Copa 2014 – Adidas 1×0 Nike

alemanha14022014

Galera do blog, o Palmeiras lançou no final do ano passado uma camisa amarela em homenagem a uma partida onde o clube representou a seleção brasileira, inclusive utilizando a tradicional camisa de mesma cor.

Depois disso, Santos e Corinthians fizeram o mesmo, porém apenas como uma ação de Marketing da Nike aproveitando o clima de Copa, assim a patrocinadora de material esportiva da seleção canarinha esperava alavancar suas vendas em outras frentes que não apenas o uniforme da seleção de Felipão.

E eis que a Adidas teve uma sacada sensacional, além de ter aproveitado a história do Palmeiras para desenhar um uniforme amarelo, podendo assim justificar o uso da cor da camisa da seleção, a empresa de material esportivo foi mais além, desenhou o modelo da, na minha opinião, principal candidata ao título semelhante ao uniforme do Flamengo.

A ideia é bárbara, aproveitou o desenho do clube de maior torcida dentro do país da Copa e copiou o modelo para ganhar adeptos aqui no Brasil. Pense bem, quantos de nós compraríamos uma camisa de qualquer outra seleção neste ano?

Se hoje estamos na casa de 200 milhões, duvido que 1% adquira camisas de outras seleções, agora pensa quantos rubro-negros terão orgulho de andar com a camisa da Alemanha no peito, sob o mantra de que enquanto alguns copiam as camisas de outras seleções, nós somos copiados.

Imagina que 5% da torcida rubro-negra compre essa sacada, chutando baixo, a Adidas já terá superado aquele 1% que mencionei acima, ou seja, a empresa criou um tremendo atrativo para alavancar suas vendas na Copa, já que ela não detém a camisa do país-sede.

Na briga entre as maiores empresas de material esportivo do mundo, a Adidas deu um belo gancho no queixo dos norte-americanos da Nike. A Nike pode até terminar com maior faturamento, mas dentro das previsões normais, a marca alemã soube alavancar muito bem as suas vendas.

Just do it.

Anúncios

Rapidinhas do Camisa 10 – 05.02.2014

super-bowl

TJD querendo aparecer logo cedo… O pior não é a discussão sobre Valdivia e Ceni no último clássico, o pior é saber que o TJD quer julgar, por achar um absurdo o ocorrido, mas não tem a menor idéia em qual artigo irá enquadrar. Sugestão, enquadra no artigo “coisas de futebol”e param com mimimi.

Insistir no erro é burrice, agora isso … E eis que vejo uma matéria que por alguns instantes quis acreditar que era antiga. O Botafogo volta a cogitar a hipótese de trazer Jobson. Sinceramente, eu não consegui enxergar até agora, alguma demonstração por parte do jogador de que ele tenha melhorado sua índole, portanto trazer, seria apenas repetir o erro.

Faltou sacola, André? E André Santos protagonizou uma cena no mínimo curiosa nessa segunda-feira. Participante do programa Bem Amigos no Sportv, o jogador do Flamengo foi levar vários kits do clube para entregar aos participantes. Até aí, tudo bem, até porque se não levar, Arnaldo reclama. O problema é que André levou os kits do Flamengo, patrocinado pela Adidas, em uma sacola da Nike. Pô Adidas, libera uma sacola aí…

Espanhol obrigatório, inglês desejável… Que apesar de toda essa procura por estrangeiros, entre os times da Série A, o número pouco mudou. Ao final do Brasileirão tinhamos 42 estrangeiros e agora estamos com 41, esse número pode aumentar e a tendência é essa. Além da força da nossa economia sobre os países sulamericanos, Seedorf abriu portas para a chegada de europeus no final de carreira.

A mão de um treinador… Nunca acreditei tanto na capacidade de um técnico ser o principal responsável por um título, mas vira e mexe alguém aparece para colocar essa minha certeza em dúvida. Mourinho transformou o bom Chelsea em um fortíssimo Chelsea. O time vai disputar tudo esse ano e com grandes chances.

Mais choro e menos beijinho… Hernanes chorou na saída do estacionamento da Lazio dias antes de se transferir para a Inter de Milão. A questão não foi financeira, mas sim, uma boa oportunidade para todos os envolvidos. Mas o choro de Hernanes mostrou que alguns jogadores podem aprender a respeitar uma camisa e sua história sem precisar torcer para o time. Parabéns pelo choro de Hernanes e ao fim dos beijos desinteressados nos símbolos dos clubes.

Reizinho da Colina. Falando de jogadores que respeitam a camisa, eis que um grande exemplo dessa linhagem decidiu se aposentar. Juninho Pernambucano optou por pendurar as chuteiras agora no início do ano. O Reizinho da Colina deixa orfão fãs no Vasco, em Lyon, na Ilha do Retiro e principalmente pelo mundo afora que aprendeu a respeitar esse craque do futebol.

Mãe dos clássicos… Essa alcunha bem que poderia caber ao São Paulo atualmente. O clube que passou 2013 inteiro sem vencer um clássico, começa 2014 do mesmo jeito. A última vitória foi em Dezembro de 2012 contra o Corinthians, de lá para cá, são 11 jogos, três empates (todos em 0x0) e oito derrotas, 16 gols tomados e 3 tomados. A bronca de 40 minutos de Muricy foi bem pequena no final.

Terra da garoa em crise… O futebol paulista dá mais sinais que está por baixo atualmente, além de não ter nenhum representante na Libertadores nesse ano e ver seus clubes ainda procurando o rumo, são grandes as chances de nenhum jogador que atua em São Paulo representar a seleção canarinha na Copa. Algo que não acontece desde 1934, ou seja a 80 anos atrás.

Dúvida da semana… Dos 12 presos em Oruro, quantos estavam no CT querendo quebrar a perna de Pato e Sheik?

Bem vindo “desgraça”, Chen Zhi Zhao!!

E o chinês chegou.

Não é o “desgraça” como Mario Gobbi havia dito anteriormente, mas sim o atacante Chen Zhi Zhao de 23 anos. Chen é jogador do Nanchang Hengyuan.

Diferente do que foi dito pelos dirigentes corintianos, que iriam trazer uma promessa do futebol chinês, Chen é um jogador mediano que atua em time médio da China. Tanto que no “Craques do Chinesão” ele nem figura perto dos candidatos.

Mas como disse Mario Gobbi, o importante vai ser vender camisa na China. “Imagina se 2% da chinesada comprar uma camisa do Timão?”. A jogada de Marketing vai um pouco mais além. Mario Gobbi está querendo assumir como uma ação dele pelo Corinthians, mas é uma ação planejada pela Nike há bastante tempo. Corinthians e Santos darão continuidade a esse processo de “Nikelização” do futebol na China.

Só que o Santos já tem Neymar, ele é midiático e pode resolver sozinho o “problema” da venda da camisa. O Corinthians não. Precisava de um empurrãozinho da Nike. Chegou Chen para abrir os mercados chineses.

Chen chega apenas para fazer estágio no Brasil, Tite não terá obrigação de escalá-lo, tão pouco inscrevê-lo para a Libertadores. Todos já sabem do potencial de Chen, ou da falta dele.

Pode ser que dê certo, acho que o Corinthians está certo em aproveitar esta ação da Nike e ainda por cima por ter ganhado um jogador de graça.

Resta saber se Chen está entendendo o que está acontecendo com ele.

Se a Jabulani fosse da Nike, era o Kaká que estava reclamando!!

Ontem, no post do Palpitando, brinquei com a história da Jabulani no título. Confesso que estou incomodado com essa história, tenho mania de teoria conspiratórias, nunca acredito na sinceridade pura das pessoas, ainda mais daqueles que possuem a chance de passar recados através de canais como a televisão.

Digo isso, pois nada me tira da cabeça que tanto Julio Cesar como Luis Fabiano podem até não simpatizarem com a bola, mas a forma de expressar o quão ruim é a mesma me cheira a influencia do patrocinador. Coincidência ou não, ambos os jogadores são patrocinados pela Nike concorrente direta da Adidas (fabricante da Jabulani).

Não tenho preferências entre essas marcas, até porque nenhuma delas me patrocina, mas tenho certeza que são duas empresas de capacidade inquestionável e que nenhuma delas fariam uma bola “de mercado” ou uma “Jaburu” como mencionaram os atletas brasileiros.

Duvido muito que verei o Kaká ou qualquer outro do atleta patrocinado pela Adidas reclamar da Jabulani, assim como nunca verei Luis Fabiano e Júlio Cesar reclamarem de suas chuteiras ao vivo, ou de qualquer bola que a Nike forneça em torneio. Portanto, tenho minhas dúvidas quanto a real condição da bola, concordo com o que o Pepe (ex-ponta do Santos) disse em meio as críticas que a bola vem recebendo.

“Não importava o tipo de bola. Às vezes mudava mesmo, mas para nós ela sendo redonda estava bom, só não podia ser quadrada. Bola era tudo igual e a velocidade era 122 km por hora sempre, não importava a marca, nem o peso, nem o tamanho, nem nada. Desde que não fosse quadrada estava muito bom, só queríamos uma bola redonda para jogarmos”, ironizou o ex-jogador do Santos, Pepe.

E vocês, acham que o patrocinador está aproveitando para usar a imagem de seus atletas? O que vocês estão achando dessa história toda?

Para terminar, encontrei um Quiz na UOL que diz que jogador você é, o meu foi perfeito, deu o Ronaldo “Fenômeno”, sem comentários!! Façam também: Que jogador você é?