Chape uma vitoria na Libertadores e a certeza de um sucesso de reconstrução

Chape080317

E ontem foi dia de ver a Chape estrear no Copa Bridgestone Libertadores.

Como é bom ver essa história sendo reconstruída e o time como um todo reagir tão rápido, não podemos esquecer que tragédia a parte, estamos falando de um time que foi completamente reconstruído, jogadores que pouco jogaram juntos e pouco conheciam a Chapecoense em si.

Um clube tem seu estilo, sua cultura, a população e torcida que o cercam e tem sua história, entender tudo isso é fundamental para que o time dê liga, renda rápido e traga os resultados esperados.

E a mobilização em Chapecó e dar orgulho e virar case para qualquer empresa do mundo, falamos do Japão e sua velocidade de reconstrução após tragédias naturais, mas o time de Santa Catarina faz muito bonito nesse processo.

E a seleção foi muito criteriosa, apesar da “boa vontade” de todo mundo em ajudar, a Chape soube se posicionar e equilibrar a ajuda desorientada com peças que realmente fizessem sentido para compor o elenco.

Ontem o time viveu bem o clima Libertadores, um campo em péssima condição que parecia ter um córrego em cada lado do campo, arbitragem quase sempre caseira, lances de força desproporcional do rival e muita pressão da torcida adversária.

Mas a Chape foi valente e teve estrela, o jogo está enroscado, ninguém se impondo, mas as poucas chances apareciam pelo lado da casa, até que uma bola parada, trouxe Reinaldo, um lateral caricato com passagem pelo São Paulo e que está emprestado, resolveu pegar a bola no lugar do batedor oficial, Luis Antônio (emprestado pelo Flamengo), e bater fechado demais no primeiro pau, fechado o suficiente para que surpreendesse o zagueiro que não conseguiu chegar a tempo para tirar e viu sair o primeiro gol do Índio Condá.

Um gol chorado, atípico, surpreendente, assim como a história que a agremiação vem escrevendo, a partir daí, o jogo melhorou, os comandados de Mancini se soltaram e começaram a produzir mais que os venezuelanos, podia ter ampliado ainda no primeiro tempo, mas não soube acertar o passe final.

No segundo tempo, o Zulia, voltou com impeto, mas aos poucos a Chape foi ensaiando os contra golpes e controlar o jogo até que veio o 2×0 , porém aquela relaxada natural (que não deveria) trouxe um gol do Zulia que passou a pressionar a Chape nos minutos finais.

Por fim, a Chape segurou o placar e teve um importante resultado para o seu início na Libertadores, para quem está vencendo tantas batalhas, até que a estreia na Libertadores foi tarefa fácil.

Anúncios

Só resta apelar para a sabedoria popular do futebol…

image

Ontem assisti aos jogos do River e São Paulo, além de rever várias vezes os rolinhos sofridos pelo David Luiz (o Lúcio da nova geração).

Focarei no jogo do São Paulo.

O tricolor voltou a jogar mal, ou seja, o jogar mal é o normal do time, sendo assim o time jogou como sempre.

Eu não me levo pela questão da vontade, vejo que o time continua desorganizado, portanto existem dois cenários possíveis, ou ninguém da comissão tem capacidade de arrumar o time, ou esse grupo de jogadores não respeitam nenhuma tentativa de aplicação tática.

Ganso nessa nova posição vem bem, ontem deu duas assistências que seus companheiros desperdiçaram, ai não tem muito o que fazer mesmo.

Mas o grande problema do São Paulo é a qualidade defensiva do time, depender por um momento que seja de Paulo Miranda e Reinaldo nas laterais é mostrar o quão frágil está o time.

Milton precisa mostrar que todos esses anos de São Paulo lhe deram bagagem suficiente para organizar minimamente o time, isso em um momento de decisões.

Pega Santos no fim de semana, Corinthians no meio de semana e se bater o Santos tem outro clássico pela final do Paulista no outro fim de semana.

Se o São Paulo não se encontrou até agora, os próximos três jogos podem mudar pouco em relação ao plano tático do time, mas pode mudar completamente o ambiente.

Por enquanto, vale apenas o ditado da boleiragem “colocar o coração na ponta da chuteira”.

Resumo do fim de semana

Fala Galera !

Vamos falar sobre o que aconteceu nesse fim de semana, nos principais campeonatos no Brasil e no mundo.

Pelo Paulistão, o grande destaque foi a derrota do São Paulo para o time do Santo André comandado pelo “gigante” Marcelinho Carioca. Em Itu o Santos meteu 6 bolas na trave e como o que vale e bola na rede, vitória do time do Ituano, Corinthians no sábado e Palmeiras no domingo venceram seus jogos e ocupam o 2° e 1° lugares respectivamente.

Google

Marcelinho Carioca - Fonte: Google

No Carioca, pelo grupo A Fluminense enfim desencantou, o Vasco venceu mais uma vez, mas quem lidera é o Americano, pelo grupo B Flamengo e Botafogo mantém 100% de aproveitamento e lideram o grupo.

globoesporte.com

Reinaldo - Fonte: globoesporte.com

Na Espanha, o Real fez a sua parte no sábado e venceu fora de casa a equipe do Numancia, mas para que tem Messi vencer é um detalhe e o craque argentino precisou jogar só o segundo tempo e determinar a vitória para a equipe da Catalunha. Agora Barcelona tem 56 pontos, seguido pelo Real Madrid com 44.

globoesporte.com

Messi - Fonte: globoesporte.com

Na terra da Bota, o campeonato deu uma movimentada nesse fim de semana, mesmo jogando em casa Juventus e Inter de Milão tropeçaram enquanto o Milan que foi à Roma enfrentar o time da Lazio mostrou força e venceu por 3×0 com grande atuação de Kaká, Pato e Beckham. A classificação ficou Inter 50, Milan 44 e Juventus 43.

globoesporte.com

Beckham - Fonte: globoesporte.com

Na Inglaterra, Felipão segue sem vencer um clássico, no domingo viu seu time tomar dois gols após os 40 minutos da segunda etapa do excelente atacante espanhol Fernando Torres e assim perder o o confronto para o Liverpool por 2 x 0. Enquanto isso, no sábado o Manchester venceu com placar apertado mas com os jogo nas mãos. Agora sobrou para o Liverpool correr atrás do Manchester.

Google

Fernando Torres - Fonte: Google