E aí, seu advogado é craque?

tecnologia-arbitragem-1376

E resolvemos continuar falando da arbitragem.

E o melhor, isso não fica apenas para nós torcedores, vai para o comentarista, vai para os blogueiros, vai o jornal, para o treinador, para os jogadores, e para os tribunais. Sim, como já disse aqui inúmeras vezes, como nosso STJD gosta de “disputar” o campeonato brasileiro e curiosamente sempre prepara uma entrada triunfante na reta final do Brasileirão.

Já faz tempo que damos espaço maior que o devido para eles, sim, a culpa é de todos os envolvidos, eles só aproveitam para aparecerem.

Para mim, tudo começa na falta de apoio aos árbitros e uma comunicação clara, é preciso um limite de tempo para se tomar a decisão final sobre um lance. Não se pode gastar 13 minutos para se decidir se um gol é válido ou não. Em treze minutos, todo mundo no estádio já sabe o que realmente aconteceu.

E se no futebol não permitimos o uso de tecnologia é porque assumimos que o erro faz parte do jogo, é bem difícil acertar sempre, portanto, de maneira prática, a arbitragem deveria gastar 30 segundos para decidir um lance duvidoso, o árbitro acha uma coisa, o bandeira próximo ao lance acha igual ou diferente, aí o árbitro precisa decidir, ou seja, em trinta segundos, uma decisão deve ser tomada e segue jogo.

Se errar, paciência, tá dentro da expectativa.

Isso independe de profissionalização (que eu defendo), isso independe de calendário fechado de arbitragem (que eu também defendo), isso independe de outras várias medidas para ajudar a arbitragem, enquanto não aceitar o uso da tecnologia para resolver a partida, o erro fará parte.

Ou teriamos alguma discussão, se Ricci tivesse dado o gol do Flu e pronto? Ah, ele tava impedido, sim, mas ficaria apenas na conta dos famosos erros que acontecem, nem tampouco o Figueira entraria agora com a mesma ação.

E para aproveitar a chance de aparecer, o STJD decide que irá julgar até o mês de Novembro, ou seja, ganhou a chance de brincar de dono da decisão do campeonato, é patético.

Enquanto isso, fica a sensação que além de um bom time, os clubes precisam se preocupar em trazer como reforço a cada temporada, um bom advogado, porque em algum momento, ele poderá ser útil.

Já tô vendo que para o próximo album de figurinhas do campeonato brasileiro, além do craque do time, teremos um espaço para o advogado do clube.

E aí, seu advogado é craque?

Anúncios

Nosso ultrapassado e ilegal acordo de cavalheiros…

sheiks160915

E o STJD resolveu julgar algo que realmente é importante, ou pelo menos que valha a função desse órgão. Eles irão olhar jogadores que não puderam atuar por “acordo de cavalheiros”, o veto à atuação de atletas contra o ex-clube é proibida pela FIFA e pela própria CBF, no artigo 33 do Regulamento de Registro e Transferência:

Art.33: ‘A transferência por cessão temporária de atleta profissional pode ser convencionada pelo clube a que contratualmente o atleta está vinculado (cedente) a outro clube (cessionário), sendo nulas e de nenhum efeito quaisquer cláusulas ajustadas entre as partes que visem a limitar, condicionar ou onerar a livre utilização do atleta cedido por parte do cessionário, enquanto vigorar a cessão, respeitados os contratos celebrados antes da publicação deste regulamento’.

Sendo assim, 0 STJD identificou nove jogos no campeonato nos quais a irregularidade foi cometida pelas equipes participantes. São eles:

Palmeiras X Goiás (24/05/2015 – 3ª Rodada) – Atleta: Felipe Menezes (Goiás)
Atlético-MG X Vasco da Gama (31/05/2015 – 4ª Rodada) – Atleta: Serginho (Vasco)
Internacional X Coritiba (07/06/2015 – 6ª Rodada) – Atleta: Wellington Paulista (Internacional)
Vasco da Gama X Cruzeiro (13/06/2015 – 7ª Rodada) – Atleta: Riascos (Vasco)
Sport X Atlético-MG (08/07/2015 – 12ª Rodada) – Atleta: André (Sport)
Flamengo X Corinthians (12/07/2015 – 13ª Rodada) – Atletas: Emerson Sheik e Paolo Guerrero (Flamengo)
Grêmio X Flamengo (18/07/2015 – 14ª Rodada) – Atletas: Pará (Flamengo) e Erazo (Grêmio)
São Paulo X Corinthians (09/08/2015 – 17ª Rodada) – Atleta: Alexandre Pato (São Paulo)
Cruzeiro X Internacional (Dia 16/08/2015 – 19ª Rodada) – Atleta: Fabrício (Cruzeiro)

Sinceramente, eu nunca entendi muito essa regra, ou melhor acordo de cavalheiros que os clubes praticavam, eu empresto um cara para um time, porque de alguma forma ele não me serve nesse momento, porém ele é perigoso o suficiente para eu não deixar ele jogar contra mim, oras, deixasse ele no elenco então.

Até porque, eu emprestei o meu atleta porque eu considero que o restante do elenco é mais forte do que ele, mesmo quando falo de garotos da base. Emprestar para ganhar rodagem é porque você aposta que o restante do grupo é melhor naquele momento do que o garoto, não tem nada de errado, é um direito e um planejamento que o clube tem todo direito.

Agora, atrapalhar o planejamento do outro é um pouco sacana. Se o time quis um jogador seu para compor o elenco é porque no planejamento daquele clube existe espaço para o jogador, logo o esquema do jogo tem espaço para ele, quando eu privo o jogador de atuar, eu obrigo ao clube a improvisar contra mim.

Confesso que desconhecia que essa prática era ilegal, que era uma irmandade entre clubes, uma irmandade que só existe nessa hora.

Espero que o STJD enfim atue em algo que é necessário acabar, além dos motivos que listei, pelo principal, que é a ilegalidade, mas espero que o STJD faça isso sem precisar armar um circo imenso e perder a importância por isso.

Punição sim, mas não essa…

gremio-racismo

Você achou que o STJD acertou na punição dada ao Grêmio?

O Grêmio foi excluído da Copa do Brasil em virtude dos atos racistas cometidos pela sua torcida na partida de ida contra o Santos.

A primeira pergunta que fica é se o time sofreria a mesma sanção se tivesse vencido o jogo em Porto Alegre, não sei, talvez sim, ou talvez fosse escolhido outra pena.

O problema é que foi essa punição escolhida. Não sei se cabe recurso, mas acima de tudo, acho que escolheram a punição errada para um crime tão grave. E aí, faço outro adendo antes de entrar na questão da escolha da punição, acho o racismo abominável e com toda a razão merece punição e muito maior do que uma mordida ou qualquer outra ocorrência dentro do futebol.

Racismo é uma mazela que herdemos que nos torna pequenos demais, imbecis demais para seguir em frente.

O problema do racismo foi resolvido pelo STJD como a mesma sensibilidade de um fazendeiro acabando com uma praga em seu gado. O boi está com carrapato? Matem o boi! Pronto, tudo resolvido, acabou o carrapato!

Outra questão levantada, pense em uma escola e durante uma aula, um grupo de meia dúzia de imbecis proferem ofensas racistas, homofóbicas ou de qualquer outra natureza preconceituosa a alguém. Fecha-se a escola? Exclui a escola do seu exercício ou pune-se os alunos individualmente?

E apenas mais uma questão. O STJD com sua decisão cria um cenário perigoso, imagina agora que seu time precisará ficar atento a todos que entram no estádio, pois pode aparecer meia dúzia de torcedores rivais infiltrados afim de eliminar seu time de alguma competição.

Torcida infiltrada será a grande contratação nessa janela de verão que se aproxima.

Enfim, as punições que Fabio Koff (presidente do Grêmio) aplicou sobre a torcida do se time foram mais punitivas do que a do STJD. A busca pelos imbecis, inclusive com julgamento e possibilidade de cadeia foram realmente o que precisa ser feito. Faltava punição real para quem comete tal crime, espero que sejam presos e sirvam de exemplo para quem ainda tem um pensamento tão atrasado.

Espero também que o STJD entenda que sua função é apenas colaborar com questões legais para o bom funcionamento do espetáculo futebol e não participar do espetáculo.

Em tempo, não se pode tirar o mérito de enfim, uma vitória contra o racismo. Uma punição mesmo que não concorde, já é uma punição. Que seja o começo do fim do racismo.

Post scriptum: Após alguns debates com meus amigos, entendo que a punição do STJD cria uma condição na torcida onde ela é co-responsável por banir essa idiotice. Seja infiltrado ou não, os imbecis serão devidamente pressionados pela torcida a se calar, sair ou até apanhar dentro do estádio por qualquer comentário racista.

Devo ter me exaltado, por não acreditar nas ideias e decisôes de tal órgao, e duvido até agora que tenham feito com tal intenção. Mas, olhando após comentários de alguns amigos, passo achar que mais importante de tudo foi a punição. O Racismo tem que acabar.

A intenção de perder 3 pontos…

flu31

E antes de falar sobre a Copa do Mundo que começa amanhã!! Sim, começa amanhã!! O Brasileirão resolveu fazer um jogo fora de campo para reaparecer na telinha!!

Eis que mais um caso de perda de pontos pela escalação do jogador irregular acontece.

O Criciúma perdeu 3 pontos pela escalação de atacante Cristiano. Cristiano foi expulso em duelo contra o Paysandu quando ainda defendia o Naviraiense. Pegou um gancho de cinco jogos e deveria cumprir suspensão ainda.

Sei que é chover no molhado, mas para mim, no mínimo é uma estupidez gigantesca por parte do clube. Como alguém contrata um jogador e não existe o mínimo de conversa entre os envolvidos, quando a transferência ocorre, será que ninguém comenta nada.

Quando eu compro um carro ou uma casa, a primeira coisa que vejo é a situação do bem. Se tem multas pendentes ou quaisquer outras irregularidades. Para mim, parece que a atitude é premeditada.

Não me perguntem o porque, porque eu não tenho a menor idéia.

Mas, prefiro acreditar que alguma coisa maior faz o clube tomar essa decisão do que simplesmente acreditar na estupidez plena de nossos dirigentes.

Punição justa, da forma mais triste possível…

flugozacao

É o Brasileirão de 2013 teve uma 39ª rodada exclusiva para Portuguesa e Fluminense.

Confesso que para mim era tragédia anunciada desde de que o cheiro de enxofre começou a rodear os bastidores do circo brasileiro de futebol.

Mas assim que começou o julgamento, a sensação é que toda a cartolagem que comanda nosso futebol resolveu abrir os dedos diante do imenso estrume feito por eles.

O julgamento parecia uma comédia pastelão sobre algum jurí qualquer, ou um dia de TV Senado bem tosco. Mas era o nosso futebol quando importância fora das quatro linhas.

Foi triste, porque a Portuguesa não fez nenhuma força para lutar pela sua permanência, assumiu o erro bizonho e não buscou questionar o formato adotado pelo nosso futebol, quando até em uma Copa Dan’up a súmula conta com os jogadores suspensos, como no nosso futebol essa informação não existe. Ou simplesmente preferiu o silêncio por um preço que talvez nunca vamos saber ao certo.

Foi triste também, porque ver a torcida da Portuguesa chorar, é perceber que ninguém respeita o que os torcedores sentem. Nem mesmo os próprios torcedores. Pois a cena dos torcedores cariocas comemorando a permanência do clube na Série A, foi uma das cenas mais lamentáveis. Foi dolorido, ver que a torcida valorizou mesmo a manobra feita pelo departamento jurídico.

Foi triste saber que os demais jogadores cruzarão os braços assim como no Bom Senso FC, mas não para protestar, mas para mostrar que para essa situação eles não farão nada.

Por fim, foi mais triste ainda saber que a punição foi justa, pois estava na regra.

Futebol e suas coincidências…

Image

Galera, estava meio ausente e acabei nem falando do fim do Brasileirão. Mas pelo jeito, o Brasileirão ainda não acabou.

São grandes as chances de uma reviravolta e a Portuguesa ser rebaixada, salvando o Fluminense. Tudo isso, graças a escalação de um jogador de forma irregular que será enquadrado no artigo do 214 do CBJD.

“Art. 214. Incluir na equipe, ou fazer constar da súmula ou documento equivalente, atleta em situação irregular para participar de partida, prova ou equivalente. (Redação dada pela Resolução CNE nº 29 de 2009).

PENA: perda do número máximo de pontos atribuídos a uma vitória no regulamento da competição, independentemente do resultado da partida, prova ou equivalente, e multa de R$ 100,00 (cem reais) a R$ 100.000,00 (cem mil reais). (NR).
§ 1º Para os fins deste artigo, não serão computados os pontos eventualmente obtidos pelo infrator. (NR).
§ 2º O resultado da partida, prova ou equivalente será mantido, mas à entidade infratora não serão computados eventuais critérios de desempate que lhe beneficiem, constantes do regulamento da competição, como, entre outros, o registro da vitória ou de pontos marcados. (NR).”

Pelo artigo, a Portuguesa deverá perder 4 pontos, assim como o Flamengo por ter escalado André Santos na partida final.

O mais curioso dessa história é que pela primeira vez, estamos cobrando do STJD que ele não cumpra o regulamento. Que faça as vistas grossas que sempre fez e beneficie a Portuguesa.

Eu sou completamente contra essa mobilização “coitada da Portuguesa”. O clube errou e deve ser enquadrado no artigo e punido, assim fica mais fácil para cobrar quando uma agremiação entitulada grande for punida da mesma forma. Até porque, punindo a Lusa, o Flamengo também deverá ser punido e não haverá hipótese para não punir nas próximas vezes.

O que ninguém levantou a bandeira e a série de coincidências desse imbróglio judicial. Estranho Portuguesa e Flamengo cometerem o mesmo erro na última rodada. Será que as diretorias são tão amadoras a esse ponto, de não se atentar na última rodada para atletas em condição de “irregular”?

Porque justamente um time grande também do Rio resolveu cometer o mesmo erro de um pequeno, tornando assim mais aceitável a punição que a Lusa receba, já que o Flamengo também receberá.

Enfim, ou foi inocência demais ou sacanagem demais. Uma coisa é certa, eu apoio a punição aplicada para a Portuguesa e para o Flamengo.