, sexta e sábado.

Aliás, se as séries A e B acabassem hoje, SC seria o estado junto de SP com o maior número de representantes. 4 times.

E aí, se o campeonato acabasse na 25° rodada, você estaria satisfeito com o seu time?

Mangia che ti fa bene

100Palmeiras26082014

Pensei em escrever umas linhas para parabenizar o centenário alviverde. Mas, nada melhor do que um autêntico palmeirense para explicar isso. Meu amigo Roberto Fradusco, explica aê!

Por Roberto Fradusco.

“Explicar a emoção de ser palmeirense, a um palmeirense, é totalmente desnecessário. E a quem não é palmeirense… É simplesmente impossível!”

A frase do genial Joelmir Betting resume o sentimento do torcedor do Palmeiras. Indescritível o orgulho de fazer parte da família palestrina, que canta e vibra – e chora – pelo nosso alviverde inteiro.

Chora de alegria, chora de tristeza, chora porque é passional. Ser palmeirense é mais que sentir, é assumir uma identidade: somos herdeiros daqueles primeiros italianos, que há um século fundaram o Palestra Itália. E como tais, somos barulhentos, adoramos comer, amamos a família e nos reunirmos para torcer pelo “Parmera”.

E, porca miséria, xingamos quando o maledeto atacante perde um gol, urramos quando Edmundo entorta mais um e derramamos o copo de vinho quando São Marcos pega o penalti de Marcelinho.

E entre uma sardella e outra, lamentamos mais uma contusão de Valdivia, rezamos para que nostra Santa Achirupita nos mande um novo Ademir da Guia e quase engasgamos com o “prosciutto” quando sentimos saudades do Tonhão.

E vamos em frente, que a macarronada está na mesa. É hora de brindar o grande Leivinha, de pedir por mais uma garfada de Parmalat, de sorrir com o chapéu de Djalminha.

E em meio ao barulho que é o almoço de domingo desta família italiana, ouço gritos por Rivaldo, Dudu, Julinho Botelho e até Galeano, aquele ragazzo caneludo, que se jogasse hoje era ídolo neste time de estrangeiros.

Mas eis que ao tirar as “bringela” do forno a nona deixa a travessa cair. Me lembrou os senhores Mustafá e Tirone, que também derrubaram “tutti”.

Enquanto isso o nono fala sozinho no terraço. Coitado, já ficou “pazzo”, como “il signore” Palaia, que se auto entrevistava.

Mas vamos lá que é hora da sobremesa. E que delícia é o tiramisù da tia Genoveva, quase tão gostoso quanto as comemorações do Paulo Nunes.

E um golinho de vinho licoroso para arrematar com classe, como fazia Evair.

E vamos ligar a TV que já são horas e hoje a Globo vai passar o Verdão. Mama mia! E vamos torcer e rir e chorar, e rezar para que essa família palestrina continue barulhenta a cada almoço e vibrando a cada gol.

Enquanto isso a mama já estica a massa, que hoje o dia termina em pizza para comemorar o centenário de nostro Parmera!

Grazzi, Palmeiras, pelas emoções nestes 100 anos!

Avanti para mais cem!