Porque quem cuida, não tem uma solução para o calendário?

Maracana060516

Estava entre reclamar da pausa da Libertadores, ou sobre o fato de pela primeira vez, não temos nenhum técnico brasileiro entre os 08 finalistas da competição sulamericana, ou sobre a falta de jogadores em seus times durante as competições ao longo do ano.

Mas tudo tem a ver com calendário, tudo. Inclusive a ausência de treinadores, já que os nossos estão formando os times, enquanto os demais já estão no meio da temporada.

Sinceramente, como aceitamos que as duas principais competições não durem a temporada inteira? Uma dura só 5  meses e a outra só 7 meses. Já está mais que na hora de olhar o calendário de maneira atrativa. Klopp, já que disse que só maluco quer treinar um time no Brasil, é impossível preparar um time taticamente com o calendário daqui.

Sou a favor de montar o calendário no Brasil da seguinte forma, Campeonato Brasileiro com 8 divisões, as três primeiras nacionais e as restantes regionais. Nas nacionais nada de novo, assim como já é, apenas incluiria mais dois times por divisão. Seriam 22 na A, B e C, totalizando 66 times.

Nas ligas regionais, os times se dividiriam nas 5 regiões do Brasil, Norte, Nordeste, Centro Oeste, Sudeste e Sul, cada regional com 16 times, os dois melhores de cada regional subiriam para a divisão acima, assim como os dois piores cairiam para a inferior.

Libertadores de Junho a Junho ou de Janeiro a Janeiro como preferir e no mesmo formato atual. Copa do Brasil da mesma forma, ao longo de todo o ano. É o fim dos estaduais, eles virariam os regionais,cada time jogaria em média 60-65 jogos, com tempo para pré temporada, amistosos para troca de conhecimentos e férias reais para os jogadores.

Poderia até olhando bem o calendário, fazer o torneiozinho estadual com 08 datas, um mata-mata rápido, entre os melhores de cada divisão do estado. O melhor da primeira, mais o melhor da segunda, mais o da terceira, assim até a oitava.

Isso permitira nossos comandantes realmente terem o tempo necessário para impor seus conhecimentos táticos, pois teriam mais vezes “semanas” para trabalhar o time. Poderiamos respeitar as datas Fifas e parar o campeonato sem prejudicar nenhum clube com a perda de atleta.

Eu sei o quanto de interesse imediato e mesquinho tem nisso. Mas fica claro que soluções para resolver todo mundo tem, eu em menos de uma hora, já achei uma. Porque quem cuida, não tem uma solução para o calendário?

Acho que essa resposta tudo mundo também tem a sua…

Anúncios

Obrigado Klopp!!

Klopp_comemorando

E o que aconteceu no Anfield ontem?

Nada melhor para essa época de renovação dos votos, renovarmos os nossos votos apaixonados pelo futebol. A virada épica que o Liverpool proporcionou em cima do Dortmund é mais um daqueles jogos que ficam para a história, e nos serve para mostrar que não é somente um esporte.

E se o Liverpool já fez algo parecido em 2005 em uma final de Champions, ele resolveu repetir como uma dose de novela das 21h para os espectadores. No banco de reserva, havia Jurgen Klopp. O treinador que recolocou o Dortmund na conquista de títulos, começa a trilhar seu caminho na terra dos Beatles.

Além disso, ambas as torcidas tem o mesmo cântico, You’ll never walk alone, traduzindo, você nunca andará sozinho. E ontem, essa música foi entoada pelas duas torcidas em homenagem a Klopp, quem imaginaria ao final do jogo que um clube teria esse respeito pelo ex-treinador.

Klopp junto de Tuchel proporcionaram um grande jogo para todos, principalmente para nós que apenas apreciamos a partida. Renovamos nosso espírito futebolístico e sabemos que nem eu, nem você, nem Klopp, nem ninguém estará sozinho nessa caminhada pelo futebol.

Obrigado Klopp.

Tratando apenas a superfície…

Klopp

Galerinha do blog, como todo mundo tenho um pouco de impaciência com os estaduais, minha vontade é que tudo fosse um grande brasileirão ao longo do ano todo, onde os estaduais seriam as ligas regionais que levariam os pequenos a almejar aparecer nos grandes campeonatos nacionais.

Porém, por enquanto é só manifestação e zero mudança e não necessariamente a manifestação que é necessária, mas isso não vem ao caso, o enfoque aqui é outro.

Compartilhando um pouco sobre a dificuldade de nosso calendário e o formato amador de muitas coisas ainda, vi um dado que me deixou mais estarrecido ainda. Trata-se de uma conversa com Klopp e se ele tinha alguma vontade de treinar um clube brasileiro.

Klopp foi direto, apesar de ter admiração pelo futebol brasileiro, acha impossível atualmente alguém querer ser treinador no Brasil, um país segundo ele que demite técnico com menos de 2 meses de trabalho. Primeiro, achei interessante, como ele está antenado com a realidade brasileira, depois é lógico a constatação de mais uma goleada que sofremos.

Basta ver que o próprio Klopp é o 20º treinador da história do Liverpool. Um clube com “apenas” 123 anos (completará 124 em junho). 20 treinadores diferentes em 123 anos. 123 A N O S.

Se você olhar os últimos 30 anos do seu clube, provavelmente ele terá passado esse número, alguns chegam a ter mais de 30 treinadores durante esse periodo. Como que um treinador consegue impor sua filosofia.

Basta ver que tem técnico com menos de 2 meses já sendo questionado no comando, e técnico com título recente sendo demitido. A questão é muito mais profunda e preferimos assim como nas manifestações tratar apenas a superfície do problema e não o real problema.

O poste segue mijando no cachorro, e achamos que só trocar o cachorro resolve.

Os melhores treinadores do mundo!

6-Parreira

E ontem a revista FourFourTwo publicou a sua lista dos 50 melhores técnicos do mundo.

E adivinha quantos brasileiros nela?

Isso mesmo, nenhum. nadinha. Até um congôles entrou na lista e nossos professores nem aparecem nela. O único do Brasileirão que aparece é El Profe Osório do São Paulo, colombiano. Aliás, entre os 50 temos 08 da América do Sul, 5 da Argentina, 1 uruguaio, 1 chileno e o colombiano Osório.

5 países detém 30 desses melhores treinadores, França e Espanha com 6, Argentina, Alemanha e Itália com 5. Nesse grupo de países percebe-se que todos já foram campeões mundiais, restando apenas Uruguai, Inglaterra e Brasil. O Uruguai tem entre os 50, o próprio treinador da Celeste, Oscar Tabarez. Já Brasil e Inglaterra não emplacaram ninguém na lista.

E olha que a revista é inglesa, portanto a ausência deles também é crítica, contudo vamos ficar com o que nos pertence, ou melhor o que nos falta.

Quando vemos franceses, espanhóis, argentinos, alemães e italianos dominando a relação, vemos as escolas desses países sendo disseminadas pelo mundo afora, enquanto nós brincamos de Coréia do Norte do futebol, nos fechamos para o novo e não aceitamos nosso retrocesso.

Para quem acha que é apenas uma lista feita lá na Europa, olhe que tem técnico de time australiano, de time da MLS, de dois times argentinos, de seleção do Congo e até do concorridíssimo campeonato norueguês.

O nosso 7×1 segue, sem nenhuma perspectiva de recuperação.

Veja a lista dos 50 melhores técnicos do mundo:

50º) Florent Ibenge (congolês) – Vita Club-RDC/República Democrática do Congo
49º) Juan Carlos Osorio (colombiano) – São Paulo
48º) Pavel Vrba (tcheco) – República Tcheca
47º) Hein Vanhaezebrouck (belga) – Gent-BEL
46º) Bruce Arena (norte-americano) – Los Angeles Galaxy-EUA
45º) Tony Popovic (australiano) – Western Sydney Wanderers-AUS
44º) Gian Piero Gasperini (italiano) – Genoa-ITA
43º) Slaven Bilic (croata) – West Ham-ING
42º) Herve Renard (francês) – Lille-FRA
41º) Lars Lagerbäck (sueco) – Islândia
40º) Markus Weinzierl (alemão) – Augsburg-ALE
39º) Ange Postecoglou (australiano) – Austrália
38º) Myron Markevych (ucraniano) – Dnipro-UCR
37º) Frank de Boer (holandês) – Ajax-HOL
36º) Rafa Benítez (espanhol) – Real Madrid-ESP
35º) Manuel Pellegrini (chileno) – Manchester City-ING
34º) Antonio Conte (italiano) – Itália
33º) Sergei Rebrov (ucraniano) – Dynamo de Kiev-UCR
32º) Vicente Del Bosque (espanhol) – Espanha
31º) Marcelo Gallardo (argentino) – River Plate-ARG
30º) Jocelyn Gourvennec (francês) – Guingamp-FRA
29º) Giampiero Ventura (italiano) – Torino-ITA
28º) Didier Deschamps (francês) – França
27º) Roger Schmidt (alemão) – Bayer Leverkusen-ALE
26º) Jorge Sampaoli (argentino) – Chile
25º) Dieter Hecking (alemão) – Wolfsburg-ALE
24º) Bob Bradley (norte-americano) – Stabaek-NOR
23º) Mircea Lucescu (romeno) – Shakhtar Donetsk-UCR
22º) Edgardo Bauza (argentino) – San Lorenzo-ARG
21º) José Pekerman (argentino) – Colômbia
20º) Marcelino (espanhol) – Villarreal-ESP
19º) Oscar Tabarez (uruguaio) – Uruguai
18º) Phillip Cocu (holandês) – PSV Eindhoven-HOL
17º) Lucien Favre (suíço) – Borussia Monchengladbach-ALE
16º) Louis van Gaal (holandês) – Manchester United-ING
15º) Jorge Jesus (português) – Sporting-POR
14º) Rudi García (francês) – Roma-ITA
13º) Ronald Koeman (holandês) – Southampton-ING
12º) Leonardo Jardim (português) – Monaco-FRA
11º) Arsene Wenger (francês) – Arsenal-ING
10º) Laurent Blanc (francês) – Paris Saint-Germain-FR
09º) Carlo Ancelotti (italiano) – sem clube
08º) Joachim Löw (alemão) – Alemanha
07º) Unai Emery (espanhol) – Sevilla-ESP
06º) Jurgen Klopp (alemão) – sem clube
05º) Massimiliano Allegri (italiano) – Juventus-ITA
04º) Diego Simeone (argentino) – Atlético de Madri-ESP
03º) Luis Enrique (espanhol) – Barcelona-ESP
02º) Josep Guardiola (espanhol) – Bayern de Munique-ALE
01º) José Mourinho (português) – Chelsea-ING

Treino é jogo, e jogo é treino!

Mourinho 11032015

Vire e mexe releio alguns trechos do livro “Mourinho, porquê tantas vitórias?” e sempre me pego nas questões sobre como ele conduz seus treinamentos. Isso porque o livro é de 2006, muito antes dele se tornar o Special One.

Seus métodos quando começou eram bem diferentes dos técnicos da época. Não sei quantos hoje, pensam futebol igual, talvez vários, e também não tenho ideia de quantos copiam seu jeito de trabalho, talvez alguns, principalmente porque não é tão simples.

Apesar de Mourinho, trazer seus treinamentos apenas para aquilo que se refere ao jogo. Sem necessidade de treinos específicos, ou modelos antigos de treinos em campo. Seus treinamentos se referem as questões de jogo, a reproduzir situações de jogo, algo que Tite aqui no Brasil repete muito, mostrando que sua Titebilidade vem da Escola Mourinho.

O que Mourinho faz para mim dentro da literatura que já vi dele, mais alguns depoimentos dos atletas que passaram por ele é derrubar o ditado “treino é treino, jogo é jogo”.

Para Mourinho, Treino é jogo, e jogo é treino.

Aliás, quero só fazer um adendo a partir de agora, estou mencionando Mourinho, pois a maior parte da literatura que vi foi sobre ele. Tenho certeza que propostas de jogo diferente, mas o pensamento sobre esse ditado é igual a todo grande treinador. Guardiola, Klopp, Sampaoli, Bielsa, Simeone que são atualmente os melhores para mim também se baseiam nessa remontagem do ditado.

Digo que a partir de agora, é no treino que todas as situações de jogo possíveis devem ser testadas, não adianta eu apenas montar o esquema e treinar exaustivamente, eu preciso mostrar ao jogador o porque daquele posicionamento, como aquele posicionamento será usado na próxima partida, quem será seu adversário ou suas responsabilidades no próximo jogo.

Eu preciso garantir que no treino ele saia pronto para o jogo, porque fiz do treino uma reprodução do jogo. Logo o treino passa a ser um jogo também. Quem não se lembra da declaração de Thomas Muller, meia do Bayern, quando disse que os treinos dele no Bayern (já na era Guardiola) são por muitas vezes mais difíceis do que os jogos.

E aí, seu treinador, anda fazendo do treino só um treino, ou jogo real?

Taca lhe pau nesse controle, Marcos!!

Seguindo nossa querida ajuda para o fim de semana, vamos as sugestões de programação para o fim de semana.

Lembrando que não me responsabilizo por fim de matrimônio, roubo da pilha do controle e qualquer outra represália que qualquer indivíduo venha a sofrer por seguir tão nobres recomendações.

Sexta – 26/09

21h50 (Série B) – Vasco x Joinville: 4º lugar x 1º lugar, duelo do time mais badalado da serie b contra o líder. O Joinville vem a muito tempo namorando a primeira divisão, vamos ver se dessa vez vai, já Papai Joel mostra que o problema não era Adilson, e nem ele, o time continua ali beirando a classificação. O jogo não promete ser bonito, mas promete ser muito disputado.

Sábado – 27/09

08h45 (Inglesão) – Liverpool x Everton: Que Beatles que nada, é esse jogo que faz Liverpool parar. O clássico da cidade é sempre tenso. Ambos não começaram bem na tabela e precisam da reabilitação. Você não precisará nem de café para acordar e é bom deixar o controle e as unhas longe.

10h30 (Alemão) – Schalke 04 x Borussia Dortmund: Após toda a tensão do jogo anterior, é hora de assistir um jogo mais tranquilo, mas ainda sim um confronto de forças na Alemanha. E sempre que possível, vou sugerir vocês assistirem os times de Klopp e Bielsa. É muito legal de ver.

21h00 (Brasileirão) – São Paulo x Fluminense: Após arrumar o quarto, ir no mercado e todos os afazeres domésticos, dá tempo de chegar em casa e assistir a esse bom jogo. Dois times com futebol ofensivo e que devem proporcionar um bom espetáculo no Morumbi. Tem tudo para ser um jogo cheio de gols.

Domingo – 28/09

16h00 (Francesão) – Marseille x Saint Etienne: Que Brasileirão que nada, confesso que o Francesão não é um campeonato primoroso longe disso, particularmente acho pior que nosso querido campeonato, contudo, ter Bielsa no comando de um time é sempre algo muito legal. Para quem não sabe, Bielsa está tentando um 3-3-4 no time. Não, eu não escrevi errado o esquema, é isso, 3 defensores, 3 meias e 4 atacantes. E como é um adversário mais duro, vale a pena ver se essa ideia funciona ou não.

18h30 (Brasileirão) – Figueirense x Palmeiras: Hora do desespero, assistir ao Faustão ou essa verdadeira partida com roteiro de filme de terror. O jogo tem tudo para ser um típico jogo de Série B, e o mais engraçado é que o jogo será realmente para evitar tal divisão do campeonato.

6 joguinhos para você se divertir no fim de semana e ainda consegui dar check em todos seus afazeres domésticos.