Viva o futebol bonito, feio, forte e fraco…

ENTRENAMIENTO DEL ATLETICO EN MAJADAHONDA

O Twitter é ótimo porque rende um monte de ideias sobre o que escrever no blog. Aliás, para quem ainda não conhece, favor seguir clicando aqui.

E ontem eu vi muitas pessoas revoltadas com o Atlético de Madrid passar! Que aquilo era uma afronta ao futebol bonito e isso e aquilo outro.

A sensação que fiquei é que o povo não consegue olhar o resultado do time de Simeone sem criticar o do Bayern ou do Barcelona, ambos eliminados pelo Atletico. Como se a vitória do Atlético, fosse a nova eliminação da seleção de 82.

Que todo mundo passasse a crer que o melhor era jogar igual ao Atlético ao invés de Barcelona e Bayern. Pera lá, né, pessoal. Não vai ter golpe no futebol mais, todo mundo sabe que o futebol praticado pelo Barça e pelo Bayern são muito mais bonitos e vitoriosos e nenhum momento alguém vai levantar bandeira de que o legal é jogar igual ao Atlético ou mesmo igual ao Leicester que escrevi ontem.

Não adianta esperar que um time que sabe que é inferior tecnicamente vá para o combate franco. Futebol não é só amistoso, ou partida exibição, é competição também. O inferior joga para não deixar o outro jogar, enquanto o superior tenta a todo custo impor sua supremacia convertendo os gols.

A questão é que mais uma vez, o futebol mostra o seu viés, extraordinário de permiitir ao mais fraco vencer, ou nesse caso ao mais feio. Por mais Barças, Bayern, Atleticos e Leicester no futebol.

Anúncios

Vai Leicester!!

ranieri

E o Leicester se sagrou campeão da Premier League.

O feito que talvez muitos ainda não tenham entendido o tamanho da realização, aconteceu ontem sem o time sensação precisar jogar. O empate entre Tottenham e Chelsea por 2×2 deu o título antecipado para o time inglês.

Acho que repetir a história que vocês já tem lido em todos os sites por aí, não se faz necessário, todo mundo já entendeu que no ano passado, o time briga para não cair e agora é o campeão. Mas, diferente do Fluminense em 2009-2010, o Leicester em 15-16, trouxe aquilo que só futebol permite, a surpresa.

Diferentemente dos grandes esportes coletivos, o futebol é o único que dá esperança ao mais fraco vencer o mais forte, mesmo quando a disparidade entre os times é abissal, como Mazembe x Inter, Mirassol x Palmeiras e tantas outras zebras que poderiam ser listadas aqui.

A questão do grande feito do time inglês é que ele provou essa máxima no pior cenário possível, durante uma competição de pontos corridos. É como se ao invés do Hercules, tivessem mandado o Ranieri para fazer os doze trabalhos do rapazinho filho de Zeus. E Ranieri e sua “tropinha” venceram todos eles.

Ranieri, Kante, Vardy, Mahrez e companhia levaram o futebol a um nível intangível para os outros esportes, agora é realmente sabido que em qualquer situação, qualquer que seja a dificuldade, o futebol permite essas histórias grandiosas.

Para mim, é difícil mensurar, mas o Leicester talvez tenha nos proporcionado o maior feito da história do futebol e que talvez nunca se repetirá. E Ranieri naquele choro contido após a vitória sobre o Sunderland, parece que já sabia o tamanho do feito.

Vai Leicester!!

De volta aos trabalhos!!

msn

De volta aos trabalhos!

Depois de um periodo com muitas dificuldades de acesso a Internet, além de pouca coisa interessante para se escrever nesse início modorrento dos estaduais e pela primeira vez no blog seguindo o mantra que o ano só começa depois do Carnaval, aí vamos nós.

Para atualizar o blog e deixar ele mais próximos dos últimos acontecimentos, vamos passar um apanhado geral para ficar no mesmo instante.

Apesar de não ter rolado o Inglesão essa semana, queria dar um destaque para o campeonato que dá grandes indícios que teremos um time diferente do normal levantando a taça. Pelo futebol apresentado, tanto Leicester quanto Tottenham possuem grandes chances, além disso, Tite falar do Leicester foi mais uma daquelas declarações de Tite com oportunismo e onde eles habilidosamente envolve toda a imprensa.

No nosso Brasilzão, a sensação que o Tite possui uma capacidade impar de engajar o grupo, o time ainda está naquela fase, vence mas não convence, mas foi assim no início do Brasileirão passado, a tendência mostra-se excelente para a torcida.

Já o meu tricolor padece de gente com vontade de estar no Sâo Paulo e tanto faz se é porque torce ou porque quer, mas principalmente alguém que queira aproveitar a chance da camisa e realmente fazer história em time grande, sabe aquela famosa frase “uns estão pela glória e muitos pelo dinheiro”, então.

Já Marcelo Oliveira me faz pensar qual realmente é o seu potencial, seu curriculo é vencedor, mas minha expectativa era de alguém com uma proposta de jogo mais bonita, mas por enquanto, parece que foi apenas uma oportunidade que teve no Cruzeiro, sua vontade é apenas de ganhar, jogar talvez.

Ao que tudo indica, ainda não vi jogo de ninguém fora do Eixo RJ-SP, apenas me baseando em melhores momentos, que o Galo começa o ano com o melhor futebol tupiniquim

Voltando para a Europa, para mais dois comentários, que bom que temos Champions e como jogam bola o trio MSN, até pênalti a la Cruyff teve, sim eu sei que todo mundo fala isso, mas queria deixar registrado mais uma vez no meu blog.

A Lista de 59 jogadores do Ballon D’or!

f1bcf

E saiu uma lista de 59 jogadores indicados para o prêmio Balon D’or da Fifa!

São 59 atletas distribuidos por 25 países. 13 da Europa (28), 6 da América do Sul (22), 2 Ásia (2), 2 da África (4), 1 da América do Norte (2) e 1 da Oceania (1).

Argentina com 6 jogadores lidera as indicações, seguido de Chile e Espanha com 5 cada.

Logicamente, todo mundo sabe que a disputa será entre CR7, Messi e mais um. Porém é interessante ver como evolui a lista, que passará a ter 23 nomes, para depois dez e por fim os três finalistas.

Fica claro também algumas questões políticas como a indicação de Luongo do QPR para ter alguém da Oceania, assim como os dois asiáticos.

Nosso país está mandando 3 jogadores nessa lista, Coutinho, Neymar e William. Para mim, incluindo Marcelo, formam as melhores peças de uma seleção brasileira.

Fiz o exercício de montar minha seleção do mundo com os indicados, confira:
Neuer, Sergio Ramos, Chiellini, Otamenti, Alaba, Kroos, Rakitic , Neymar, Messi, Hazard, Crisitano Ronaldo.

Nesse exercício, constatei que a defesa é uma piada, improvisei Sergio na direita, já que ele começou lá, mas tive a certeza de que não indicaria nunca Otamendi e Chiellini.
Percebi que faltou Godin, Varane, Hummels, enquanto sobraram Otamendi, Ospina, Medel, Morata, Luongo.

Confira a lista
ALEMANHA: Kroos (Real Madrid), Müller (Bayern), Neuer (Bayern).
ARGENTINA: Agüero (City), Mascherano (Barcelona), Messi (Barcelona), Otamendi (Valencia-City), Pastore (PSG), Tévez (Juventus-Boca).
AUSTRALIA: Luongo (QPR).
AUSTRIA: Alaba (Bayern).
BÉLGICA: Courtois (Chelsea), De Bruyne (Wolfsburg-Manchester City), Hazard (Chelsea).
BRASIL: Coutinho (Liverpool), Neymar (Barcelona), Willian (Chelsea).
CHILE: Bravo (Barcelona), Medel (Inter), Alexis Sánchez (Arsenal), Vargas (QPR-Hoffenheim), Vidal (Juventus-Bayern).
COLOMBIA: Bacca (Sevilla-Milan), Jackson Martínez (Porto-Atlético Madrid), Ospina (Arsenal), James Rodríguez (Real Madrid).
COREIA DO SUL: Son (Leverkusen-Tottenham).
COSTA DO MARFIM: Bony (Swansea-Manchester City), Touré Yaya (Manchester City).
CROACIA: Modric (Real Madrid), Rakitic (Barcelona).
ESPANHA: Diego Costa (Chelsea), De Gea (Manchester United), Iniesta(Barcelona), Morata (Juventus), Sergio Ramos (Real Madrid).
FRANCÊS: Benzema (Real Madrid), Griezmann (Atlético Madrid), Lacazette (Lyon), Pogba (Juventus).
GALES: Bale (Real Madrid).
GANA: Atsu (Everton-Bournemouth), Ayew (Marseile-Swansea).
HOLANDA: Depay (PSV-Manchester United), Robben (Bayern).
INGLATERRA: Kane (Tottenham), Rooney (Manchester United).
ITALIA: Chiellini (Juventus), Pirlo (Juventus-New York City).
JAPÃO: Ozakazi (Leicester City).
MÉXICO: Giovani dos Santos (Villarreal-LA Galaxy), Guardado (PSV).
PERÚ: Guerrero (Corinthians-Flamengo).
POLONIA: Lewandowski (Bayern).
PORTUGAL: Cristiano Ronaldo (Real Madrid).
SUECIA: Ibrahimovic (PSG).
URUGUAI: Cavani (PSG), Sánchez (River Plate), Luis Suárez (Barcelona).

E aí, gostaram?