Foi bom te amar Olimpíadas!!

encerramento-olimpiada-rio-2016-

Foram 17 dias, mais precisamente 18 dias de Olimpíadas.

Confesso, estava bem longe da torcida contra, mas também estava distante de ser o mais apaixonado, mas como uma mulher envolvente e conhecedora dos seus encantos e ela foi me derrubando e hoje sinto aquela sensação de falta de ar, de como pode ser um dia sem ela, como pode demorar tanto para chegar e porque foi embora tão rápida.

Acho que muito do encanto transmitido, foi pela sorte de estar no Rio de Janeiro, a oportunidade que tenho de estar morando aqui na cidade olímpica ajudou a me envolver, fui um adolescente lidando com as Olimpíadas.

As conquistas brasileiras eu sempre vibrei muito, muito por todo meu histórico que volta aqui à tona, minha avó sempre incentivou muito amar o futebol, mas não esquecer que o amor maior é pelo esporte, pela força que ele tem de forma caráter, ou de consolidar como ela preferia dizer, de ajudar a quem precisa mil vezes escolher o certo a ter aquele 1% de chance.

Então minha primeira lembrança olímpica é o saque do Marcelo Negrão em 92, passando por Atlanta-96 com o bronze de Meligeni e a final feminina do estreante vôlei de praia, depois são lembranças mais contundentes de todos nossos atletas medalhistas.

Pois então, nosso primeiro ouro em 2016, resgatou tudo isso, Rafaela Silva é o exemplo vivo do que o esporte é capaz.

Então eu me entreguei ao amor para as Olimpíadas, vi o que o brasileiro é capaz de oferecer para o mundo, mais do que a capacidade de organizar, mais do suas belezas naturais (e olha que o Rio é incansável nisso), o brasileiro mostrou ele, seu jeito, sua cultura, sua capacidade imensurável de rir para as adversidades, mesmo que opte por nem sempre enfrentá-las, mas viver leve, viver bem para viver melhor.

Mostrou que a corrupção é uma mazela independente de um evento, esse golpe ainda nos será dado algumas vezes e estamos aprendendo a combater, daqui a pouco, ganhamos ouro nisso também.

Mas mostrou que somos capazes, que chutamos a síndrome de vira lata para bem antes de Pindorama, reacendeu aquele nosso orgulho, que nossas Rafaelas, Martas, Robsons, Serginhos e Isaquias estão por aí e que aquela velha máxima serve para nós, sabemos que não dá para mudar o passado, mas podemos sempre mudar o futuro.

A Olimpíadas se foi e o tal legado que não foi desenvolvido por quem deveria, não deixamos derreter na areia de Copacabana, porque mais uma vez o brasileiro não fugiu a luta e tem tudo para cuidar de nossa terra amada e dourada.

Foi bom te amar Olimpíadas!!

Anúncios

Nosso ultrapassado e ilegal acordo de cavalheiros…

sheiks160915

E o STJD resolveu julgar algo que realmente é importante, ou pelo menos que valha a função desse órgão. Eles irão olhar jogadores que não puderam atuar por “acordo de cavalheiros”, o veto à atuação de atletas contra o ex-clube é proibida pela FIFA e pela própria CBF, no artigo 33 do Regulamento de Registro e Transferência:

Art.33: ‘A transferência por cessão temporária de atleta profissional pode ser convencionada pelo clube a que contratualmente o atleta está vinculado (cedente) a outro clube (cessionário), sendo nulas e de nenhum efeito quaisquer cláusulas ajustadas entre as partes que visem a limitar, condicionar ou onerar a livre utilização do atleta cedido por parte do cessionário, enquanto vigorar a cessão, respeitados os contratos celebrados antes da publicação deste regulamento’.

Sendo assim, 0 STJD identificou nove jogos no campeonato nos quais a irregularidade foi cometida pelas equipes participantes. São eles:

Palmeiras X Goiás (24/05/2015 – 3ª Rodada) – Atleta: Felipe Menezes (Goiás)
Atlético-MG X Vasco da Gama (31/05/2015 – 4ª Rodada) – Atleta: Serginho (Vasco)
Internacional X Coritiba (07/06/2015 – 6ª Rodada) – Atleta: Wellington Paulista (Internacional)
Vasco da Gama X Cruzeiro (13/06/2015 – 7ª Rodada) – Atleta: Riascos (Vasco)
Sport X Atlético-MG (08/07/2015 – 12ª Rodada) – Atleta: André (Sport)
Flamengo X Corinthians (12/07/2015 – 13ª Rodada) – Atletas: Emerson Sheik e Paolo Guerrero (Flamengo)
Grêmio X Flamengo (18/07/2015 – 14ª Rodada) – Atletas: Pará (Flamengo) e Erazo (Grêmio)
São Paulo X Corinthians (09/08/2015 – 17ª Rodada) – Atleta: Alexandre Pato (São Paulo)
Cruzeiro X Internacional (Dia 16/08/2015 – 19ª Rodada) – Atleta: Fabrício (Cruzeiro)

Sinceramente, eu nunca entendi muito essa regra, ou melhor acordo de cavalheiros que os clubes praticavam, eu empresto um cara para um time, porque de alguma forma ele não me serve nesse momento, porém ele é perigoso o suficiente para eu não deixar ele jogar contra mim, oras, deixasse ele no elenco então.

Até porque, eu emprestei o meu atleta porque eu considero que o restante do elenco é mais forte do que ele, mesmo quando falo de garotos da base. Emprestar para ganhar rodagem é porque você aposta que o restante do grupo é melhor naquele momento do que o garoto, não tem nada de errado, é um direito e um planejamento que o clube tem todo direito.

Agora, atrapalhar o planejamento do outro é um pouco sacana. Se o time quis um jogador seu para compor o elenco é porque no planejamento daquele clube existe espaço para o jogador, logo o esquema do jogo tem espaço para ele, quando eu privo o jogador de atuar, eu obrigo ao clube a improvisar contra mim.

Confesso que desconhecia que essa prática era ilegal, que era uma irmandade entre clubes, uma irmandade que só existe nessa hora.

Espero que o STJD enfim atue em algo que é necessário acabar, além dos motivos que listei, pelo principal, que é a ilegalidade, mas espero que o STJD faça isso sem precisar armar um circo imenso e perder a importância por isso.