E se o campeonato acabasse na 17ª rodada?

Neilton010816

Depois de uma semana tumultuada, voltamos a ativa e com o nosso querido post pós rodada completa.

E o Corinthians seria o campeão, o time que segue vencendo mesmo com Romero e já alcança o primeiro lugar na tabela, independente de o time continuar o não, alcançar a ponta nesse momento é simbólico, normalmente o campeão do primeiro turno leva o caneco.

Outro que assumiu a vice liderança e também vem embalado é o Santos, a molecada da Vila segue firme e forte, com Vitor Bueno em estado de graça nesse campeonato. Mais um jovem surgindo no time do litoral paulista, que novidade, né?

Fechando o G4, estão o Palmeiras e o Grêmio. Contudo, ambos precisam ficar atentos, porque Flamengo e Atlético-MG estão em ascensão e pedindo passagem, junto com o Santos são os times que estão no melhor momento, logo, o clássico entre Santos x Flamengo promete na 18ª rodada.

No meio da tabela, destaque positivo para o Sport que embalou a terceira vitória consecutiva e descolou da perigosa zona de rebaixamento, Diego Souza parece a vontade com a camisa rubro negra e já encosta na briga pela artilharia, Jesus ainda lidera com 10 gols.

O destaque negativo vai para São Paulo e Inter, o tricolor paulista bateu o recorde de público do campeonato (55.000 pessoas dentro do Morumbi), mas ficou encantado nos primeiros minutos e viu a Chape ser novamente uma pedra no sapato, o time de Bauza já está a 3 jogos sem vencer no campeonato.

O Colorado vive drama maior, são 09 jogos sem vencer e o time que dividia a ponta com o Grêmio no início do campeonato, agora vê a 3 pontos de distância a zona do rebaixamento.

Enquanto isso na parte debaixo da tabela, estão Coritiba, Santa Cruz, Cruzeiro e América-MG, tirando o Cruzeiro que acredito que irá melhorar com a chegada de Mano, a sensação que eu tenho é que a disputa pela última vaga ficará bem restrita a Vitória e Figueirense, entre os 5, apenas um se salvará.

A 17ª rodada terminou com 22 gols, com 6 vitórias dos mandantes, 2 empates e 2 vitórias dos visitantes. Meu destaque individual não poderia ser outro, o novo Neymar, ou o menino Neilton. O atacante do Botafogo teve grande atuação e fez alguns relembrarem a alcunha que recebeu logo que começou. Grande partida e fundamental para a vitória carioca e tirar o Palmeiras da liderança.

E para vocês, como seria se o campeonato acabasse na 17ª rodada?

Limonada no lugar do champanhe!!

calvin-e-haroldo

Em economia, a Lei da Oferta e Procura, também chamada de Lei da Oferta e da Demanda, é a lei que estabelece a relação entre a demanda de um produto – isto é, a procura – e a quantidade que é oferecida, a oferta. A partir dela, é possível descrever o comportamento preponderante dos consumidores na aquisição de bens e serviços em determinados períodos, em função de quantidades e preços.

Nos períodos em que a oferta de um determinado produto excede muito à procura, seu preço tende a cair. Já em períodos nos quais a demanda passa a superar a oferta, a tendência é o aumento do preço.

Adam Smith e François Quesnay não sabiam o quanto essa maldita lei iria afetar nosso futebol. Defensores do liberalismo econômico, os dois resumem no parágrafo anterior como está escasso o “produto” no nosso futebol.

Caso como o de Alan Kardec mostram como o produto jogador está tão ruim e escasso que estamos pagando fortuna quando algo parecido aparecesse. Soma-se a isso a situação atual dos clubes brasileiros na Libertadores. Depois de sei lá quanto tempo, temos apenas um clube entre os oito finalistas.

Ficamos mal acostumados, talento saia de baciada de nossas terras. Podiamos vender gente e mais gente que ainda sobrava gente de qualidade desfilando categoria em nossos campinhos mequetrefes. Agora, temos campos padrões-Fifa, mas falta mão de obra para cuidar com carinho da redonda.

Vivemos uma era de supervalorização de nossos jogadores. Hoje, Neiltons querem ganhar centenas de milhares por simplesmente serem promessas, sem ao menos terem feito nada em troca pelo clube que atuam. Qualquer jogador é homenageado por atuar 100 partidas por um clube, pensando que os grandes atuam em média 75 partidas em um ano, Basta um ano e pouco para qualquer Zé receber uma homenagem.

Faz tempo que precisamos revisitar como estamos cuidando do nosso produto futebol. Pagamos caro por um ingresso que não oferece quase nada de atratividade.

Faz tempo que vamos ao estádio apenas pela paixão pelo time. E não pelo prazer que assitir ao jogo pode propiciar.

Faz tempo que nossa oferta é bem escassa, pelo produto que estavámos querendo comprar! Estamos comprando limonada pelo preço de champanhe!