Rapidinhas do Camisa 10 – 13.11.2013

Luxa13112013

Pojeto perseguido… Eu sei que Luxa se esconde atrás de discursos prontos para justificar seus fracassos, mas sinceramente nos últimos tempos, tirando o trabalho no Galo, os demais não foram péssimos trabalhos. A questão é se todo mundo espera que o Luxa chegue e torne o time o melhor do mundo. Luxa ainda é um bom técnico, mas deixou de ser o melhor do Brasil a muito tempo.

A polêmica do ingresso. Lógico que é uma sacanagem o Flamengo aumentar tanto o valor do ingresso para a final da Copa do Brasil, mas sacanagem maior é querer simplesmente acusar o Flamengo ao invés de sentarem e criarem regras mais condizentes com essas práticas, pois o Flamengo é o dono do espetáculo e pode cobrar o quanto achar justo por ele, já que ninguém regulamenta esse preço.

Menino do rio. Falando em regras para a melhoria do nosso futebol, o que dizer de Dorival Junior, o treinador terá a proeza de dirigir o terceiro grande time carioca dentro do mesmo ano. Depois de Flamengo e Vasco, ele irá assumir o Fluminense nessa reta final. Além da falta de regras para evitar essa “prostituição” dos treinadores, é de se admirar como os cariocas amam Dorival, o treinador irá manter seus vencimentos mensais em 600 mil. É ou não é, o menino do Rio?

A amante virou opção… Sem nenhum pudor, o Palmeiras foi atrás de Bielsa para ser o treinador do time em 2014, mas ouviu de El Loco tanta exigência que voltou atordoado e decicido a conversar com Kleina. O treinador que era certeza de desempregado, virou a primeira opção do alviverde. Sinceramente, compreendo a honestidade com que Nobre tentou tratar essa situação, mas que fica bem desconfortável agora para todo mundo fica.

Recado de quem manda.. Pode parecer apenas discurso pronto, mas para quem conhece Ceni sabe o quanto ele não faz esse tipo de declaração. Se ele disse, é porque ele acredita realmente, O capitão tricolor já mandou avisar, independente de quando for a sua despedida, Denis é o substituto ideal dele. Ceni rasgou elogios ao seu reserva e acredita que Denis além de ser excelente goleiro, já respira São Paulo a muito mais tempo do que qualquer outro que poderia chegar.

Premio Puskas. Neymar entrou mais uma vez na lista. Sinceramente, dessa vez foi muito mais pelo nome do que propriamente pelo gol. Entre os finalistas, quero acreditar que não tenha como o título não ir para o sueco Ibrahimovic. Para quem não lembra aquele gol dele contra a Inglaterra em um amistoso, só pode fazer parte da lista este ano. O gol é plástico demais e além de tudo, dificilmente você verá algo igual na sua vida, portanto ele merece o prêmio! Relembre: http://www.youtube.com/watch?v=Ck5P30zC3Z0

A Série B é verde! Ainda faltam 3 rodadas para o fim da Série B e a disputa pela duas vagas restantes de acesso promete ser emocionante, 9 times disputam essas vagas, mas o mais curioso é que apenas times que possuem o verde como cor predominante podem ser os classificados para a Série A do ano que vem. Palmeiras e Chapecoense já estão garantidos, Icasa que vem em ótima fase nessa reta final, tem tudo para abocanhar uma vaga e apesar de não ser o meu favorito, o América-MG pode levar a última vaga. Assim sendo, somente alviverdes subirão para a Série A.

Quem vai pagar o Pato? Passado uma temporada inteira de Pato no Corinthians, eis que todo mundo chega a conclusão do que eu sempre disse. Pato é apenas um bom jogador, não uma estrela. Para mim, a diferença dele entre Dagoberto é que um foi cedo para o Milan o outro ficou em litígio com o Atlético-PR. São jogadores com potencial enorme, mas que vivem de desafios individuais, nunca estão em sintonia com o grupo que atuam, cabe ao treinador aproveitar o que de melhor pode tirar desses atletas.

Um sopro do nosso saudoso futebol… É lindo ver o Santa Cruz subindo de divisão! Além de toda a tradição que o clube possui, é apaixonante ver sua torcida enchendo o estádio e dando média de fazer inveja em qualquer clube da elite nacional. A paixão existente entre torcida e clube faz acreditar que ainda dá para resgatar esse sentimento. E que os estádios cheios passem a ser uma realidade no país do futebol.

Dúvida da semana… Quem está afim de brigar com Felipão? O último acabou de perder a Copa do Mundo…

Pitacos: A bipolaridade de uma caixinha de surpresas.

Imagem

Galera do blog, ontem eu acompanhei a derrota do São Paulo para o Atlético-GO por 4×3.

Mais uma vez, serei repetitivo e direi que o jogo foi o resumo do que tem sido o time nesse ano. Um time bipolar, completamente desorganizado que oscila bons jogos, com atuações vexatórias.

O primeiro tempo de ontem ficou dentro do cenário vexatório. O time até começou com boas trocas de bola e maior posse da redonda, mas bastou uma bola parada para o Atlético desmoronar o castelo de areia tricolor.

Edson Silva trombou nos próprios companheiros, Tolói chegou atrasado e a bola sobrou livre para Marino abrir o marcador. Gol que ainda teve a ajuda de Dênis que não teve força para rebater a bola para longe.

A partir daí, a apatia baixou sobre o time, a falta de confiança e a desorganização tática que ainda existe no time foi fator dominante sobre o elenco. Todos queriam subir e resolver a partida. Resultado, o time goiano soube aproveitar e terminou o primeiro tempo com uma vantagem assombrosa de 4×1.

Independente do pênalti inexistente que foi marcado, a postura do time durante o primeiro tempo é inconcebível para um time grande.

Veio o segundo tempo e Ney Franco decidiu tirar Edson Silva e Douglas, ambos amarelados. Nos seus lugares entraram Rodrigo Caio e Casemiro, trazendo o time de novo para o 4-4-2 e ter um lateral mais marcador. Casemiro entrou muito bem na partida e ao que tudo indica um sentimento de vergonha também baixou na equipe, que resolveu correr um pouco mais.

 

O resultado foi o time conseguir 2×0 no segundo tempo e diminuir a tragédia que se desenhava no primeiro tempo. Jádson de pênalti e Tolói em um golaço de fora da área levaram o tricolor a acreditar no empate, que até ficou perto, mas no final a derrota por 4×3.

 

O problema da derrota não foi pelo resultado ou pelo adversário, apesar de que o normal seria a vitória, o problema foi a postura no primeiro tempo. É nítido que esse time perdeu tempo demais, insistindo na “ausência de tática”, Ney terá muito trabalho para organizar esse time, enquanto isso, todo jogo do São Paulo seguirá a máxima do futebol será “uma caixinha de surpresas”.

 

 

Pitacos: Muito trabalho para os paulistas, e um Galo forte de vez..

Galera do blog, esse fim de semana acompanhei dois jogos. No sábado, assisti a Figueirense 3×4 Atlético-MG e no domingo a Palmeiras 1×1 São Paulo.

O jogo de sábado foi uma grata surpresa, o jogo foi muito movimentado e contou com a pouca inspiração dos sistemas defensivos o que permitiu esse alto número de gols.

Pelo Atlético-MG, Ronaldinho, Marcos Rocha, Guilherme no segundo tempo e principalmente Bernard foram os destaques do time. Ronaldinho parece um pouco mais concentrado em jogar futebol, lógico que alguns querem aquele Ronaldinho de 2004/2005, mas esse foi o estranho, o certo é ver ele atuando bem como está acontecendo pelo Galo.

Além disso o “pequenino” Bernard vem se firmando cada vez mais no time atleticano. De futebol ágil e de muita verticalidade, o meia é a principal arma para destruir as defesas adversárias.

Guilherme se voltar bem será outra ótima peça e Marcos Rocha vive seu melhor momento na lateral direita.

Em resumo, o Galo continua com um bom time, como nos últimos anos, mas dessa vez mais experiente, mais cascudo, ainda tenho um pé atrás com o emocional do comandante do time, mas se Kalil conseguir segurar isso, o Galo irá chegar.

Vamos ao clássico paulista, antes de iniciar o jogo, o cenário era todo favorável ao São Paulo. O time ia enfrentar o rival de ressaca do título e cheio de desfalques, enquanto o tricolor iria estrear seu técnico novo, seu zagueiro novo e seu esquema novo.

E a partida começou com o domínio tricolor, principalmente pela boa trama pelas laterais, ora com Cortez, ora com Douglas, mas apenas na bola parada o São Paulo chegou ao gol. Mais uma vez Jádson encontrou Luis Fabiano livre para empurrar a bola para o fundo das redes.

O gol despertou o Palmeiras para o jogo, que passou a jogar da forma que chegou ao título, de maneira guerreira e principalmente com muita aplicação tática. No primeiro tempo, o jogo seguiu equilibrado, mas uma mudança ainda na primeira etapa foi fundamental para a segunda etapa. Mauricio Ramos sentiu uma lesão, Felipão aproveitou e colocou Maikon Leite no lugar, passando o time para um 4-3-3.

Essa mudança travou os laterais tricolores que passaram a depender de Casemiro e Cícero para saírem com a bola e ambos foram desastrosos na partida.

O segundo tempo foi de domínio total do time palmeirense, mesmo com Henrique expulso, o time de Felipão acuou o São Paulo e foi atrás do empate de qualquer forma. E aí apareceu Dênis, o goleiro são paulino foi muito bem na partida evitando o empate palmeirense até os 36 da segunda etapa.

Nos minutos restantes, o São Paulo quase encontrou o gol da vitória com Rodrigo Caio, o que seria uma tremenda injustiça. O Palmeiras merecia a vitória, foi superior na partida, mas encontrou Dênis em tarde inspirada para segurar o empate no clássico.

Para o Palmeiras, muito trabalho a fazer em virtude das rodadas deixadas para trás por causa do título. Pelo São Paulo, muito trabalho a fazer devido ao limitado elenco que possui.

Pitacos: Sansão de arrancar os cabelos!!

Galera, ontem foi dia de acompanhar ao clássico San-São.

Que clássico formidável, 3×2 para o São Paulo em um show de Lucas e a mostra que às vezes um futebol desequilibrado e que só pensa em atacar pode funcionar.

Os primeiros 30 minutos foram todos do São Paulo. Foram 10 chutes contra nenhum. No segundo chute dessa sequência, Casemiro contou com o desvio de Dracena para enganar Rafael e abrir o marcador. Os oito chutes seguintes, oscilaram entre chutes perigosos e outros nem tanto. Mas, o São Paulo jogou fora a chance de tentar ampliar o marcador e ir para o chuveiro um pouco mais confartável.

Nos 15 minutos seguintes da primeira etapa, o Santos conseguiu equilibrar um pouco mais as ações, principalmente com Arouca. Ganso e Neymar foram muito bem marcados. Denilson contou com a pouca inspiração de Ganso e Rodrigo Caio foi um marcador implacável de Neymar, o craque praticamente não jogou no segundo tempo. Porém, Caio recebeu um amarelo que iria complicar ele mais tarde.

Veio o segundo tempo, e Muricy promoveu a entrada de Elano no lugar de Ibson. O time santista melhorou e passou a dominar as ações no meio de campo, principalmente com Elano. E em um escanteio cobrado por ele, Dênis saiu mal e a bola sobrou para Dracena empatar a partida. Quase que no lance seguinte, Caio chegou pesado de novo em Neymar, mas se a falta podia ser discutível o conjunto da obra não, Caio levou o segundo amarelo e foi expulso.

Com a expulsão, Muricy resolveu por o time mais pra cima, enquanto Leão tirou Jadson e promoveu a entrada de Piris para repor o setor. Piris podia mais uma vez enfrentar Neymar, assim como na época de Cerro Porteno. A partir daí, O Santos passou a manter mais a bola em seu ataque, e o São Paulo buscava acertar um bom contra ataque e aí surgiu o talento de Lucas.

Em rápido contra ataque puxado pela jóia são paulina, ele lançou Luis Fabiano que tentou driblar Rafael e foi impedido, pênalti marcado para o São Paulo. Lógico que não houve o contato entre Rafael e Fabiano, mas só porque Fabiano pulou, caso contrário seria atropelado pelo goleiro. Se não fosse pela tentativa de Rafael, Fabiano teria marcado o gol, como Fabiano teve que pular para evitar o contato, entendo o pênalti como correto. Luis Fabiano foi para a bola e botou novamente o São Paulo na frente.

E nesse clássico maluco, o São Paulo com um a menos conseguiu pressionar o time santista e jogava melhor quando em um lance isolado, Kardec achou Neymar com espaço. E o craque santista precisou de um único espaço para anotar o seu gol. Essa para mim, é a diferença de um craque, Neymar foi muito bem marcado o jogo inteiro, mas uma bola que ele teve limpa decidiu a partida. Toque de craque!

Mas, o jogo não podia terminar por aí, tinha que ainda reserva uma polêmica. Já nos apagar das luzes, Lucas partiu em outra rápida arrancada e deixou Cortez na cara do gol, o lateral desequilibrado mandou a bola na trave que caprichosamente caiu no pé de Lucas que só teve o trabalho de empurrar a bola para o fundo das redes e premiar sua atuação. O único problema é que Lucas marcou o gol em posição de impedimento.

Individualmente, o São Paulo deve comemorar a recuperação de Lucas e Casemiro, as duas promessas foram os melhores em campo. Outro destaque, foi a dupla de zaga, o time jogou mais próximo uns dos outros, consequentemente, os zagueiros puderam jogar menos pressionados e aí Rhodolfo e Paulo Miranda mostraram suas qualidades. Menção honrosa para Dênis também, quando o idolo aposentar, o time estará em boas mãos.

No Santos, Ganso teve atuação apagada. Arouca foi bem. Elano ganhou pontos dessa vez, em compensação Adriano precisa recuperar tempo de bola, para mim o volante cometeu dois pênaltis e quase não conseguiu desarmar sem fazer falta ontem. Borges está em má fase, e Kardec começa a merecer uma “chancezinha”

De qualquer forma, o São Paulo (mesmo com um gol irregular) foi merecedor da vitória, jogou melhor que o Santos.

Dá-lhe Brasileirão!

Mais uma grande rodada do Brasileirão, destaque da rodada ficou para a partida entre Sport x Flamengo. O jogo terminou 4 x 2 para o Sport, mas o detalhe interessante é que este placar foi construído no primeiro tempo. Destaque para o esforçado atacante Roger e o talentoso Weldon do time do Sport.

Sport 080609No considerado, grande jogo da rodada, Cruzeiro x Inter, o destaque foi o árbitro, com uma atuação ridícula, o senhor Antonio Hora Filho tumultuou e estragou um jogo que tinha tudo para ser um grande jogo. Destaques positivos para o Taison e o Guinazu como esses dois jogam no Inter.

O São Paulo foi até Floripa para embalar, mas não saiu do 0x0. A partida merecia gols, não foi um grande jogo, mas os dois times tiveram oportunidades de abrir o placar, com uma leve vantagem para o Avaí. Destaque para os dois goleiros, Denis e Eduardo Martini, o goleirão são Paulino vem conquistando sua torcida e tem tudo para assumir o gol tricolor.

No Parque Antártica, o Vitória mostrou ser um grande time, mas foi castigado duramente, o time baiano foi muito superior ao Palmeiras, que conseguiu vencer com um gol nos acréscimos. Luxemburgo tem que mostrar ser merecedor de uma folha de pagamento tão atual, o Palmeiras possui bons jogadores, mas o treinador ainda não encontrou a formação ideal.

Galo 080609Para fechar, vou falar da fantástica vitória do Galo, como mencionado por este blogueiro aqui, o Galo possui um bom time sim, que precisava apenas de tempo para se entender. Tudo bem, que o Atlético PR é favorito ao rebaixamento, mas o Galo não tomou conhecimento do time em plena Arena da Baixada e atropelou o Furacão.

Esse Brasileirão, já pegou gosto logo no começo!!

Eles foram os culpados!

São Marcos, Braghetto e o aspirante a coroinha Denis foram nessa ordem os principais responsáveis pelo 0x0 ontem.

O que se viu ontem no clássico, foi mais uma vez um jogo péssimo. Cada equipe jogou um tempo, o primeiro foi todo do São Paulo e o segundo do Palmeiras.
Pal x SP 250509

O São Paulo entrou em campo ainda desfigurado, Richarlyson jogou improvisado na zaga, Hugo mantido como titular e Borges ainda fora de combate. Enquanto o Palmeiras não tinha o excelente volante Pierre.

No primeiro tempo, o São Paulo tomou conta das ações, na verdade Dagoberto sozinho infernizou o sistema defensivo palmeirense, quando não eram as jogadas criadas por ele, eram os escanteios conquistados pelas jogadas dele. Foram nessas oportunidades que o São Paulo teve a chance de abrir o marcador, mas parou na excelente fase de Marcos.

Veio o segundo tempo, e Luxa resolveu mostrar que às vezes sabe mexer no time, arrumou as besteiras que tinha feito e o Palmeiras passou a dominar a partida, e aí foi a vez de Denis aparecer muito bem no gol são paulino.

Sobre a arbitragem, para variar no nosso Brasil, eles são péssimos. Ontem o juiz errou feio, principalmente nos critérios dos cartões. Na verdade, o grande problema dos nossos árbitros é querer compensar o erro.

Veja a história de ontem, Braghetto demorou para amarelar os jogadores palmeirense que desciam a lenha em Dagoberto, quando fez deu amarelo para Jumar que na jogada seguinte merecia a expulsão, como não havia expulsado Jumar resolveu não marcar o pênalti de Miranda em Diego Souza, e aí resolveu não amarelar novamente os jogadores do Palmeiras, mas se viu obrigado a expulsar Mauricio e pra ficar tudo certo expulsou Richarlyson.

Ou seja, lambança atrás de lambança. E assim segue a vida no Brasileirão-2009.