E mais uma goleada sofrida pela CBF…

7x1

Del Nero se afobou, voltou e piorou o resultado.

O “seu apagão” tem tudo para ser uma goleada muito mais dura para a CBF do que a da semifinal em Copa do Mundo.

Marco Polo, aquele que não viaja (desculpa, roubei a definição de alguém, é ótima!) resolveu no medo ou na preocupação em evitar problemas aceitar sem maiores questionamentos a criação da Liga Sul Minas, porém quando a rapaziada da FERJ alegou que era falta de respeito, que o respeito tinha que voltar. Marco recuou.

E agora, também sem parar e pensar o que ia fazer, resolveu dizer que a Liga Sul Minas não poderá existir mais. Que os clubes não tem essa autonomia, que as federações que devem decidir.

Quase que imediatamente depois, a Federação gaúcha e mineira deram ok para seus grandes clubes e tornaram esse “murismo” de Del Nero patético. A vontade dele nesses momentos finais de reinado em evitar qualquer conflito, de tentar passar despercebido, só tumultuam ainda mais.

Com o apoio dessas duas federações, mesmo que as demais não apoiem, a sensação é que Flamengo e Fluminense (onde não terá caixa d’agua para conter o choro dos contrariados) e Coritiba e Atlético-PR seguirão firme com a Liga, ainda mais com Kalil no comando, dirigente que adora uma boa briga.

Del Nero tem tudo para levar uma outra goleada, mas que com certeza, essa segunda será um início para começar a ajeitar a casa do futebol aqui no que já foi o país dele.

Anúncios

E os estaduais tem seus finalistas

image

E os estaduais chegam enfim a sua reta final, como não consigo falar sobre todos eles, me concentrei apenas ao eixo do mal.

Em São Paulo depois de 56 anos, sim 56, teremos um Palmeiras x Santos na final, os dois que começaram como os patinhos feios dessa competição superaram São Paulo e Corinthians e farão a final.

Sinceramente não vejo favorito, são dois times parelhos, meu palpite é que dará Santos, mas é apenas palpite.

Em Minas, o Galo venceu o Cruzeiro e fará a final com a surpreendente Caldense. O time de melhor campanha do estadual, que ainda não perdeu no campeonato, tentará continuar essa campanha e vencer o estadual.

Para o Galo resta fazer valer seu favoritismo e ainda aproveitar o fato de que a Caldense não poderá jogar em seu estádio.

No Rio, a final dos sonhos da FERJ, Botafogo com um gol duvidoso e Vasco com mais um pênalti a favor avançam.

Aposto que para a FERJ ver o “Doutor Eurico” ganhar seja a sensação de trabalho bem feito. De qualquer forma, Doriva poderá ser bicampeão estadual (ganhou o paulista com o Ituano em 2014) e novamente com um bom trabalho, viva a nova safra de treinadores.

No sul, um Grenal. Olha que novidade! O time do Inter parece em melhor momento, mas do outro lado tem o raposão do Felipão. Aquele treinador, especialista em jogo de 180 minutos e só ultimamente.

Para Aguirre será ótimo vencer também, pois trará a paz que ele precisa, já que mesmo fazendo um bom trabalho ainda não a tem.

Só mais um almoço de domingo…

Rolo de macarrao Quem nunca esteve em um almoço de uma tradicional família italiana?

Nosso país possui uma infinidade de descendentes de italianos, mesmo que você não seja descendente da velha bota provavelmente já esteve na casa de algum e de repente já filou uma “bóia”.

Toda boa família italiana, tem na refeição uma grande catarse. É uma barulheira sem fim, você acha que tem um carro de som na rua ou que o pessoal da bolsa de valores foi parar no quarto, ou até que a feira tá rolando no quintal, por fim percebe que é apenas todos os familiares tentando e conversando entre si.

Isso até a boa e velha Mama, a matriarca daquela boa zona chegar com a panela imensa de macarronada para começar o banquete, sem falar que quando ela precisa dar algum recado é como se toda aquela algazarra você desligada da tomada.

Ela sempre terá o silêncio para dar o seu recado.

Assim como a Mama FERJ tem no campeonato carioca.

A diferença é que aqui não se trata de uma boa família italiana, trata-se de um mero campeonato carioca. Onde Luxemburgo e Fred são apenas integrantes da família, que aproveitam alguns instantes para se fazerem ouvidos ou simplesmente fazer sua parte no barulho do “almoço de domingo”.

As declarações de ambos, serviram apenas para todos rirem, acharem de extrema coragem as palavras, para todo mundo quase dar a alcunha de filhos pródigos da família, até a Mama chegar com um rolo de macarrão na mão e bradar que “acabou a palhaçada”.

Fred e Luxa foram punidos, pegaram ganchos, principalmente baseados em um item que os presidentes dos clubes, inclusive de Flamengo e Fluminense assinaram: “É proibido falar mal do campeonato carioca!”.

É sério! Foi assinado um regulamento do campeonato que proíbe que qualquer crítica seja feita ao campeonato. Nem de bobo, ele pode ser chamado.

Luxa e Fred estão certos nas críticas, mas Luxa fez em momento que estava coberto de razão, enquanto Fred procurou a expulsão e depois que conseguiu aproveitou para fazer barulho.

O problema é: “tá, legal, o campeonato está todo errado, e aí?” Falta uma certa atitude mais firme dos clubes, falta o entendimento que eles são os donos do espetáculo, que eles precisam se unir para que todos fortes possam melhorar nosso futebol. E isso envolve, uma ação de clubes, treinadores e jogadores.

Quantos treinadores apoiaram Luxa após as declarações, quantos defenderam Fred? Isso mesmo, zero!

A possibilidade que surgiu de Flamengo e Fluminense e os principais clubes do Paraná se unirem talvez seja o primeiro movimento real para as Mamas (federações) se calarem.

Mas por enquanto, tudo não passa de mais uma gritaria de almoço de domingo, assim que a Mama chegar com a macarronada, o silêncio imperará novamente.