Seleção não é apenas para jogar, é para defender…

Cacau6201

E Rafinha pediu dispensa da seleção brasileira.

E não foi por causa de um pedido do clube, uma festa imperdível, por não gostar do Dunga ou qualquer outra coisa mirabolante que alguns já usaram para pedir a dispensa.

Rafinha disse que prefere buscar uma chance na seleção alemã. Segundo ele, as chances dele na seleção brasileira são pequenas, ele só teria chance em eventuais contusões dos principais laterais direitos, enquanto na Alemanha, pelo seu histórico no Bayern e sua proximidade e convivência com Lahm, sua chance de fazer parte do grupo é muito maior.

Do ponto de vista racional, a escolha de Rafinha é perfeita. Como um profissional de RH, digo que ele olhou perfeitamente todas as variáveis para escolher a melhor opção de carreira para ele.

É fato que sua chance de jogar uma Copa pela seleção alemã atuando no Bayern é maior do que atuar no Brasil, o problema todo é, desde quando atuar por uma seleção nacional se tornou algo tão frio assim? O pensamento de Rafinha foi metódico, foi racional, mas completamente longe da expectativa que se tem por quem vai vestir a amarelinha ou por representar qualquer outro país.

É diferente dos casos dos brasileiros Cacau e Kuranyi, ambos construíram uma história dentro da Alemanha e optaram pelo coração, pela identificação.

Acho natural a globalização trazer casos como o de Januzaj por exemplo, a promessa do Manchester que tem a possibilidade de atuar por várias seleções diferentes devido a sua história. É um caso atípico hoje em dia, mas com grande chance de ser mais recorrente daqui para frente.

Mas nesses casos, inclusive a formação do atleta e a escolha são levado pelo lado sentimental, basicamente a escolha do jogador é, qual país eu quero defender?

Rafinha pode ter se expressado mal, mas sua escolha adota critérios técnicos, sem coração, sem sentimento, apenas porque lá ele vai poder jogar.

Zoropeando um pouquinho..

Fazia muito tempo que não falava nada sobre o futebol no velho continente. Bom resolvi fazer uma apanhado geral sobre os campeonatos que eu considero os principais. Vamos lá:

Campeonato Alemão: Como sempre na Bundesliga, o campeonato está acirradíssimo dessa vez com menos clubes disputando a ponta, mas acirrado. Leverkusen, Bayern de Munique e Schalke 04 seguem na disputa do caneco.
O Leverkusen que conta com o brasileiro Renato Augusto (ex-Flamengo) vem fazendo uma campanha surpreendente, primeiro porque nos últimos anos brigou contra o rebaixamento e segundo que até o final da 22ª rodada o time segue invicto. Destaque para Kiessling, artilheiro do campeonato e o meia Kroos.
No Bayern Munchen, seu principal jogador na minha opinião é Arjen Robben, o jovem atacante Muller também merece atenção, assim como o zagueiro artilheiro-grosso Van Buyten. Minha torcida é contra o título do time bávaro, porque Van Gaal é o treinador.
O Schalke dos postulantes ao título é o que possui o maior número de brasileiros, 5 (Rafinha, Bordon, Mineiro, Zé Roberto e um desconhecido Edu), além do brasileiro naturalizado alemão Kevin Kuranyi. Kuranyi e Farfan estão em sintonia, juntos foram responsáveis por mais da metade dos gols feitos do time. Minha torcida fica levemente para o Schalke devido ao elenco recheado de brasileiros.

Campeonato Espanhol: Na Espanha, um abismo profundo separam Real e Barça dos demais, na verdade, na pirâmide, o Barça segue intocável no topo, o Real se tornou uma boa sombra, mas como toda sombra não assusta, e Sevilla e Valencia seguem sua vida de disputar terceiro e quarto. Por um longo tempo, nada disso irá mudar na terra das touradas.
Do lado da Catalunha, vale destacar que na vitória de ontem o jovem brasileiro Thiago (filho do ex-jogador Mazinho) fez seu primeiro gol como profissional. De resto, o time do Barcelona por si só, já é um destaque.
Do lado Madrilenho, a equipe ainda não está com o ajuste fino, o time continua vencendo pela qualidade individual de suas estrelas do que pelo trabalho em equipe de grandes craques. Kaká segue questionado no clube merengue, aliás no atual momento, só o argentino Higuáin escapa, sua regularidade impressiona.

Campeonato Inglês: O Chelsea abriu uma vantagem razoável ao final da 27ª rodada, mas Manchester e Arsenal ainda tem chances. O impressionante é que neste momento os três times possuem a mesma quantidade de gols feitos, 63. A sutil diferença na posição do time está no centro avante de cada um.
No Chelsea, Drogba nessa reta final tem literalemente decidido todos os jogos, o marfinense está no auge da sua forma física e o Brasil que fique atento. Está encostando rapidamente em Rooney na disputa pela artilharia do campeonato.
No Manchester, o Shrek (Rooney) também está decidindo tudo para os Diabos Vermelhos, porém na rodada passada faltou perna para ele e o Manchester tropeçou. A tabela ajuda um pouco o time de Sir Fergunson, mas o clássico servirá para dizer quem leva o caneco.
Correndo por fora segue o Arsenal, o time que possui o futebol mais bonita da terra da rainha, sente a falta de um camisa 09 decisivo, essa foi a diferença que fez o time não vingar nos clássicos, Adebayor está fazendo falta ao time.

Campeonato Italiano: Na velha bota, a velha hegemonia impera. Inter de Milão segue firme para levantar mais um caneco. Roma faz uma campanha surpreendente, Milan e Juventus tentam virar um time e nessa alguns times de menor expressão podem surpreender e roubar uma vaga na Champions.
O time de Mourinho segue sobrando no campeonato, o time só perde pontos quando ele mesmo se complica, fora isso segue soberano no Calcio. Milito mostra que é um artilheiro nato, o cara faz muitos gols, gosto muito do Sneijder jogador fora de série.
Na Velha Senhora, falta embalar de vez, por muitas vezes, o time parece que vai e de repente tropeça. Amauri está voltando a jogar bem e pararam de atormentar o Diego, pelo jeito dessa vez, parece que vai. Será?
Os rossoneros seguem como uma incógnita, na minha opinião Leonardo deveria conciliar a agenda de treinamentos com a agenda das baladas do Gaúcho, assim o time teria mais sucesso. O Milan precisa de uma reformulada no elenco, mais precisamente de uma rejuvenescida.

Em resumo, do que tenho acompanhado, Barcelona, Chelsea, Inter de Milão e Manchester United, nessa ordem, estão acima dos demais times. E vocês, o que destacariam do Velho Continente?