Pitacos: Libertad 2×0 São Paulo

fonte: Blog do Torcedor Sâo Paulo / Daniel Perrone / globoesporte.com

Galera do blog, ontem eu acompanhei a partida de volta entre São Paulo e Libertad pela Sulamericana. Mais uma vez, Luis Fabiano foi o protagonista da partida. Só que a favor do time paraguaio dessa vez. Primeiro por cometer o pênalti que deu o primeiro gol ao Libertad e depois por sair machucado no intervalo e ver o São Paulo cair vertiginosamente na partida.

Leão mudou o São Paulo e montou a estratégia da moda, o 4-2-3-1. Com Carlinhos e Wellington de volantes e no meio Lucas (direita), Dagoberto (centro) e Marlos (esquerda). Confesso que vejo com bons olhos a estratégia, contudo Leão teve uma noite infeliz e já no intervalo perdeu os dois principais jogadores por lesão. Ceni e Luis Fabiano cederam seus lugares para Denis e Fernandinho.

O São Paulo foi bem no primeiro tempo, muito superior ao time paraguaio, mas teve azar em uma oportunidade (com Piris) e incompetência na outra (Juan), o time podia ter sorte melhor mas não aproveitou.

No segundo tempo, sem a referência no ataque, o tricolor paulista voltou a jogar como em seus piores dias nesse ano, completamente perdido e sem poder de criação. O Libertad ainda ampliou o placar e Leão viu o quanto de trabalho ele terá.

Além do aspecto coletivo do time, existem alguns problemas individuais. Carlinhos e Wellington são esforçados, mas não titulares, são ótimos para compor banco. Lucas e Rhodolfo estão passando por uma “crise existencial”, alguém precisa ajudar os dois jogadores a encontrarem onde eles largaram o futebol que levaram eles para a seleção.

Acredito que mais importante do que garantir a vaga na Libertadores é Leão definir qual será o sistema tático do time, para que comece 2012 com todo mundo entendo o que faz no time.

Anúncios

Pitacos: Coritiba 3×4 São Paulo

Galera do blog, ontem foi dia de futebol e de muitos gols, mas fiquei limitado apenas ao jogo do São Paulo.

O São Paulo enfrentou o Coritiba fora de casa e saiu com um ótimo resultado, 03 pontos na conta e aproximação ao líder, contudo o jogo que parecia mais fácil do que seria ficou mais difícil do que deveria.

O jogo começou com a pressão tradicional do time da casa, o Coritiba chegou até a mandar uma bola na trave com Rafinha, anunciando que seria um jogo complicado para o São Paulo, mas o tricolor soube suportar a pressão adversária e marcou um belo gol com Carlinhos Paraíba, apesar do balde de água fria, o Coxa continuou tentando chegar ao gol, mas faltava o passe final.

Antes que esse passe chegasse, o São Paulo tratou de acertar mais um eficiente ataque, um longo lançamento de Rhodolfo encontrou Juan na entrada da área, o lateral esquerdo aproveitou o mal posicionamento de Edson Bastos e tocou por cima do goleiro para ampliar a vantagem paulista no jogo.

O segundo gol desarrumou o meio campo do time paranaense que passou a ficar perdido na marcação deixando o São Paulo controlar as ações do jogo, e o tricolor estava impossível no primeiro tempo em boa trama coletiva e após algumas tabelas, a bola encontrou Dagoberto dentro da área que só teve o trabalho de chutar forte para vencer Edson Bastos e decretar o 3×0 do primeiro tempo, para piorar no final da primeira etapa, Davi foi expulso por reclamar acintosamente após cometer uma falta e receber o amarelo.

Quem imaginou o Coritiba entregue no segundo tempo, se surpreendeu quando viu o time paranaense em busca do jogo, pressionando o São Paulo e tentando diminuir, só que novamente, em jogada individual o São Paulo conteve o ímpeto do Coxa, em passe errado na defesa, a bola caiu no pé de Lucas que bateu por cobertura, marcando um golaço e ampliando o marcador. O São Paulo passou a comandar as ações do jogo e aproveitar da vantagem númerica para dominar o jogo.

Porém, apenas para Adilson não esquecer o que aconteceu na rodada passada, o sistema defensivo resolveu mostrar que ainda precisa se entender, em bola mal afastada, Rafinha diminuiu a vantagem tricolor, não suficiente 7 minutos depois, Bill recebeu a bola na entrada da área, trombou com toda a zaga tricolor e caído no chão conseguiu empurrar para o fundo das redes e trazer uma certa adrenalina para o final da partida.

Adrenalina que ficou maior ainda nos minutos finais do jogo, já que a defesa deixou Rafinha cruzar tranquilamente para Bill tornou a partida ganha em jogo complicado. Contudo, o Coxa não conseguiu criar mais nenhuma grande chance.

Para os dois times ficou a lição de aprender com os erros de cada tempo, o Coxa não pode fazer um primeiro tempo como fez, assim como o São Paulo não pode fazer um segundo tempo como fez.

Confesso que só pelos melhores momentos, já achei o jogo entre Santos e Flamengo fora de série, vou tentar assistir ao VT completo da partida para depois falar sobre esse jogo.

Pitacos: Internacional 0x3 São Paulo

Galera do blog, ontem não vi quase nada do jogo do Brasil, preferi tirar um cochilo para ver o jogo do meu tricolor contra o Inter.

Mas, para a minha infelicidade ainda tive o desprazer de assistir a cobrança de pênaltis entre Brasil e Paraguai, simplesmente lamentável.

Voltando ao jogo do São Paulo, o tricolor veio a campo disposto a impressionar seu novo treinador, o time se propôs a jogar de igual para igual com o Inter. O tricolor aproveitou os desfalques do time colorado no meio de campo e conseguiu ganhar o jogo nessa área. D’Alessandro foi muito bem viajado e teve uma atuação apagada. Bolatti e Guinazu pouco colaboraram com a criação do time gaúcho. Em Compensação, o São Paulo contou com boa movimentação de Wellington e Casemiro, além de Rivaldo, a cada jogo que passa ficou tentando entender como o Carpegiani se recusou a enxergar o óbvio e como esse “garoto” de 39 anos sabe os atalhos dentro das quatro linhas.

O jogo estava aberto com chances de gol para as duas equipes, mas o São Paulo foi mais eficiente aos 19 minutos, em falta cobrada por Rivaldo, a bola encontrou Casemiro que só teve o trabalho de desviar para o fundo das redes.

Mesmo com o gol, o São Paulo não mudou o panorama da partida, continuou jogando de igual para igual com o Inter, que assustava com o ótimo Leandro Damião, o camisa 09 colorado brigava com os zagueiros tricolores e criava as melhores chances para o Inter.

Mas, novamente a história se repetiu nessa troca de oportunidades, o São Paulo decretou a vitória em ótima enfiada de bola para Fernandinho, o atacante entrou em velocidade e deu um “totozinho” na bola para tirar Muriel da jogada e ampliar o marcador. Brincadeiras a parte, se Pato tivesse feito isso em uma das inúmeras oportunidades que teve na frente de Villar, o Brasil estaria na semifinal.

Veio o segundo tempo e o São Paulo foi mais absoluto ainda, nem tanto pela ofensividade, mas porque não deixou o Inter criar nada na segunda etapa. Somente a partir dos 30 minutos, que o São Paulo afrouxou a marcação e sofreu um sufoco desnecessário, contudo ainda houve tempo ao apagar das luzes de Carlinhos Paraíba aumentar o placar e dar números finais a partida.

O São Paulo mostrou que tem potencial para disputar o título, o time tem plantel, algo fundamental para o título, já o Inter mostrou que possui um ótimo time, mas que falta jogadores para a longa maratona do Brasileirão, isso pode condenar o Inter na disputa do título.

Pitacos: 06ª rodada do BR-2011

Galera do blog, esse fim de semana acompanhei a queda de dois invictos, São Paulo e Palmeiras perderam seus jogos, mas vou me concentrar na derrota do meu tricolor.

O São Paulo veio a campo todo remendado devido as lesões, contra um Corinthians completo. O cenário desenhado era previsível desde o início, seria o Corinthians atacando e o São Paulo tentando contra atacar.

E no primeiro tempo, o jogo foi exatamente esse, o Corinthians apresentava um maior volume de jogo e buscava uma boa oportunidade, mas esbarrava no ferrolho tricolor. O Corinthians conseguiu alguns bons lances de longa distância, mas o São Paulo conseguiu bons contra ataques. O resultado de 0x0 era justo no final do primeiro tempo, já que o Corinthians dominava as ações, mas não assustava.

Porém no final do primeiro tempo, Carlinhos Paraíba foi expulso infantilmente, achei exagerado o segundo cartão amarelo, mas e questão de critério e de qualquer forma, por ter se envolvido em discussão minutos antes com o Paulinho, não podia dar um carrinho inconsequente daquele, portanto expulsão aceitável. E determinante para o resultado da partida.

O que se viu no segundo tempo, foi um São Paulo completamente desorganizado e o Corinthians aproveitando a “inexperiência” do time. Os garotos Wellington e Rodrigo Caio sentiram muito a pressão de segurar o meio campo em um clássico. Na minha opinião, Rivaldo tinha que ter voltado no segundo tempo, para passar tranquilidade para esses meninos.

Sobre o Corinthians, fica difícil analisar pelo segundo tempo, pois o jogo ficou fácil demais para se fazer uma análise, mas deu para perceber que Danilo vem fazendo um bom campeonato, assim como William. A goleada serve para embalar de vez o time, o Corinthians mostra que o time está muito bem montado, não tem muitas opções defensivas no banco, que pode ser o único problema do time, mas o Corinthians dá sinais de que irá disputar o título do Brasileirão.

De qualquer forma, essa credencial ao título chega a ser curiosa, pois coloco o Corinthians na mesma situação que o Palmeiras, são times difíceis de ser batidos e muito bem organizados taticamente, mas que não convencem. Assim como todos os demais clubes, reforço o que disse, se o Muricy conseguir convencer a garotada santista a se dedicarem ao título do Brasileirão, duvido que alguém evite que o título fique com Neymar e cia.

Quanto ao São Paulo, nem ao céu, nem ao inferno, todos os torcedores sabiam que o 100% de aproveitamento era um pouco ilusório, já que o time não convence, mas também está longe de ser a tragédia apresentada no domingo. O São Paulo é um time jovem e que de certa forma foi importante esse susto para o time amadurecer.

Além disso destaques nessa rodada para a boa atuação de Ronaldinho, o reencontro com a vitória pelo time do Cruzeiro, a segunda vitória consecutiva do Bahia.

Pitacos: Avaí 3×1 São Paulo

Galera do blog, ontem acompanhei ao jogo do meu tricolor, e novamente o time abusou do direito de perder gols, sem querer desmerecer o Avaí, mas o Vasco ganhou uma vaga na final sem fazer força nenhuma.

O São Paulo veio a campo desfalcado de Miranda, mas com os retornos de Fernandinho, Rhodolfo e Lucas. Dos três apenas Rhodolfo voltou mesmo, Lucas e Fernandinho mal viram a cor da bola ontem, fizeram partida mediana. Aliás pelo lado tricolor, apenas Dagoberto, Rhodolfo, Carlinhos Paraíba e Juan fizeram uma boa partida na minha opinião.

Sobre o jogo em si, não tem muito o que falar, foram 180 minutos de gols perdidos, o São Paulo sem exagero deve ter criado umas 20 oportunidades claras de gol e converteu apenas 02, enquanto o Avaí criou apenas 06 chances de gol e converteu 03. Nos dois jogos, o São Paulo abusou da desorganização tática, logicamente que isso é culpa exclusiva de Carpegiani.

E agora entro no ponto mais polêmico, sempre fui defensor de Carpegiani e gosto mesmo dos “ideais” que ele se propõe a colocar em prática em um time, mas às vezes parece que não é tão claro assim para ele essa ideal, e consequentemente o time fica confuso.

Diante disso, o São Paulo deve tomar uma decisão, Carpegiani segue ou vai para a rua? Eu apenas olhando internamente, mandaria ele embora, mas aí surge a dúvida, quem contratar? Não existem tantas opções assim no mercado. contudo, essa decisão deve ser tomada, para que o elenco que seja também desenhado de acordo com o técnico. Por exemplo, se Carpegiani continuar, Rivaldo deve ser dispensado, acho o meia fantástico seria titular no meu time do São Paulo hoje, mas para Carpegiani, o jogador não serve, portanto não é bom manter no elenco um jogador que a torcida inteira pede, mas o treinador não coloca, só causa desconforto a todos.

Para finalizar e como sempre cornetar, hoje o meu titular do São Paulo seria, Ceni, Jean, A. Silva, Rhodolfo, Juan, C. Paraíba, Casemiro, Lucas e Rivaldo, Dagoberto e Luis Fabiano, como opções, além disso Marlos e William José deveriam ser emprestados, são bons jogadores ao meu ver, mas às vezes uma mudança de ares resolveria. Ah, o técnico dessa turma, eu chamaria o Zetti, seria uma boa aposta, tem identificação com o clube e principalmente, respeito da maior entidade dentro do elenco.

É hora de definições, ainda faltam 10 dias para o começo do Brasileirão.

Pontapé Inicial

Galera do blog, enfim um fim de semana repleto de futebol. Assisti vários jogos, Copinha, Campeonato Italiano, Sulamericano sub-20, Paulistão e Campeonato Inglês. Contudo, vamos comentar sobre o Paulistão, no sábado o Santos e no domingo o São Paulo.

O Santos enfrentou o Linense e venceu por 4×1, no jogo o que ficou evidente foi a fragilidade do time de Lins. O time que depois do acesso resolveu mudar as peças de defesa e do ataque, sentiu a falta de entrosamento e ficou fácil para a ofensividade de Adílson. O Santos veio a campo com a defesa que terminou o ano, em compensação do meio para frente tudo diferente, no meio Adriano, Possebon e Robinho (ex-jogador do Avaí) e no ataque o trio era Keirrison, Zé Love e Maikon Leite. Possebon, Zé Love e Maikon foram disparados os melhores jogadores em campo, o triste é saber que os dois últimos estão com os dias contados no alvinegro praiano. De qualquer forma, o Santos começa 2011 atropelando os adversários e mostrando que a base foi mantida e muito bem reforçada.

Já o meu tricolor enfrentou o Mogi Mirim de Rivaldo e parece que resolveu incorporar o discurso do Carpegiani ao longo da semana, o time sofreu um pouco com a falta de entrosamento e mostrou que ainda precisará de alguns jogos para se encaixar. O time entrou em campo com, Ceni, Jean, Alex Silva, Miranda e Juan, Souto, Carlinhos Paraíba, Cléber Santana e Ilsinho, Mazola e Fernandinho. Gostei muito da atuação de Juan, o lateral esquerdo parece estar mais a vontade com a camisa tricolor do que os demais jogadores que já estão na posição a algum tempo. Carlinhos Paraíba apesar da sua limitação técnica e fundamental para o time, ele é uma espécie de Richarlyson que não inventa, portanto tem tudo para dar certo. No ataque gostei do Ilsinho jogando solto e Mazola na frente. Espero que a diretoria continue com o atacante, a única justificativa para a dispensa do jogador será por problemas extra-campo.

No restante do Paulistão, apesar de não ter acompanhado nenhum jogo, destaco a sina palmeirense para marcar um gol, o golaço de Roberto Carlos combinado com a infantilidade do goleiro da Lusa, além das vitórias de Oeste e São Bernardo.

E vocês o que destacam?