E de repente, 7×1…

TODO PODEROSO

O jogo começou igual, o time da casa até se propôs a jogar de igual para igual contra o adversário reconhecidamente melhor, tomou um gol logo no começo, mas seguiu em frente, até que veio o segundo gol e com ele um colapso e mais três gols, fazendo com que o visitante fosse para o vestiário com 5×0 no placar.

Na segunda etapa, o time visitante foi para o jogo e percebeu que aplicaria uma goleada histórica, então, decidiu tirar um pouco o pé. Só quando seus reservas entraram afim de mostrar jogo que o placar mexeu novamente, por fim, o jogo acabou 7×1 para os visitantes.

O que te lembra esse breve resumo de uma partida?

É inevitável pensar no atropelamento que nossa seleção sofreu para a Alemanha. Só que esse resumo, vale também para a vitória do Bayern ontem sobre a Roma em pleno estádio Olímpico.

Alguns personagens até eram parecidos. 5 na verdade, Neuer, Lahm, Boateng, Muller e Gotze, todos pelo lado do time alemão.

É muito simples nessa hora colocar toda a culpa no time que toma 5 gols em um espaço de tempo tão curto, Brasil em 18 minutos, Roma em 25. Até porque independente do mérito do vencedor, existe muita coisa a se corrigir no perdedor.

Contudo quero destacar três personagens que são fundamentais para mim, na construção desse cosplay da semifinal da Copa do Mundo e o mais curioso não são alemães. São 2 espanhóis e 1 holandês.

Primeiro Xabi Alonso. O volante chegou sob desconfiança, muitos diziam que seu futebol mais viril, não era compatível com a proposta de jogo de Pep, contudo o que todos estão percebendo é que ele é o coração desse time, ele que faz esse Bayern pulsar, ser o time mais agressivo do que Pep normalmente monta, e tudo isso com muita qualidade, construindo tudo lá de trás para essa máquina funcionar.

O segundo consequentemente é Pep Guardiola. O espanhol mostrou porque é considerado um dos melhores técnicos do mundo, soube enxergar essa necessidade de seu time ao trazer Alonso e principalmente soube aperfeiçoar seu estilo de jogo ao olhar a seleção alemã na Copa, o Bayern promete ser uma versão melhorada da seleção alemã.

E o terceiro que merece menção honrosa é Robben. Eu mesmo sempre torci o nariz para ele, mas o que Robben está jogando em 2014 é absurdo. Como eu mesmo disse em meu Twitter, Robben é o Benjamim Button do futebol, parece que rejuvenesce a cada ano.

Reviver o pesadelo da Copa do Mundo por outra perspectiva, só faz ter mais certeza de que aprendemos muito pouco com o 7×1.

Anúncios

Rapidinhas do Camisa 10 – 24.04.2013

Post24042013

Será o fim? Após a vitória acachapante do Bayern sobre o Barça ontem, muito se disse sobre o fim do Barça. Confesso que para um time que tem Messi com apenas 25 anos o time está longe de estar decadente, pode ser que a era Barcelona sofra um processo forte com a forte presença do fim da carreira de Xavi, mas é inegável que outra era inicia-se. O projeto do Bayern iniciado em 2010, começa a render todos os frutos agora, o time que é a base da seleção alemã, é o melhor time atualmente, alia talento, força física e disciplina tática e trata-se de um time jovem. Bayern e Alemanha prometem assombrar os próximos anos.

Transferência precipitada. Ainda falando de Bayern, o time bávaro trouxe a reveleção Mario Gotze do arqui-rival Dortmund. Acredito que a transferência tenha sido ótima para ambos e ainda por cima deixa mais um selecionável atuando no Bayern, praticamente 70% da seleção alemã atua em Munique, contudo a informação dada às vésperas dos duelos decisivos pela Champions tem tudo para atrapalhar o clima em Dortmund contra o Real. O clima no Signal Iduna Arena promete ser incandescente hoje.

Galeano e Amaral na seleção… É com esse pensamento que Felipão quer conduzir o Brasil. O treinador disse que “volante goleador é bom para a torcida, para o treinador é um desespero”. Que pena, que Scolari ainda pense assim, ainda sobre o jogo de ontem, quem viu Javi Martinez e Schweinsteiger marcando e jogando entende o quanto o futebol moderno exige isso, tentar ter o máximo de jogadores que saibam jogar e saibam marcar no time. Não basta marcar bem, tem que saber jogar futebol. Acorda Felipão.

Chupa Neto… Falando em polêmica, Carleto fez “diriamos” um favor ao corneteiros, boleiros de plantão no futebol. Depois de Neto dizer que o São Paulo iria tomar uma surra do Galo, o jogador aproveitou que foi ao programa e autografou a camisa e na dedicatória mandou um sonoro Chupa Neto! Acho válido, pela brincadeira sadia e principalmente porque vários ex-jogadores aproveitam que conheciam bastidores para expor jogadores excessivamente para se promover.

Díscipulo de Telê… Exatamente na semana que completa 7 anos da morte de Telê Santana, Muricy deu uma declaração de que pretende pendurar a prancheta logo, devido a problemas de saúde. O treinador que assim como Tele entra na categoria dos “estressados” vem sofrendo nos últimos meses com alguns incômodos que acabam prejudicando sua atuação como treinador. Lembrando do seu principal professor, Muricy disse que pretende parar logo, para não ter consequências piores depois.

Vergonhoso… A Conmebol simplesmente ignorou toda a confusão no jogo entre Grêmio e Huachipato. Mais uma vez a confederação que cuida da Libertadores fez vistas grossas para a estupidez que acomete o futebol sulamericano. Entra ano e sai ano e as brigas após as partidas se tornam frequentes. Portanto, resta agora saber em qual jogo ela ocorrerá.

Abandonar o navio… Adotando a mesma tática de seu companheiro de fé Ricardo Teixeira, Nicolas Leoz alegou problemas de saúde e entregou a presidência da Conmebol. Entre os possíveis candidatos aposto que Julio Grondona assuma, assim como na CBF nada muda. Continuará um da patota jogando sujeira para debaixo do tapete e ganhando dinheiro com amistosos sem sentido.

Allianz Palestra? O Palmeiras oficializou a parceria com a Allianz. A empresa pagará R$ 300 milhões pelos naming rights do estádio pelo período de 20 anos. Algumas discussões prometem ser um pouco mais extensas, a começar pelo nome do estádio, a idéia inicial era que seja Allianz Arena, o que seria um homônimo do estádio do Bayern de Munique, outra opção era Allianz Palestra. De toda forma, o Palmeiras fechou um bom negócio para a conclusão do seu novo estádio.

Pronto para guerra ou apenas um falastrão? José Maria Marin, Juca Kfouri, Ivo Herzog e Romário, a guerra está declarada com promessas de revelações de um lado e de uma militância cada vez mais forte para o “impeachment” do chefe da CBF. Sinceramente, duvido um pouco que Marin tenha como desmoralizar Kfouri e Herzog, quanto a Romário, buscar o passado dele é certo de encontrar algumas “aprontadas” do baixinho, mas nos últimos anos sua conduta parece estar acima de qualquer suspeita.

Seleção Libertadores… Saiu a seleção da fase de grupo da Liberta: Rogério Ceni (São Paulo), Sebastián Ariosa (Olimpia-PAR), Lúcio (São Paulo), Heinze (Newell’s Old Boys-ARG) e Lucas Orban (Tigre-ARG); Rúben (Tigre-ARG), Zé Roberto (Grêmio), Riquelme (Boca Juniors) e Ronaldinho Gaúcho (Atlético-MG); Scocco (Newell’s Old Boys-ARG) e Guerrero (Corinthians). O técnico escolhido foi Hugo Almeida, do Olimpia. Ter dois jogadores do Tigre é lamentável…

Dúvida da semana… Com a abertura da venda de ingressos para a Copa, você vai de arquibancada, camarote ou de tv por assinatura mesmo?

Pitacos: Um fim de semana de muitos gols, até Liédson e El Tanque deixaram o deles.

Depois da comoção na quinta, por ter seu nome gritado pelos torcedores xeneizes, mesmo sem ter marcado gols com a camisa do Boca, El Tanque chegou ao seu primeiro gol no domingo.

Galera do blog, esse fim de semana tivemos alguns bons jogos. Para não perder a oportunidade de falar deles, vou fazer alguns resumos dos jogos que eu vi e conto com a colaboração de vocês para complementarem.

O sábado começou com a reprise de Dortmund 4×4 Stuttgart, um ótimo clássico alemão, extremamente dinâmico. Destaque para o japonês do Dortmund, Kagawa. O japonês tem feito uma ótima temporada e é ao lado de Gotze, o responsável por trazer o título do alemão para Dortmund.

Segui vendo os dois grandes espanhóis em campo. Primeiro o Real Madrid.

Chega a dar dó, ver os adversários considerados “pequenos” enfrentarem o Real. O time de Mourinho não tem piedade, parte para cima e não se contenta em fazer gols, precisa fazer muitos, se puder todos em um jogo só. O Real venceu por 5×1 o Osasuna, chegou aos 100 gols no campeonato espanhol (em apenas 30 jogos) e faltam apenas 7 para superar a marca do próprio Real do melhor ataque em uma temporada do campeonato.

Depois foi a vez de assistir ao Barcelona contra o time sensação da Europa, o Athletic Bilbao. O primeiro tempo deixou muito a desejar, aliás estou ficando preocupado com a profecia de Guardiola “de que o Barça não conseguiria se manter em alto nível para sempre”. O time acumula duas partidas seguidas com atuações medianas. O segundo tempo foi um pouco melhor, Bielsa resolveu colocar seus melhores jogadores em campo e partir para o jogo. Aí, tanto o jogo do Bilbao apareceu quanto o do Barça.

Destaque para o menino Muniain. É titular do Bilbao e entrou apenas no segundo tempo. Tem tudo para ser um dos destaques das Olímpiadas.

No domingo, teve um Inter e Genoa de tirar o fôlego pelo italiano. A equipe de Milão, chegou a abrir uma ampla vantagem ainda no primeiro tempo, mas viu o Genoa chegar com perigo e quase empatar o marcador. No final 5×4 para a Inter. Mas a crise segue pesada pelos lados azuis de Milão, até Julio Cesar foi expulso.

Juventus 3×0 Napoli foi um jogo que não acompanhei nada, mas confesso ter ficado surpreso com o placar tão firme imposto pela Vecchia Signora sobre o Napoli. Digo isso, porque considero individualmente, o Napoli o melhor time do italiano.

Para terminar o fim de semana, acompanhei aos jogos do Corinthians e São Paulo. No jogo do Corinthians uma vitória tranqüila e que serviu principalmente para tirar a “zica” que rondava Liedson, o camisa 09 marcou dois gols e parece que os placares apertados ficaram no passado a partir de agora.

O São Paulo segue sua sina de jogar um tempo de cada jeito. E normalmente, o primeiro é o pior. Contra o Ituano, não foi diferente, o time foi para o intervalo perdendo de 2×0 e venceu a partida por 4×2. Acima de tudo, o time precisa encontrar o equilíbrio, para não perder uma partida importante, por causa de um mal tempo.

E vocês, o que me contam?