Ele acha que sabe tudo…

image

El Profe não deve estar entendendo nada.

Quando viu o presidente do São Paulo aparecer na Colômbia para contrata-lo, ficou muito agradecido, viu o projeto que lhe foi apresentado, o plantel disponível, a posição que ocupava na tabela e a real chance de menos que não fosse necessário, mas de ganhar um título.

Eis que menos de um mês da sua chegada, Doria, Rodrigo Caio, Paulo Miranda, Denilson e Souza já foram. Ainda existe possibilidade de outros saírem. Ou seja, outro time.

A torcida não deve estar entendendo nada.

Viu o time começar a melhorar com Milton e viu na chegada do Osório, o professor que faltava, mentalidade nova. Já nos primeiros treinos, intensidade diferente e a sensação de que agora vai.

Para melhorar, o time começou bem na tabela e abriu vantagem sobre os possíveis rivais ao título, de repente, três tropeços seguidos e tudo volta a ser colocado em cheque. A sensação de que mais uma vez esses pontos deixados no caminho farão falta para alguma coisa.

Já Aidar deve achar que entende tudo, que o mais importante é vender a dupla de volantes titular, que não tem problema nenhum contar uma “mentirinha” para os jogadores, que tudo bem atrasar quatro meses de “dindim” em um clube reconhecido pelo contrário, que faz parte mudar o combinado com o novo treinador.

O São Paulo de hoje é pior do que o de quinze dias atrás, mas muito melhor do que o do início do ano.

Osório e torcida precisarão entender cada vez mais que dentro de campo o caminho é promissor, que só precisam evitar que quem acha que entende tudo continue errando tanto.

Anúncios

A tal coisa muito errada…

SPFCsemsangue

Se você é treinador e sabe que o próximo time que você irá treinar tem Rogério Ceni, Souza (jogador de seleção), Michel Bastos, Ganso, Pato, Kardec e Luis Fabiano. Além disso, bons nomes como Toloi, Denilson e Carlinhos e as apostas Hudson, Thiago Mendes e Centurion. Você ficaria feliz?

Com todo o respeito aos demais times, o São Paulo possui o elenco com o maior número de jogadores de nome. Hoje é difícil comparar tecnicamente, ainda mais depois da traulitada que levou do Palmeiras, mas se o tricolor fosse um time de videogame era tranquilamente mais forte que seus rivais nacionais.

Porém, o videogame isenta a única coisa que faz o futebol ser esse esporte tão surpreendente, a cabeça, o lado psicológico do time.

Sim, lado psicológico do time.

O time é uma parte de um organismo vivo chamado clube. E como um bom organismo vivo o equilíbrio do seu corpo é fundamental para que ele funcione bem. Ataíde Gil Guerreiro ontem disse após o jogo que “alguma coisa muito errada está acontecendo”.

Sim Ataíde, você está certo e tudo começa de onde você está sentado. A diretoria está rachada, não se entende e por fim decidiram atrasar o São Paulo por causa de ego. Isso invariavelmente chega no time, por maior que seja a blindagem, quando uma diretoria está descoberta, perguntas sobre bastidores respingam toda hora aos jogadores, seja sobre salário atrasado ou sobre quaisquer discussões de vocês.

Exemplo concreto, o São Paulo deve em quantidade de meses muito menos do que o Corinthians deve aos seus atletas, agora veja o alarde que foi isso a alguns dias atrás para o São Paulo e veja se alguém bate firme no Corinthians sobre isso, porque? Todos na diretoria estão defendendo o clube.

Não acho que os jogadores do São Paulo não tenham personalidade para enfrentar um clássico. Kardec já foi decisivo várias vezes em clássico, seja por São Paulo, seja por Palmeiras, Ganso sempre mostrou personalidade forte, Ceni nem precisa dizer. O problema está no São Paulo.

O São Paulo Futebol Clube está sem confiança, está irritadiço.

A coisa muito errada a qual você se refere meu caro é Ataíde, é uma coisa só mesmo. É o São Paulo!

Os “sims” do Futebol!!

Futebol imita a vida, ou a vida imita o futebol.

Ontem, foi daqueles dias repletos de partidas. Acompanhei Atletico de Madrid 1×0 Juventus, Botafogo 2×3 Santos e vi o segundo tempo de Corinthians 2×0 Atlético-MG. Comecei vendo um argentino levar a Libertadores para dentro da Champions League e terminei vendo uma dancinha ridicula do Mano Menezes que parece ter adquirido o mesmo complexo de Dunga.

Mas, entre essas partidas, assisti ao jogo do Santos e vi Robinho jogar. É impressionante a relação de Robinho com o Santos, ele nasceu para jogar lá, tanto que durante a transmissão na TV, o comentarista Ledio Carmona disse “eles (Santos e Robinho) foram feitos um para o outro, igual a um casamento”.

E aí fiquei pensando na questão do matrimônio que Ledio mencionou. Primeiro, achei bacana porque a visão dele ainda considera o lado romântico de tratar um casamento como um laço perfeito entre duas pessoas. Depois, fiquei ainda pensando como essas relações jogadores-clubes representam por muitas vezes algumas relações que acontecem ao nosso redor.

Ceni – São Paulo: Essa é aquela relação de casamento da família tradicional apostólica romana. Se casaram por conveniência, e aprenderam a se gostar. Hoje se amam, ninguém imagina um, sem falar do outro, se fosse um casamento real, estaria comemorando bodas de diamante. Seria aquele casamento que você só visualiza no seus avós, acha muito bacana, mas vire e mexe concorda que será bem díficil algo parecido acontecer nos dias de hoje.

Valdivia – Palmeiras: Sabe aquele casamento que você olha de fora e não entende porque dá certo. Que fica a sensação de que um é muito diferente do outro, que normalmente pedem um tempo, para pensar, mas no final não conseguem viver sem? Então, assim é o chileno e o alviverde. O Chileno abusa do Palmeiras, faz o que bem quer, mas lá no fundo, algo faz o Palmeiras acreditar nele. É como se fossem filhos de pessoas criadas na relação acima, portanto forçam um casamento infeliz porque entendem que é obrigação dos dois fazer ele dar certo.

Fabio – Cruzeiro: Uma espécie de casamento arranjado. Fabio era feliz no Vasco, Cruzeiro era feliz com Gomes. Mas, todo mundo entendeu que seria melhor para eles largarem seus amores e apostarem em uma relação direita. E assim fizeram, muito religiosos aceitaram que a escolha fosse feita por outros. Tanto é que você não enxerga que um precise tanto do outro, mas estão lá, a 10 anos e possuem um carinho imenso um pelo outro. Carinho e só.

Existem aqueles como Diego Souza, Luizão (centroavante), Romário e entre outros que gostam de casar. Gostam tanto, que casaram com vários clubes, uma espécie de jogador Fabio Junior, bobeou, tá casando. Existem os casamentos tipo Denilson Show, que enquanto esteve no São Paulo amou de verdade o clube, mas depois quando foi para o Palmeiras amou também o alviverde, a ponto até de destratar o ex-amor.

E por fim, Ledio despertou meu imaginário por causa de Robinho que parece ser feliz apenas no Santos, e me fez comparar os casamentos reais com os casamentos do futebol. Mostrando mais uma vez que o futebol imita a vida. Qualquer dia desses, escreverei sobre como o jogador em campo, reproduz muito da personalidade dele no dia a dia.

Entre presente do céu, volta da Liga, criador e criatura.

Juvenal

Quem assistiu a entrevista de Juvenal ontem?

Entre várias risadas, comentários sem pé nem cabeça, a sensação de que ele parou em 2010 (insistiu em chamar Lula de presidente do Brasil), e muitas outras galhofas, algumas coisas foram interessantes.

Dividirei em três blocos: Política no São Paulo, Futuro do futebol e Kaká.

Política no São Paulo

A sensação clara que ficou é que tanto Aidar como Juvenal são egocêntricos, não tem espaço para dois pavões no clube. Ou Aidar, ou Juvenal. Aidar decidiu mexer em toda a estrutura de Juvenal, logicamente exagerou nos discursos e expôs o clube desnecessariamente, quase como um ato de defesa caso fracasse. Já Juvenal prometeu infernizar a vida de Aidar até o final de seu mandado.

Acredito que o fato de Muricy ser o treinador atualmente ajudará para que nada atinja o time, já que o treinador conhece os corredores do Morumbi como poucos, saberá a quem procurar e como blindar o elenco.

A história de criador e criatura se confunde um pouco, já que Juvenal teve espaço no São Paulo, graças a Aidar em sua primeira passagem. A sensação é que o criador pela primeira vez, conseguiu voltar para derrubar a criatura.

Futuro do futebol

Juvenal deixou muito claro e foi o que mais me preocupou que se ninguém fizer o futebol está condenado mesmo. Que os clubes precisam se unir, voltar a ter uma liga que pense no interesse de todos, pois assim, o futebol segue forte, hoje o modelo é igual ao da Espanha, e tudo mundo viu qual o resultado disso. Dois clubes muito fortes e só.

O que mais me impressionou foi a consciência de que qualquer dirigente hoje sabe disso, mas aceita, se corrompe e nada faz. Os dirigentes de clubes pensam em um planejamento referente ao tempo de mandado e não em fazer algo de benéfico para o clube.

Segundo Juvenal, a solução mais simples (e a qual eu já defendia) é a intervenção do Ministério Público, onde seria escolhido pelo governo um representante dentro da CBF ou em uma liga independente, pois apesar da CBF se uma entidade privada ela trata de um tesouro nacional, o nosso futebol.

Kaká

Juvenal decretou que Kaká caiu do céu, foi um presente de Deus. Foi a amálgama que faltava para o time. E mostrou como ele fez com o que o time todo crescesse.

E ele está correto, Juvenal mostrou que gosta de assistir e inclusive assumiu que escalou Edcarlos na final do mundial de 2005. Kaká ajudou Ganso a se soltar, Pato começou a ter um irmão mais velho para arrumar a chuteira, Denilson e Souza subiram de mais de produção e a zaga não tem falhado mais tanto. E principalmente, Kaká corre muito pelo time, se dedica demais ao seu papel tático no time, como alguém teria coragem de não fazer o mesmo. A chegada de Kaká, garantiu a Muricy o elenco na mão dele.

Quanto ao cair do céu, acho que é simplesmente para não dar o braço a torcer para Aidar.

No fim, Juvenal falou muito e por algumas vezes, foram coisas boas. Considero que Aidar está no caminho certo, assim como Juvenal já teve seu nome guardado na história do São Paulo. Quem puder, reveja a participação dele no programa da Fox Sports.

Pitacos: Só me restou levantar, olhar para minha TV e aplaudi-lo. Um show!

Galera do blog, a 28ª rodada se foi e com ela duas goleadas, Ronaldinho em noite iluminada, Fred decisivo e o São Paulo enfim ganhou uma partida decisiva. A rodada teve 26 gols, 7 vitórias dos mandantes, 2 empates e apenas 1 vitória dos visitantes.

A rodada que começou na quinta em virtude das eleições, começou muito mal. A primeira partida foi o insosso 0x0 entre Flamengo e Bahia. O time carioca está oscilando muito nesse segundo turno, se alguns times embalarem na parte debaixo, o rebaixamento pode ficar bem próximo. Para o Bahia que começou o segundo turno avassalador, esse empate é importante para somar pontos.

O Coritiba venceu a Ponte Preta pelo placar mínino anotado por Deivid. O time paranaense começa a escapar do rebaixamento, como já disse anteriormente, o time é muito melhor do que a posição que ocupa. Já a Ponte parece ter sentido a saída de seu treinador e tem grandes chances de trocar de posição com o Palmeiras.

Para fechar a quinta, a Barcelusa voltou a dar o ar da graça. Com três gols de Bruno Mineiro, a Portuguesa atropelou o Sport por 5×1. O Sport parece pronto para fazer companhia para Figueirense e Atlético-GO na Série B em 2013. Já a Lusa, precisa se preocupar em como conseguir manter o elenco para 2013, existem ótimas peças e os grandes times já estão de olho.

O sábado começou com o clássico paulista. O São Paulo dominou completamente a partida e venceu por 3×0 o Palmeiras. Foi nítido que após o terceiro gol, o time tirou o pé, a escalação de Denilson e Wellington juntos foi fundamental para o resultado, permitiu um equilíbrio para o time que não há com Maicon. Já o Palmeiras, resta juntar os cacos pois durante a semana tem mais decisões.

Santos e Inter empataram em 1×1 dentro da Vila Belmiro. Foi a melhor partida do Santos sem Neymar no time, foi longe de ser uma boa atuação, mas o time esteve mais equilibrado e Bernardo conseguiu produzir alguma coisa. Já o Colorado melhorou na segunda etapa, até poderia sair com a vitória, mas o time que mais empata não poderia pensar em resultado diferente.

O Naútico continua a conquistar seus pontos dentro do Aflitos, o time tem 32 dos 37 conquistados em seus domínios. Anteontem, a vítima foi o Corinthians que perdeu por 2×1. Fabio Santos e Paulinho sairão de lá com duas lembranças, o primeiro voltou com uma boa dor nas costas e o segundo pelo reencontro com seu pai antes de começar a partida.

O Vasco foi a Goiânia e conseguiu um ótimo resultado ao vencer por 1×0, gol de Juninho Pernambucano. O gol saiu apenas aos 41 do segundo tempo, mas o time carioca dominou a partida, mas tinha dificuldades para furar a barreira goiana. O Vasco parece que acertou na hora certa, enquanto o Dragão já se contentou em jogar as próximas partida e quando der aprontar alguma.

Parece replay, Fluminense vencendo um clássico por 1×0, gol de Fred. A única diferença é que dessa vez, o adversário foi o Botafogo. O Fluminense não tem brilhado em campo, mas tem sido muito eficiente e conta com Fred em ótima fase, o Botafogo até fez um jogo parelho, principalmente com Seedorf e Elkeson, mas não foi suficiente.

O Grêmio venceu o Cruzeiro por 2×1. O jogo poderia ter sido mais fácil para os tricolores, porém Fabio estava em noite inspirada e evitou uma goleada gremista, além disso, o Grêmio foi surpreendido e terminou a primeira etapa perdendo por 1×0 em falha de Marcelo Grohe. Na segunda etapa, os reservas viraram o placar e Fabio evitou uma tragédia para a Raposa.

Para acabar, a iluminada noite de Ronaldinho Gaúcho. Todo mundo sabe, o quanto considero ele questionável, mas quem viu o primeiro tempo no Independência lembrou daquele mesmo Ronaldinho que fez um Santiago Bernabeu se levantar para aplaudi-lo, eu fiz o mesmo em casa. O jogo terminou 6×0 para o Galo, Ronaldinho fez 3 e deu duas assistências, só não participou do último, provavelmente porque não quis.

Pitacos: Falta algumas coisas, mas principalmente falta acreditar que elas faltam…

Galera do blog, ontem foi dia do blogueiro de vocês acompanhar a derrota do São Paulo por 3×0 para o Naútico dentro do Aflitos e mostrar que o ano reserva poucas coisas para o tricolor paulista. Na minha opinião, o time deveria concentrar forças para faturar a Sulamericana. Pois, esse elenco não dá conta do Brasileirão.

O time veio a campo no seu tradicional esquema Muricy, o 3-5-2, com Cícero improvisado no ataque. Enquanto o Naútico veio no tradicional 4-4-2 em losango.

Antes de entrar no mérito dos lances do jogo, vou falar sobre um problema crônico do São Paulo que explica o resultado dilatado do jogo.

O São Paulo tem jogadores que ou possuem zero de disciplina tática ou a ausência das sinapses impedem de entender o treinador. Qualquer time mais organizado, possui suas linhas defensivas muito bem definidas. De maneira bem grossa, sempre vemos um grupo de jogadores dentro da área e um grupo protegendo a entrada da área.

No São Paulo, esses grupos se misturam e ficam todos dentro da área, deixando a intermediária livre para o time adversário. Foi assim que o Naútico fez o seu segundo gol com Araújo e foi dessa forma que o Timbu chegou perigosamente por várias vezes no jogo de ontem.

Outro aspecto importante é o excesso de jogadores “comuns”. Douglas, Cortez, Jadson, Maicon, William Jose, Osvaldo (lesionado), Rhodolfo, Rodrigo Caio, Cicero e João Felipe são jogadores bons para compor grupo e que possuem certa qualidade, mas todo grande elenco precisa de uma espinha dorsal de jogadores com aquele “algo a mais”.

Lucas, Luis Fabiano, Toloi, Denilson e Ceni parecem jogadores com esse algo a mais, o problema é que o time dificilmente consegue ter todos eles juntos em campo.

Ontem ainda Ceni teve quase um ato de desabafo, o gol contra dele, pareceu de alguém cansado de ver diversos atletas não honrando uma camisa que ele defende (e continua defendendo) tão bem a 20 anos.

O maior calcanhar de Aquiles é o meio de campo, Ney Franco precisa em curto prazo dar posicionamento tático ao time e Ceni precisa despertar brio e tesão por vestir a camisa do São Paulo nos jogadores mais jovens do time.

Em contra partida, o Náutico mostra-se um time voluntarioso, cheio de limitação, mas que procura marcar muito e aposta na dupla Kieza e Araújo para conseguir somar pontos para se manter na Série A, ao que tudo indica, o time terá êxito nessa missão.