Você concordou com a seleção da Fifa 2016?

fifapro2016

Com um pouco de atraso, mas vamos falar da seleção da FIFA.

Nessa segunda a Fifa divulgou sua seleção e o melhor do mundo. Sobre o melhor do mundo pouca coisa a comentar, Cristiano foi escolhido e não houve surpresa para ninguém, na verdade a única sensação que 2016 talvez tenha sido o ano que individualmente ficou mais fácil para alguém destronar a hegemonia Messi-CR7, porém ninguém se destacou a esse ponto, e foi Griezmann que disputou com eles.

Porém o atacante francês pecou e errou (pênaltis) nos momentos decisivos e jogaram contra ele, já o português que não teve um ano brilhante tecnicamente, ganhou tudo que era possível, inclusive uma surpreendente Eurocopa por sua seleção. Cristiano não sobrou em campo em 2016, mas ganhou tudo. Como um jogador é feito de suas atuações e títulos, prêmio muito bem dado.

E agora, vamos falar da seleção, os escolhidos foram: Neuer (Bayern Munique); Daniel Alves (Juventus), Piqué (Barcelona), Sergio Ramos (Real Madrid) e Marcelo (Real Madrid); Kroos (Real Madrid), Modric (Real Madrid) e Iniesta (Barcelona); Messi (Barcelona), Cristiano Ronaldo (Real Madrid) e Suárez (Barcelona).

Sinceramente, achei que algumas escolhas foram preguiçosas de quem não teve capacidade de olhar todos os campeonatos com carinho e resumiram o time ao duelo Barça-Real. Teve muita gente jogando muito bem em outras posições, o CMC10 vai escalar aqui, a seleção 2016 dele.

Donnarumma (Milan), Walker (Tottenham), Sergio Ramos (Real Madrid), Verthogen (Tottenham) e Marcelo (Real Madrid), Kante (Leicester / Chelsea), Pogba (Juventus / Man United), Coutinho (Liverpool), Messi (Barcelona), Cristiano Ronaldo (Real Madrid) e Suarez (Barcelona).

Fiquei fazendo esse exercício ontem e inicialmente Schmeichel (Leicester) e Kroos estavam escalados, mas depois fiz alterações e jogadores como Griezmann, Aubameyang, Neuer, Rafinha, Lewandowski, De Bruyne, Marquinhos, Godin, Varane, passarm pela minha cabeça porque também fizeram um bom 2016. 12 jogadores, mais do que um time, daria para montar um 3-4-3 muito bom.

Por fim, percebi que Neuer, Daniel Alves, Pique e Iniesta foram escalados por preguiça de boa parte de jogadores e jornalistas, muito na sensação de que ninguém vai dizer que eles estão errados em escalar esse trio, mas fica conveniente, não precisa olhar de verdade para ver quem se destacou em 2016 na posição.

Mesmo o meu time, eu acompanho muito mais o inglesão, espanholão e alemão, pode ser que perdi algum bom jogador em alguma posição que tenha atuado na Itália, na França ou em Portugal, por exemplo.

O que fica é o exercício de especular de cada um escalar a sua seleção de 2016.

E aí? Qual a sua seleção 2016?

Anúncios

Nossa seleção para a Copa América…

CopaAmericaBrasil2016

E saiu a lista dos 23 convocados para a Copa América.

Goleiros: Alisson (Inter), Diego Alves (Valência-ESP), Ederson (Benfica-POR)

Laterais: Daniel Alves (Barcelona-ESP), Fabinho (Mônaco-FRA), Filipe Luis (Atlético de Madri-ESP), Douglas Santos (Atlético-MG)

Zagueiros: Miranda (Inter de Milão-ITA), Gil (Shandong Luneng-CHN), Marquinhos(PSG-FRA), Rodrigo Caio (São Paulo)

Volantes: Luiz Gustavo (Wolfsburg-ALE), Elias (Corinthians), Casemiro (Real Madrid-ESP), Rafinha (Barcelona)

Meias: Renato Augusto (Beijing Guoan-CHN), Philippe Coutinho (Liverpool-ING), Lucas Lima (Santos), Willian (Chelsea-ING),

Atacantes: Douglas Costa (Bayern-ALE), Hulk (Zenit-RUS), Ricardo Oliveira (Santos), Gabigol (Santos)

A tendência é que o time titular seja, Aliison, Dani, Gil, Miranda e Filipe, Luiz Gustavo, Renato, William, Coutinho (Elias), Douglas Costa e Ricardo Oliveira.

Uma seleção com solidez defensiva, mas que tem poucas opções para variar o jogo na parte criativa, seleção do ponto de vista de funções a exercer muito próximo da base que Dunga montou para a Copa em 2010.

Dessa vez, achei Dunga burocrático demais, entendi as opções dos olímpicos para dar experiência, mas as demais achei que podia optar por opções que mudassem realmente o jogo em algumas situações. E é claro, cadê Thiago Silva e Marcelo. O primeiro ainda seria ótimo porque deixaria livre Miranda para ir para as Olimpiadas, já que ao que tudo indica nenhum acima de 23 participará das duas competições (Copa América e Olimpiadas)

E vocês o que acharam?

Nossa seleção parada no tempo…

dunga1990

Confesso que em algum momento nesse blog, já elogiei Dunga. Sei lá, acho que era respeito pela história como jogador, como alguém que foi crucificado e tratado como exemplo de uma geração perdedora, deu a volta por cima e se tornou o vencedor que é.

Contudo, acho que ele ficou tão obcecado pela vitória e só por ela que não enxerga o que as vezes é necessário fazer para atingi-la. Dunga só quer a vitória a qualquer custo e não sabe lidar com a derrota.

Mas do que isso, o que estão fazendo com Dunga é sacanagem. Ele não é treinador, caiu lá de para quedas, como se a sua história grandiosa fosse suficiente para arrumar a seleção. Como se futebol ainda fosse, escolher os melhores, fechar o grupo, controlar o vestiário e ir para o jogo.

Treino e tática é para os outros, o Brasil não precisa disso. Esse mantra ecoa nas paredes sombrias da CBF.

O Brasil hoje é um time comum, uma seleção com ótimos nomes, mas que ainda não dá liga. Sim, já disse isso e repito. Nossa geração é ótima comparada aos concorrentes. Pense em Coutinho, William, Lucas Moura, Neymar e Leo Baptistao dando liga, ou qualquer outro centroavante, ou mesmo sem centroavante, com meias e pontas, entrando e saindo da área, inclua então Oscar nessa lista. Ainda tem Douglas Costa, Rafinha, Lucas Lima, Everton Ribeiro.

Mão de obra fraca, né. O Brasil ainda produz muito talento. Mas parou de produzir que organiza isso. Aposto que Dunga não dura muito, na verdade, espero que Dunga não fique muito a frente da seleção.

Não tenho medo de classificação, o Brasil vai para Copa de qualquer jeito, meu medo é pelo tempo perdido, pelo tempo parado em 1994.

Seleção não é apenas para jogar, é para defender…

Cacau6201

E Rafinha pediu dispensa da seleção brasileira.

E não foi por causa de um pedido do clube, uma festa imperdível, por não gostar do Dunga ou qualquer outra coisa mirabolante que alguns já usaram para pedir a dispensa.

Rafinha disse que prefere buscar uma chance na seleção alemã. Segundo ele, as chances dele na seleção brasileira são pequenas, ele só teria chance em eventuais contusões dos principais laterais direitos, enquanto na Alemanha, pelo seu histórico no Bayern e sua proximidade e convivência com Lahm, sua chance de fazer parte do grupo é muito maior.

Do ponto de vista racional, a escolha de Rafinha é perfeita. Como um profissional de RH, digo que ele olhou perfeitamente todas as variáveis para escolher a melhor opção de carreira para ele.

É fato que sua chance de jogar uma Copa pela seleção alemã atuando no Bayern é maior do que atuar no Brasil, o problema todo é, desde quando atuar por uma seleção nacional se tornou algo tão frio assim? O pensamento de Rafinha foi metódico, foi racional, mas completamente longe da expectativa que se tem por quem vai vestir a amarelinha ou por representar qualquer outro país.

É diferente dos casos dos brasileiros Cacau e Kuranyi, ambos construíram uma história dentro da Alemanha e optaram pelo coração, pela identificação.

Acho natural a globalização trazer casos como o de Januzaj por exemplo, a promessa do Manchester que tem a possibilidade de atuar por várias seleções diferentes devido a sua história. É um caso atípico hoje em dia, mas com grande chance de ser mais recorrente daqui para frente.

Mas nesses casos, inclusive a formação do atleta e a escolha são levado pelo lado sentimental, basicamente a escolha do jogador é, qual país eu quero defender?

Rafinha pode ter se expressado mal, mas sua escolha adota critérios técnicos, sem coração, sem sentimento, apenas porque lá ele vai poder jogar.

Por um futebol sem carrinho!

Depois de mais uma rodada do Brasileirão e o final da primeira rodada da Champions League, fiquei impressionado com as lesões de Rafinha e Luke Shaw.

Podia ter me impressionado com o belo gol de Alisson contra o Vasco, com o gol antológico de Florenzi contra o Barça, pela atuação avassaladora do Palmeiras após Fred perder um pênalti. Pelo Santos que segue sendo um trator na Vila Belmiro, ou seja, tinha muita coisa boa para ver, mas me apeguei na desgraça.

Me apeguei, porque ambos foram frutos de carrinhos estúpidos, aliás, qualquer carrinho é estúpido, um esporte que foi feito para jogar em pé e com a bola, jogar deitado significa que você tem uma interpretação bem diferente sobre o jogo.

Carrinho só aceito aquele que você está sozinho e quer evitar um escanteio, ou qualquer saída da bola, então você se jogar para salvar, ou para evitar o gol também sozinho. Mas mesmo assim, saiba que é um lance feio, último recurso, não existe essa de belo carrinho.

Sim, já escutei isso em algumas narrações. Ou melhor, ainda vem maquiado, vem como belo desarme.

Se você já jogou bola, sabe o quão temerário é qualquer carrinho, pode machucar o rival, te machucar e sem motivo algum. Além das várias definições do futebol, várias delas inclui que se trata de um esporte. O respeito ao companheiro é fundamental para a prática de nosso esporte.

Carrinho é agressão, sou a favor de expulsar jogador que use desse artificio, direto, sem direito a contestação, e em caso de reincidência tirar do futebol. Sem falar que acho que jogador que comete infração desse tipo que deixa o rival afastado, deve ficar afastado igual e sem receber salário.

Gosto de futebol, de ver ele ser jogado, bonito, por vezes até brigado, disputado, mas de maneira limpa, a sensação é que o carrinho é aquela placa de ferro que o boxeador esconde na luva, ou qualquer trapaça digna de Dick Vigarista.

Por um futebol melhor, por um futebol sem carrinho.

Aguardando as próximas criações…

guardiola_reu_15

Em um fim de semana onde vi, Manchester’s, São Paulo, Barcelona, Flamengo e Vasco, quero destacar o querido Bayern Munchen. Nem tanto pelo jogo em si, pois foi de um único time, mas pelo que eu vi.

Um zagueiro, três laterais, um volante, três meias e dois atacantes. Imagine que o seu treinador indica que o seu time jogaria com esses jogadores espalhados pelo campo, qual seria sua reação?

E já aviso, o elenco não está enxuto, ele possui outros zagueiros no banco e demais peças para compor o time.

Pois bem, foi assim que Guardiola montou o seu Bayern nesse final de semana contra o Eintracht Frankfurt. Uma espécie de 3-4-3, sendo que sua linha de defesa tinha dois laterais e um único zagueiro. E era o Dante, que é para deixar qualquer alemão bávaro com o coração acelerado.

Na linha central, Alonso e Lahm mais centralizados, Weiser aberto na direita e Thiago e Gotze se movimentando muito, com a posse de bola, Gotze abria centro-esquerda e Thiago centraliza, sem a bola eles invertiam a posição.

Na linha de frente, Lewandowski, Muller e normalmente Gotze.

O jogo em si foi fácil para o Bayern, mas é incrível ver como Guardiola gosta de experimentar nesses jogos, já mostrou que se precisar joga feio como o fez na vitória sobre o Dortmund recentemente, mas é inegável sua vocação para recriar o futebol.

Guardiola tem encantamento ao pensar futebol e procura imaginar todas as possibilidade que seu time possa impor de futebol, buscando títulos obviamente, mas principalmente conseguindo isso jogando um futebol genuíno.

Guardiola é um grande alquimista do futebol. Jorge Ben estava certo.