A tal coisa muito errada…

SPFCsemsangue

Se você é treinador e sabe que o próximo time que você irá treinar tem Rogério Ceni, Souza (jogador de seleção), Michel Bastos, Ganso, Pato, Kardec e Luis Fabiano. Além disso, bons nomes como Toloi, Denilson e Carlinhos e as apostas Hudson, Thiago Mendes e Centurion. Você ficaria feliz?

Com todo o respeito aos demais times, o São Paulo possui o elenco com o maior número de jogadores de nome. Hoje é difícil comparar tecnicamente, ainda mais depois da traulitada que levou do Palmeiras, mas se o tricolor fosse um time de videogame era tranquilamente mais forte que seus rivais nacionais.

Porém, o videogame isenta a única coisa que faz o futebol ser esse esporte tão surpreendente, a cabeça, o lado psicológico do time.

Sim, lado psicológico do time.

O time é uma parte de um organismo vivo chamado clube. E como um bom organismo vivo o equilíbrio do seu corpo é fundamental para que ele funcione bem. Ataíde Gil Guerreiro ontem disse após o jogo que “alguma coisa muito errada está acontecendo”.

Sim Ataíde, você está certo e tudo começa de onde você está sentado. A diretoria está rachada, não se entende e por fim decidiram atrasar o São Paulo por causa de ego. Isso invariavelmente chega no time, por maior que seja a blindagem, quando uma diretoria está descoberta, perguntas sobre bastidores respingam toda hora aos jogadores, seja sobre salário atrasado ou sobre quaisquer discussões de vocês.

Exemplo concreto, o São Paulo deve em quantidade de meses muito menos do que o Corinthians deve aos seus atletas, agora veja o alarde que foi isso a alguns dias atrás para o São Paulo e veja se alguém bate firme no Corinthians sobre isso, porque? Todos na diretoria estão defendendo o clube.

Não acho que os jogadores do São Paulo não tenham personalidade para enfrentar um clássico. Kardec já foi decisivo várias vezes em clássico, seja por São Paulo, seja por Palmeiras, Ganso sempre mostrou personalidade forte, Ceni nem precisa dizer. O problema está no São Paulo.

O São Paulo Futebol Clube está sem confiança, está irritadiço.

A coisa muito errada a qual você se refere meu caro é Ataíde, é uma coisa só mesmo. É o São Paulo!

Anúncios

Rapidinhas do Camisa 10 – 03.04.2013

A-Volta-dos-Porcos-Vivos

A Embaixada agradece… Virou praxe da minha parte, começar o Rapidinhas falando da seleção. Felipão fez a convocação dos jogos da “Embaixada” brasileira. Felipão poupou bem os jogadores dos clubes, com exceção do Corinthians que irá ceder 04 jogadores. No geral, entre uma surpresa e outra, gostei da seleção para atender esses amistosos. Só achei que Alex (Coritiba) e Zé Roberto poderiam ter sido convocados.

Nordeste forte… Um fato na convocação merece destaque, a convocação de Douglas Santos do Náutico, são raros os casos de jogadores que atuam em clubes no Nordeste vestirem a amarelinha. Gostaria muito de ver um time de lá disputando um Brasileirão com os grandes do “Eixo do Mal”. Os estádios lá estão sempre cheios, a festa da torcida é maravilhosa. O dinheiro está para as bandas de cá, mas a alegria do futebol que sempre ouvimos falar, está lá.

Champions que importa… Não vi o jogo entre Bayern e Juventus, mas o time alemão deixou bem encaminhado a classificação para a semifinal, graças a um gol “sem querer” no começo da partida. Em compensação, fiz questão de assistir a reprise do jogo em Paris. Um grande jogo, principalmente pela ousadia francesa. Ancelotti colocou jogadores ofensivos para marcarem o Barca, no intuito de aproveitar o talento deles quando roubassem a bola. Vantagem para o Barça para o jogo de volta, mas será interessante a partida.

Entre uma polêmica e outra, a chatice… Confesso que ainda tenho certas dúvidas quanto ao lance decisivo no clássico paulista, acho que Pato entrou de forma imprudente, assim como Ceni não foi feliz na hora de corrigir a bobagem de Toloi, mas um fato apoio em completo. Pato, foi infeliz ao dizer que torcedor que faz aquele tipo de manifestação, não é torcedor. Torcedor quer provocar o adversário, não é pessoal, ninguém foi chamado de assassino, foi apenas provocado com gritos de “assassinos, assassinos”. Certo, ele estar em mandar a torcida se calar. Errado, em querer tornar chato o futebol.

Certo, mas nenhuma novidade… Paulo Autuori foi muito feliz ao dizer que a própria classe está defasada. Autuori afirmou que os treinadores brasileiros pararam no tempo, ou se acham donos da verdade, que isso atrapalha muito a evolução do futebol no Brasil. Em contrapartida, eles diz que são vários os exemplos de profissionais que complementam as comissões técnicas que são de alto padrão. Quem sabe uma nova geração, ou um choque cultural ajude a resolver.

Será que agora resolve? Insistindo no problema crônico de nossas torcidas que escondem bandidos dentro delas. O Palmeiras deu uma demonstração bacana na partida de ontem, a torcida apoiou incondicionalmente o time durante os 90 minutos, foi recompensada com muita dedicação de todos os jogadores. Quando todos os torcedores entenderem que vaiar e criticar (sem violência é claro) serve só para antes ou depois dos 90 minutos, muita coisa já vai começar a mudar.

Quando um dirigente atrapalha… Agora de nada adianta uma torcida entender seu papel, se o principal executivo de um clube dispara que algumas pessoas serem mantidas presas sem prova é pior do que uma morte. Ficar preso sendo inocente deve ser horrível mesmo, mas cedo ou tarde, eu voltarei para casa, agora quem morreu não tem mais esse privilégio. Mario Gobbi poderia ficar com a boca bem fechada.

A velha dúvida… Amanhã o São Paulo saberá se sua decisão de ir em cima da hora para La Paz foi acertada. Ao meu ver o time titular poderia ter embarcado no começo da semana passada e deixado o time reserva para atuar contra Paulista e Corinthians. Trata-se da partida mais importante da Libertadores para o time, o resultado pode determinar uma eliminação precoce e uma tremenda turbulência no Morumbi. É esperar para ver.

Itaipava das Brahmas… O Grupo Petrópolis topou pagar R$ 10 milhões por ano para batizar o estádio baiano como Itaipava Fonte Nova. Ao longo de uma década, desembolsará R$ 100 milhões. O mais interessante é que não poderá usar o nome na Copa das Confederações e no Mundial, já que a Dona Fifa tem outro parceiro. Sem falar que o grupo precisará negociar uma “taxinha” com a plin-plin para que seu nome seja dito em alto e bom som. Acarajé com Brahma na Fonte Nova então, por favor!

Ironia do futebol… Barcos saiu do Palmeiras com medo de não ser mais convocado. Resultado, Leandro que veio em seu lugar foi e Barcos não foi mais chamado para a seleção argentina.

Você Sabia… que entre os clubes de futebol do mundo, apenas Chelsea, Bayern de Munique, Real Madrid, Milan e Flamengo possuem contratos com a Adidas?

Dúvida da semana… Ceni não foi expulso no clássico porque não havia último homem no lance?

A altitude pode afetar, mas é pior enfrentar o Messi…

Imagem

Galera do blog ontem foi um dos meus primeiros contatos com futebol no ano, olhando de forma mais concentrada, acompanhando todos os detalhes e nuances de uma partida. Acompanhei o clássico espanhol e o jogo do São Paulo.

No clássico espanhol, nenhuma grande novidade, um clássico que merece usar a palavra. Jogo pegado, com muita disposição e com talento de sobra em todos os cantos da partida.

O Real optou por uma tática mais vertical, aguarda um bote certeiro para sair em rápido contra-ataque, ora com Ronaldo, ora com Özil. Na escalação inicial, me surpreendeu a presença de Callejon, o jovem meia da base madrilenha, não dá sinais de ser superior a Modric ou mesmo Kaká, mas como Mourinho parece gostar de reafirmar sua teimosia, entendemos a escalação.

Já o Barcelona foi o de sempre. O que se tratando de Barcelona é ótimo! Destaque para Daniel Alves, fazia tempo que o lateral jogava apenas com o nome, ontem ele voltou a ser Daniel, foi para cima, provocou os rivais e foi peça importante nas jogadas ofensivas do time catalão. Contudo, percebo que o Barça começa a entrar naquela curva descendente do estilo de jogo, apesar do domínio na posse de bola, notei que os famosos triângulos já não estão tão compactos. Tem uma distância maior entre um e outro.

Resta saber se é mérito de Mourinho, ou o Barça já começa a se reinventar.

De qualquer forma, o Barça ainda encanta pelo estilo, por ter Xavi e Messi. Dois monstros. O jogo terminou 1×1, gol de Fabregas pelo Barça e Varane pelo Real. No fim do mês, teremos o jogo de volta e apesar de toda a dedicação do Real, acredito que será difícil não dar Barcelona.

Vamos agora ao jogo do São Paulo, um jogo com muitos gols e de um tempo para cada time.

Enquanto houve pulmão, o São Paulo estralhaçou mais uma vez o fraquíssimo Bolivar, o time brasileiro passeou na altitude, dando indícios de que Ceni tinha razão em dizer que muito era psicológico. Osvaldo e Jadson estão em excelente fase e construíram com facilidade o 3×0 favorável ao tricolor. O Bolívar ainda achou um gol no final do primeiro tempo.

Veio o segundo tempo e, ou as pernas dos brasileiros cansaram, ou o psicológico bateu. O Bolivar pressionou e foi construindo o placar ao seu favor, culminando no gol da virada e que decretaria números finais a partida. O Bolivar venceu a partida por 4×3.

Não vou me atentar a análise do Bolivar, falarei apenas do clube brasileiro.

O São Paulo decidiu adotar de vez o esquema 4-3-3, o time está bem firme e as peças de reposição no banco tem feito os titulares estarem sempre atentos, casos especiais de Rhodolfo, Cortez e Jadson. A sombra de Toloi, Carleto e Ganso fazem eles buscarem dar o máximo a toda partida.

Se Ney conseguir controlar o vestiário e a cabeça de Luis Fabiano, o ano promete ser promissor para o time do Morumbi.

Pitacos: Falta algumas coisas, mas principalmente falta acreditar que elas faltam…

Galera do blog, ontem foi dia do blogueiro de vocês acompanhar a derrota do São Paulo por 3×0 para o Naútico dentro do Aflitos e mostrar que o ano reserva poucas coisas para o tricolor paulista. Na minha opinião, o time deveria concentrar forças para faturar a Sulamericana. Pois, esse elenco não dá conta do Brasileirão.

O time veio a campo no seu tradicional esquema Muricy, o 3-5-2, com Cícero improvisado no ataque. Enquanto o Naútico veio no tradicional 4-4-2 em losango.

Antes de entrar no mérito dos lances do jogo, vou falar sobre um problema crônico do São Paulo que explica o resultado dilatado do jogo.

O São Paulo tem jogadores que ou possuem zero de disciplina tática ou a ausência das sinapses impedem de entender o treinador. Qualquer time mais organizado, possui suas linhas defensivas muito bem definidas. De maneira bem grossa, sempre vemos um grupo de jogadores dentro da área e um grupo protegendo a entrada da área.

No São Paulo, esses grupos se misturam e ficam todos dentro da área, deixando a intermediária livre para o time adversário. Foi assim que o Naútico fez o seu segundo gol com Araújo e foi dessa forma que o Timbu chegou perigosamente por várias vezes no jogo de ontem.

Outro aspecto importante é o excesso de jogadores “comuns”. Douglas, Cortez, Jadson, Maicon, William Jose, Osvaldo (lesionado), Rhodolfo, Rodrigo Caio, Cicero e João Felipe são jogadores bons para compor grupo e que possuem certa qualidade, mas todo grande elenco precisa de uma espinha dorsal de jogadores com aquele “algo a mais”.

Lucas, Luis Fabiano, Toloi, Denilson e Ceni parecem jogadores com esse algo a mais, o problema é que o time dificilmente consegue ter todos eles juntos em campo.

Ontem ainda Ceni teve quase um ato de desabafo, o gol contra dele, pareceu de alguém cansado de ver diversos atletas não honrando uma camisa que ele defende (e continua defendendo) tão bem a 20 anos.

O maior calcanhar de Aquiles é o meio de campo, Ney Franco precisa em curto prazo dar posicionamento tático ao time e Ceni precisa despertar brio e tesão por vestir a camisa do São Paulo nos jogadores mais jovens do time.

Em contra partida, o Náutico mostra-se um time voluntarioso, cheio de limitação, mas que procura marcar muito e aposta na dupla Kieza e Araújo para conseguir somar pontos para se manter na Série A, ao que tudo indica, o time terá êxito nessa missão.

Pitacos: A bipolaridade de uma caixinha de surpresas.

Imagem

Galera do blog, ontem eu acompanhei a derrota do São Paulo para o Atlético-GO por 4×3.

Mais uma vez, serei repetitivo e direi que o jogo foi o resumo do que tem sido o time nesse ano. Um time bipolar, completamente desorganizado que oscila bons jogos, com atuações vexatórias.

O primeiro tempo de ontem ficou dentro do cenário vexatório. O time até começou com boas trocas de bola e maior posse da redonda, mas bastou uma bola parada para o Atlético desmoronar o castelo de areia tricolor.

Edson Silva trombou nos próprios companheiros, Tolói chegou atrasado e a bola sobrou livre para Marino abrir o marcador. Gol que ainda teve a ajuda de Dênis que não teve força para rebater a bola para longe.

A partir daí, a apatia baixou sobre o time, a falta de confiança e a desorganização tática que ainda existe no time foi fator dominante sobre o elenco. Todos queriam subir e resolver a partida. Resultado, o time goiano soube aproveitar e terminou o primeiro tempo com uma vantagem assombrosa de 4×1.

Independente do pênalti inexistente que foi marcado, a postura do time durante o primeiro tempo é inconcebível para um time grande.

Veio o segundo tempo e Ney Franco decidiu tirar Edson Silva e Douglas, ambos amarelados. Nos seus lugares entraram Rodrigo Caio e Casemiro, trazendo o time de novo para o 4-4-2 e ter um lateral mais marcador. Casemiro entrou muito bem na partida e ao que tudo indica um sentimento de vergonha também baixou na equipe, que resolveu correr um pouco mais.

 

O resultado foi o time conseguir 2×0 no segundo tempo e diminuir a tragédia que se desenhava no primeiro tempo. Jádson de pênalti e Tolói em um golaço de fora da área levaram o tricolor a acreditar no empate, que até ficou perto, mas no final a derrota por 4×3.

 

O problema da derrota não foi pelo resultado ou pelo adversário, apesar de que o normal seria a vitória, o problema foi a postura no primeiro tempo. É nítido que esse time perdeu tempo demais, insistindo na “ausência de tática”, Ney terá muito trabalho para organizar esse time, enquanto isso, todo jogo do São Paulo seguirá a máxima do futebol será “uma caixinha de surpresas”.

 

 

Dá-lhe “Fraldinhas”!

Hoje, ao invés de colocar o post logo cedo resolvi esperar o jogo dos Fraldinhas da Seleção. Fiz isso pois acreditava na vitória dos garotos. E eles não me decepcionaram, deu samba hoje no Egito.

Selsub2003071009

No primeiro tempo, o Brasil partiu pra cima e sufocou o time uruguaio, até que o primeiro gol saiu aos 21 minutos em um lindo passe de Ganso, o matador Alan Kardec abriu o marcador para o Brasil.

Logo na sequência, aproveitando que o time uruguaio estava atordoado, o Brasil ampliou o marcador, em subida do lateral Douglas que fez excelente jogada dentro da área, ele cruzou para trás e encontrou Alex Teixeira que fuzilou o goleiro Rodriguez e marcou um belo gol.

O Uruguai ainda sim tentava chegar ao gol brasileiro, mas sempre faltava o último passe, e aos 30 do segundo tempo em uma roubada de Rafael Toloi, Alex Teixeira partiu para um rápido contra-ataque deixou seu marcador para trás e anotou outro bonito gol.

Selsub20071009

O Brasil dominava  primeiro tempo, quando em uma bobeira e na única oportunidade real uruguaia, a bola ficou para Hernandez que de frente pro gol chutou, Rafael ainda fez uma grande defesa, mas a sobra ficou com Urretaviskaya que só teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes.

Veio o segundo tempo, e com ele o time uruguaio voltou com um ímpeto para tentar reverter a situação, e a até então não testada defesa brasileira, mostrou muita qualidade no segundo tempo. Com o passar o tempo, o Brasil voltou a dominar a partida, só voltou a ser assustado no final do jogo, quando Souza derrubou Cabreras na área, mas Rafael em excelente partida defendeu a cobrança.

Assim, o Uruguai percebeu que já poderia arrumar as malas, pois os fraldinhas canarinhos vieram para levar o título.

Destaque para Rafael e Alex Teixeira na minha opinião disparados os melhores em campo.