Restam 08 na Champions

uclquartas

E saiu o sorteio das quartas de final da Champions.

Dois grandes clássicos e dois interessantes cruzamentos. Vamos a análise do CMC10, eu sinceramente fui surpreendido com o avanço de Leicester e Mônaco, os demais estavam dentro da minha expectativa antes dos cruzamentos iniciarem, apesar de ter achado impressionante a virada que o Barcelona conseguiu.

Bom vamos a análise, no confronto, o segundo time é aquele que decidirá em casa.

Atlético de Madrid x Leicester: Um duelo formidável, porque permite ao time inglês continuar sua epopeia, o Leicester sempre jogará sem a bola e daqui para frente todos os rivais serão pressionados (por causa do tamanho e história) a atacar o Leicester o que colocará o time na condição que ama, contragolpear seus rivais. Para o time de Simeone que sempre se acostumou a “ser Leicester” nessas fases da Champions, será oportunidade de mostrar que também pode propor o jogo.

Time por time, o espanhol é muito melhor, mas algum quê de místico me diz que o Leicester estará entre os 4 melhores da Europa.

Dortmund x Mônaco: Promessa de chuvas de gols, dois times com proposta ofensivas e que tem tudo para ser o jogo mais divertido das quartas. Os franceses que eliminaram Pep e City seguem com seu ataque devastador e surpreendem, já os alemães se acostumaram a ser uma pedra no sapato nas últimas edições, sempre chegando.

Aposto que o Dortmund avance, mas com um duelo agregado de 8×7, 7×6, com muitos gols com certeza.

Bayern Munchen x Real Madrid: Que confronto! Dois gigantes europeus, talvez junto de Milan, os maiores vencedores da história européia, duas seleções que se enfrentaram em 180 minutos, do lado alemão, Ancelotti estava a pouco tempo em Madrid com grande parte dos mesmos jogadores que lá estão, conhece muito do rival e é um especialista em Champions.

Duas camisas pesadíssimas, principalmente a branca, mas vou arriscar em apostar nos alemães, páreo duríssimo, mas acho que a tranquilidade do Bayern no campeonato nacional permite uma preparação mais adequada para o confronto, enquanto o Real também quer La Liga e ela está acirrada.

Juventus x Barcelona: Outro daqueles duelos espetaculares, a solidez da defesa da Vecchia Signora contra o trio MSN, “os futuros” Bolas de Ouro, Neymar x Dybala, o reencontro de Daniel Alves com o Barcelona. E o a sonhada busca por uma Champions do monstro Gianluigi Buffon.

O fato do segundo jogo ser na Catalunha pode jogar a favor do Barça, contudo o time italiano tomou apenas 2 gols em 8 jogos, números de extremo respeito e que credenciam o time para a busca por essa taça inédita para o seu goleiro.

Apesar de toda empolgação na Espanha diante do 99% de fé, vou arriscar mais uma vez e apostar que a Juve avança no duelo.

Portanto, na semi, no meu palpitômetro, teremos Leicester, Dortmund, Bayern e Juventus.

E para vocês?

 

 

Anúncios

The One na Premier League!

guardiola060115

Enquanto no Brasil, a preocupação é com o Tsunami chinês ( e olha que ainda nem começou o europeu direito), na Europa o fervor é com tsunami Guardiola.

O melhor técnico atualmente e talvez o maior de todos os tempos já avisou que deixa o Bayern (que inclusive já escolheu Ancelotti) e que quer ir para a Premier League.

O melhor campeonato do mundo terá o melhor treinador do mundo e pode ainda ter Mourinho novamente como adversário e quem sabe na mesma cidade. São grandes as chances de Manchester contar com cada treinador em seus Caprichosos e Garantidos.

Esse furor todo por causa de Guardiola, também promete movimentar o mercado de treinadores, para Guardiola assumir um Manchester alguém precisa sair.

Van Gaal está na corda bamba, é quase certo sua saída, saída essa que deve decretar a aposentadoria antecipada do mesmo, já que para ele seria seu último trabalho.

Ainda sim, não sei para onde Guardiola vai, com a vontade dele de treinar na Premier League todo mundo ficou empolgado, até quem estava satisfeito com seu treinador, deve estar cogitando fazer uma propostinha, vai que…

Lembro que a algum tempo escrevi um texto chamando Pep de Papa, ou PopePep, como inglês tem essa mania, e um é o Special One e outro o Normal One, Pep podia ser o The One mesmo.

Pois ele é o maior.

Os melhores treinadores do mundo!

6-Parreira

E ontem a revista FourFourTwo publicou a sua lista dos 50 melhores técnicos do mundo.

E adivinha quantos brasileiros nela?

Isso mesmo, nenhum. nadinha. Até um congôles entrou na lista e nossos professores nem aparecem nela. O único do Brasileirão que aparece é El Profe Osório do São Paulo, colombiano. Aliás, entre os 50 temos 08 da América do Sul, 5 da Argentina, 1 uruguaio, 1 chileno e o colombiano Osório.

5 países detém 30 desses melhores treinadores, França e Espanha com 6, Argentina, Alemanha e Itália com 5. Nesse grupo de países percebe-se que todos já foram campeões mundiais, restando apenas Uruguai, Inglaterra e Brasil. O Uruguai tem entre os 50, o próprio treinador da Celeste, Oscar Tabarez. Já Brasil e Inglaterra não emplacaram ninguém na lista.

E olha que a revista é inglesa, portanto a ausência deles também é crítica, contudo vamos ficar com o que nos pertence, ou melhor o que nos falta.

Quando vemos franceses, espanhóis, argentinos, alemães e italianos dominando a relação, vemos as escolas desses países sendo disseminadas pelo mundo afora, enquanto nós brincamos de Coréia do Norte do futebol, nos fechamos para o novo e não aceitamos nosso retrocesso.

Para quem acha que é apenas uma lista feita lá na Europa, olhe que tem técnico de time australiano, de time da MLS, de dois times argentinos, de seleção do Congo e até do concorridíssimo campeonato norueguês.

O nosso 7×1 segue, sem nenhuma perspectiva de recuperação.

Veja a lista dos 50 melhores técnicos do mundo:

50º) Florent Ibenge (congolês) – Vita Club-RDC/República Democrática do Congo
49º) Juan Carlos Osorio (colombiano) – São Paulo
48º) Pavel Vrba (tcheco) – República Tcheca
47º) Hein Vanhaezebrouck (belga) – Gent-BEL
46º) Bruce Arena (norte-americano) – Los Angeles Galaxy-EUA
45º) Tony Popovic (australiano) – Western Sydney Wanderers-AUS
44º) Gian Piero Gasperini (italiano) – Genoa-ITA
43º) Slaven Bilic (croata) – West Ham-ING
42º) Herve Renard (francês) – Lille-FRA
41º) Lars Lagerbäck (sueco) – Islândia
40º) Markus Weinzierl (alemão) – Augsburg-ALE
39º) Ange Postecoglou (australiano) – Austrália
38º) Myron Markevych (ucraniano) – Dnipro-UCR
37º) Frank de Boer (holandês) – Ajax-HOL
36º) Rafa Benítez (espanhol) – Real Madrid-ESP
35º) Manuel Pellegrini (chileno) – Manchester City-ING
34º) Antonio Conte (italiano) – Itália
33º) Sergei Rebrov (ucraniano) – Dynamo de Kiev-UCR
32º) Vicente Del Bosque (espanhol) – Espanha
31º) Marcelo Gallardo (argentino) – River Plate-ARG
30º) Jocelyn Gourvennec (francês) – Guingamp-FRA
29º) Giampiero Ventura (italiano) – Torino-ITA
28º) Didier Deschamps (francês) – França
27º) Roger Schmidt (alemão) – Bayer Leverkusen-ALE
26º) Jorge Sampaoli (argentino) – Chile
25º) Dieter Hecking (alemão) – Wolfsburg-ALE
24º) Bob Bradley (norte-americano) – Stabaek-NOR
23º) Mircea Lucescu (romeno) – Shakhtar Donetsk-UCR
22º) Edgardo Bauza (argentino) – San Lorenzo-ARG
21º) José Pekerman (argentino) – Colômbia
20º) Marcelino (espanhol) – Villarreal-ESP
19º) Oscar Tabarez (uruguaio) – Uruguai
18º) Phillip Cocu (holandês) – PSV Eindhoven-HOL
17º) Lucien Favre (suíço) – Borussia Monchengladbach-ALE
16º) Louis van Gaal (holandês) – Manchester United-ING
15º) Jorge Jesus (português) – Sporting-POR
14º) Rudi García (francês) – Roma-ITA
13º) Ronald Koeman (holandês) – Southampton-ING
12º) Leonardo Jardim (português) – Monaco-FRA
11º) Arsene Wenger (francês) – Arsenal-ING
10º) Laurent Blanc (francês) – Paris Saint-Germain-FR
09º) Carlo Ancelotti (italiano) – sem clube
08º) Joachim Löw (alemão) – Alemanha
07º) Unai Emery (espanhol) – Sevilla-ESP
06º) Jurgen Klopp (alemão) – sem clube
05º) Massimiliano Allegri (italiano) – Juventus-ITA
04º) Diego Simeone (argentino) – Atlético de Madri-ESP
03º) Luis Enrique (espanhol) – Barcelona-ESP
02º) Josep Guardiola (espanhol) – Bayern de Munique-ALE
01º) José Mourinho (português) – Chelsea-ING

Uma chuva de gols e uma tempestade na Espanha…

Messi 24032014

Galera, esse fim de semana parece que os gols ficaram maiores e estava mais fácil para balançar a rede.

Teve Flamengo 5×3 Cabofriense, América-MG 1×4 Atlético-MG, Portuguesa 4×3 Rio Claro, Naútico 3×5 Santa Cruz, Chelsea 6×0 Arsenal, Cardiff 3×6 Liverpool, Manchester City 5×0 Fulham e Real 3×4 Barça. Pareciam torneios de futsal.

Contudo, vi um pouco do jogo do Liverpool e do Flamengo, e um vt compacto do jogo do Santinha, jogo na íntegra mesmo só o que aconteceu em Madrid e vamos a ele.

Achei que Ancelotti diferentemente de Mourinho tentou pressionar mais o adversário ao invés de ficar todo atrás esperando. Gostei da atitude de Ancelotti, só não gostei da mexida tática, a movimentação de Di Maria e Ronaldo.

Normalmente, essa troca de posições serve para tirar a marcação de Ronaldo e ainda aproveitar quando deixam Di Maria livre. Ontem, no clássico, claramente Ronaldo se movimentava apenas para levar a marcação, enquanto Di Maria criava as melhores jogadas pelo Real.

De certa forma, deu certo, Di Maria deu duas assistências e foi o melhor pelo lado merengue, mas acho inconcebível dar a Ronaldo apenas um papel tático no jogo, ele é o cara que decide no clube merengue, não Di Maria e Benzema.

Já do lado blaugrana, Messi foi Messi. Acho engraçado quando alguns comentam que o time do Real deixou Messi muito livre, não pode dar espaço para o argentino. Peraí, e o mérito dele em se movimentar de maneira inteligente, começar o jogo como um típico 10, para depois ir chegando mais próximo da área como de costume?

Messi é genial com os pés e com a cabeça (cabeça, no sentido de como lê o jogo, não como o Jardel), ele percebeu que seu time não ia aguentar fisicamente contra os merengues, que Xavi pouco aparecia e que Neymar não rende preso na faixa da direita, cabia a ele criar alternativas, achar Iniesta solto e tudo mais o que ele fez.

Messi decidiu a partida, foi incrível e criou um certo temor ao que ele poderá fazer em nossos “belíssimos” estádios, a Argentina pode não ter o melhor elenco, mas tem Messi.

Sim, a arbitragem tentou ser protagonista, na minha opinião de maneira corajosa, apenas o pênalti de Ronaldo foi mal marcado, foi fora da área. Neymar exagerou na queda, exagerou, mas foi tocado quando cruzou na frente do marcador.

Mas, como eu disse a arbitragem tentou, porque em jogo onde Messi joga, o protagonista sempre será ele.

Uma breve zoropeada…

Galera do blog, ontem alguns jogos pelo velho continente decretaram quem segue na disputa pelo título nacional e quem pulou fora. Vejam:

Campeonato Alemão: O Bayern teve atuação de “Santos” e goleou o Hannover por 7×0 e mostrou que será tarefa dificílima para o Schalke tirar o título da Bundesliga do time bávaro, principalmente porque o Schalke jogou fora a alguma rodadas atrás a chance de frear o Bayern ao perder dentro de casa para o time de Louis Van Gaal. Bayern com 63 e Schalke com 61 seguem na disputa, mas tem tudo para ser do Bayern o título.

Campeonato Espanhol: A disputa como não poderia ser diferente está entre Barcelona e Real Madrid. O time da Catalunha tropeçou ontem ao empatar sem gols com o time do Espanyol, o Real joga hoje contra o Valencia dentro do Santiago Bernabeu e pode diminuir a diferença para um ponto. Barça com 84 e Real com 80, mas um jogo a menos, disputam o título espanhol, mas confio que o extraterrestre Messi ganhe tudo esse ano, incluindo o título nacional.

Campeonato Inglês: Chelsea e Arsenal tropeçaram, para os Blues o tropeço fez a diferença da liderança cair, agora o Manchester segue de perto o time de Ancelotti, já a virada que os Gunners levaram, decretaram o fim do sonho do caneco para o time de Arsene Wegner. Chelsea com 77 e Manchester com 76 seguem na disputa pelo caneco. Aposto no time de Drogba que parece estar mais equilibrado nesta reta final, apesar do desequilíbrio do time na última partida.

Campeonato Italiano: O Milan jogou fora o sonho de conseguir o Scudetto, ontem tomou a virada diante da Sampdoria e agora vê a distância Inter e Roma disputarem o título. A Inter reencontrou o rumo no italiano ao vencer de maneira tranquila a Juventus ontem, a Roma joga hoje o clássico local e um tropeço devolve a liderança ao time de Mourinho. Inter com 70 e Roma com 68, mas um jogo a menos, disputarão rodada a rodada o título. Apesar de torcer pela vitória do time de Totti, duvido que o título saia da mão da Inter.

Libertadores e Champions!!

Galera do blog mais querido, ontem deu para assistir três jogos na sequência, vamos a eles:

Inter de Milão 2 x 1 Chelsea: No duelo a parte entre os técnicos, o cauteloso Ancelotti arriscou e jogou com três atacantes, mas de nada adiantou, o sempre eficiente Inter marcou dois gols, jogou a maior parte do tempo atrás da linha da bola e saiu com uma boa vantagem para Londres.

Sei que falar em boa vantagem, parece loucura, já que os Blues precisam de apenas 1×0 para avançar para as quartas, porém os nezazurri são tão eficientes que não será fácil a tarefa do time inglês. Na partida Drogba ficou devendo, o marfinense vinha sendo decisivo em todos os jogos do Chelsea, nesse que ele não jogou bem o time londrino amargou a derrota. Do lado da Inter, foi bom ver Julio Cesar em ação mesmo após o acidente. Milito é quase o Washington europeu, o jogador é grande trombador e sem muita habilidade, mas quase sempre deixa sua marca. Grande atacante. O jogo de volta promete.

Cruzeiro 4 x 1 Colo-colo (CHI): Pela segunda partida na Libertadores, o Cruzeiro enfrentou do veneno a seu favor, dessa vez foi o time chileno que teve dois jogadores expulsos, e foi dessa forma que o time construiu um importante placar dilatado, fundamental nesse grupo que promete ser decidico na última rodada.

Pelo jogo, o Cruzeiro mostrou seu futebol envolvente de sempre, atacando muito e criando muitas chances de gol, logo de cara Thiago Ribeiro abriu o marcador. Na sequência, Jonathan se atrapalhou entregou um presente para o ataque chileno que empatou a partida. Porém o time não se abalou e continuou criando, com trocas de passes envolventes que foram pendurando os jogadores chilenos, o segundo gol era questão de tempo, mas em foi em uma bola parada que Leo Silva sofreu pênalti, que Kléber cobrou mal, contou com a sorte e fez o segundo gol da Raposa.

Logo após o segundo gol, o volume ofensivo do time mineiro ocasionou em duas expulsões do time chileno, a partir daí a porteira abriu e o Cruzeiro ainda guardou mais dois. Apenas como atenção, apesar da vitória dilatada, ficou claro que o time ainda tem sério problemas defensivos, Adilson não encontrou o equilíbrio, enquanto o time é excelente ofensivamente ainda peca defensivamente, mas que fique claro não é culpa da defesa e sim da recomposição do meio campo para marcar.

Corinthians 2 x 1 Racing (URU): Pode não ter sido a estréia que todo corintiano imaginava, mas serviu para que o time sinta o que é Libertadores, passar o nervosismo para seguir em frente na Libertadores, mas ficou uma sensação estranha já que o time uruguaio era horrível e o alvinegro sofreu muito para vencer.

Tudo o que não poderia acontecer, levou menos de dois minutos, em uma falta boba, bola alçada na área, William apenas olha deixa o atacante cabecear e encontrar seu companheiro livre para fazer 1 x 0 logo no início do jogo. Se a proposta do time alviverde era se defender, ficou melhor ainda com esse gol no início. E se o Corinthians de 2009 parecia não ficar afetado com um gol tomado, o de 2010 sentiu e os semblantes de alguns jogadores mostravam todo o nervosismo.

O time começou a insistir em jogadas pelo meio ao invés das pontas, movimenta-se pouco na frente das duas linhas de defesa uruguaia, até que o time teve um instante 2009 e rápida troca de passe e boa movimentação, Ronaldo saiu da área e achou Tcheco fazendo a função de pivô que em um toque sensacional de letra encontrou Elias que surgiu atrás de toda a zaga e empatou a partida. A sensação era que a partir daquele momento o time se acalmaria e faria o resultado tranquilamente, mas ficou só na sensação, o time voltou a repetir os mesmos erros, até ter um segundo instante 2009 no segundo tempo, quando Souza em ótima jogada encontrou Elias de novo livre para marcar o segundo e levar a Fiel a loucura.

Quando dizemos que Libertadores é diferente de tudo que se pensa em futebol na América Latina, ninguém acredita, mas ontem na partida do Corinthians isso ficou claro.
Jorge Henrique, William e Alessandro sentiram muito o que é uma Libertadores fizeram uma partida horrível, além de estarem exageradamente ansiosos. Por outro lado, Tcheco mostrou o quanto Mano estava certo em trazê-lo, junto de Elias que mostrou que não tem medo da Liberta, os dois foram os melhores em campo.