Magneticamente falando

Magnetica 30102014

Em física e demais ciências naturais, magnetismo é a denominação associada ao fenômeno ou conjunto de fenômenos relacionados à atração ou repulsão observada entre determinados objetos materiais

Atração ou repulsão. São essas duas palavras que dentro do conceito do magnetismo que faz que não é flamenguista, entender porque a maior torcida do Brasil é chamada de magnética.

Benjor apelidou a torcida do seu mengão de Magnética e não foi à toa.

A torcida tem efeito espetacular sobre o time. Ela é quem decide, quem joga ou não pelo Flamengo, ou o jogador é atraído ou repelido, quem sente a energia que ela provoca e mesmo grosso passa acertar qualquer chute, cai na graça, seja Obina, seja Hernane Brocador.

Quem não entende esse magnetismo é repelido. Mesmo com muito talento nos pés, seja Alex, seja Ronaldinho.

E a Magnética resolveu comprar a Copa do Brasil. Desde o ano passado. Ela leva o limitado time do Flamengo a um candidato favoritíssimo na competição.

Ontem, o time começou o jogo ligado contra o Galo, e o Atlético-MG foi para o jogo de forma igual, no começo correria por correria, o talento mineiro se destacou, mas com o passar do tempo, existe uma máxima que ninguém aguenta correr os 90 minutos.

Porém a Magnética fez 11 caras correrem os 90 minutos de forma absurda. O Flamengo não venceu no talento, venceu na velocidade, na atração com a torcida, com o Galo sem entender porque do outro lado, eles corriam tanto.

O jogo de volta é outra história, o Corinthians sabe bem disso, o Galo tem a massa que tem efeito quase igual a Magnética. Aliás, esse é o duelo das torcidas que mais empurram seus times, é impressionante como a torcida de ambos tem esse poder.

Porém, ontem a Magnética, mostrou que seu movimento de atração e repulsão podem levar o bi da Copa do Brasil.

Anúncios

Cadê meu ataque?

revista-placar-1126-ronaldoromario-especial-aniversar_MLB-O-87947585_1796

E Felipão soltou a última convocação. Depois dessa, só a que levará 23 jogadores na busca pelo sexto título e dentro de casa.

Nessa primeira lista, só com jogadores que atuam foram do Brasil, 16 nomes foram divulgados:

Goleiro: Júlio César (Queens Park Rangers)
Laterais: Daniel Alves (Barcelona), Marcelo (Real Madrid) e Rafinha (Bayern)
Zagueiros: David Luiz (Chelsea), Thiago Silva (PSG) e Dante (Bayern)
Volantes: Paulinho (Tottenham), Luiz Gustavo (Wolfsburg) e Fernandinho (City)
Meias: Oscar, William e Ramires (todos do Chelsea)
Atacantes: Hulk (Zenit), Bernard (Shaktar) e Neymar (Barcelona)

Felipão disse que chamará mais 3 ou 4 nomes com os jogadores que atuam no Brasil. Jefferson, Dedé e Jô sâo estâo, a única dúvida é a condição de Fred para esses jogos.

Posto isso, fica claro que Felipão já tem o grupo fechado, suas dúvidas mais pontuais são sobre aspectos físicos dos jogadores. Por exemplo, Rafinha foi convocado caso Maicon não esteja 100% fisicamente. Assim como Fernandinho para qualquer eventualidade no meio de campo.

O único ponto crônico é a situação física de Fred, caso o atacante carioca não esteja em condições de ir a Copa, fica a sombra de quem será o nosso camisa 9.

Jô (nosso reserva imediato) não inspira confiança e aí começa o maior dos males, pois caso Fred não vá, quem será chamado?

Brocador, Walter, Ederson, Luis Fabiano, Damião, Caça-Rato ou até mesmo Adriano.

No fim, existem opções, mas nenhuma que inspire tranquilidade em nossos torcedores.

Caso Fred não vá, quem você seriam os dois centroavantes que você levaria para a Copa?

Deixou chegar, brocou!

foto

Como anunciado por esse blogueiro, antes do confronto com o Botafogo, o Flamengo faturou o caneco. E como não podia ser diferente, Fellipe Mello continua a saga do exxxculacho pela Copa do Brasil. Segue o post do carioca marrento e campeão, ou melhor tricampeão da Copa do Brasil.

Por Fellipe Mello

Antes de qualquer coisa é preciso dizer que essa Copa do Brasil, com a participação dos melhores times do país, devolveu ao torcedor a emoção das competições mata-mata em um formato mais interessante! A competição deixou de ser “uma baba” pra virar um tiro curto rumo a Liberta pra lá de emocionante!

No trajeto rumo ao título o Mengão-Fuderosão-Pai de Todos-Brocador atropelou os melhores times do Brasil no momento, conquistando de forma icontestável a mais DIFÍCIL de todas as Copas do Brasil! Qualifico como a mais difícil de todas, pois pela primeira vez o campeão enfrentou uma competição incluindo times que jogaram a Libertadores e nas finais venceu 4 dos 5 melhores times do Campeonato Brasileiro! Prevaleceu a máxima do futebol nacional: Deixou o Flamengo chegar? Fudeu!

E hoje, pra alegria de 40 milhões e tristeza dos que esperam a novela acabar pra secar, o MUNDO amanheceu rubro-negro! Sim digo o MUNDO, pois quem pode acompanhar a caminhada rumo ao TRI da Copa do Brasil percebeu que nossa torcida tem sempre destino específico: onde o Mengão jogar, mas não tem origem: ESTAMOS ESPALHADOS PELO MUNDO, E ONDE O MENGÃO ESTIVER, NÓS ESTAREMOS!

O Flamengo de Jayme me parece resgatar algo adormecido: a Arrogância Rubro-Negra! Àquela que faz com os que vestem o manto sintam-se os picas das galáxias e os que lhe enfrentam sentir-se a virgem diante do maior comedor do planeta! Brincadeiras à parte, Jayme soube mostrar a esse grupo que o Flamengo tem tradição, usar o peso da camisa e a capacidade única de nossa torcida jogar junto como se fosse o maior craque de um time!

Ontem não poderia ser diferente, nos braços de sua torcida e com time calçando as chuteiras da humildade, controlamos a partida sem dar espaços ao Atlético, esperando pela chance de um contra-ataque! Raras foram as chances de gol delas, se é que me lembro de alguma!

Fazia muito tempo que não tínhamos um time tão ligado e vibrante em uma decisão! O Mengão parecia o pegador-master da micareta paranaense! Não passava uma curitibana em branco do nosso lado sem tomar pelo menos uma chegada firme! O Furacão era um só: aquela equipe de som do tornado muito nervoso do funk carioca!

A tônica do jogo foi essa: o Mengão-ligadão se defendendo das investidas delas e aproveitando os contra-ataques pra tentar matar o jogo! Luiz Antônio, o melhor em campo, quase abriu o placar num chute da entrada da área e numa cobrança de falta magistral que parou na trave quase fechou o caixão atleticano ainda no primeiro tempo. O segundo tempo parecia cópia do primeiro e o titulo parecia caminhar para a Gávea num zero a zero sem graça pro Mengão brocador nato quando… Paulinho tira mais um drible da cartola e deixa Elias livre pra fazer 1×0 aos 40 do segundo tempo! Festa na favela!

A confiança da torcida era tanta que a possibilidade de empate e pênaltis sequer era sentida nas arquibancadas que já gritava: É campeão!

Não demorou muito e Luiz Antônio, fez o que as curitibanas adoram: Desceu pela direita, “enfiou até as bolas” entre as pernas e cruzou na medida pra Hernane, sempre ele, aparar e BROCAR um voleio no cantinho! 2X0! Na comemoração ele gritava: “Aqui não! Aqui no Maraca não! Aqui quem manda sou eu! Aqui quem manda aqui é o Flamengo porra!!!”

Fim de jogo, caixão fechado e tri consolidado! De Brocada em Brocada nos passamos o cerol Brasil afora, criando um novo verbo para o futebolês: BROCAR! Agora parceiro é: DEIXOU CHEGAR, BROCOU!

A moda da brocada virou mania! O carioca não faz gol, ele broca a rede! O carioca não come ninguém, ele broca a mulher! O carioca não pega onda, ele broca o mar! Se algo é muito bom, deixou de ser: foda, passou a ser: BROCA! Brocar não é só gol do Hernane, é verbo, é advérbio de intensidade, é sinônimo de festa pra Nação rubro-negra!

Copa do Brasil, te falei que se eu te pegasse ia brocar sem dó e piedade, né? Ta aí, é TRI!

Libertadores? Agora o jeito é… dá uma BROCADINHA com você!

DEIXOU CHEGAR, BROCOU!

Liberta, deitei e rolei por voce

Flamengo 07112013

Galera, Fellipe Melo pegou gostou pela coisa! E essa copa do Brasil está com cara de Flamengo, o Furacão é um time muito bem preparado, mas o Flamengo está com uma química nessa reta final do torneio que acho que só para com a faixa no peito. Por enquanto, aproveitem mais um exxxculacho desse carioca gente boa e marrento!

Por Fellipe Mello

Depois da Festa do Tomate com o show da dupla rubro-negra Chicão e Paulinho na quarta-feira da semana passada o clima de euforia tomou conta da nação rubro-negra. O Rio de Janeiro vestia rubro-negro mais uma vez e já era certo que o Maraca seria mais nosso do que nunca!

Jayme, que mostrou que conhece a favela e seus becos como ninguém, tratou de deixar a euforia pra venda de ingressos e se preocupou em fechar o ninho e deixar o urubu pronto pra trucidar o periquito do cerrado.

Na sexta após o jogo os sócios já tinham comprado 10mil ingressos e a invasão da Magnética estava anunciada.

Pra aumentar a soberba e o sorriso nato do rubro-negro demos aquela amaciada na nossa baranga de Laranjeiras no domingo, usando metade do time com reservas.

Era o que faltava pras filas por ingressos bombarem e o temor pelo massacre assombrar o centro-oeste.

Walter e Hugo, que não são cantores sertanejos, mas adoram um microfone, falaram muito mas na hora do pau quebrar ficaram de fora! Sorte deles e azar nosso, isso mesmo azar, porque ganhar de time completo é ainda mais legal!

O dia do “vamo-vê”chegou! Quarta-feira de chuva no Rio de Janeiro! Motivo de euforia pras periquitas do cerrado, afinal lá água de chuva é so quando Bete Carvalho canta seu sucesso por lá!

Alguns fatores foram determinantes ontem: A Magnética anunciava a invasão; A palhaçadinha estava do lado de fora dos muros da Gávea; Davi, filho de Elias teve alta do hospital e Hernane tinha um gol tomado de assalto pela arbitragem no domingo! Resultado: Empurrado pela torcida, sem oba-oba, Elias motivado e Brocador puto da vida! Nem preciso dizer que o esculacho era certo!

Mal começa o jogo e uma Calopsita do Cerrado abre o placar em favor das periquitas! Festa no cerrado! Luan Santana e Gustavo Lima vibram de emoção!

Antes que o clima de temeridade tomasse conta a Magnética explodiu como se fosse gol do Flamengo, mostrando que o camisa 12 chamava a responsa mais uma vez!

Em campo o resultado foi quase imediato! Após um tic-tac no meio campo, digno dos tempos do Galinho, Elias passou pra Hernane dar uma brocada sutil nas periquitas: Dominou, tocou por cobertura na gaveta e anunciou na voz de 60 mil rubro-negros: “Uh! Terror o Hernane e Brocadô!!!”

A igualdade não durou mais que 10 minutos e Elias, que recuperou o oxigênio que seu filho no hospital lhe furtava, acertou uma patada na gaveta de Renan! 2×1 Mengão e festa na favela!

O restante do jogo foi o Flamengo atacando e o juiz defendendo, quer dizer o Goiás. Hernane chegou a fazer 3×1, mas teve a brocada mal anulada pela arbitragem mais uma vez!

Daí pra frente nada de relevante aconteceu, era o Mengão tocando a bola, gastando o tempo, esperando o tempo passar pra deitar e rolar rumo a final!

Fim de papo no Maraca, festa na favela e no gramado os jogadores rubro-negros deitavam e rolavam no gramado em frente a torcida goiana em resposta à provocação do balofo falastrão.

Agora as morenas de olhos verdes de Curitiba nos aguardam! E o Mengão já anunciou que pretende exercer sua função “macho-alpha” do futebol nacional, avisando a moça que não venha de frescuras que os objetivos dele são muito claros: pelo menos uma brocadinha!

Afinal viajar até Curitiba só pra visitar a cidade sem ganhar nada em troca não é do nosso feitio!

Libertadores, psiu! Chega mais! Vamos fazer um remember???

Deixou chegar, fudeu!

Festa do tomate à moda rubro-negra!

batmaerobson

Galera, Fellipe Mello gostou da brincadeira e embalado pela boa campanha do seu Flamengo na Copa do Brasil, nos presenteia com mais um texto cheio de humor e exxxculacho puro. E o pior é saber que essa história ainda vai acabar com um grito de É campeão!! rs…

Por Fellipe Mello

Não era festa do tomate e nem show do sexteto sertanejo “AMIGOS”, mas ontem em Goiânia o Serra Dourada recebeu bom público!

Infelizmente, dessa vez o Serra Dourada não foi invadido pela massa rubro-negra! Isso porque, obviamente, a máfia do tomate e os empresários sertanejos vetaram a presença da Magnética, destinando apenas 17% dos ingressos aos rubro-negros! Correm boatos que eles distribuíram ingressos nas lavouras, botecos da região e para qualquer Zé ruela que estivesse vestindo verde pelas ruas de Goiânia.

Espremida no cantinho, a Magnética ecoava seus gritos e parecia ser maioria, enquanto Walter-Barriga “deitava e rolava” no prato de feijoada nas cabines de rádio!

Os primeiros 15 minutos foram tensos. Pouca efetividade no ataque de ambos os times e muito respeito ao adversário.

Passado o nervosismo e visando a satisfação da torcida esmeraldina, Jayme pediu que sua dupla, que não é sertaneja, mas joga por música entrar em ação! Paulinho e André Santos, chamaram a defesa sertaneja pra dançar e, numa tabela sensacional, Paulinho fez 1×0 pro Mengão!

Explosão da torcida rubro-negra e Walter, que agora “deitava e rolava” no hot-dog ficou com a salsicha entalada na garganta!

O Mengão mantinha o ímpeto e o primeiro tempo dava sinais de que podíamos garantir a classificação antecipada! Boas tabelas, saída de bola rápida e transição ninja entre defesa e o ataque nos faziam acreditar que o jogo era nosso!

Só que Elias tropeçou no salto-alto e quis fazer firula na porta do céu! Vacilo dado é castigo recebido! E o Deus da bola pune a palhaçadinha sem dó! Bola roubada e rolada pra Vítor empatar numa pedrada de primeira no canto de PV. Tensão na Magnética mais uma vez!

Quando os secadores de plantão esboçavam um sorriso mais largo, brilhou mais uma vez a estrela de Hernane-Brocador, que não tinha dado um peteleco em direção ao gol, mas conseguiu que o juizão invertesse uma falta na boca da grande área! Na bola André Santos e Chicão. Batida no contrapé, Renan de bunda no chão, Gol de Chicão, explosão da Nação! 2×1 pro Mengão!

O fim de primeiro tempo ditava o ritmo do restante do jogo: os tomateiros atacavam e o Flamengo esperava uma chance de contra-atacar! Eles tinham medo de ir com tudo e tomar o terceiro e nós com medo de atacar e tomar o empate… e foi assim até o final, uma chatice só!

Fim de papo, Mengão 2×1 e a certeza de que Walter-Barriga deve ter “deitado e rolado” na cama sem pregar o olho com a derrota indigesta!

Semana que vem a previsão é de Maraca lotado com o nosso camisa 12 na arquibancada aos berros, parecendo estar à beira do gramado, empurrando nossa molecada rumo às finais!

Ouvi dizer que as meninas lá do sul, paranaenses ou gaúchas, até curtem dançar um sertanejo universitário, mas que no final da balada o que elas querem mesmo é experimentar uma “brocada” dos cariocas!

Copa do Brasil, se você for morena de olhos verdes de Curitiba ou loira de olho de azul de Porto Alegre, eu não to nem aí, porque já avisei: se te pego, eu te esculacho e ainda te troco pela Libertadores no ano que vem!

Mengão é assim mesmo: Deixou chegar, fudeu!

O camisa 10 nem sempre está dentro de campo…

Créditos: retirado do site Diario do Flamengo / imagem de Flavio Veloso

Créditos: retirado do site Diario do Flamengo / imagem de Flavio Veloso

Galera do blog, invariavelmente um ou outro grande amigo resolve arriscar algumas linhas aqui no blog. E dessa vez, o texto vem do flamenguista de Niterói Fellipe Mello. Todo marrento como manda a cartilha de um flamenguista, segue um texto que é um exculacho só!!

Por Fellipe Mello

A campanha pífia do Flamengo no brasileirão e a escalação no papel digna de um timeco daqueles que possuem sede nas Laranjeiras, São Januário, General Severiano e afins, anunciava que 2013 tinha tudo para ser uma tragédia para os rubro-negros.

O nosso affair com o Z4 durou alguns meses e a série B parecia a periguete da novela louca pra dar o golpe da barriga no Mais querido do Brasil. Mas o Flamengo como bom garanhão-comedor da noitada carioca, botou a capa no “menino”e mostrou mais uma vez que segunda é apenas o dia seguinte ao domingo.

Como bom cafajeste que é o Mengão deixou a mulherada acreditar que ele era bom moço e que não oferecia perigo a ninguém! E foi assim no sapatinho e na humildade que o Mengão começou a rapelar na balada, deixou a periguete da série B pro Vice da Gama comer de novo e resolveu se preocupar com a gostosa da Copa do Brasil que tava ali no cantinho e não parava de dar mole mais uma vez!

Pela frente o Cruzeiro, líder absoluto do brazuca, e a gatomestragem já cravava nossa eliminação. Porém, esqueceram o detalhe de que as mineiras adoram os cariocas, e lá fomos nós levar as 3 Marias pro motel pra mostrar como é que faz!

Suruba com as 3 Marias finalizada era hora de enfrentar as viúvas do Garrincha.

O canil de General Severiano estava em polvorosa com o Botachoro figurando no G4 durante boa parte do brazuca. A terceira idade carioca já sonhava com o título, comparava o time de 1963 como de 2013, usava a camisa da sorte do bisavô ganhou do Nilton Santos e todas as supertições que só os botafoguenses acham que funcionam, mas que nós todos sabemos que não adiantam porra nenhuma há mais de 50 anos.

Pra variar o primeiro jogo terminou empatado em 1×1. Pros chorões era mais um sinal de que algo bom estava por vir, pro Flamengo apenas aquela chatisse de ganhar mais uma vez nos pênaltis e eles terminarem o jogo em prantos botando a culpa no gandula, no massagista, na periguete atrás do gol do Jefferson e etc.

Pela milhonésima vez em uma decisão o Mengão tinha o pior time, acabara de sair da crise, jogadores jovens formados na base e um técnico desconhecido. Pra cornetagem de plantão um sinal de fragilidade, pra nós a certeza de mais um triunfo, afinal só quem conhece a favela circula tranquilo por seus becos sem tomar esculacho! E foi assim que Claudio Coutinho, Carpegiani, Carlinhos, Andrade e agora Jayme de Almeida fizeram, porque técnico o Flamengo também faz em casa.

A semana que antecedeu ao jogo de ontem alimentava as esperanças no canil e nos asilos pelo Brasil afora! O Foguinho havia vencido o Mengão no brazuca, o que era um sinal de que eles poderiam avançar na Copa do Brasil na última quarta-feira.

Eis que o maior craque da história do futebol mundial resolve anunciar sua participação! Seu nome não é Pelé, nem Zico! Ele não veste a 10 e jamais jogou pela seleção brasileira! Ele veste a 12, ou melhor eles vestem a 12! Aliás milhares vestiriam a 12! SIM, a NAÇÃO RUBRO NEGRA resolveu jogar mais uma vez! E quando ela entra em campo até Zico se rende a sua força e reconhece que maior que ela não há!

Enquanto a os flamenguistas já haviam comprado 50 mil ingressos na TV anunciava que em General Severiano o calor carioca castigava 6 idosos na fila.

Chegava então o dia do jogo! A Magnética em peso invadia o Maraca mais uma vez para que o timeco da Gávea pudesse ter um jogador a mais em campo!

Antes do jogo começar o craque Seedorf olhava pras arquibancadas destinadas ao Flamengo e parecia ter comido os famosos bolinhos alucinógenos de Amsterdam. Não queridão tu não tá doidão, é que hoje o bicho vai pegar!

Bola rolando e a Nação chamando a responsa mais uma vez! Ela atacava, defendia, avisava o ladrão e tudo mais! O nosso camisa 12 tava afim de jogo mais uma vez!

O jogo começou tenso! Muitos erros de ambos os lados! Mas dava pra ver o sangue nozóio da nossa molecada empolgada pelos berros ensurdecedores de nosso craque-maior vindos das arquibancadas.Embora a Nação seja maior que Pelé, colocar a bola no barbante nunca foi seu forte! Ficou então por conta de Hernane a responsabilidade de dar TRÊS brocadas sem tirar nas meninas choronas! Uma canela de primeira após o bololô na área, uma chapada pro chão depois do rebote de Jefferson e uma testada no cantinho decretaram a vitória! Aos 15 minutos do segundo tempo metade da torcida do botachoro já tinha ido embora: Só restavam 3 pessoas!

Mas como surra em idoso é crime, Hernane Brocador, que só não fez o quarto porque teve humildade em gol, presenteou Leo Moura que fechou os 4×0 no dia que nosso vovô-moicano completara 35 anos!

Pra finalizar eu gostaria apenas de deixar minhas sinceras desculpas à Luísa Mel e os defensores dos animais pelo nosso feito de ontem, afinal logo na semana que eles salvaram 300 beagles do instituto Royal o Mengão foi lá e matou a cachorrada!

Agora que venha nossa baranga de fé de São Januário ou o pessoal das terras das duplas sertajenas na semifinal!

Copa do Brasil, já te falei, tu é bonita, gostosa e tá me dando mole! To avisando hein, se eu te pego, eu te esculacho e ainda te troco pela Libertadores no ano que vem!

Deixou chegar, fudeu! Pra cima delas Mengão! SRN!

P.S.: O Flamengo não é um time é uma NAÇÃO! E nação meus amigos, não precisa de um camisa 10, precisa apenas da união do seu povo para vencer e é exatamente essa união que desde de 1989, quando Zico abandonou o futebol, que ensina país afora que o jogo nem sempre se ganha dentro das quatro linhas, quebrando mais um ditado popular.