Pitacos: Quarta chuvosa e com futebol ruim…

Galera do blog, ontem tive a infelicidade de acompanhar Sport 2×1 Palmeiras e Internacional 1×0 São Paulo. Infelicidade porque foram dois jogos horríveis, com poucas jogadas bonitas e com atuação fraquíssima das quatro equipes.

Começando pelo Sport e Palmeiras, a chuva que caia na Ilha do Retiro atrapalhou a prática de futebol que aliado ao “talento” (ou falta dele) daqueles que estavam em campo, tornou o primeiro tempo sofrível. De bom, apenas dois lances, no primeiro, boa troca de passes de Sport que terminou encontrando Marquinhos Paraná livre para abrir o marcador.

O segundo lance veio do Palmeiras, Henrique saiu da defesa e fez bom lançamento para Barcos que com muita habilidade tirou os defensores da jogada e marcou um belo gol. Aqui aproveito para fazer uma defesa de Barcos, o atacante mostra que não é um cracaço, mas que é um excelente jogador que fazia tempo que o Palmeiras não tinha isso é fato.

Veio o segundo tempo e o jogou melhorou na qualidade do jogo, mas continuou muito marcado no meio de campo e com poucas chances de gol, até que Bruno, chuva e Felipe Azevedo resolveram aparecer. Em chute de longe de Felipe Azevedo, a bola quicou na frente de Bruno e ganhou velocidade tirando Bruno da jogada, falha de Bruno e vitória do Sport.

No fim, ainda houve um lance polêmico, que resultou no gol anulado do Palmeiras. Sinceramente, o lance foi bem complicado, confesso que não fui atrás do lance para ver se foi impedimento ou não, portanto na dúvida, fico com a recomendação Fifa de favorecer o ataque.

Agora, vamos falar do jogo entre Inter e São Paulo, o jogo começou ligado e surpreendentemente com o São Paulo tomando a iniciativa do jogo, o time paulista chegou a dominar as ações e levar perigo com Fernandinho. Porém o lance mais perigoso do São Paulo foi uma falta batida de longe por Denílson que passou com certo perigo no gol de Muriel.

E foi justamente uma falta que trouxe a vitória do Inter e novamente o domínio do jogo. D’ Alessandro cobrou falta com carinho e marcou um belo gol para o time colorado. O gol feito ainda aos 20 do primeiro tempo, trouxe tranquilidade ao time gaúcho que passou a controlar melhorar as ações, graças ao talento de Dátolo e D’Alessandro.

Veio o segundo tempo e o jogo do Inter apareceu mais, o time dominou as ações principalmente com D’Alessandro, Dátolo e Dagoberto, os 3D conseguiam trocar passes com grande facilidade e chegavam ao gol do tricolor com certo perigo, Dagoberto perdeu duas boas chances de ampliar a partida. Pelo São Paulo, o time insistia em bolas pelo meio, centralizando com Luis Fabiano que tinha que trombar muito com seus rivais. Aliás, falando nele, novamente, o “Fabuloso” tomou amarelo e ficou de fora de mais um clássico, desde seu retorno foram apenas 3 participações em 12 clássicos.

O jogo seguiu dessa forma até o fim. O Inter fez um bom segundo tempo, mas não converteu em gols, e o São Paulo mostra que possui um time com boas peças individuais, mas sem nenhuma organização tatica.

O mercado da bola quer a Raposa!!

Após uma semana sem futebol em Terra Brasilis, as especulações sobre quem vem e quem vai começam a todo o vapor.

Porém ao invés de me dedicar a falar sobre vários times, tenho achado curioso o desmanche que o Cruzeiro pode sofrer devido ao assédio dos times brasileiros.

Começando pelo goleiro Fábio, que sofre sondagem do Corinthians para reforçar o gol na Libertadores.

Na zaga Gil e Léo também receberam sondagens, o primeiro também está na mira do Corinthians.

No meio de campo aumenta o assédio, Fabrício é por enquanto o único de partida. O volante deve anunciar na quarta-feira seu acerto com o São Paulo. Charles já foi. Marquinhos Paraná sofre assédio do Sport e parece entender que seu ciclo também se encerrou na Raposa.

Montillo é objeto de desejo de Corinthians, Fluminense e São Paulo. O campeão brasileiro é favorito a vencer a disputa, pois está em estágio mais avançado das negociações com o jogador. O problema é grana, o Cruzeiro não abre mão de receber menos do que os 15 milhões de euros.

Na frente, a reformulação é mais forçada pelo próprio time do que por assédio. Anselmo Ramon, Ortigoza, Keirrison e Farias não caíram no gosto da torcida e a tendência é que não continuem no grupo.

O curioso disso tudo é que o Cruzeiro lutou para fugir do rebaixamento até a última rodada. Ou seja, o elenco não rendeu nada em 2011. Mas como se trata de um time que esteve junto por alguns anos, todos (os rivais) entenderam que existem boas peças que apenas não tiveram um bom ano.

Antes que alguns comentem, é diferente da situação do São Paulo, no tricolor, a diretoria deseja fazer uma limpa. Na celeste, os adversários querem fazer à limpa.

Jogos de Quarta!

Galera do blog mais querido, ontem alguns jogos rolaram pelos estaduais e Libertadores. Acompanhei alguns e aqui vão os meus comentários sobre o que eu vi.

Cruzeiro 7 x 0 Real Potosi: No jogo de volta pela Libertadores, o time celeste atropelou o time boliviano e deixou mais evidente como a altitude influencia o time que está acostumado com ela. Os gols cruzeirenses foram marcados por Marquinhos Paraná, Thiago Ribeiro, Kléber Gladiador, Jonathan, Eliandro, Bernardo e Guerron.

O time boliviano até tentou uma correria inicial, mas com o passar do tempo foi facilmente dominado pelo time brasileiro, tanto que ficou evidente a total fragilidade do time boliviano. Dessa forma, o Cruzeiro vai para o grupo 07 e encara de primeira o Velez, um dos maiores adversários dos clubes brasileiros na conquista desta Libertadores.

São Paulo 3 x 0 São Caetano: Enfim, o considerado time titular (com exceção dos recém-chegados), e deu para ver uma grande evolução, talvez ainda longe do ideal, porém o time atuou de maneira mais equilibrada. Gols de Washington, Dagoberto e Hernanes.

O time são paulino entrou com sua força máximae animou os torcedores desconfiados, principalmente na parte ofensiva, a movimentação de Paraíba e Dagoberto foi muito interessante e atormentou o sistema defensivo do Azulão, outro ponto positivo é a constante evolução de Jean como ala direita, o volante está melhorando cada vez mais o quesito cruzamento. A defesa ainda precisa de entrosamento, mas Xandão mostrou qualidade, o trio titular (Xandão, A. Silva e Miranda) promete dar conta do recado.

Flamengo 3 x 3 Olaria: Nada de novo no time rubro-negro, enquanto o ataque funciona muito bem, a defesa continua tomando muitos e muitos gols. Ontem, Vagner Love marcou dois e Imperador marcou mais um.

O time rubro-negro segue atuando da mesma forma como se tornou campeão, porém a diferença está na parte defensiva de seu meio campo, Airton, Willians e Maldonado possuiam excelente poder de marcação e rápida saída de bola. O chileno principalmente fazia uma proteção a frente da zada como poucos, hoje o time depende de Toró, logo a certeza de gols tomados é enorme. Airton tem muita facilidade em roubar a bola e sair em velocidade para o contra-ataque, apesar de toda qualidade de Kléberson, o jogador não possui o mesmo ímpeto do antigo jogador. Andrade terá que mostrar suas qualidades como treinador para ajustar o meio, ou reinventá-lo.

Além desses jogos, notei que o Corinthians entregou o ouro para a Ponte Preta na estréia do “seu lindo uniforme 3”. Que o Grêmio tropeçou contra o São Luiz e o Internacional não teve trabalho para vencer o Novo Hamburgo.