“Já não está na hora de procurar um trabalho sério?”

cicinho200716

O programa Bola da vez traz sempre bons personagens e quando eles possuem pré disposição para falar, fica melhor ainda. Ontem foi a vez do Cicinho, o lateral de 36 anos com passagem de destaque pelo São Paulo, além de Botafogo-SP, Atlético-MG, Botafogo, Real Madrid, Roma, VillaReal, Sport e Sivasspor.

E entre um causo e outro da sua vida, envolvendo até o sério problema com álcool, até as peripécias dos bastidores da bola, um momento me chamou atenção. Quando entre ele explicar os melhores treinadores e o pior, Cicinho deixou mais uma evidência do que é o jogador brasileiro.

Ele escolheu Levir Culpi e Paulo Autuori entre os melhores, destacando muito mais suas características pessoais do que a parte tática e conhecimentos de um treinador, enquanto ao criticar Ranieri, falou da sua metodologia e emendou “ele pegava no pé”.

O jogador brasileiro demora para entender que jogador de futebol é uma profissão. Por muitas vezes, não trata como, e isso é cultural além das quatro linhas. Temos o costume de não encarar o músico, o ator, o atleta, até o professor como profissão.

Quantas vezes não perguntamos para nosso professor na escola, com que ele trabalhava, ou o famoso, “mas você só dá aula?”. E nas demais profissões, temos costume de achar que o cara aproveitou o hobby e ganha dinheiro com isso.

Quantas histórias entre nossos amigos que seguiram por essas profissões não foram rodeadas pela pergunta infame de alguém da família, “Quando ele vai procurar um trabalho?”. Perpetuamos entre nós a desqualificação dessas profissões.

Nossa formação cultural ensina a não tratar como profissão o jogador de futebol, e aí procuramos o tio legal e não um gestor como treinador. É mais fácil, gostar de quem passa a mão na cabeça do que de quem cobra você como um profissional remunerado para exercer sua função.

Achei mais incrível ainda, como nos pegamos no ego e nossa preocupação é apenas se não pega mal para o brasileiro ser visto dessa forma, sendo que vários brasileiros entenderam por conta própria que se trata de uma profissão desde cedo e a tratam como.

É necessário entender que falamos de uma profissão, que é por isso, que lá não tem concentração, nem sempre ônibus de jogo, é responsabilidade do jogador, ele escolheu essa profissão e deve entender o bônus e ônus de tal.

Cicinho, mostrou nas entrelinhas que continuamos achando o futebol um grande hobby que dá dinheiro.

E continuamos perguntando.”já não está na hora de procurar um trabalho sério?”

Empates completamente diferentes…

Ontem consegui acompanhar dois jogos na TV, primeiro assistir a excelente partida entre Arsenal e Barcelona pela Champions e depois acompanhei o meu tricolor contra o time mexicano do Monterrey pela Libertadores.

Arsenal 2 x 2 Barcelona: Que grande jogo, duas equipes que visam o gol sem medo de atacar, que mostram um futebol bonito e envolvente. Aliás, preciso me desculpar com os Gunners, pois logo no sorteio das oitavas, meus comentários não foram dos mais amistosos com o time.

Durante o jogo, a velocidade da troca de passes, a verticalidade do jogo e o seu dinamismo me impressionaram. Os dois time praticam um futebol vistoso, na minha opinião, são junto do Santos os times que vale mais a pena ver os jogos. Na minha opinião, para o Arsenal se igualar ao Barça falta apenas um camisa 09, Bendtner é um jogador limitadíssimo, não seria titular em nenhum time brasileiro.

Enquanto o Barça tem Ibra e Henry, Messi teve boa atuação, Xavi fez um partidaço. No Arsenal, Walcott mudou a partida, assim como Fabregas é o cara do time. Promessa de grande jogo na volta.

Monterrey (MEX) 0 x 0 São Paulo: Ás vezes me parece que os jogadores do São Paulo entram obrigados em campo, parece que a coisa mais chata do mundo para eles é jogar bola, mas é o que eles melhor sabem fazer, então eles jogam.

O time do Sâo Paulo foi superior ao time mexicano, apesar da sensação no final do jogo de que o empate foi de bom tamanho, na realidade o tricolor deveria ter saído de campo com os três pontos na conta e praticamente assegurar o primeiro lugar no grupo. Contudo, faltou aquela velha e conhecida ousadia que não se faz presente em 2010 no time.

Dagoberto era o único que procurava criar algumas jogadas, mas fica a impressão de que o camisa 25 nunca vai aguentar uma partida inteira em grande ritmo. Cicinho precisa voltar a ser Cicinho, Junior Cesar fez ótima partida defensiva, mas ainda não me inspira confiança. Hernanes precisa entender que ele é o cara no time, que ele precisa estar ligado o jogo inteiro, não dá para aceitar seus apagões.

Contudo, o São Paulo tem tudo para terminar em primeiro do grupo, mas insisto o time precisa recuperar uma coisa tão primordial quando se fala de futebol e Brasil, falta “paixão”. O time precisa ter vida, qualidade fica claro que o time tem, mas falta vida para o time.

Clássico cheio de gols (e falhas defensivas)..

Galera, hoje foi um daqueles dias qeu foi impossível sentar a frente de um micro para postar, por isso peço desculpas pela ausência de post sobre um jogo tão eletrizante quanto foi o classico. Resolvi trazer o comentário que o grande jornalista Fernando Sampaio fez em seu blog. Apenas destaco que o clássico foi eletrizante, mas não bom, mais da metade dos gols sairam de falhas grotescas das defesas. De resto, concordo com tudo que Fernando menciona abaixo. Confiram:

Retirado do blog de Fernando Sampaio.
Os dois entraram preocupados em marcar forte e não dar o contra-ataque. A ideia era sair na frente, afinal eram as duas defesas menos vazadas do campeonato. Sair na frente seria uma bela vantagem. Ninguém imaginava um jogo com tantos gols.

Foi um jogo espetacular, decidido num gol contra, nos acréscimos.

A primeira chance do Corinthians veio na bola aérea. Aos 15′, escanteio cobrado pelo Danilo e Paulo André mandou na trave. Na volta, outra trave. Aos 18′, Jean perdeu bola no meio-campo e deu primeiro contra-ataque do jogo. Em toques rápidos, Elias marcou um golaço, com participação de Danilo, Dentinho e Ronaldo.

Depois do primeiro gol, o São Paulo saiu para o jogo mas não conseguiu furar a retranca. Faltou espaço e criatividade. Aos 34′, Danilo ampliou de pé direito no ângulo. Ele cresce nos clássicos. Logo depois, Washington e Dentinho foram expulsos. Foi o único erro grave do Seneme. O são-paulino jamais poderia ter sido expulso. Não tem explicação. Semene fez media. Aos 43′, Jean diminuiu na única boa jogada de Dagoberto no clássico.

O Corinthians foi bem melhor no primeiro tempo.

No segundo tempo o jogo pegou fogo. Há anos, defendo o futebol com 10 jogadores. É muito mais aberto e ofensivo. Aos 7′, Roberto Carlos marcou de falta. A bola desviou, o gramado estava molhado, mas a bola era defensável. De qualquer forma, Rogério Ceni fez uma bela partida e evitou mais gols do Corinthians.

O Corinthians abriu 3×1 e parou. O São Paulo cresceu e empatou. Aos 29′, Hernanes bateu falta no meio do gol, Rafael Santos deu rebote e Souto marcou. Aos 37′, Souto empatou aproveitando mais uma cobrança de falta. Cicinho entrou bem na partida.

Nos últimos minutos, o jogo ficou aberto e qualquer um poderia ter levado. Mano colocou Iarley e o atacante foi feliz. Chutou errado. A bola estava indo em direção a lateral. Alex Silva colocou a cabeça e a bola foi no ângulo.

Foi justo. O Corinthians mereceu mais a vitória e acabou levando.

Pitacos do fim de semana..

Meus caros, ontem foi encerrada a 15ª rodada do Paulistinha. Fica a certeza de que Santos, Santo André e São Paulo já garantiram vaga para as semifinais, resta uma última já que o Corinthians tropeçou nessa rodada e deixou tudo embolado na disputa por essa última vaga, mesmo assim acho que o alvinegro belisca essa última vaga.

Vamos agora, a análise dos jogos que acompanhei:

São Paulo 3 x 0 Mogi Mirim: O São Paulo jogou tranquilo, para o gasto. Novamente, o gol fez o time melhorar um pouco, mas isso durou apenas o primeiro tempo, no segundo tempo o time continuou sonolento. Novamente a deficiência técnica dos adversários tem facilitado a vida do tricolor.

No começo do jogo, a partida estava trancada, e o São Paulo tentava desafogar pelas laterais, mas ambos estavam contidos no começo do jogo. Até que em um lance bobo, o zagueiro do Mogi atropelou Washington na área, pênalti bem marcado pelo juíz e bem batido pelo capitão Ceni. Era o 1×0.

Era de se esperar uma melhora na reação do time, mas continuou na mesma, o São Paulo sucumbia pela própria vagarosidade e o time do interior nada criava. Como sempre o tricolor recorreu a lances individuais para chegar ao gol, Cléber Santana fez boa jogada pela esquerda e concluiu para o gol marcando o segundo da partida. Poucos minutos depois terminava o primeiro tempo.

Se o primeiro foi complicado, o segundo conseguiu superar, foi difícil de assistir, o terceiro gol veio em jogada de Hernanes já nos acréscimos dando números finais a partida. Apesar de tudo, gostei das atuações de Cleber Santana e Junior Cesar, mas principalmente da entrada de Marlos. Em compensação, Fernandinho e Cicinho foram horríveis na minha opinião.

Prudente 2 x 0 Corinthians: O bom de ver o jogo em locais públicos é que conseguimos ver dois jogos ao mesmo tempo. O Corinthians criou diversas chances, merecia sorte maior no jogo, mas como de costume em 2010, a defesa não foi bem e tomou dois gols decretando a derrota do time.

No primeiro tempo, poucas chances, o Prudente até tentou pressionar no início da partida, mas sem resultado, com o passar do tempo, o Corinthians foi acordando e tentando ficar com o maior domínio da bola, aí começou a “zica” que acompanhou o Corinthians, Danilo mandou uma bola na trave. Assim terminou o primeiro tempo.

Veio a segunda etapa e o cenário não mudou, o Corinthians criava as melhores chances, mas esbarra na trave, na zaga ou no inspirado goleiro Márcio. E como não era dia do time do Mano, o Prudente achou um gol com o atacante Róbson. E ainda para piorar no final do jogo, o mesmo Robson deu números finais a partida.

Santos 9 x 1 Ituano: O que dizer sobre o jogo, nove gols, o time jogando para cima o tempo todo. Parece que a bronca que o time tomou pelo segundo tempo contra o Corinthians deu resultado, o time tem jogado para cima sem desrespeitar o adversário.

O jogo começou com o Ituano assustando, logo no primeiro minuto, o time do interior abriu o marcador surpreendendo o time do litoral paulista. Mas foi só um susto, o time santista impôs o seu volume de jogo e foi fazendo gol, gol, gol e gol. Assim acabou a primeira etapa 4×1. Com dois gols de André, um de Ganso e um do Madson.

Veio o segundo tempo e o Santos continuou pisando no acelerador como antecipou Ganso, no intervalo do jogo, o meia disse: “Não vamos tirar o pé não!”. Foram mais cinco gols na segunda etapa. Nem adianta fazer muitas análises sobre o time do Santos, o resultado fala por si só. Dá gosto ver o time da Vila jogar.

Para uns falta vontade e para outros talento…

Galera do blog, vamos falar sobre três jogos que consegui ver ontem.

Alemanha 0 x 1 Argentina: Era para ser um amistoso, mas como os dois times continuam em dívida com suas torcidas, ambas as seleções trataram o jogo como de Copa do Mundo. O jogo foi tenso, brigado, parecia fase de mata-mata de Copa do Mundo. No final a Argentina venceu com uma vitória magra, mas a certeza ficou para as duas torcidas, as duas seleções entrarão na Copa muito mais com o coração do que com o talento.

No primeiro tempo, o jogo foi duro, de assistir, a Alemanha tinha dificuldade em criar jogadas, Ballack, Muller e Ozil parecem que entraram em campo proibido de criar, Lahm era o refugo alemão para algumas jogadas. Pelo nossos hermanos, Messi continua sofrendo a crise de “Ronaldinho” não joga nada na seleção argentina, em compensação Di Maria parecia ser o único provido de cerébro na partida, tanto que foi dele o passe ao final do primeiro tempo para Higuain anotar o único tento da partida.

São Paulo 0 x 0 Oeste: O jogo teve cara de “amigos do fulano contra amigos do ciclano”, ou “solteiros x casados”, tal era a facilidade de jogar no meio campo, nenhum time marcava forte, e o que era um cenário típico para muitos gols, mostrou na verdade que os times queriam mais que a partida acabasse logo para começar o “churrasco”.

O São Paulo veio a campo, com o time próximo do titular, talvez apenas Cicinho e Hernanes tenham sido poupados ontem, porém parecia que o time não estava com muita vontade de jogar. Milton Cruz até tentou, quando o Oeste teve um jogador expulso ainda no primeiro tempo, o interino colocou Fernandinho em campo, fazendo o time atuar com três atacantes, sem sucesso. Dagoberto jogou bem no primeiro tempo, mas cansou no segundo, Washington não fez gol, portanto não fez nada, Cléber Santana procurou mais o jogo dessa vez, mas jogou tudo para o espaço ao ser expulso.

Esse jogo é um pouco do que se resume o São Paulo de hoje que me incomoda um pouco, trata-se de um grande time, porém um time excessivamente cadenciado, em nenhum momento o time tem capacidade de alterar o ritmo da partida. Possuímos oito jogadores no meio de campo que seriam titulares em todos os times do Brasil, porém nenhum que dê velocidade ao time quando ele precisa contra-atacar rápido.

Palmeiras 1 x 3 Santo André: Provavelmente, hoje de manhã o muro do Parque Antartica vai ter sido pixado pela torcida com frases do tipo: “Vergonha”, “Diego pipoqueiro”, “Fora racista”, “Belluzzo pede para sair” e outras coisas do gênero, mais uma vez o carrasco Santo André apareceu no caminho alviverde e o que parecia ter sido resolvido, volta a assombrar o Palestra.

Durante o jogo, o Palmeiras se mostrou apático e como sempre com as mesmas falhas defensivas que eu tanto insisto, não é possível que ninguém consiga perceber isso, o problema do Palmeiras nunca foi na parte ofensiva, por pior que sejam a maioria dos jogadores de frente, Diego é um baita jogador e consegue decidir uma partida sozinho, o problema está na defesa.

Insisto em dizer que o único com qualidade necessária no time alviverde na defesa é o Pierre e é muita coisa para ele ficar responsável por toda a marcação palmeirense. O time precisa repensar na forma de jogar, na minha opinião se faz necessário volume de jogadores na defesa inicialmente para pelo menos preencher espaço, contudo Souza não pode voltar a entrar em campo tão cedo, todas as vezes que ele jogou seu setor estava sempre descoberto, o jogador sempre chegou atrasado nas bolas. Não adianta Ewerthon’s e Lincoln’s, o time precisa de peça de defesa.

Jogos do Domingão!!

Galera do blog, vamos falar sobre alguns jogos que aconteceram no fim de semana.

Palmeiras 2 x 0 São Paulo: Ficou claro que os jogadores do Palmeiras não queriam mais Muricy no comando, o que os jogadores correram hoje foi impressionante, em compensação parece que os tricolores estão querendo derrubar Ricardo Gomes.

O placar foi construído após a expulsão discutível de Xandão, de qualquer forma isso não serve como justificativa para a derrota, mostra apenas que o time palmeirense é realmente limitado, porém quando se esforça muito pode dar trabalho para os adversários. Do lado são paulino, a sensação que fica é que parece que o Ricardo precisa de uma pré-temporada de pelo menos uns dois anos para ele conseguir colocar em campo o que ele pensa. O time mostra-se totalmente desorganizado, Cicinho foi resgatado da Roma porque precisavamos de um lateral direito, porque ele foi parar no meio de campo. Jorge Wagner é um excelente meia, porque está de lateral-esquerdo e Paraíba já disse que é um meia, porque ele estava no ataque.

No jogo, destaque positivo pelo lado palmeirense para Pierre e Lenny, do lado tricolor para apesar da posição errada Jorge Wagner e Ceni mesmo tendo tomado um susto no segundo gol fez boas defesas. Destaque negativo, para Diego Souza que quando bem marcado fala mais do que joga, Marcelinho Paraíba que não pode jogar no ataque, Cicinho que não foi para o estádio ontem, Cléber Santana que fiquei na dúvida se ele acertou algum passe e o Sr. Ricardo Gomes que na minha opinião não passa a confiança necessária para ser técnico do São Paulo.

Botafogo 2 x 0 Vasco: Falando em zebra, olha ela ai de novo. Vi apenas alguns lances, mas parece que apesar do Vasco ter comandado o jogo, o Botafogo foi mortal assim como contra o Flamengo.

Na verdade esse controle vascaíno, se trata de um falso controle, onde um time tem a maior posse de bola, porém sem efetividade nenhuma, já que o outro está só aguardando o momento certo para dar o bote e marcar o gol.

Pelo lado alvinegro, a estrela de Joel Santana e Loco Abreu foram fundamentais para essa conquista. Pelo lado vascaíno, faltou mais maturidade e vontade de suas peças fundamentais, enquanto Carlos Alberto tentou o que pode voltando de lesão, Philippe Coutinho sentiu a pressão de sua primeira decisão e Dodô estava na sua costumeira sonolência.