O “quase milagre” do São Paulo

spfc11092017Olá galera do Blog, meus textos estão quase iguais as vitórias do meu tricolor, escassos, demoram para surgir. Pois bem, depois de mais de três meses de silêncio, vamos ver se engrenamos novamente.

Vamos falar do São Paulo nesse retorno, para aos poucos ir desbravando outros casos curiosos em 2017. Grêmio, Atlético-MG, Corinthians, Botafogo, Vasco e Santos esses times para mim, me surpreendem em suas campanhas no ano.

Vamos ao tricolor paulista, que talvez seja aquele o qual a campanha nem surpreende tanto, porque o roteiro é tipico de quem flerta com o rebaixamento.

Contudo, apesar do desempenho necessário até o fim do campeonato ser muito acima do que o time produz até então, a tabela permite ao clube escapar, porque vários outros também estão com baixa performance. O São Paulo precisa somar 23 pontos nos próximos 15 jogos. Sendo assim, apenas x configurações são possíveis:

Somar 08 ou mais vitórias: O São Paulo precisaria com oito jogos a menos, conseguir ao menos duas vitórias a mais do que conseguiu até agora;

Vencer 7 partidas e empatar duas: Dessa forma, o São Paulo poderia ainda se “dar o luxo” de perder 6 partidas.

Vencer 6 partidas, empatar 5 e perder “só” 4: Nesse cenário, o SP precisaria praticamente repetir sua campanha de vitórias e empates, mas perder apenas um terço do que perdeu até agora.

Com 5 ou 4 vitória, o número de derrotas limitaria a apenas duas, o que seria bem complexo no momento atual do time.

São 8 jogos em casa, sendo que dois são clássicos e dois contra concorrentes diretos. Já como visitante, nenhum clássico e três confrontos diretos pela fuga. Olhando friamente, não parece nenhum milagre o que o São Paulo precisa fazer, além de tudo, conta com um apoio massivo de sua torcida neste campeonato.

O problema é que futebol não é frio, é completamente suscetível as oscilações de humor, e para o São Paulo tudo anda mais difícil atualmente. A mão do Jucilei em outrora, seria um pênalti desperdiçado ou uma mão não notada.

A solução parece simples de ser dita, mas a linha é muito tênue, os envolvidos precisam acreditar que  de ser realizada.

Só assim, o estado de alerta se mantém para a busca dos pontos restantes, caso contrário o relaxamento por achar que a qualquer momento se conseguirá os pontos, dará lugar para o relaxamento de tudo já está perdido mesmo.

P.S.: Além disso, no lado supersticioso, tenho comigo que o rapaz da foto, poderia sair do time nessa reta final, não parece carregar uma aura vencedora, apenas uma opinião sem nenhum embasamento.

 

 

Anúncios

Tôliminado!!

Galera do blog, ontem mais um capítulo trágico da história corintiana na Libertadores. O time foi eliminado da Pré-Libertadores, não concordo com a grande maioria que julga o Tolima como um time fraco, pelo contrário sempre disse que é um time bem encardido.

Ontem, o Corinthians já iniciou a partida erroneamente, Tite optou por um meio campo com Ralf, Paulinho e Jucilei, além de Jorge Henrique compondo o meio, ou seja, três volantes e um atacante, e mais uma vez o time de Parque São Jorge foi vítima de seu treinador limitado, Tite escalou Jorge Henrique errado, sacou Bruno Cesar para colocar Jucilei na função, nada contra o camisa 08, mas ele é muito mais lento do que Bruno César, se era para trocar que arriscasse Danilo, Morais, ou até mesmo Ramirez.

Além disso, parece que Tite falou para o Fábio Santos fazer exatamente igual ao Roberto Carlos, pois a lateral esquerda corintiana continuou uma avenida, soma-se a isso o nervosismo aparente de Leandro Castan. Sei que nessa hora, começam a dizer que o time precisa ser reformulado, não acho. Acho que a única reformulação necessária no time é no padrão tático, o Corinthians se acostumou a jogar nos últimos dois anos no esquema 4-3-3, que tinha muito sucesso graças a Elias, com a ausência dele, acho impossível exigir a mesma qualidade de Paulinho e Jucilei.

Vejo o Corinthians partindo para um 4-4-2 mais equilibrado com dois volantes de contenção e dois meias, acho que Jucilei perde espaço no time, apesar de talentoso, eu escalaria o time daqui pra frente com J.Cesar, Alessandro, Chicão, P. André e R.Carlos; Ralf, M. Oliveira(Paulinho), Danilo(Ramirez ou Morais) e Bruno Cesar; Dentinho e  Ronaldo (Liédson).

No fim das contas, não há muito o que comentar, o Corinthians foi eliminado e o culpado foi somente ele.

Nada tão inesperado assim, não é Tite?!

Galera do blog, ontem foi mais um dia cheio de futebol, acabei vendo uma boa parte do jogo entre Santos e São Caetano e depois vi na íntegra Corinthians e Tolima.

Pelo jogo do Santos, o time santista continua agressivo no ataque, contudo encontrou um Azulão inspirado que resolveu fazer um jogo de igual para igual. Pelo Peixe, Maikon Leite, Elano e Jonathan foram os melhores, mas Keirrison também merece destaque. Possebon que vinha fazendo boas partidas errou muitos passes e parecia cansado ontem. Aliás o sistema defensivo do Peixe como um todo esteve em noite infeliz. COntudo, o time segue na ponta e é o meu favorito para tudo esse ano.

No Pacaembu, os mesmos erros deste começo de ano, a mesma covardia do treinador e uma apatia no meio de campo ireeconhecível, esse foi o Corinthians diante do Tolima. Já tinha comentado anteriormente que diferente dos duelos anteriores nessa entitulada “pré Libertadores” o Tolima é o famoso time “encardido”, possui toque rápido e muita velocidade, mas ainda sim um time fraco. Porém o Corinthians resolveu jogar com o freio de mão puxado, Dentinho, Bruno César, Jucilei não foram nem sombra do que poderiam render.

Soma-se a isso a regularidade incrível de Alessandro e Roberto Carlos em deixarem buracos nas costas deles, são excelentes jogadores, aliás qualquer time no Brasil gostaria de ter os dois como laterais, porém ou o Corinthians adota um 3-5-2 para acertar a cobertura dos laterais, ou joga com dois volantes de contenção para cobrir as subidas, ficou claro ontem que qualquer time mas forte que possua atacantes leves irá dar muita dor de cabeça para o time alvinegro.

Para piorar, na minha opinião, o Corinthians não merece um técnico tão pequeno, tão retranqueiro, covarde. De qualquer forma, nada está decidido, o jogo na Colômbia é na semana que vem, e Tite poderá jogar do jeito que gosta no contra-ataque e terá novamente todas as chances de vencer o confronto. Mas, se eu fosse o Andrés já corria atrás de alguém para ganhar a Libertadores, com Tite o time não ira longe.

Clássico de verdade na Vila Belmiro

Galera do blog, ontem Neymarolândia e Corinthians se enfrentaram. Que jogão, principalmente porque o Santos voltou a ter aquele ímpeto ofensivo do primeiro semestre. O alvinegro praiano não se preocupou em defender, apenas buscou o gol.

O jogo começou em alta rotação, com os dois times lançados ao ataque, aos poucos o jeito de Adilson Batista vai tomando conta do time corintiano, o treinador que tem como característica por onde passa deixar seus times ofensivos está começando a por em prática essa filosofia no Corinthians. Pelo Corinthians, Elias, Jucilei e Bruno Cesar se movimentavam e criavam as melhores chances pelo time da capital. Já o Santos era Neymar, o pivo de toda a polêmica mostrou que é craque, apesar de tudo que aconteceu na semana, não fugiu da partida e mostrou seu bom futebol em campo.

O Santos abriu o marcador logo aos dois minutos em cobrança de escanteio, a bola sobrou para Durval que bateu como um atacante e abriu o marcador. Contudo, logo depois o Corinthians encontrou a igualdade, Jucilei fez ótima jogada e deixou Iarley com a obrigação de empatar, o atacante que desandou a fazer gols não perdeu a chance e empatou a partida. O Santos continuava marcando forte a saída de bola do Corinthians, entretanto, o meio campo do Corinthians dá orgulho, com calma e trocando passes com maestria, o time de Adilson tem sempre o domínio da partida, apenas em lances isolados que o time é assustado.

E foi em um lance isolado que o Santos voltou a ficar com vantagem no marcador, Marcel chutou uma bola fácil, mas Julio Cesar não foi feliz e soltou a bola nos pés de Neymar que só teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes. Explosão na Vila, e Dorival já virou coisa do passado. Com o gol, o panorama continuou inalterado, o Santos tentava marcar a saída de bola do Corinthians, mas a qualidade do meio de campo voltou a falar mais alto. Com calma, o Corinthians foi chegando perto do gol e quase no final do primeiro tempo, foi a vez dos outros dois personagens do meio de campo aparecerem, Bruno Cesar deu passe açucarado para Elias que só teve o trabalho de tirar de Rafael e empatar a partida. Assim, terminava o segundo tempo.

Veio o segundo tempo, e o Corinthians conseguiu levar o jogo em ritmo mais cadenciado. Contudo, um jogo que tinha todos os ingredientes de uma grande partida faltava o pior deles, a arbitragem, em dois lances, veredictos diferentes, e decidido o placar do jogo. No lance do Corinthians, o bandeirinha não viu o impedimento de Danilo, o lance seguiu e o cruzamento do meia corintiano encontrou Paulo André que desviou de cabeça e colocou o Corinthians na frente. No lance santista, o bandeirinha viu o impedimento de Marcel, que dessa forma anulou o que seria o gol de empate santista. No final, vitória do Corinthians por 3×2.

Em resumo, grande jogo. O Corinthians vive grande momento, hoje é o time a ser batido.

Decisão de Mentirinha..

Galera do blog, ontem Corinthians e Fluminense se enfrentaram no que muitos chamaram de final antecipada, o que eu discordo completamente. Contudo, era o jogo dos dois primeiros colocados, e isso por si só já torna o jogo importantissimo.

Dentro de campo, o Corinthians veio no seu tradicional 4-4-2 e o Fluminense adotou um 3-6-1, porém com dois armadores e alas subindo bastante. No entanto, o que se viu no primeiro tempo, foi um Corinthians muito bem plantado defensivamente e buscando a melhor forma de chegar ao gol do time carioca. O primeiro tempo mostrou dois times com muita disciplina tática, e poucas chances de gols. O Fluminense teve mais posse de bola, mas o Corinthians foi mais perigoso, em uma dessas jogadas o alvinegro chegou a primeiro gol com Jucilei após ótimo passe de Elias.

Na segunda etapa, Muricy tentou fazer algumas moudanças, mas o Corinthians continuou exemplar na marcação e ampliou o marcador aos 20, Washington descontou cinco minutos depois, contudo não foi o suficiente. O Corinthians continuou com uma atuação irretocável na defesa e garantiu os três pontos.

Mais do que os três pontos, o Corinthians “desanimou” o time carioca, resta saber se Muricy irá recuperar o time contra o Flamengo. Quanto ao resultado dizer que o Corinthians vai ganhar o campeonato por ter vencido uma decisão, é besteira para mim, pois Muricy é o grande exemplo disso, nos três títulos do São Paulo, essas chamadas “decisões” foram perdidas na maioria por ele, e o resultado todos sabem.

Voltando ao jogo, o grande segredo do Corinthians é possuir no seu meio campo três jogadores que não só marcam muito bem como atacam com ótima qualidade. Ralf, Elias e Jucilei, ou como ontem Paulinho, todos eles são jogadores invejáveis, marcam com a mesma qualidade que atacam. Esse é o maior segredo do Corinthians. Ontem a vitória foi da marcação deles sobre Deco e Conca.

E vocês o que acharam do jogo?

Clássico não se joga, se ganha!

Galera do blog, ontem acompanhei o clássico paulista entre e Corinthians e São Paulo. O jogo terminou 3×0 para o Corinthians, resultado justificado principalmente pelo primeiro tempo, onde o Corinthians dominou o meio de campo e soube aproveitar as chances que teve.

Logo no começo do primeiro tempo, deu para perceber aonde está a diferença fundamental da partida, no meio de campo. Parece óbvio que tal área do campo, faça a diferença, mas ontem, parece que a diferença ficou mais gritante. O meio campo corintiano foi a campo com Ralf, Jucilei, Elias e Bruno Cesar, apenas Jucilei se enquadra no conceito de jogador pesado (reforço que pesado, não significa ruim), em compensação no meu tricolor querido o meia foi formado por Rodrigo Souto, Casemiro, Cléber Santana e Marlos, apenas o último se enquadra no conceito de jogador leve.

Dessa forma, o jogo seguiu, quando o São Paulo dominava a bola, rapidamente era sufocado pelos jogadores de meio de campo do Corinthians, quando a situação era contrária, os jogadores do alvinegro tinha muito espaço e tempo para pensar o que facilitava muito mais a movimentação ofensiva do time corintiano.

E foi assim como esse meio rápido que o Corinthians chegou ao primeiro gol com Elias, ele que vem se tornando especialista em fazer gols contra o São Paulo, marcou de novo, em um chute mascado, mas que traiu Ceni no lance. O gol como vem acontecido ultimamente parece derrubar o time fortemente, o time que era pesado começou a abusar dos passes errados e em um deles, Cléber Santana deu o segundo gol para o Corinthians, aliás o Cléber Santana sinceramente devia repensar o que ele quer da vida, pois jogar bola ele não está nenhum um pouco afim.

No segundo tempo, Baresi tentou dar maior velocidade no meio de campo, e o São Paulo conseguiu equilibrar um pouco mais a partida, mas insuficiente para vencer a velocidade do time corintiano. Ainda houve tempo para o terceiro gol.

No final, placar justo pelo que apresentaram as duas equipes. Para o Corinthians a certeza que a saída do Mano não atrapalha a busca do time pelo título, no São Paulo a certeza que não basta mudar técnico, é necessário mexer na estrutura do meio de campo, o time precisa de jogadores rápido e de boa chegada, mudanças drásticas são necessárias, eu colocaria um meio de campo com Rodrigo Souto, Wellington, Jean e Marcelinho.