Mangia che ti fa bene

100Palmeiras26082014

Pensei em escrever umas linhas para parabenizar o centenário alviverde. Mas, nada melhor do que um autêntico palmeirense para explicar isso. Meu amigo Roberto Fradusco, explica aê!

Por Roberto Fradusco.

“Explicar a emoção de ser palmeirense, a um palmeirense, é totalmente desnecessário. E a quem não é palmeirense… É simplesmente impossível!”

A frase do genial Joelmir Betting resume o sentimento do torcedor do Palmeiras. Indescritível o orgulho de fazer parte da família palestrina, que canta e vibra – e chora – pelo nosso alviverde inteiro.

Chora de alegria, chora de tristeza, chora porque é passional. Ser palmeirense é mais que sentir, é assumir uma identidade: somos herdeiros daqueles primeiros italianos, que há um século fundaram o Palestra Itália. E como tais, somos barulhentos, adoramos comer, amamos a família e nos reunirmos para torcer pelo “Parmera”.

E, porca miséria, xingamos quando o maledeto atacante perde um gol, urramos quando Edmundo entorta mais um e derramamos o copo de vinho quando São Marcos pega o penalti de Marcelinho.

E entre uma sardella e outra, lamentamos mais uma contusão de Valdivia, rezamos para que nostra Santa Achirupita nos mande um novo Ademir da Guia e quase engasgamos com o “prosciutto” quando sentimos saudades do Tonhão.

E vamos em frente, que a macarronada está na mesa. É hora de brindar o grande Leivinha, de pedir por mais uma garfada de Parmalat, de sorrir com o chapéu de Djalminha.

E em meio ao barulho que é o almoço de domingo desta família italiana, ouço gritos por Rivaldo, Dudu, Julinho Botelho e até Galeano, aquele ragazzo caneludo, que se jogasse hoje era ídolo neste time de estrangeiros.

Mas eis que ao tirar as “bringela” do forno a nona deixa a travessa cair. Me lembrou os senhores Mustafá e Tirone, que também derrubaram “tutti”.

Enquanto isso o nono fala sozinho no terraço. Coitado, já ficou “pazzo”, como “il signore” Palaia, que se auto entrevistava.

Mas vamos lá que é hora da sobremesa. E que delícia é o tiramisù da tia Genoveva, quase tão gostoso quanto as comemorações do Paulo Nunes.

E um golinho de vinho licoroso para arrematar com classe, como fazia Evair.

E vamos ligar a TV que já são horas e hoje a Globo vai passar o Verdão. Mama mia! E vamos torcer e rir e chorar, e rezar para que essa família palestrina continue barulhenta a cada almoço e vibrando a cada gol.

Enquanto isso a mama já estica a massa, que hoje o dia termina em pizza para comemorar o centenário de nostro Parmera!

Grazzi, Palmeiras, pelas emoções nestes 100 anos!

Avanti para mais cem!

Anúncios

Uma despedida e o fim de uma italianada…

charge0260

Galera do blog, resolvi resgatar um assunto que não podia deixar passar batido, a despedida do Marcos. Resolvi resgatá-la porque a meu ver ela pode ser o início de uma reconstrução no Palmeiras.

Sobre o jogo, pouco posso acrescentar, foi uma partida repleta de craques, o jogo excelente de se ver e perceber que o futebol é muito mais gostoso de assistir em câmera lenta, sem essa correria desenfreada do futebol atual que atrapalha o espetáculo. Edmundo, Evair, Rivaldo, Djalminha, Edilson, Alex Cabeção mostraram talento de sobra com a gorduchinha, isso sem falar do mestre Ademir da Guia, com seus 70 anos esbanjou categoria.

A despedida do Marcos encerra um ciclo dentro do Palestra, um ciclo que iniciou com Felipão em 1999 e curiosamente terminou com o mesmo Felipão em 2012 após a conquista da Copa do Brasil.

Felipão trouxe aquela pitada italiana para dentro de campo o que fez a torcida simpatizar quase que imediatamente com o time. Consequentemente, diretoria entendeu que essa forma de lidar seria boa para ganhar a torcida. Logo, o time de origem italiana, voltava a ser italiano demais.

Para completar o maior ídolo dessa geração, era São Marcos, um sujeito despojado, sem papas na língua e adorado por qualquer boleiro e por qualquer torcedor, até os corintianos.

Contudo, o jeito italiano é muito querido, mas não pode deixar ele contaminar toda a gestão de uma empresa por um estilo, precisa de profissionalismo. O jeito italiano é muito emotivo, falastrão, uma grande bagunça, uma grande macarronada em família, onde todo mundo dando palpite, todo mundo querendo falar e ao mesmo tempo não falando nada e não decidindo nada.

E é assim que o Palmeiras se arrasta nos últimos 13 anos, de forma desorganizada, falando alto, com muita gente querendo mandar, de forma apaixonada as vezes.

A despedida de Marcos serve para tirar esse resquício dentro das quatro linhas, uma oportunidade para o Palmeiras diminuir essa “italianidade” do time. As novas eleições que ocorrerão, dá mostras de dois candidatos mais sensatos, mas acima de tudo precisa haver uma consciência de que aquele que assumir precisa do apoio de todos.

Daqueles que forem seus aliados, em apoiá-lo irrestritamente para o bem do Palmeiras e aqueles que forem oposição, que apenas fiscalizem afim de também reerguer o Palmeiras.

Talvez Marcos não saiba, mas sua despedida pode ter sido melhor do que ele esperava para o clube que tanto ama.

Que manchete hein, Ceni!

De Ulisses André Souza

Quem não tirou um sarro da falha do Rogério Ceni essa semana?! Até que sou são paulino caio no riso quando lembro ou vejo a cena. Não é para menos, foi trágico, e foi cômico.

Falo isso com tranquilidade, até porque “quem é Rei não perde a Majestade”, já vimos essa história acontecer antes, o “São” Marcos foi alvo de críticas amargas depois de um frango contra o Santo André pelo campeonato paulista de 2010, criticado inclusive pela torcida palmeirense, este cogitou em se aposentar pela pressão. Hoje ninguém mais se lembra, principalmente os palmeirenses que fazem até passeata e pedem a canonização do goleiro… dá para acreditar?! Só no Brasil mesmo.

Outro que já vi falhar, e feio, foi o ex-goleiro São Paulino, Zetti, que num jogo contra o Flamengo em 1993, ao invés de fazer uma defesa simples, que era só agachar e pegar a bola, deixou a gorduchinha bater em sua perna e entrar vagarosamente para as redes, enquanto este desabava. Por sorte hoje os saudosistas lembram de títulos mundiais e uma sequência de 5 defesas seguidas na Libertadores da América contra o Universidad do Chile.

Tendo estes dois exemplos, e mais um milhão, que não vem ao caso ficar apontando aqui, digo com total certeza. As falhas cairão no esquecimento perto de tantas glórias que o guarda-redes são paulino acumulou pelos anos.

Já analisando o futebol de uma maneira geral:

Quem comparou as ultimas rodadas com a desta semana uma coisa teve certeza, não faltaram gols, quem dirá golaços, como no caso de Neymar e Ganso. Um de fora da área do candidato a “rei” (rsrsrs), e um outro que parecia ensaiado entre a dupla Dinâmica santista, que após deixar Neymar de cara para o goleiro, este deu de presente o gol ao amigo.

Uma rodada que também pode se dizer diferente, pois vimos os líderes empatarem, mas quem veio atrás ou perdeu, ou também empatou, não ameaçando assim colocações. Numa soma dos fatores e num português bem abrasileirado, essa rodada não cheirou e nem fedeu!

Para a próxima rodada, honestamente, não sei se podemos aguardar grandes confrontos, apesar de alguns jogos como Santos x Corinthians, Atlético- MG x Botafogo e o Flamengo x Vasco. Eu diria que se for para assistir os jogos, estes serão os melhores.
Contudo, a outra rodada é a mais esperada, uma vez que vem os grandes clássicos regionais para selar o 1º turno do campeonato, e seja o que Deus quiser!

O São Paulo encara outro time na teoria fraco, embora a bagunça que anda o time, esta situação é subjetiva. Lucas que volta da seleção e que está com os dias contados no Tricolor é tido como a promessa… se ele cumprir a promessa já está bom!

Me despeço por aqui desejando como sempre um ótimo final de semana com muitos gols. Alguns vão chorar e outros vão sorrir, mas paixão pelo futebol, isso é unânime.

Rapidinhas do Camisa 10 – 08.08.2012

Levezinho cheio. Liédson, na sua apresentação no Flamengo, disse que está cheio de gás para queimar no novo clube. O levezinho pode dar certo e ajudar a criar espaços para Love, mas sua declaração a respeito do gás foi feita na hora certa, se fosse na época do Luxemburgo, o pofexô não ia gostar.

Parceria com o IBAMA… Falando no rubro-negro, Patricia Amorim descobriu como fará para o Flamengo não perder mais nesse campeonato, o elenco foi reforçado de 5 tatus e 6 topeiras, prontas para as vésperas das partidas em casa atuarem esburacando o gramado. Viva o jogo adiado.

Modo recontagem ativado. Jô disse que já marcou 7 gols no campeonato, só que 3 foram anulados equivocadamente, portanto é injusto ele estar longe do artilheiro Alecsandro na disputa. Ainda bem que não foi o Deivid que reclamou os gols que eles mesmo perdeu erroneamente, caso fosse, seria o artilheiro máximo do Brasileirão.

Troca troca interessante. São Paulo e Santos iriam promover uma troca interessante, Casemiro e Cícero por Ganso. Mais interessante para o São Paulo, mas interessante. Os jogadores seriam apenas emprestados, para ver se outros ares fariam Casemiro e Ganso recuperarem o bom futebol. Mas como disse no começo, iriam. A negociação melou.

Exemplo de punição. Breno parece estar vivendo dias terríveis na prisão, pelo menos segundo o relato da sua esposa. Nada contra o jogador, não vou julgá-lo, apenas quero deixar claro que fico “assustado” no bom sentido com o exemplo de punição aplicado na Alemanha. Sem direito a recorrer, converter em cesta básica, ou qualquer outra coisa do gênero.

Santa Heresia! Em compensação, o estatuto do Palmeiras tem tudo para cometer uma tremenda asneira e punir o ídolo São Marcos. O estatuto não permite que os sócios exerçam atividade remunerada para o Palmeiras. O problema é que Marcos foi atleta do time até o final do ano passado.

Ponto de vista… A imprensa esportiva é curiosa, se o Barcelona troca inúmeros passes de lado é genialidade, se a Coréia do Sul faz isso é falta de tato com a bola e não sabem o que fazem, agora se é o Brasil, a culpa é do calendário que não permitiu o técnico dar um padrão tático a seleção.

E o vento levou… Parece que Euller, o filho do vento está extremamente chateado com Fabiana Murer, após a atleta culpar seu pai pelo seu mau resultado, Euller disse que isso era impossível já que seu pai jogava dominó com ele no sitio da família no interior de Minas.

Capa anunciada. Mais uma da nossa querida imprensa, quem duvida que milhares de veículos de comunicação irão estampar a seguinte manchete amanhã: “Brasil avança para a final em busca de sua inédita medalha de ouro, e irá enfrentar seu maior carrasco dos últimos tempos”

Você sabia… que até o Roni da novela Avenida Brasil recusou jogar no Flamengo? O jogador disse que prefere virar estilista do que jogar no Flamengo. Que fase, hein Patricia?

Dúvida da semana. Nada contra Lucas, nem tampouco algo contra Oscar. Mas se um vale, R$ 113 milhões e outro R$ 80 milhões, quanto será pago por Neymar, a jóia santista?

Dúvida da semana 2. Se dentro de um estádio, estivermos Mick Jagger torcendo para um time e Patricia Amorim para o outro é possível terminar -1 x -1?

Rapidinhas do Camisa 10 – 06.06.2012

Enfim, a Galoucura. Parece que Kalil resolveu fazer valer o nome da principal torcida organizada do Atlético-MG, de uma leva só trouxe Jô e Ronaldinho Gaúcho, a dúvida é se Kalil sabe mesmo o que está fazendo com o seu querido ou clube, ou se ele resolveu investir na vida noturna de Belo Horizonte e trouxe potenciais usuários.

O problema do querer. Ainda falando sobre o Gaúcho, o jogador pode atuar centralizado no 4-2-3-1 ou aberto na esquerda como atacante em um 4-4-2 a moda inglesa com wingers. Pelo estilo de jogo do Galo e de Ronaldinho aposto que a segunda opção seria mais favorável. O problema é saber se ele vai querer jogar.

O famoso noves fora. O Corinthians está com um problema crônico com a camisa 09, além de ter que aceitar pagar uma multa para Adriano para se livrar de vez desse problema, agora é a vez do clube ficar indeciso sobre qual decisão tomar sobre Liédson. A dúvida é, age racionalmente e não renova o contrato com o atacante, ou age com emoção e faz uma proposta de renovação pelo atacante “sem cartilagem”.

Copa do Mundo sem o trio sulamericano. Vai começar a Eurocopa, entre Alemanha, Espanha e Holanda como favoritos, fiquem de olho na França. A seleção chega tinindo para a competição, enquanto alguns parecem ainda se encontrar, e em uma competição de tiro curto, chegar tinindo é fundamental.

Craques das crianças. Em mais uma dessas pesquisas, foi feito um levantamento dos craques dos grandes clubes dos últimos dez anos. Vejam os eleitos: Conca (Flu), Romário (Vasco), Petkovic (Fla), Loco Abreu (Bota), Marcos (Pal), Ceni (SP), Ronaldo (Cor), Neymar (San), Alex (Cru) e Fernandão (Inter). A pesquisa foi restrita a esses dez times.

O jeito é fingir que joga. O Flamengo parece que conseguirá economizar um “dinheirinho” daqui pra frente, a idéia é conseguir pagar a classificação para a Libertadores que está em atraso. Será que pode descontar o vexame da eliminação precoce?

Falando em pindaíba No co-irmão Vasco a situação é tão assustadora quanto no Flamengo. O time pode perder de uma vez só Renato Silva, Felipe Bastos e Edér Luís, todos em fim de contrato e o clube sem um centavo no bolso para ao menos negociar a renovação dos empréstimos.

Pouco futebol mesmo Mano falou, falou e não disse nada sobre a derrota para o México. Além da batata dele, Danilo, Juan, Sandro e Damião precisam também acordar, estão jogando fora suas chances de conquistarem um espaço na amarelinha sem sal.

Promessa é dívida Após eliminar o Barcelona, o volante Ramires havia prometido que caso o time fosse campeão, iria gravar uma versão de Para a nossa alegria com ele cantando. Ramires, só para eu lembrar, quem foi campeão da Champions mesmo? Cadê o vídeo?

Estão acabando as opções. Com Ronaldinho no Galo, Seedorf no Botafogo e Ganso assinando um novo contrato pelo Santos, resta para o Corinthians apenas Robinho, Pato, Kaká e Forlan. Pensando bem, resta só o Pato, ou melhor chegou o Romarinho, vai.

Só para não dizer que disse Enquanto o Galo decidiu comprar alguns medalhões para montar o time, o rival está contratando de atacado, sinceramente perdi as contas de quantos jogadores o Cruzeiro trouxe para este campeonato brasileiro, a minha dúvida qual estratégia dará mais errado, trazer um monte em cima da hora, ou trazer errado em cima da hora?

Dúvida da semana. Qual cidade está melhor preparada? Barueri, para sobreviver a Jóbson e Paraíba ou Belo Horizonte para superar Ronaldinho e Jô?

O nosso camisa 12 parou!

E um mito parou! Um não, o.

Marcos não foi ídolo por acaso e muito menos pelo seu talento dentro de campo.

Apesar de excelente goleiro, Marcos cultivou um carisma próprio ao longo da sua carreira, uma forma única de lidar com o torcedor, que o tornava quase um figurante da arquibancada.

Marcos soube ser um personagem tão comum, que aproximava o torcedor do dia a dia da vida de um jogador. Uma vida tranqüila, que não precisava de badalação para se promover e muito menos de jogadas mirabolantes. Marcos ganhou o Brasil apenas sendo ele mesmo.

Não foi fácil ser ele mesmo, quantas vezes ele abriu mão de sonhos ou de oportunidades mais vantajosas financeiramente por acreditar em um ideal ou simplesmente por respeitar demais o clube que o lançou.

Marcos é um personagem de uma camisa só, a camisa 12 do Palmeiras. Mesmo assim, cativou o carinho de todos os torcedores. Não existe um torcedor de qualquer time que não goste da figura Marcos.

Que Marcos sirva de exemplo para vários jogadores que surgem no Brasil, que lições sobre respeito e principalmente sobre caráter sejam compreendidas por todos.

Ninguém precisa ficar 20 anos em um clube para demonstrar todo seu respeito e carinho por um clube, mas diversas demonstrações de Marcos ao longo da carreira mostram o que se espera de um jogador de caráter.

Marcos vai fazer falta no futebol, por seu jeito espontâneo, fugindo da regra do discurso programado e da etiqueta futebolística. Mais do que isso, Marcos vai deixar seqüela, um vazio no futebol que poucos terão coragem de substituir.

Obrigado São Marcos, por toda a contribuição ao futebol e principalmente por toda contribuição na formação das pessoas.

Marcos é um ídolo! Um ídolo palmeirense, um ídolo brasileiro. Nosso eterno camisa 12!!E um mito parou! Um não, o.

Marcos não foi ídolo por acaso e muito menos pelo seu talento dentro de campo.

Apesar de excelente goleiro, Marcos cultivou um carisma próprio ao longo da sua carreira, uma forma única de lidar com o torcedor, que o tornava quase um figurante da arquibancada.

Marcos soube ser um personagem tão comum, que aproximava o torcedor do dia a dia da vida de um jogador. Uma vida tranqüila, que não precisava de badalação para se promover e muito menos de jogadas mirabolantes. Marcos ganhou o Brasil apenas sendo ele mesmo.

Não foi fácil ser ele mesmo, quantas vezes ele abriu mão de sonhos ou de oportunidades mais vantajosas financeiramente por acreditar em um ideal ou simplesmente por respeitar demais o clube que o lançou.

Marcos é um personagem de uma camisa só, a camisa 12 do Palmeiras. Mesmo assim, cativou o carinho de todos os torcedores. Não existe um torcedor de qualquer time que não goste da figura Marcos.

Que Marcos sirva de exemplo para vários jogadores que surgem no Brasil, que lições sobre respeito e principalmente sobre caráter sejam compreendidas por todos.

Ninguém precisa ficar 20 anos em um clube para demonstrar todo seu respeito e carinho por um clube, mas diversas demonstrações de Marcos ao longo da carreira mostram o que se espera de um jogador de caráter.

Marcos vai fazer falta no futebol, por seu jeito espontâneo, fugindo da regra do discurso programado e da etiqueta futebolística. Mais do que isso, Marcos vai deixar seqüela, um vazio no futebol que poucos terão coragem de substituir.

Obrigado São Marcos, por toda a contribuição ao futebol e principalmente por toda contribuição na formação das pessoas.

Marcos é um ídolo! Um ídolo palmeirense, um ídolo brasileiro. Nosso eterno camisa 12!!