Pitacos: Só me restou levantar, olhar para minha TV e aplaudi-lo. Um show!

Galera do blog, a 28ª rodada se foi e com ela duas goleadas, Ronaldinho em noite iluminada, Fred decisivo e o São Paulo enfim ganhou uma partida decisiva. A rodada teve 26 gols, 7 vitórias dos mandantes, 2 empates e apenas 1 vitória dos visitantes.

A rodada que começou na quinta em virtude das eleições, começou muito mal. A primeira partida foi o insosso 0x0 entre Flamengo e Bahia. O time carioca está oscilando muito nesse segundo turno, se alguns times embalarem na parte debaixo, o rebaixamento pode ficar bem próximo. Para o Bahia que começou o segundo turno avassalador, esse empate é importante para somar pontos.

O Coritiba venceu a Ponte Preta pelo placar mínino anotado por Deivid. O time paranaense começa a escapar do rebaixamento, como já disse anteriormente, o time é muito melhor do que a posição que ocupa. Já a Ponte parece ter sentido a saída de seu treinador e tem grandes chances de trocar de posição com o Palmeiras.

Para fechar a quinta, a Barcelusa voltou a dar o ar da graça. Com três gols de Bruno Mineiro, a Portuguesa atropelou o Sport por 5×1. O Sport parece pronto para fazer companhia para Figueirense e Atlético-GO na Série B em 2013. Já a Lusa, precisa se preocupar em como conseguir manter o elenco para 2013, existem ótimas peças e os grandes times já estão de olho.

O sábado começou com o clássico paulista. O São Paulo dominou completamente a partida e venceu por 3×0 o Palmeiras. Foi nítido que após o terceiro gol, o time tirou o pé, a escalação de Denilson e Wellington juntos foi fundamental para o resultado, permitiu um equilíbrio para o time que não há com Maicon. Já o Palmeiras, resta juntar os cacos pois durante a semana tem mais decisões.

Santos e Inter empataram em 1×1 dentro da Vila Belmiro. Foi a melhor partida do Santos sem Neymar no time, foi longe de ser uma boa atuação, mas o time esteve mais equilibrado e Bernardo conseguiu produzir alguma coisa. Já o Colorado melhorou na segunda etapa, até poderia sair com a vitória, mas o time que mais empata não poderia pensar em resultado diferente.

O Naútico continua a conquistar seus pontos dentro do Aflitos, o time tem 32 dos 37 conquistados em seus domínios. Anteontem, a vítima foi o Corinthians que perdeu por 2×1. Fabio Santos e Paulinho sairão de lá com duas lembranças, o primeiro voltou com uma boa dor nas costas e o segundo pelo reencontro com seu pai antes de começar a partida.

O Vasco foi a Goiânia e conseguiu um ótimo resultado ao vencer por 1×0, gol de Juninho Pernambucano. O gol saiu apenas aos 41 do segundo tempo, mas o time carioca dominou a partida, mas tinha dificuldades para furar a barreira goiana. O Vasco parece que acertou na hora certa, enquanto o Dragão já se contentou em jogar as próximas partida e quando der aprontar alguma.

Parece replay, Fluminense vencendo um clássico por 1×0, gol de Fred. A única diferença é que dessa vez, o adversário foi o Botafogo. O Fluminense não tem brilhado em campo, mas tem sido muito eficiente e conta com Fred em ótima fase, o Botafogo até fez um jogo parelho, principalmente com Seedorf e Elkeson, mas não foi suficiente.

O Grêmio venceu o Cruzeiro por 2×1. O jogo poderia ter sido mais fácil para os tricolores, porém Fabio estava em noite inspirada e evitou uma goleada gremista, além disso, o Grêmio foi surpreendido e terminou a primeira etapa perdendo por 1×0 em falha de Marcelo Grohe. Na segunda etapa, os reservas viraram o placar e Fabio evitou uma tragédia para a Raposa.

Para acabar, a iluminada noite de Ronaldinho Gaúcho. Todo mundo sabe, o quanto considero ele questionável, mas quem viu o primeiro tempo no Independência lembrou daquele mesmo Ronaldinho que fez um Santiago Bernabeu se levantar para aplaudi-lo, eu fiz o mesmo em casa. O jogo terminou 6×0 para o Galo, Ronaldinho fez 3 e deu duas assistências, só não participou do último, provavelmente porque não quis.

Pitacos: Muita dedicação e entrega, às vezes é melhor do que apenas talento.

Galera do blog, ontem eu acompanhei o jogo entre Botafogo 3×1 Palmeiras. Apesar da vitória, o Botafogo deixa a competição por ter perdido o jogo de ida por 2×0.

O Botafogo veio a campo no seu tradicional 4-2-3-1 com um atacante de ofício dessa vez (Rafael Marques) e com sua linha de meio de campo composta por Andrezinho (direita), Seedorf(centro) e Elkeson(esquerda).

Já o Palmeiras veio no seu 4-4-2 em losango que o levou ao título da Copa do Brasil, a única diferença é que Mazinho foi recuado para a função de armador, enquanto Obina foi o atacante de lado de campo com Barcos de centroavante.

O desenho do jogo não podia ser outro, a não ser o do Botafogo atacando e o Palmeiras buscando o contraataque para definir a partida.

O Botafogo me impressiona pela movimentação ofensiva do meio de campo, as trocas de passes, a boa movimentação dos laterais, de Elkeson e Andrezinho mais as subidas de Renato são interessantes ainda mais com Seedorf alimentando tudo isso. Mas falta algo, falta um “Q” de vibração no time, de uma pouco mais de energia.

Características que sobram no Palmeiras, o time é nitidamente limitado, ontem então, os desfalques atingiam a marca de 12 jogadores, ou seja, estava longe de ser o melhor Palmeiras em campo.

O Botafogo até abriu o marcador no primeiro tempo com a ajuda do bandeirinha, um lance difícil, Lucas apareceu impedido pela direita e rolou sem querer para Seedorf abrir o marcador.

O gol que serviu para empurrar o Botafogo ainda mais para o ataque, não tirou o foco da equipe paulista que conseguiu em grande jogada de Barcos empatar com Patric no fim do primeiro tempo.

No segundo tempo, só restava ao Botafogo partir com tudo para o ataque e o time teve razoável sucesso, conseguiu fazer 3×1 antes do 30 do segundo tempo, mas faltou perna e um pouco de sorte no final para conseguir o gol que daria a classificação.

No fim, o Palmeiras se classificou na raça jogando com um time todo remendado e deixando claro que o time é muito limitado para um campeonato longo como o Brasileirão, mas que na Sulamericana pode ir longe.

Já ao Botafogo resta o consolo da boa vitória e de que o time precisa achar algo um pouco invisível para se explicar, mas fácil de notar a ausência dele, o time é muito bom, mas precisa dessa vibração, dessa intensidade maior.

Mano aprendeu um pouquinho e Kaka não desaprendeu!!

Hoje a noite, quando Brasil e Argentina forem a campo, a provável escalação brasileira será: Jéfferson, Danilo, Dedé, Réver, Cortês, Ralf, Rômulo, Lucas, Neymar, Ronaldinho e Borges.

Independente das preferências de cada um, Mano optou em escalar inicialmente a maioria daqueles que ele convocou pela primeira vez. Particularmente, fico muito feliz pela opção de Mano.

Acredito que se você está convocando alguém pela primeira vez, a melhor forma de sentir o comportamento do jogador é escalá-lo desde o início do jogo, assim fica mais fácil perceber se “fulano” serve para vestir a amarelinha.

Lógico que a corneta não pode faltar. Elkeson, Diego Souza e Emerson também deveriam começar jogando. Até porque, de nada adianta chamar esses jogadores e colocá-los com 30 do segundo tempo.

Eu começaria o jogo com Jefferson, Danilo, Rhodolfo, Emerson, Cortes, Romulo, Elkeson, Diego Souza, Neymar, Lucas e Borges.

Contudo, a melhor notícia que Mano podia receber foi a volta de Kaká. E não a volta aos gramados, pois ela já ocorreu, mas sim a volta do seu futebol. Kaká participou dos três gols do Real na vitória de ontem.

Sendo que no gol marcado por ele, a comemoração foi em tom de desabafo, ao invés da tradicional mãos para cima agradecendo aos céus, ele bateu com raiva no peito, como se dissesse, eu voltei, po$$@!!

Que Kaká volte a jogar seu brilhante futebol para ajudar Mano a organizar o Brasil, e que Mano aproveite a convocação para testar de uma vez os convocados. Mano precisa criar um time, não uma coleção de jogadores convocados.

Mano e suas experimentações!

Mano Menezes soltou mais uma convocação ontem, na verdade foram duas, uma para o amistoso contra a Argentina, e outra lista para os amistosos contra Costa Rica e México.

A diferença básica está que na segunda lista, Mano pode convocar os denominados jogadores “estrangeiros”.

Sobre a lista de estrangeiros, a surpresa ficou pela convocação do atacante Kléber. E olha que não estamos falando do Gladiador, esse Kléber joga no Porto-POR e assumiu a vaga deixada por Falcão Garcia no ataque da equipe campeã da UEFA. Não conheço o futebol do jogador, é esperar para ver.

Destaque também para o “perdão” dado a Hernanes. E para a teimosia com Lucas Leiva, Sandro e Fernandinho.

Falando da lista feita apenas com jogadores que atuam no Brasil, Mano acatou o apelo popular e levou Diego Souza, Elkeson e Borges. Mas aí que começa as minhas revoltas com a seleção.

De nada adianta convocar esses jogadores e não colocá-los para jogar. Dizer que perceber como se comportam na concentração já é suficiente, é bobagem. E a mesma coisa que dizer que alguém é bom para o emprego apenas por se vestir adequadamente.

Tem que por para jogar, e não adianta colocar com 15 do segundo tempo. Na minha opinião, tem que começar jogando, só assim dá para ter mais argumentos sobre a continuidade ou não de determinado jogador na seleção.

Por exemplo, Ronaldinho Gaúcho e Fred dispensam apresentações, portanto, podem começar no banco e se Borges e Elkeson não derem conta do recado, eles assumem a bucha no segundo tempo.

Veja o caso do Lucas, o garoto é considerado uma das promessas do futebol brasileiro, contudo Mano convocou ele para sei lá quantos jogos e acho que o menino somando suas participações deve ter atuado menos de um tempo. Será que já deu para avaliar que ele tem condições ou que ele não tenha condições.

Essa falta de experimentação de verdade, faz com que Mano fique eternamente experimentando e nunca consiga montar seu time ideal. Mano precisa acreditar na própria convocação, para que nós possamos acreditar no time.

Espero que na próxima quarta, o time que saia jogando seja Rafael, M. Fernandes, Emerson, Rhodolfo e Cortês; Rômulo, Casemiro, Elkeson e Diego Souza, Neymar e Borges. Isso sim, seria testar os jogadores convocados.

Para quem ainda não viu a lista de convocados, clique aqui.

Pitacos: 23ª rodada do BR-2011

Galera do blog, esse fim de semana estava em “retiro espiritual” portanto não assisti a nenhum jogo, vi apenas alguns lances do jogo do Santos e do Palmeiras, portanto vamos fazer uma análise geral da tabela.

Na parte de cima, o Corinthians apesar de todo o esforço segue líder, os otimistas dirão que isso significa que o lugar é para ser do Corinthians, os pessimistas dirão que o time podia já ter aberto uma diferença para o segundo colocado. Fato é que a cada rodada, aumenta o número de postulantes ao título, agora Inter e Fluminense chegaram. Hoje, vejo Botafogo (apesar da derrota), Fluminense e Inter em melhor momento, Corinthians, São Paulo e Vasco são os times que não embalam, e Palemiras e Flamengo estão ladeira embaixo.

Entre esse novo grupo de favoritos ao título, algumas considerações:

Como tem jogado o Damião, é um absurdo o que esse cara joga, atacante de primeira estirpe, daqueles que vi jogar, Damião se assemelha a Van Basten e Ibrahimovic, atacantes altos, mas muito habilidosos.

O Botafogo levou um passeio do Coxa, mas o meio de campo do alvinegro é na minha opinião o melhor do Brasil, Elkeson e Renato são os donos, Maicossuel nasceu para jogar no Bota e Marcelo Mattos tem feito muito bem o trabalho sujo.

São Paulo, Corinthians e Vasco precisam decidir se querem mesmo o título, o cruzmaltino até tem motivo para não levar tão a sério, agora os paulistas precisam embalar de vez, pois daqui a pouco alguém passa e pega a liderança e eu garanto que não devolvem mais.

Pitacos: Botafogo 0x2 Corinthians

Galera do blog, ontem acompanhei ao jogo entre Corinthians e Botafogo no Engenhão.

Confesso que colocava um pouco mais de fé no time do Botafogo que realmente não é ruim, mas é impressionante como o time do Corinthians parece hoje ser o dono da situação.

O jogo começou com o Botafogo fazendo aquela tradicional pressão do time da casa, mas que assustou somente em chute de Herrera que acertou a trave, fora isso apenas o duelo particular entre Caio e Fabio Santos. O Corinthians ensaiava o contra ataque mortal, até que em jogada tramada errada por Danilo, a bola sobrou para Jorge Henrique fazer ótimo passe para Fabio Santos que só teve o trabalho de procurar o Liédson para o atacante empurrar a bola para o fundo da rede. O gol praticamente decretou o final do primeiro tempo.

Veio o segundo tempo e pouca coisa mudou, na verdade a única mudança perceptiva era o nervosismo do time botafoguense, era nítido que essa confiança corintiana abalou os nervos do adversário, o time carioca começou a pressionar mas de forma muito desorganizada, era evidente que a sensação era de que em questão de tempo, o Corinthians chegaria ao segundo gol. Contudo, os corintianos preferiram dar um pouco mais de emoção para o jogo e cansaram de perder gols, até que nos acréscimos em contra ataque rápido Paulinho decretou números finais.

Pelo Botafogo senti que Maicossuel e Elkeson foram muito abaixo do esperado, o time possui bons jogadores no meio, mas ainda pouquíssimo entrosado. O time vai oscilar grandes partidas com alguns apagões.

Já o Corinthians, está longe de ser um time que empolga, pelo contrário, irrita, pois a especialidade do Corinthians é não deixar o adversário jogar, o alvinegro parece vencer seus jogos na questão psicológica e dessa forma vai fazendo uma campanha formidável com enorme aproveitamento de pontos, ganhando uma gordura incrível para o time e consolidando o time atualmente como o melhor do Brasil e o time a ser batido.