Qual dupla de laterais você escolheria?

622_f5d3cbf6-331c-3373-90e1-36b17e0e4b09.jpg

E ontem a Juventus venceu o Mônaco por 2×0 e também encaminhou sua classificação para a final da Champions, aumentando as chances de enfim, Buffon ter sua carreira coroada com uma “orelhuda”.

Os dois gols saíram de forma estatística do mesmo jeito, assistência de Daniel Alves, gol de Higuain.

Só que além das assistências, a vitória de ontem fez Daniel bater um recorde, o lateral passou a ser o jogador brasileiro com mais jogos pela principal competição de clubes do mundo, com 142 partidas. Ele ultrapassou Roberto Carlos que possui 141 partidas.

Além disso, Daniel pode ao final dessa temporada se tornar o jogador com o maior números de títulos, superando Ryan Giggs.

E aí, comecei a especular em minha mente, e avancei além da disputa entre Daniel Alves e alguém, aproveitando a também excelente temporada de Marcelo fui mais longe na minha provocação do dia, meu debate é, qual dupla é melhor: Cafu e Roberto Carlos ou Daniel e Marcelo?

Sinceramente, a três anos, eu consideraria lunático levantar tal possibilidade, contudo aquele combo futebol apresentado + números, começam a saltar para a comparação.

Mundialmente falando, a dupla atual é maior, nacionalmente que a questão ainda esbarra, principalmente pelo lado direito. Porque?

Pelo lado esquerdo, a carreira de ambos é similar, inclusive o clube onde estão fazendo história, a diferença é uma Copa do Mundo, não que seja pouco, mas a história de ambos é parecida.

Já na direita, a relação é inversamente proporcional e talvez seja o orientador para escolher uma dupla ou outra, Cafu tem uma história incrível na seleção, é quem mais vestiu a camisa, é o único a jogar três finais consecutivas de Copa do Mundo e enquanto estava em plena forma, era intocável na lateral. Como jogador foi bem, mas sem grande destaque.

Enquanto Daniel, foi ok na seleção e monumental por clubes, ganhou tudo pelo Barcelona, teve passagem formidável por Sevilla e segue importantíssimo na Juventus. Não à toa, os números que mencionei acima o credenciam como.

Como eu sempre digo, é preciso esperar a carreira de um jogador acabar para dimensionar exatamente o tamanho dela, até porque Marcelo e Dani podem ainda beliscar uma Copa no ano que vem, quem sabe.

Mas acima de tudo, fica o exercício de pensar, se você fosse montar uma seleção e tivesse que escolher uma única dupla para compor o seu time, quem seriam os eleitos, Dani e Marcelo ou Roberto e Cafu?

Eu escolheria a atual.

 

Anúncios

Drogba, Van Persie e outros medalhões

gerrard-pirlo

Ultimamente alguns renomados nomes do futebol internacional estão sendo especulados para jogar no Brasil. Contudo, entre uma história mais distante, outras que realmente quase aconteceram ou que podem acontecer, as dúvidas que pairam na minha cabeça são, será que vale a pena e porque ainda é tímido a vinda desses jogadores.

Esqueçam aqueles com nacionalidade brasileira, ou seja,  não vale os retornos de Ronaldo,  Roberto Carlos, Kaka, Gaúcho,  Deco e Rivaldo, quantos jogadores de renome internacional atuaram no Brasil?

Ao meu ver, somente Seedorf, e isso porque ele é casado com uma brasileira e sempre nutriu essa vontade de atuar por aqui. Ou seja, algo em nosso futebol não atrai os jogadores de renome.

E vou aqui de longe especular algumas possibilidades, porque essa recusa, trata-se de uma via de mão dupla. Os clubes precisam se interessar muito por esse tipo de reforço e o jogador precisa gostar muito da proposta.

A primeira questão para mim é, o clube brasileiro realmente acha importante trazer um jogador desse tipo?

Eu tenho a sensação que quase todos torcem o nariz para isso, julgam nosso campeonato altamente competitivo e que o jogador desse em final de carreira não conseguiria atuar, e todos os nomes acima mostram que é uma lenda. Nosso campeonato é competitivo, mas fisicamente muito inferior aos europeus, o cara que chega aqui mais veterano ainda possui um ritmo amplamente satisfatório para atuar no Brasil.

Ou seja, dá para arriscar sim em bons nomes para disputar uma temporada por aqui.

Segunda questão é, o jogador europeu tem qual referência e atratividade para jogar aqui no Brasil?

Parece que apenas nossas belezas naturais atraem o estrangeiro, a falta de uma agenda mais organizada, um calendário menos intenso afastam um pouco, além da falta de habilidade de um dirigente em negociar todas essas condições com um jogador.

Vou dar um exemplo bobo para não me prender muito nesses detalhes, será que ninguém faz um contrato com o atleta  sugerindo uma agenda onde ele atuará por no máximo 45 partidas e somente 5 vezes poderá acontecer de jogar duas vezes na semana.

Sinceramente, acho nosso mercado potencial para trazer Van Persie, Sneijder, Pirlo, Drogba, Eto’o, Gerrard, Lampard, entre outros, acho que agregaria não só com práticas que eles tiveram no mercado e poderiam compartilhar com todos, mas para trazer aspectos culturais que são importantes em virtude do país de origem e etc. Além de trazer visibilidade mundial ao ter nomes como esse atuando por aqui.

O Brasil tem capacidade para ser um mercado forte para quem não tem mais espaço nas grandes ligas européias?

E para vocês, porque “os gringos” não vem para o Brasil?

Neymar entraria na seleção dos melhores que você viu jogar?

neymarpele

Pensando somente nos jogadores que eu vi jogar, fiquei pensando o quanto Neymar entraria nessa lista, se faria parte ou não dessa seleção.

Sou nascido em 1984, praticamente não vi Maradona e Zico jogarem, minhas lembranças são mais distantes de ambos, um em lances isolados pela seleção argentina, o Galinho já esbanjando sua arte pelo Oriente, encantando os japoneses.

Sendo assim, minha seleção dos melhores que vi jogar seria, Ceni, Cafu, Maldini, Gamarra, Roberto Carlos, Pirlo, Djalminha, Zidane, Messi, Ronaldo e Romário. É capaz de ter esquecido de muita gente no meio principalmente, minha defesa e meu ataque não mudarão tão cedo.

E foi aí que percebi o quanto Neymar é novo e genial, ainda parece distante ele roubar a vaga de alguém do trio da frente, mas ao mesmo tempo, parece que nada é impossível.

A sensação que eu fico é de quem ele roubará a vaga, Romário e Ronaldo, e aí, não sei o que faria, porque acho apesar de diferentes, gênios iguais, difícil abrir mão de um, ao que tudo indica, meu time se tornaria kamikaze, pois acho que Djalminha viraria opção de segundo tempo.

E aí, qual a seleção dos melhores que você viu jogar?

Essa tal de gratidão…

image

Arda Turam foi apresentado no Barcelona.

Jogador de muita raça e um dos pilares do bom time de Simeone, o turco mudou de ares na Espanha e vai se juntar ao trio MSN e companhia. Onde jogará, se será titular e como ficaria esse Barcelona da temporada 15/16, deixo para vocês pensarem nesse momento.

O que me chamou a atenção na contratação foi que algumas pessoas resgataram a história de Arda. Ele veio de um pequeno vilarejo na Turquia, lá quando começou a sonhar com futebol teve o apoio da comunidade do local, inclusive com pequenas ajudas financeiras dentro do possível, como pagamento da dívida, a quase 3 anos Arda paga toda a luz e água da cidade e ajuda no desenvolvimento do vilarejo para o tornar melhor para seus moradores.

A história é maravilhosa, mostra a gratidão, senso da importância do seu passado e entendimento de sustentabilidade (sabe que não precisa de todo o dinheiro para si, pode investir um pouco, sim um pouco para os outros.).

Porque trago essa história, porque não vejo mais esses valores em nossos jogadores, lembro das ações que Roberto Carlos tinha em sua Araras, ou mesmo Aloisio Chulapa com sua pequena cidade em Alagoas. E outras muitas do passado que aconteceram.

Essa geração parece ter perdido essa referência, o valor da gratidão.

Da série, futebol é mais que um esporte, Arda nos mostra a gratidão.

Silêncio dos inocentes!

Galera do blog, ontem a polícia inglesa “conseguiu” a confissão de um turista alemão sobre o incidente da casca de banana arremessada em Neymar no último amistoso da seleção.

Segundo a polícia, o turista disse que não teve nenhuma intenção racista no ato, que simplesmente jogou o que tinha em mãos, que “por coincidência” era uma casca de banana. Ainda bem que ele não estava comendo uma melancia.

Aliás, nos últimos dez dias, essa história tem se repetido. Roberto Carlos no confronto do seu time o Anzhi (que está no Palpitando!!) contra o Zenit “recebeu” do torcedor uma banana de presente, Diego Maurício (atacante do Flamengo) teve que agüentar os torcedores peruanos imitarem um macaco toda vez que ele pegava na bola no Sulamericano sub-20.

O mais curioso nessa história toda é a submissão dos envolvidos. Nenhum dos jogadores manifestou interesse em exigir uma atitude persuasiva contra o racismo, preferiram não enxergar.

Neymar, disse “Prefiro nem tocar no assunto para não virar uma bola de neve”. Roberto Carlos disse que a atitude não o afetou. Diego Maurício, coitado, nem teve a oportunidade de cobrar uma postura dos dirigentes. Lamentável!

Na minha opinião, não deveria ser papel dos jogadores ir atrás desse marginal, deveria ser natural que as autoridades responsáveis (Confederação, Policia, Governo) sanassem o caso, mas quando você vê a postura da polícia inglesa, percebe que estamos longe do ideal que um dia Martin Luther King e Nelson Mandela sonharam.

Vale lembrar que essa mesma polícia foi a responsável por assassinar o brasileiro Jean Charles no metrô pois fora confundido com um terrorista.

Mas como deixar passar em branco a postura passiva da CBF, que vê seu jogador ser hostilizado e nada faz, será porque existe uma certa “obrigatoriedade” dos comandados de Teixeira com o Emirates Stadium, devido a um acordo com a empresa que organiza os amistosos?

É triste, ver que às vezes o culpado do próprio preconceito continuar estar mais perto do que imaginamos, às vezes somos nós mesmos o culpado.

Nada tão inesperado assim, não é Tite?!

Galera do blog, ontem foi mais um dia cheio de futebol, acabei vendo uma boa parte do jogo entre Santos e São Caetano e depois vi na íntegra Corinthians e Tolima.

Pelo jogo do Santos, o time santista continua agressivo no ataque, contudo encontrou um Azulão inspirado que resolveu fazer um jogo de igual para igual. Pelo Peixe, Maikon Leite, Elano e Jonathan foram os melhores, mas Keirrison também merece destaque. Possebon que vinha fazendo boas partidas errou muitos passes e parecia cansado ontem. Aliás o sistema defensivo do Peixe como um todo esteve em noite infeliz. COntudo, o time segue na ponta e é o meu favorito para tudo esse ano.

No Pacaembu, os mesmos erros deste começo de ano, a mesma covardia do treinador e uma apatia no meio de campo ireeconhecível, esse foi o Corinthians diante do Tolima. Já tinha comentado anteriormente que diferente dos duelos anteriores nessa entitulada “pré Libertadores” o Tolima é o famoso time “encardido”, possui toque rápido e muita velocidade, mas ainda sim um time fraco. Porém o Corinthians resolveu jogar com o freio de mão puxado, Dentinho, Bruno César, Jucilei não foram nem sombra do que poderiam render.

Soma-se a isso a regularidade incrível de Alessandro e Roberto Carlos em deixarem buracos nas costas deles, são excelentes jogadores, aliás qualquer time no Brasil gostaria de ter os dois como laterais, porém ou o Corinthians adota um 3-5-2 para acertar a cobertura dos laterais, ou joga com dois volantes de contenção para cobrir as subidas, ficou claro ontem que qualquer time mas forte que possua atacantes leves irá dar muita dor de cabeça para o time alvinegro.

Para piorar, na minha opinião, o Corinthians não merece um técnico tão pequeno, tão retranqueiro, covarde. De qualquer forma, nada está decidido, o jogo na Colômbia é na semana que vem, e Tite poderá jogar do jeito que gosta no contra-ataque e terá novamente todas as chances de vencer o confronto. Mas, se eu fosse o Andrés já corria atrás de alguém para ganhar a Libertadores, com Tite o time não ira longe.