Vitória para embalar ou só para acalmar?

image

E ontem foi dia de acompanhar o meu tricolor.

Jogo complicado, velha máxima da Libertadores. Teve catimba, falta dura, lance polêmico, jogadores se estranhando e teve gol.

Um só. De Michel Bastos no final do jogo, mas poderia ter sido com menos de um minuto quando o São Paulo dava sinais de enfim entrar ligado no 220v.

E aí fica a questão, esse time do São Paulo é excelente individualmente, mas abusava do direito de não fazer tudo para ganhar a partida.

Ontem o São Paulo buscou o gol durante todo o jogo, logicamente que dosou a intensidade durante o jogo.

Começou muito em cima, aliviou um pouco, tentou apertar no meio do jogo, cansou por um instante e foi para cima com tudo no final.

Venceu e enfim mostrou o que pode se esperar desse time, ainda com muitas falhas, ainda longe de uma atuação excelente.

Um pouco de pitacos por setores.

Goleiro: Fez aquilo que se espera ajudou como um libero quando precisou, está aprendendo muito vendo o Neuer fazer isso e defendeu quando exigido.

Laterais: Bruno foi mal, errou muito e parece longe daquele lateral funcional do Fluminense. Carlinhos ainda precisa de ritmo de jogo, deu a assistência, mas ainda parece fora de sintonia.

Zagueiros: Toloi e Lucão deram as emoções necessárias ao torcedor, possuem muito ímpeto, as vezes passam da bola e assustam, deve-se relevar a questão que o time joga de forma que ainda os deixam expostos, como não tomaram gols foram bem.

Volantes: Gostei do Denilson e achei Souza burocrático. O primeiro foi o leão na frente da zaga, particularmente seria reserva no meu São Paulo, mas ontem foi bem. Souza ficou preso por causa das subidas dos laterais, assim coube a ele apenas o arroz com feijão ali.

Meias: Michel é o melhor jogador do time no momento, é quem mais aparece como opção, é quem mais tenta e ontem não foi diferente. Ganso fez na minha opinião a melhor atuação dele no ano pelo tricolor, muito abaixo ainda, mas mais participativa, tentou, errou uns passes bobos e buscou o jogo.

Atacantes: Pato machucou cedo, sentiu uma torção no tornozelo. Centurion foi muito bem, ainda um pouco individualista, mas é quem faz o diferente. Luis Fabiano está naquela fase que todo mundo quer Kardec no lugar dele, ou seja, no próximo jogo fará pelo menos dois gols.

Sei que agora não é mais hora de teste, mas acho que nem Kardec, nem Fabiano, iria com Michel, Ganso, Centurion e Pato no quarteto de ataque.

Por fim, o resultado muda o clima no Morumbi, pode servir apenas como um alívio ou ser o início de uma temporada vitoriosa do São Paulo. 

4 pontos em 3 jogos para os brasileiros…

pato01_rib-3

E ontem os brasileiros mostraram de forma mais concreta possível, como uma vitória melhora tudo, como um empate pouca coisa muda e como uma derrota pode ser desastrosa.

O Galo que tanto gosto perdeu ontem dentro do Independência. 1×0 para o Atlas com um gol aos 42 do segundo tempo. Nem um dos times foi bem, o time mexicano venceu porque sobrou pernas, o Atlético estava completamente entregue após os 30 minutos da etapa final.

O time demorou para achar seu futebol no primeiro tempo, já no início do segundo exerceu aquela famosa correria do Galo, perdeu muitas chances, Maicossuel chegou atrasado, bola do Luan passou raspando, Andre quase deixou o dele e por aí vai. O time sentiu a falta do seu reforço Lucas Pratto. A boa notícia é que Cardenas é um nome interessantíssimo para o time. Contudo, o Galo precisará de mais um dos seus mirabolantes truques para buscar a classificação. Mas, ainda só depende dele.

Já o rival mineiro, o Cruzeiro estreou com um empate contra o Sucre. O jogo mostrou que o Cruzeiro está montadinho, mantém a mesma tática do ano passado, mas ainda sente do entrosamento e principalmente da qualidade da troca. E não estou dizendo que quem chegou é ruim, mas quem saiu era muito bom, principalmente Goulart e Lucas Silva. É complicado substituir a altura.

O Cruzeiro foi melhor que o Sucre, mas a famosa altitude derrubou o time no final do jogo. Damião voltou a jogar bem, faz boa temporada pelo Cruzeiro e parece que a mudança de ambiente foi benéfica, perdeu alguns gols ontem, mas a movimentação, a busca pela bola voltaram. No fim, o resultado foi ok, ainda mais dentro de um grupo, onde só fatores extracampo (altitude) podem atrapalhar a campanha tranquila da Raposa nessa primeira fase.

Por fim o São Paulo conseguiu uma vitória tranquila e com placar elástico (4×0) sobre o fraco Danúbio. O time uruguaio será o saco de pancada desse grupo tranquilamente, vendo o jogo de ontem, digo que é preciso ganhar deles no Uruguai também. O São Paulo mostra com a vitória que tudo está bem longe de ser perdido, o time foi apático na estréia, mas é ainda um dos fortíssimos candidatos ao título.

Principalmente, quando Muricy entende que Kardec e Luis Fabiano não podem jogar junto e que a melhor peça do São Paulo é Michel na meia. Pato com vontade mostra que é jogador de seleção, ontem ficou durante os 90 minutos e mostrou que Fiorella merece um camarote exclusivo no Morumbi. A única questão ainda é bipolaridade tricolor, o time só possui os modos “futebol envolvente” e “futebol adormecido”, precisa aprender a dosar um pouco seu futebol, para não sofrer nos momentos de dormência.

Por fim, uma vitória, um empate e uma derrota na conta dos brasileiros.

Nossos queridos estaduais…

image

E os estaduais começaram!

Quanta alegria, quanta emoção e quantas surpresas! Na verdade, alguma alegria, pouca emoção e nenhuma surpresa.

Nenhum dos considerado grandes tropeçaram, só o Inter que empatou com o Lajeadense, mas é o Inter, do qual sempre cria-se expectativa e o resultado é sempre o mesmo.

Em São Paulo, a regra dos três prevaleceu, todos os grandes venceram suas partidas anotando três gols.

No RJ, o Flamengo também empatou, mas as circunstâncias foram tão adversas que não considero tropeço. A única mancha da partida foi a invasão imbecil de alguns torcedores rubro negros ao vestiário do temido Macaé.

Em Minas, ambos venceram tranquilamente. Assim como o Grêmio.

Agora, voltando para São Paulo, campeonato o qual vejo mais.

O Palmeiras venceu com um primeiro tempo de encher os olhos, tudo bem que era contra o Audax que ajuda com seu jogo arriscado.

O Corinthians foi cirúrgico, venceu, não sofreu sustos, não precisou encantar e principalmente não se desgastou com essa partida.

O Santos usou de um velho artifício, sua categoria de base. Geuvânio resolveu o jogo e deu a vitória para o alvinegro praiano.

Já o São Paulo contou com o talento de seus jogadores, ainda bagunçado e dando chances para o adversário, o tricolor contou com Michel Bastos e Luis Fabiano para resolver a parada.

Por fim, nada de novo nos estaduais, nenhuma grande e/ou grata surpresa, apenas o descobrimento de times que não conhecíamos.

Se fosse no videogame era tudo mais fácil…

galaticos13082014

Quem aqui já jogou Football Manager? Ou mesmo jogou carreira no Fifa?

Quantas vezes, você parou para analisar os dados de cada jogador, escolher os melhores para o seu time e dentro do orçamento que você tinha, montar um time que pudesse ser bem competitivo para os campeonatos?

No videogame, a primeira coisa que você faz é escolher um bom goleiro e uma tremenda dupla de ataque, se ainda houver boas oportunidades compra uns meias, monta o time e vai para o jogo.

Os zagueiros? Ah, deixa para lá, depois que ganhar alguma coisa, troca eles, mas por enquanto, os que estão aí, resolvem.

Aidar, tem quase 68 anos completos (completa dia 25 próximo), mas parece um garoto de 15 anos viciado em videogames e que escolhe suas peças pelo número que representa no jogo. Eu imagino Aidar argumentando com o conselho: “mas o Rodrigo Caio tem 92 de cabeceio”, ou qualquer outra bobagem do gênero.

Michel Bastos, Kaká, Ganso, Kardec, Pato, Luis Fabiano compõe dentro do futebol brasileiro um elenco galáctico. O time sobra em qualidade perante aos rivais, porém é completamente desequilibrado, faltam peças defensivas.

Muricy arrumou um pepino bom, mas indigesto. Terá que se desdobrar para montar o time e conter o ego de todos no grupo. Porque com esse grupo de jogadores, precisará apresentar resultados imediatos.

Acredito que treinando o posicionamento de todo mundo, o time deverá ser: Ceni, Douglas, Toloi, Tonhão, Alvaro, Souza, Michel, Ganso, Kaka, Pato e Kardec. É um time muito forte, mas com espaço curtíssimo para dar liga.

Sobre os zagueiros, quando o time ganhar algo, Aidar pensa. Foi assim que seu neto ensinou no videogame. Bem simples, né, Aidar?

De quem foi a culpa?

Meus caros amigos e leitores, o blog volta a ativa, depois de quase uma semana parado, estamos de volta.

Peço desculpas a todos, mas a semana foi complicada no trabalho, a única alegria foi a eliminação da escrete dunguiana como previa diante da Holanda.

Alegria? Sim, alegria, nunca discute os critérios de Dunga, ele foi fiel a seus princípios, mas eu me recusava a aceitar uma seleção brasileira ganhar a Copa jogando de forma européia. Contudo, odeio essa história de encontrar culpado para a eliminação, todos tem culpa, desde o técnico até os torcedores.

Prefiro nessa hora,identificar quem jogou bem nessa Copa, quem decepcionou e quem ficou na mesma.

No grupo dos que jogaram bem, relaciono, Maicon, Lúcio, Gilberto Silva, Ramires e Nilmar.

Aqueles que ficaram na mesma foram, Júlio Cesar, Juan, Michel Bastos, Felipe Mello (Eu não esperava mais do que ele fez), Elano, Josué, Grafite, Julio Baptista, Gilberto.

As decepções, Daniel Alves, Kaká, Robinho e Luis Fabiano.

Doni, Gomes, Thiago Silva, Luisão, Kleberson foram premiados pela não participação, aliás vou pesquisar, mas acho que está Copa foi aquela onde tivemos o maior número de jogadores sem atuar um minuto sequer.

E para vocês quem jogou bem, quem jogou mal e quem ficou na mesma?

Durante a semana, vou falar mais de seleção, mostrar quantos títulos, cada jogador possui, vocês irão se surpreender, e qual o diagnóstico para 2014. Amanhã, trago os resultados do Palpitando que ficou pendente.

Dunga e suas dúvidas

Faltam poucos meses para que o Brasil estreie na Copa do Mundo e Dunga já tem na sua cabeça a lista praticamente fechada, eu disse praticamente e onde andam as dúvidas de Dunga, vamos lá:

No gol, parece que não existe dúvida quanto a titularidade de Julio Cesar, assim como não resta dúvida que Victor também estará na reserva, mas e o terceiro goleiro quem será, na última convocação Doni ressurgiu, eu não entendo a presença dele, até porque o goleiro é reserva de outro brasileiro na Roma, então o mais certo seria trazer Julio Sergio e não Doni. Mas acho que J.Cesar, Victor e Doni serão os goleiros.

Nas laterais, se na direita não há dúvida, Maicon e Dani Alves já estão na África, na esquerda é uma interrogação enorme, nem o titular está definido, Michel Bastos está com uma cabeça de vantagem nessa corrida e agora foi dado a chance para Gilberto.

Na defesa, resta uma vaga, Lúcio e Juan são os titulares e Luisão será um dos reservas, a briga fica entre Miranda e Thiago Silva, o rossonero tinha dado um passo na frente da disputa, mas uma lesão o tirou desta convocação e deu de bandeja a chance para Miranda.

No meio campo, também resta apenas uma vaga, Gilberto Silva será o primeiro volante e terá Josué como reserva. Felipe Mello o segundo volante e aí resta a dúvida, Lucas, Anderson e Hernanes dsiputam essa vaga, com chances maiores pela ordem descrita. Elano e Ramires serão os meio campistas, sendo o primeiro o titular. Na ligação será o Kaká com Julio Baptista de reserva.

Agora no ataque, na gíria do futebolês, o grupo está fechado. Robinho e Luis Fabiano serão os titulares, enquanto Nilmar e Imperador os reservas.

Na minha opinião, na grande maioria eu aceito as decisões do Dunga, concorda nunca, pois cada um sempre terá a sua seleção, mas aceito. Para mim o único problema, é a reserva do Kaká, nada contra o Julio, mas ele não me parece um jogador decisivo se o Kaká não estiver bem. Na minha opinião, Dunga levaria apenas um lateral esquerdo, já que na pior das hipóteses o Daniel Alves já fez essa função e levaria um meia para caso o Kaká não esteja em um bom dia, se lesione ou até mesmo fique suspenso. Apostaria em jogadores como Alex Cabeção (Fenerbahce), Alex (Ex- Internacional), Diego Souza (Palmeiras) ou até mesmo o Ganso (Santos) até mesmo para o menino já ganhar experiência no grupo da seleção.