O Brasileirão do rebaixamento…

neymar__.jpg

Sei que ando escrevendo pouco no blog esse ano, acho que a qualidade do Brasileirão esse ano tem me decepcionado muito.

E a culpa não é dos treinadores, tampouco dos jogadores, a culpa é do nosso sistema. Vivemos de imediatismo no Brasil, temos que nos preocupar com o resultado de amanhã ao invés do trabalho de amanhã, e isso passa pelo mundo corporativo e nas nossas relações.

No trabalho, está mais preocupado em entregar no prazo do que fazer certo, não que os dois não sejam importantes a ordem é que é perigosa, em casa lavamos a louça rápida sem necessariamente lavar ela de fato. E isso reflete no futebol, um espelho do que nos cerca.

O treinador está mais preocupado em errar pouco do que arriscar muito, veja a frase de um dos principais jogadores do virtual campeão de 2017: “Vai vencer essa partida quem errar menos.” (Rodriguinho, meia do Corinthians no duelo contra o Grêmio ontem).

A frase indica o nosso pensamento atual, os times estão indo bem porque erram pouco e não porque arriscam muito, porque criam mais.

Sem desmerecer o Corinthians, que será campeão porque fez mais pontos, isso por si só já é de um mérito sem tamanho. A questão é que essa pontuação foi conquistada a base de errar menos que o adversário ou viver do erro alheio.

E antes que muitos venham dizer que estou diminuindo a conquista do Corinthians, reforço, todos os clubes brasileiros vivem disso hoje, todo jogam para errar pouco ou o mínimo possível, o Corinthians é o que melhor faz isso, por isso será o campeão.

Mas não podemos nos contentar com isso, esse campeonato é para mim o mais fraco tecnicamente falando, o mais pobre do ponto de vista tático e técnico, só o
Corinthians mostra um belo padrão de organização, Grêmio, Cruzeiro e o Botafogo mostram algumas boas partidas, além dos dois baianos que apesar da fraca qualidade do elenco, são times com bons padrões táticos.

Fora isso, uma preguiça e uma desorganização latente em vários times, é difícil acompanhar uma sequência de bons jogos.

Não é à toa, quando pensamos no campeonato de 2017, lembramos o quanto ninguém faz frente ao Corinthians que caiu de produção e no returno, mas principalmente pela intensa disputa no rebaixamento.

Virou o Brasileirão do rebaixamento, porque é lá onde os mais fracos jogam que a disputa está intensa, porque tem muita gente apresentando pouco futebol.

Anúncios

Quando surge o alviverde imponente nos gramados….. da série B?

Galera, como vocês tem percebido, tenho desistido de fazer uma análise sobre os jogos específicos de quarta, principalmente porque tenho me deparado com jogos de pouca ou nenhuma qualidade pelo Brasileirão. Porém, mais um resultado adverso do Palmeiras me fez olhar com mais carinho para tabela do alviverde.

E a situação chega a ser desesperadora. Fez até Felipão cair, não vou entrar no mérito se foi certo ou não, a questão principal segue abaixo.

Olhando para a matemática dos pontos corridos, o Palmeiras precisa de 45 pontos, hoje tem apenas 20. Faltam 25 e restam apenas 14 rodadas, ou seja, 60% de aproveitamento, campanha de time que luta pela Libertadores, algo que até agora o Palmeiras não conseguiu demonstrar neste campeonato.

Porém, vamos pensar que o time tem potencial, já que foi esse time que ganhou a Copa do Brasil, portanto algum talento existe, tudo é uma questão de acertar os ponteiros e embalar.

Então, vamos olhar a tabela, talvez seja a forma mais simples de projetar uma pontuação que livre o Palmeiras. Vamos fazer essa análise de três em três jogos, a primeira “tripleta” do Palmeiras será Corinthians (casa), Figueirense (fora) e Ponte Preta (casa). Vamos ser otimista em relação ao clássico e acreditar que o rival estará sem muita vontade e que o Palmeiras vença por 1×0, assim como ganhe também da Ponte Preta. Em compensação, o Figueirense, vem embalado e daria para roubar um empate no máximo, ou seja 7 pontos na primeira tripleta. O time do Parque Antartica chegaria aos 27 pontos.

A próxima tripleta seria São Paulo (fora), Coritiba (casa), Naútico (fora). Os dois jogos fora também daria para fazer mais dois pontos, até porque o São Paulo é bem instável e o Naútico não assusta. Já o Coritiba pode mais uma vez ajudar o Palmeiras e perder o jogo, dessa forma, o alviverde somaria 5 pontos.

Na próxima tripleta, os adversários seriam Bahia (fora), Cruzeiro (casa) e Inter (fora). Aqui vejo o Palmeiras conseguindo mais 4 pontos, empate, vitória e derrota. Dessa forma, o time estaria com 36 pontos.

Na sequência, Botafogo (casa), Fluminense (casa) e Flamengo (fora). Essa é a tripleta mais complicada de todas para o Palmeiras, na teoria poderia somar 6 pontos e pronto. Mas é fato que os cariocas decidirão a vida do Palmeiras. Na minha opinião, o time somaria no máximo 02 pontos. Chegando a 38.

Ou seja, mesmo sem analisar os dois jogos finais, o máximo que o Palmeiras chegaria seriam aos 44 pontos. Além disso, estamos olhando um cenário otimista para o time, o que até agora não aconteceu.

Por fim, resta aos palmeirenses rezarem muito e começarem a fazer conta rodada por rodada. Pois o fantasma do rebaixamento está muito próximo.