Aguardando o segundo tempo das apurações…

Lusa 121114

E o Ministério Público apurou que a Portuguesa vendeu sua permanência na Série A.

Por enquanto, ainda continuamos apenas no campo das especulações. Não se sabe quem comprou, nem quais foram as cifras envolvidas. Simplesmente, sabe-se que foi intencional a atitude de escalar Héverton na partida.

Ao que tudo indica, jogador e comissão técnica estão isentos. O corpo jurídico que manipulou informações afim de “permitir” a escalação de Heverton na partida.

Daqui em diante, qualquer acusação, teoria da conspiração será mais jogar fumaça sem nada apurado.

Mas já havia mencionado anteriormente que a questão foi toda muito estranha no ano passado.

Sinceramente, fiquei muito feliz com o resultado da apuração do MP. Só espero que o “segundo tempo” seja tão competente como foi o primeiro.

Para mim, o buraco é bem fundo e deve ser bem apurado para não ter bode expiatório pagando o pato todo.

Quanto a parte que cabe a Portuguesa, espero que quem vendeu pegue uma boa punição, de preferência ser banido do futebol, quanto ao clube, ficar de fora por 2 anos de qualquer competição, também não me parece exagerado.

Muitos dirão, mas porque um clube vai pagar pelo erro de uma pessoa? Então, essa pessoa foi escolhida para representar o clube.

Anúncios

Tragédia anunciada

lusa96

Time vice-campeão brasileiro de 1996

Parece texto pronto? E melhor, fácil de escrever depois do ocorrido.

Mas quando a Portuguesa permitiu que Heverton entrasse em campo no ano passado assumiu todo essa tragédia que culminou com o precoce rebaixamento para a Série C.

Inédito na história da querida Portuguesa, mas rota completamente aceitável pelos últimos anos.

Apenas para deixar claro sobre o caso Heverton, para mim todo mundo errou, mas ainda afirmo quando você sabe que um jogador deveria cumprir suspensão, mesmo que o sistema indique outra coisa, a situação era completamente evitável.

A Portuguesa de coadjuvante importante no futebol, será apenas um figurante do futebol. Se não houver, uma mudança séria, formação de base, planejamento seguido à risca. Esse poderá ser o destino da querida Lusinha.

Não sei o que pensam os torcedores da Lusa, mas acho que uma boa saída para acertar o caixa e começar do zero é vender o Canindé. Fazer uma parceria com a prefeitura para utilizar o Pacaembu como estádio, e de repente, uma parceria com o Nacional para utilização do centro de treinamento. Tem ainda a Arena Barueri, qualquer coisa.

Escutei muito falar sobre a Juventus e como era um bom clube que também fazia papel de coadjuvante importante, e o que virou. Não estou na gestão desses clubes para dizer o quanto é rentável manter o clube, mas de longe, acho que a venda do Canindé pode ser a solução para a Portuguesa se reerguer.

Não quero que meus filhos, conheçam a Portuguesa pelo Carnaval legal que tem lá, e que o futebol do time seja apenas contado em histórias por mim e vídeos no Youtube.

Futebol e suas coincidências…

Image

Galera, estava meio ausente e acabei nem falando do fim do Brasileirão. Mas pelo jeito, o Brasileirão ainda não acabou.

São grandes as chances de uma reviravolta e a Portuguesa ser rebaixada, salvando o Fluminense. Tudo isso, graças a escalação de um jogador de forma irregular que será enquadrado no artigo do 214 do CBJD.

“Art. 214. Incluir na equipe, ou fazer constar da súmula ou documento equivalente, atleta em situação irregular para participar de partida, prova ou equivalente. (Redação dada pela Resolução CNE nº 29 de 2009).

PENA: perda do número máximo de pontos atribuídos a uma vitória no regulamento da competição, independentemente do resultado da partida, prova ou equivalente, e multa de R$ 100,00 (cem reais) a R$ 100.000,00 (cem mil reais). (NR).
§ 1º Para os fins deste artigo, não serão computados os pontos eventualmente obtidos pelo infrator. (NR).
§ 2º O resultado da partida, prova ou equivalente será mantido, mas à entidade infratora não serão computados eventuais critérios de desempate que lhe beneficiem, constantes do regulamento da competição, como, entre outros, o registro da vitória ou de pontos marcados. (NR).”

Pelo artigo, a Portuguesa deverá perder 4 pontos, assim como o Flamengo por ter escalado André Santos na partida final.

O mais curioso dessa história é que pela primeira vez, estamos cobrando do STJD que ele não cumpra o regulamento. Que faça as vistas grossas que sempre fez e beneficie a Portuguesa.

Eu sou completamente contra essa mobilização “coitada da Portuguesa”. O clube errou e deve ser enquadrado no artigo e punido, assim fica mais fácil para cobrar quando uma agremiação entitulada grande for punida da mesma forma. Até porque, punindo a Lusa, o Flamengo também deverá ser punido e não haverá hipótese para não punir nas próximas vezes.

O que ninguém levantou a bandeira e a série de coincidências desse imbróglio judicial. Estranho Portuguesa e Flamengo cometerem o mesmo erro na última rodada. Será que as diretorias são tão amadoras a esse ponto, de não se atentar na última rodada para atletas em condição de “irregular”?

Porque justamente um time grande também do Rio resolveu cometer o mesmo erro de um pequeno, tornando assim mais aceitável a punição que a Lusa receba, já que o Flamengo também receberá.

Enfim, ou foi inocência demais ou sacanagem demais. Uma coisa é certa, eu apoio a punição aplicada para a Portuguesa e para o Flamengo.