O que você faria?

jo18092017.jpg

E ontem a noite as discussões nos programas de futebol giraram em torno da mãozinha marota de Jô para garantir o gol da vitória sobre o Vasco.

Apenas um adendo, o Corinthians até está permitindo uma disputa no returno, mas a preguiça é enorme por parte dos concorrentes, mas vamos voltar a polêmica.

Além da velha máxima do erro, a questão ganhou proporções maiores pelo personagem, para quem não lembra Jô foi “beneficiado” pelo fair play de Rodrigo Caio ao avisar que não tinha levado um chute do atacante e poupando ele de um cartão e da suspensão para a disputa da próxima partida novamente contra o São Paulo.

Jô foi um bom resumo do que devemos estar questionando em nossas vidas atualmente. Quantas vezes foi fácil elogiar a atitude alheia, mas não conseguimos repetir, ou mesmo exigir a atitude de todo mundo, mas quando ela bate na nossa vez, falhamos.

Não vou dizer que Jô foi hipócrita ontem, ele foi nas declarações que deu sobre o episódio com Rodrigo Caio, sabendo que não faria igual, não precisava sair contando sobre o quão bacana é ser igual a Rodrigo Caio. Ou mesmo evitar assumir a atitude de ontem, deveria e pronto.

Eu sinceramente, não espero que Jô mude amanhã, ou se arrependa disso, eu espero de verdade que as pessoas continuem debatendo sobre, mas ainda me assusta o futebol é assim mesmo, ou que vergonha sobre o que o Jô fez, etc, etc, e bla bla bla.

Não adianta o personificar, esqueçam Jôs e Rodrigos Caios, a questão é porque precisamos ser mocinho ou vilão? Ambos, não podem simplesmente jogar sério e limpo, sem precisar de uma oportunidade para fazer o outro de otário ao invés de si. Para mim, pouco importar condenar ou absolver Jô, agora o que realmente aprendemos com tudo isso, o quanto passamos a fazer diferente.

Já teve Maradona, Jô, Henry e tantos outros, assim como Rodrigo Caio, Klose, Ajax x Cambuur, e por aí vai.

Acho que a chegada do vídeo para auxiliar essas questões deverá resolver inúmeras falhas que hoje o futebol se permite, inclusive fazendo com que os jogadores se policiem mais.

Contudo, a velha máxima volta para que você responda, ao invés de criticar ou defender o Jô, pense o que você faria, realmente, e veja se você está sendo coerente consigo mesmo. Só isso, não precisa mais nada, apenas pense.

E então, o que você faria?

Anúncios

Porque não Jonas?

jonas 150917.jpg

E Tite soltou sua última lista para as eliminatórias da seleção.

E como sempre iremos cornetar a lista. Até porque acredito que seja uma ótima oportunidade para fazer os últimos testes e vejo poucos espaços disponíveis para fechar o plantel.

No gol, o coro segue por Vanderlei do Santos. Nada contra os três escolhidos, mas como a seleção já está classificada, acho que valeria ver como o atleta se comporta no grupo, caso o treinador precise de alguma opção por lesão ou queda de rendimento no primeiro semestre do ano que vem.

Nas laterais e zaga, nada demais, meu questionamento é apenas por opção, mas não consigo questionar as escolhas de Adenor, chamaria Geromel ao invés de Jemerson.

No meio, achei surpreendente a escolha por Arthur, apesar de achar que o menino é acima da média, portanto, importante já permitir a ele participar do grupo. No restante, tudo ok, talvez escolhas diferentes, mas não critico.

E chegamos ao ataque, eu acho que é uma implicância minha, mas não entendo as poucas chances de Jonas. Para mim, só existe uma vaga em aberto na seleção, e aberto mesmo, do tipo, sei lá quem eu levo, é o quarto homem de ataque, Jesus, Firmino e Neymar estão certos, mas quem será o outro?

Hoje nossas opções são escassas, são veteranos, incógnitas e promessas. Só que para mim, Jonas no balaio desse restante é aquele que atua em um clube grande da Europa, constantemente participa da maior competição de clubes e já é o segundo maior artilheiro estrangeiro da história do clube.

E não que eu ache ele muito superior a Tardelli por exemplo convocado agora, minha única questão é que ele quase nunca é sequer lembrado por ninguém. A questão é que as chances são desiguais ou mesmo a cobrança pela convocação.

Jô que nunca conseguiu ter uma carreira sólida por clube algum e agora vive seu melhor momento por apenas 9 meses no Corinthians é constantemente lembrado por diversos canais de comunicação, enquanto Jonas recebe algumas lembranças de maneira bem pontual por aí.

E de novo, Tardelli, Jô, Jonas, Fred, Ricardo Oliveira, e os demais centroavantes estão equiparados para mim, sem nada de destaque, portanto porque não Jonas?

Outro nome que me chama a atenção é Richarlison que saiu do Fluminense e tem iniciado bem a temporada no Watford.

E aí, cadê o seu camisa 09?

romarioronaldo

Damião, Luis Fabiano, Paolo Guerrero, Henrique, Alecsandro, Fred, Jô, Barcos, Rafael Moura, todos eles representam o famoso centroavante. Jogador de área, finalizador, que tem faro de gol.

Alguns podem até sair mais da área, fazer pivô, mas sua principal função é ser o homem gol do time.

Quando olhamos a relação, vemos Fred e Luis Fabiano como ainda bons nomes e Guerrero e Barcos como outros bons nomes. Agora, se fosse não tivesse um centroavante e precisar contratar, quem além desses quatro, você investiria sem medo?

Os demais da lista estão em grandes clubes, mas não necessariamente são grandes jogadores. Damião é o nosso Fernando Torres, seu futebol sumiu, voltou para várzea ou algo do tipo. O restante, não inspiram confiança.

Tanto é que Galo e Mengo estão atrás de atacantes gringos. O mineiro já fechou com o bom Lucas Pratto, enquanto o Mengo sonda Lucas Barrios.

A pergunta que fica é: acabou o camisa 09?

Eu acho que não, eu acho que ele se reinventou. Guerrero é o exemplo mais próximo do que é o atual 09 no mundo. Lewandowski, Ibrahimovic, Benzema, são os craques dessa função.

Logo, não consigo pensar em nenhum brasileiro. Nem bom, nem apenas atual. O único que me vem em mente é Diego Costa e que simplesmente se naturalizou espanhol e aprendeu a jogar assim lá, não aqui.

O que fica evidente é que a função mudou, mas nós não arrumamos ela na base, nem no profissional, nem em lugar nenhum, apenas vemos e decidimos agora importar centroavante.

Acho um pouco absurdo, o país que se entitula do futebol, importar a principal peça, quem faz gol.

Nada contra Guerreros, Barrios, Barcos e Prattos, mas o Brasil pode abrir as portas para eles jogarem em nossas novas arenas, mas principalmente devemos fabricar esses caras por aqui.

E aí, cadê o seu camisa 09?

Rapidinhas do Camisa 10 – 12.02.2014

1896873_1870012813139449_1530855453_n

Naturaliza já.. Já que a Copa é no Brasil, e nossas regras para naturalização são mais fáceis de alterar e pelo bem da Copa, acho que poderíamos naturalizar Ibrahimovic. O sueco está lá todo desamparado porque não vai poder jogar a copa e de repente, o Brasilzão está aí sem um centroavante de ofício. Imagina na Copa.

判斷 … Paulo André resolveu levar seu Bom Senso (判斷) para a China. O jogador aceitou uma proposta irrecusável e vai para o outro lado do mundo. Aposto que se pedisse para a CBF, ela até ajudaria com o dinheiro para a contratação. Agora, Alex e Ceni são as principais liderança do Bom Senso dentro do Brasil.

Estrela solitária firme… Me surpreendeu a postura do Botafogo ontem na estréia da Libertadores, não pela vitória ou pela superioridade técnica sobre o atual campeão argentino, mas pela vibração e garra dos jogadores. O time parece que foi mergulhado no espírito da competição (espírito inventado, porque esse brio deveria acompanhar qualquer time e sempre) ganhou do San Lorenzo na bola e no coração. Ainda não é nada, mas já é bastante.

Galo forte e vingador, mas nada convincente… Já o atual campeão venceu, mas não convenceu. O jogo foi horrível e o Galo mostrou a mesma ineficiência apresentada contra o Raja Casablanca, achou um gol com a dupla Ronaldinho e Jô já quase no apagar das luzes. Vitória boa, para o time ganhar tranquilidade, mas Autuori precisa mostrar ao que veio.

A Copa não é bem para todos… Quando a Copa foi anunciada, um dos lemas é que atingiria o país todo, porém depois do anúncio de todas as seleções sobre os seus locais de hospedagem, vemos que apenas 09 estados e 26 cidades, sendo que 15 seleções ficaram em São Paulo e 26 na região Sudeste.

Mais choro e menos beijinho… Vem da Itália mais uma história no mínimo curiosa. Pela Copa da Sicília o duelo ntre Borgata Terrenove e Bagheria, terminou 14 a 3 para o Bergata. O problema é que os últimos 8 gols foram contra, feitos em apenas 6 minutos. Mais uma vez, uma partida ela está sendo investigada. Se foi combinado, foi muito mal feito, se foi protesto, a causa era séria.

Império do amor ou do terror? Parece chover no molhado, todas as dúvidas que pairam sobre o retorno de Adriano ao futebol, porém dessa vez um sentimento de necessidade ronda nossas cabeças. Se até o final do ano passado, ninguém se importava mais se Adriano voltaria ou não, a dúvida sobre Fred fez com que muitos acendessem uma vela pedindo juízo ao Imperador. Se decidir jogar por 6 meses, ele é tranquilamente melhor do que qualquer centroavante brasileiro.

Momento Ilha de Caras… “Não sei quem ele é. Tem cara de bandido? Se tiver, é bem a cara dela. E ainda fala espanhol? A Bárbara só deve se comunicar com ele beijando muito mesmo” declaração de Monique Evans sobre o affair entre Paolo Guerrero e sua filha Barbara Evans.

Você sabia que…que essa “seleção” a seguir estará fora da Copa; Fabio (Cruzeiro), Rafinha, Miranda, Henrique, Rafael, Ralf, Elias, Ganso, Diego, Lucas e Robinho.

Dúvida da semana… Se era para mudar o elenco inteiro, precisava mandar o Tite embora?

Cadê meu ataque?

revista-placar-1126-ronaldoromario-especial-aniversar_MLB-O-87947585_1796

E Felipão soltou a última convocação. Depois dessa, só a que levará 23 jogadores na busca pelo sexto título e dentro de casa.

Nessa primeira lista, só com jogadores que atuam foram do Brasil, 16 nomes foram divulgados:

Goleiro: Júlio César (Queens Park Rangers)
Laterais: Daniel Alves (Barcelona), Marcelo (Real Madrid) e Rafinha (Bayern)
Zagueiros: David Luiz (Chelsea), Thiago Silva (PSG) e Dante (Bayern)
Volantes: Paulinho (Tottenham), Luiz Gustavo (Wolfsburg) e Fernandinho (City)
Meias: Oscar, William e Ramires (todos do Chelsea)
Atacantes: Hulk (Zenit), Bernard (Shaktar) e Neymar (Barcelona)

Felipão disse que chamará mais 3 ou 4 nomes com os jogadores que atuam no Brasil. Jefferson, Dedé e Jô sâo estâo, a única dúvida é a condição de Fred para esses jogos.

Posto isso, fica claro que Felipão já tem o grupo fechado, suas dúvidas mais pontuais são sobre aspectos físicos dos jogadores. Por exemplo, Rafinha foi convocado caso Maicon não esteja 100% fisicamente. Assim como Fernandinho para qualquer eventualidade no meio de campo.

O único ponto crônico é a situação física de Fred, caso o atacante carioca não esteja em condições de ir a Copa, fica a sombra de quem será o nosso camisa 9.

Jô (nosso reserva imediato) não inspira confiança e aí começa o maior dos males, pois caso Fred não vá, quem será chamado?

Brocador, Walter, Ederson, Luis Fabiano, Damião, Caça-Rato ou até mesmo Adriano.

No fim, existem opções, mas nenhuma que inspire tranquilidade em nossos torcedores.

Caso Fred não vá, quem você seriam os dois centroavantes que você levaria para a Copa?

Galo forte, vingador e exorcista!!

Galo

“Diziam que o Galo era azarado, que eu era azarado, pronto, acabou! Azar, p…a nenhuma!” foi assim que Cuca desabafou ontem após Gimenez errar o quinto pênalti do Olimpia garantindo a vitória por 4×3 para o time mineiro.

Na sequência, Ronaldinho completou, “falavam que eramos renegados, que o Ronaldinho acabou, que o Jô acabaou, que o Gilberto Silva acabou, que esse time não tinha vontade, tá aí, vão falar o que agora?”

Foi assim que começou a trajetória desse time mineiro que ganhou um capítulo extraordinário ontem, com a conqusita da Taça Libertadores da América. Um time que começou na fase de grupos atropelando todo mundo. Só perdeu para o São Paulo na última partida, derrota essa que fez com o que o Galo encontrasse novamente o time brasileiro nas oitavas e aí o fantasma da “zica” que assombrava Atlético e Cuca começava a ser exorcizado.

O São Paulo começou fulminante o primeiro jogo no Morumbi, abriu o marcador e sufocava o Galo na busca pelo segundo gol. Eis que os caras lá de cima, resolveram ajudar e fizeram Lúcio ter uma atitude totalmente destemperada e ser expulso ainda no primeiro tempo. A partir dali, o Galo fez valer a superioridade numérica, virou o jogo e depois venceu com sobras no Horto.

O próximo adversário seria o Tijuana, time sem tradição e que tinha como diferencial apenas o campo de grama sintética, ou seja uma presa fácil para o time de Kalil. Para melhorar a história, o Galo conseguiu segurar o empate no México por 1×1 e veio tranquilo para cumprir seu papel dentro do Horto. Mas , só foi começar o jogo para o fantasma voltar a assombrar. O time jogou muito mal (provavelmente a pior atuação do time dentro de casa) não criava nada e o Tijuana ainda arriscava contra ataques perigosos. E quando tudo caminhava para uma classificação por 0x0 de forma preocupante, um pênalti aos 47 do segundo tempo para o Tijuana mostrava que o fantasma precisava ser exorcizado mesmo. E mais uma parte dele foi exorcizada, pois Victor resolveu pegar com os pés a cobrança e manter o Atlético vivo na competição.

Chegava a vez de enfrentar, o time mais forte da competição, o Newells Old Boys. Para mim, o time argentino foi tão bem quanto o Galo na competição, mas alguém precisa seguir em frente. Aí foi a vez do Galo fazer uma péssima partida na Argentina, o time foi engolido pelo Newells e saiu com um 2×0 perigoso na conta. No jogo de volta, um gol logo no começo e só. Depois, o Newells começou a controlar a partida mesmo sem a bola, especialidade argentina. Parecia que o time poderia jogar dias e dias que nunca seria assustado pelo Galo. Apenas uma luz salvaria o Galo.

E a luz veio, mas veio indo embora. Um apagão no estádio da Independência paralisou o jogo por cerca de 15 minutos e foi o tempo suficiente para Cuca reorganizar o time mineiro para jogar uns 15 minutos finais em cima do time argentino. E a luz (ou falta dela) foi fundamental para o resultado, o time continuou abafando, mas agora de forma mais concreta e foi achar o gol com Guilherme. Sim, aquele que os atleticanos chamavam de “Maria” (referência ao histórico do jogador no maior rival) e que havia entrado no lugar de ninguém menos do que Tardelli.

Com o gol, a decisão foi para os pênaltis e o exorcismo continuava, o time conseguiu uma virada nas cobranças de pênaltis, aumentou ainda mais a idolatria dos torcedores por Victor e o time carimbava o passaporte para final contra o apenas tradicional Olimpia do Paraguai.

O primeiro jogo foi feio, com o Galo errando muito e o Olimpia mostrando que era apenas um time esforçado, porém achou dois gols, sendo um no final da partida que deram uma vantagem significativa para uma final. 2×0. E ontem o fantasma foi exorcizado de vez.

Exorcizado pelo volume de jogo criado, exorcizado, porque conseguiu devolver o placar e vencer nos pênaltis, exorcizado porque apesar de ter um jogador a mais, não pode aproveitar porque Bernard se lesionou, exorcizado porque quando Ferreyra correu em contra ataque e deixou Victor para trás, os deuses do futebol trataram de lhe darem uma rasteira que fez com que o atacante não silenciasse o Mineirão. Exorcizado porque Cuca montou o São Paulo campeão dessa competição em 2005 e no Cruzeiro montou times impecáveis que cairam pelo imponderável, portanto já era merecido a tempos.

Venceu o melhor, e venceu aquele que venceu 8 adversários. O Galo venceu Arsenal-ARG, São Paulo 2x, The Strongest, Tijuana, Newells, Olimpia e principalmente, ele mesmo!

Parabéns Clube Atlético Mineiro, Galo forte e vingador!!