2017 e o desafio da nova safra de treinadores

klopp02012017

E começou 2017!

Acho que entre todas as expectativas que surgem em todo o inicio do ano, a minha maior é sobre os treinadores.

Existe uma geração nova chegando e com enormes desafios pela frente. Entre os 20 times da Série A + o Internacional, são 3 treinadores que estão na faixa de 61 a 70 anos, 6 na faixa de 51 a 60, 9 na faixa de 41 a 50 anos e incríveis 3 na faixa de 31 a 40.

Distribuídos da seguinte forma:

De 61 a 70 anos: Carpegiani, 67 (Coritiba), Abelão, 64 (Fluminense), Autuori, 61 (Atlético-PR)

De 51 a 60 anos: Cristovão, 57 (Vasco), Dorival, 54 (Santos), Mano, 54 (Cruzeiro), Renato Gaucho, 54 (Grêmio), Guto Ferreira, 51 (Bahia) e Silas, 51 (Avaí).

De 41 a 50 anos: Marcelo Cabo, 50 (Atlético-GO), Vagner Mancini, 50 (Chape), Zago, 47 (Inter), Eduardo Baptista, 46 (Palmeiras), Zé Ricardo, 45 (Flamengo), Carille, 43 (Corinthians), Ceni, 43 (São Paulo), Argel, 42 (Vitória) e Roger, 41 (Atlético-MG).

De 31 a 40 anos: Jair Ventura, 37 (Botafogo), Felipe Moreira, 35 (Ponte) e Daniel Paulista, 34 (Sport Recife).

E se pensar que independente dos motivos, esse ano nenhum dos treinadores a seguir estarão iniciando no comando de algum clube da série A nacional: Vanderlei Luxemburgo, Oswaldo de Oliveira, Joel Santana, Leão, Falcão, Muricy Ramalho, Levir Culpi, Marcelo Oliveira, Felipão e Celso Roth. 10 nomes que normalmente estariam em algum clube e se não fosse o Fluminense que anunciou Abel Braga, era um time completo.

Entre os com mais de 60, além do Fluminense a dupla do Paraná (Furacão e Coxa) também estão com os sexagenários.

Agora ainda para a turma da renovação, temos SP como um destaque, dos 4 grandes, 3 vem com treinadores novos, sendo que São Paulo e Corinthians com treinadores de primeira viagem, ótimas apostas e podem contribuir muito para novos conceitos para o futebol local.

Isso sem falar na turma abaixo dos 40, Sport, Ponte Preta e Botafogo estão iniciando o ano com treinadores que até ontem eram jogadores ou que poderiam ainda estar em campo.

No ano em que nosso melhor técnico está na seleção e consolidando seu trabalho, 2017 vem com a boa nova de dar espaço para novas cabeças mostrarem seus trabalhos aqui no Brasil.

Eu sei que a garantia de inovação é incerta, até porque tem muito novo com espirito de velho e vice-versa. O mais certo é que será tudo novo, com muita gente buscando seu espaço.

Espero de verdade que no final de 2017, possa olhar para esse post e ver que ao final bons e novos nomes surgiram, mesmo que ao mesmo tempo alguns não tenha vingado ao longo do ano. E para os “veteranos” que também surpreendam e mostrem que novos conceito nunca fui atrelado a idade.

Anúncios

O camisa 10 nem sempre está dentro de campo…

Créditos: retirado do site Diario do Flamengo / imagem de Flavio Veloso

Créditos: retirado do site Diario do Flamengo / imagem de Flavio Veloso

Galera do blog, invariavelmente um ou outro grande amigo resolve arriscar algumas linhas aqui no blog. E dessa vez, o texto vem do flamenguista de Niterói Fellipe Mello. Todo marrento como manda a cartilha de um flamenguista, segue um texto que é um exculacho só!!

Por Fellipe Mello

A campanha pífia do Flamengo no brasileirão e a escalação no papel digna de um timeco daqueles que possuem sede nas Laranjeiras, São Januário, General Severiano e afins, anunciava que 2013 tinha tudo para ser uma tragédia para os rubro-negros.

O nosso affair com o Z4 durou alguns meses e a série B parecia a periguete da novela louca pra dar o golpe da barriga no Mais querido do Brasil. Mas o Flamengo como bom garanhão-comedor da noitada carioca, botou a capa no “menino”e mostrou mais uma vez que segunda é apenas o dia seguinte ao domingo.

Como bom cafajeste que é o Mengão deixou a mulherada acreditar que ele era bom moço e que não oferecia perigo a ninguém! E foi assim no sapatinho e na humildade que o Mengão começou a rapelar na balada, deixou a periguete da série B pro Vice da Gama comer de novo e resolveu se preocupar com a gostosa da Copa do Brasil que tava ali no cantinho e não parava de dar mole mais uma vez!

Pela frente o Cruzeiro, líder absoluto do brazuca, e a gatomestragem já cravava nossa eliminação. Porém, esqueceram o detalhe de que as mineiras adoram os cariocas, e lá fomos nós levar as 3 Marias pro motel pra mostrar como é que faz!

Suruba com as 3 Marias finalizada era hora de enfrentar as viúvas do Garrincha.

O canil de General Severiano estava em polvorosa com o Botachoro figurando no G4 durante boa parte do brazuca. A terceira idade carioca já sonhava com o título, comparava o time de 1963 como de 2013, usava a camisa da sorte do bisavô ganhou do Nilton Santos e todas as supertições que só os botafoguenses acham que funcionam, mas que nós todos sabemos que não adiantam porra nenhuma há mais de 50 anos.

Pra variar o primeiro jogo terminou empatado em 1×1. Pros chorões era mais um sinal de que algo bom estava por vir, pro Flamengo apenas aquela chatisse de ganhar mais uma vez nos pênaltis e eles terminarem o jogo em prantos botando a culpa no gandula, no massagista, na periguete atrás do gol do Jefferson e etc.

Pela milhonésima vez em uma decisão o Mengão tinha o pior time, acabara de sair da crise, jogadores jovens formados na base e um técnico desconhecido. Pra cornetagem de plantão um sinal de fragilidade, pra nós a certeza de mais um triunfo, afinal só quem conhece a favela circula tranquilo por seus becos sem tomar esculacho! E foi assim que Claudio Coutinho, Carpegiani, Carlinhos, Andrade e agora Jayme de Almeida fizeram, porque técnico o Flamengo também faz em casa.

A semana que antecedeu ao jogo de ontem alimentava as esperanças no canil e nos asilos pelo Brasil afora! O Foguinho havia vencido o Mengão no brazuca, o que era um sinal de que eles poderiam avançar na Copa do Brasil na última quarta-feira.

Eis que o maior craque da história do futebol mundial resolve anunciar sua participação! Seu nome não é Pelé, nem Zico! Ele não veste a 10 e jamais jogou pela seleção brasileira! Ele veste a 12, ou melhor eles vestem a 12! Aliás milhares vestiriam a 12! SIM, a NAÇÃO RUBRO NEGRA resolveu jogar mais uma vez! E quando ela entra em campo até Zico se rende a sua força e reconhece que maior que ela não há!

Enquanto a os flamenguistas já haviam comprado 50 mil ingressos na TV anunciava que em General Severiano o calor carioca castigava 6 idosos na fila.

Chegava então o dia do jogo! A Magnética em peso invadia o Maraca mais uma vez para que o timeco da Gávea pudesse ter um jogador a mais em campo!

Antes do jogo começar o craque Seedorf olhava pras arquibancadas destinadas ao Flamengo e parecia ter comido os famosos bolinhos alucinógenos de Amsterdam. Não queridão tu não tá doidão, é que hoje o bicho vai pegar!

Bola rolando e a Nação chamando a responsa mais uma vez! Ela atacava, defendia, avisava o ladrão e tudo mais! O nosso camisa 12 tava afim de jogo mais uma vez!

O jogo começou tenso! Muitos erros de ambos os lados! Mas dava pra ver o sangue nozóio da nossa molecada empolgada pelos berros ensurdecedores de nosso craque-maior vindos das arquibancadas.Embora a Nação seja maior que Pelé, colocar a bola no barbante nunca foi seu forte! Ficou então por conta de Hernane a responsabilidade de dar TRÊS brocadas sem tirar nas meninas choronas! Uma canela de primeira após o bololô na área, uma chapada pro chão depois do rebote de Jefferson e uma testada no cantinho decretaram a vitória! Aos 15 minutos do segundo tempo metade da torcida do botachoro já tinha ido embora: Só restavam 3 pessoas!

Mas como surra em idoso é crime, Hernane Brocador, que só não fez o quarto porque teve humildade em gol, presenteou Leo Moura que fechou os 4×0 no dia que nosso vovô-moicano completara 35 anos!

Pra finalizar eu gostaria apenas de deixar minhas sinceras desculpas à Luísa Mel e os defensores dos animais pelo nosso feito de ontem, afinal logo na semana que eles salvaram 300 beagles do instituto Royal o Mengão foi lá e matou a cachorrada!

Agora que venha nossa baranga de fé de São Januário ou o pessoal das terras das duplas sertajenas na semifinal!

Copa do Brasil, já te falei, tu é bonita, gostosa e tá me dando mole! To avisando hein, se eu te pego, eu te esculacho e ainda te troco pela Libertadores no ano que vem!

Deixou chegar, fudeu! Pra cima delas Mengão! SRN!

P.S.: O Flamengo não é um time é uma NAÇÃO! E nação meus amigos, não precisa de um camisa 10, precisa apenas da união do seu povo para vencer e é exatamente essa união que desde de 1989, quando Zico abandonou o futebol, que ensina país afora que o jogo nem sempre se ganha dentro das quatro linhas, quebrando mais um ditado popular.

Rapidinhas do Camisa 10 – 30.11.2011

A volta do Imperador Ainda não estamos falando de futebol. Adriano faltou mais uma vez em um treino devido a uma diarréia. Sua majestade novamente no trono.

Prisão de ventre. Em compensação, Jóbson do Botafogo decidiu que está na hora de parar “de fazer tanta M&#d@”. A dúvida é se ainda dá tempo de sair “cheiroso” depois de tudo que ele fez.

Frase incompleta. Andrés Sanchez disse que “bicho não ganha campeonato”. Ele está certo, só esqueceu de lembrar que apesar de não ganhar, dependendo do bicho ele pode tirar o campeonato de alguém.

Coincidência verde. Incrivelmente, o time palestrino sente uma leveza no ambiente, desde a saída de um jogador, o time melhorou dentro e fora de campo. Pelo jeito, a melhor opção era ter deixado esse “peso” na Gávea no início do returno do Brasileirão.

Matemática tricolor Carpegiani teve quase 60% de aproveitamento, Adilson 46,5% e Leão possui 33,3%. Para a diretoria tricolor, é inegável a melhora com a chegada de Leão, tanto que já inicia-se uma movimentação para que ele continue em 2012. Vai entender…

Alienação tricolor Deco ficou tão chateado com a derrota do Vasco que ficou meio desnorteado. Logo após a derrota, para mostrar que o time não tinha sentido ele colocou em seu Twitter que apesar do resultado o time continuava na briga pelo título e por uma vaga na Liberadores. Apenas lembrando que o time já está garantido na Liberta e já está fora da disputa do título.

Uma questão de gosto Celso Roth pediu demissão do Grêmio, alegando motivos pessoais. O pessoal anda dizendo que este motivo é culinário, parece que atualmente Roth tem preferido um pão de queijo ao invés de churrasco.

Liquidação inglesa Está ficando cada vez mais fácil levar Tevez. Diante de uma determinação da federação inglesa, o Manchester City terá que reduzir seu quadro de atletas de 67 para 40. Tevez é com certeza um dos 27 escolhidos. Pena que Andrés agora está com outras preocupações deixando o voô Manchester-Milão praticamente certo.

Nordeste nas cabeças Sport e Naútico voltaram para a Série A, enquanto o Santa começa a reconstruir sua história e sobe para a Série C, se o Bahia “abrir as pernas” como prometeu para o Ceará. Temos grandes chances de ficarmos com 4 represantes do Nordeste na elite do futebol. Vai faltar estádio!!

Futebol de primeira Falando em Nordeste e Sport, novamente saiu uma decisão favorável ao Sport. Outra vez, o clube foi considerado o único campeão brasileiro de 1987. Mas, essa altura alguém do Flamengo já entrou com um recurso, da mesma forma que o São Paulo escondeu a taça das bolinhas nas profundezas do Morumbi. Viva o Circo Brasileiro do Futebol!

Classificação Atualizada Para os conspiradores de plantão, acessem o site: placarreal.com.br e se divirtam com a possível classificação corrigida caso nossos árbitros fossem melhor preparados. Fiquei com uma pena do Vasco e do Palmeiras. Confiram!!

Carpegiani: O melhor técnico do Brasileirão 2011!!

Galera, o leitor Thiago me passou o link dessa matéria de um blog que gosto muito e achei interessante compartilhar. Abaixo, vou colocar minha opinião em forma de comentário.

De Vitor Birner

Sou realmente chato.

Quando vejo alguma injustiça – depreciação ou supervalorização do trabalho dos profissionais de futebol – me posiciono.

E, dependendo do tamanho da maldade ou bondade com o sujeito, insisto.

Por isso bato muito na tecla quando trato de certos personagens.

Carpegiani é um exemplo.

Como sempre digo, aconteça o que acontecer, será demitido na primeira ameaça de crise.

A opinião pública irá destruí-lo assim que puder e seus patrões sucumbirão diante da pressão daqueles que vêem futebol de craque no Rivaldo hoje em dia.

Ele jamais será contratado por times bem-estruturados porque a cartolagem em regra não tem competência para avaliar os trabalhos dos técnicos e ela morre de medo, tem pavor, da rejeição da opinião pública.

São os mesmos que acreditaram nos acima da média Dodô, Roger, Denilson e defenderam a bobagem do quarteto mágico na seleção em 2006, entre tantas outras coisas.

Acho resultados muito importantes no futebol. Trata-se de uma atividade onde o objetivo é vencer o maior número de vezes possível.

Repito: o maior número de vezes possível.

Eis a questão: as possibilidades dependem da qualidade do elenco e de várias circunstâncias ao longo dos torneios.

Tudo isso não impede Carpegiani de ser o treinador com melhor aproveitamento de pontos no brasileirão.

Fundamental: no São Paulo cheio de jovens recém-lançados, sem lateral-direito, volante de marcação, meia e centroavante de área (hoje o time só não tem o meia, pois muitos reforços chegaram depois da saída de Carpa) e com muitos desfalques.

Carpegiani conseguiu 62,5% dos pontos disputados.

Ricardo Gomes é o segundo com 61,4% de aproveitamento. (A pesquisa não leva em conta a pontuação dos interinos).

http://vozdofutebol.com.br/index.php/especial/2011/carpegiani-tem-o-melhor-desempenho-entre-os-50-tecnicos-do-brasileirao/

Ano passado, quando faltavam 3 rodadas para o fim do Brasileirão, Carpa também era o técnico com melhor percentual de pontos.

Foi ultrapassado na penúltima rodada pelo Flu de Muricy.

Ficou em segundo lugar.

Vale comparar os elencos de Atlético PR e São Paulo com o do Flu.

Sei que meu post não muda nada.

Apenas o escrevi porque desejei ser justo com quem monta equipes muito bem posicionadas, não gosta de times medrosos e nem faz a política de boa vizinhança com jogadores, dirigentes e imprensa.

E que apanha calado, como um lorde, ao invés de retrucar com verdades agressivas as injustiças que sofre quando alguns dos milhares, talvez milhões de humildes ‘Telê Santanas’ (profundor conhecedor do assunto, foi um mestre) pelo país falam dele.

Mestres do exagero!!

De Vitor Birner

Reproduzo abaixo o texto principal de minha coluna, sábado passado, no Lance!

Algumas pessoas precisam entender coisas óbvias:

Os competentes erram.

O melhor trabalho nem sempre termina em título.

Não existe ser humano perfeito.

E nem críticos infalíveis.

Mestres do exagero

O exagero e o maniqueísmo estão arraigados em nossa cultura. Boa parte do povo adora o carnaval e suas excentricidades.

Quem não faz parte da maioria, em regra, detesta a festa popular. A considera perda de tempo e futilidade tupiniquim.

O fervor religioso é outra marca do brasileiro. Ele gera enormes discussões e até brigas entre cristãos seguidores de doutrinas diferentes.

Os indivíduos também são rotulados.

Heróis ou vilões, certos ou errados, bandidos ou cidadãos decentes, exemplos ou vergonha social…

Você já deve ter escutado de tudo.

Veja o caso do zagueiro Leandro Castán, que atirou sem querer no amigo.

O pai do ferido sempre disse que foi acidente.

A palavra de quem ama o filho não bastou para os sujeitos metidos a Deus.

No dia seguinte eles chamaram o jogador de assassino.

As avaliações desmedidas, pouco inteligentes e em tom de julgamento
também são tradicionais no futebol.

O técnico Ricardo Gomes era ruim até a última quarta-feira.

Agora que ganhou o título da Copa do Brasil as opiniões mudaram. Ele nunca deixou de ser competente.

Nem sempre o trabalho bem feito rende títulos.

Há mais profissionais acertando noutras equipes

Faltou pouco para o Coritiba levantar a taça. Se tivesse conseguido, quem modificou a avaliação sobre o treinador vascaíno hoje pensaria de maneira diferente.

Muricy Ramalho, comandante do favorito ao título da Libertadores, recebe muitos e merecidos elogios porque melhorou o sistema defensivo santista.

Na prática, trocou a ofensividade radical por um baita ferrolho.

O Peixe sofreu contra o América e Once Caldas.

Ainda bem que não tomou gol no fim dos jogos.

Assim evitou que os elogios à força de marcação virassem críticas à postura covarde e à destruição do belo futebol do time.

Telê Santana sofreu com a fama de perdedor até comandar o São Paulo de Raí.

E sempre foi um mestre.

Este autor chato e pragmático do texto não tem a menor pretensão de colocar seus pés no chão.

A vida de emoções, ilusões e personagens é mais prazerosa.

Só tente ser justo com perdedores e vencedores

Pitacos: Avaí 3×1 São Paulo

Galera do blog, ontem acompanhei ao jogo do meu tricolor, e novamente o time abusou do direito de perder gols, sem querer desmerecer o Avaí, mas o Vasco ganhou uma vaga na final sem fazer força nenhuma.

O São Paulo veio a campo desfalcado de Miranda, mas com os retornos de Fernandinho, Rhodolfo e Lucas. Dos três apenas Rhodolfo voltou mesmo, Lucas e Fernandinho mal viram a cor da bola ontem, fizeram partida mediana. Aliás pelo lado tricolor, apenas Dagoberto, Rhodolfo, Carlinhos Paraíba e Juan fizeram uma boa partida na minha opinião.

Sobre o jogo em si, não tem muito o que falar, foram 180 minutos de gols perdidos, o São Paulo sem exagero deve ter criado umas 20 oportunidades claras de gol e converteu apenas 02, enquanto o Avaí criou apenas 06 chances de gol e converteu 03. Nos dois jogos, o São Paulo abusou da desorganização tática, logicamente que isso é culpa exclusiva de Carpegiani.

E agora entro no ponto mais polêmico, sempre fui defensor de Carpegiani e gosto mesmo dos “ideais” que ele se propõe a colocar em prática em um time, mas às vezes parece que não é tão claro assim para ele essa ideal, e consequentemente o time fica confuso.

Diante disso, o São Paulo deve tomar uma decisão, Carpegiani segue ou vai para a rua? Eu apenas olhando internamente, mandaria ele embora, mas aí surge a dúvida, quem contratar? Não existem tantas opções assim no mercado. contudo, essa decisão deve ser tomada, para que o elenco que seja também desenhado de acordo com o técnico. Por exemplo, se Carpegiani continuar, Rivaldo deve ser dispensado, acho o meia fantástico seria titular no meu time do São Paulo hoje, mas para Carpegiani, o jogador não serve, portanto não é bom manter no elenco um jogador que a torcida inteira pede, mas o treinador não coloca, só causa desconforto a todos.

Para finalizar e como sempre cornetar, hoje o meu titular do São Paulo seria, Ceni, Jean, A. Silva, Rhodolfo, Juan, C. Paraíba, Casemiro, Lucas e Rivaldo, Dagoberto e Luis Fabiano, como opções, além disso Marlos e William José deveriam ser emprestados, são bons jogadores ao meu ver, mas às vezes uma mudança de ares resolveria. Ah, o técnico dessa turma, eu chamaria o Zetti, seria uma boa aposta, tem identificação com o clube e principalmente, respeito da maior entidade dentro do elenco.

É hora de definições, ainda faltam 10 dias para o começo do Brasileirão.