Brigando mais do que jogando…

lanceviolento170516

“Eu pensei que no Brasil o futebol era mais jogado, mas no fim ele é mais lutado.”

Foi com essa frase que durante uma entrevista o atacante do São Paulo, o argentino Jonathan Calleri resumiu suas primeiras impressões sobre o futebol brasileiro. Sim, um argentino que nós achamos que brigam mais do que jogam durante o jogo disse que a percepção dele é ao contrário.

Ou seja, Calleri, mostrou que o futebol brasileiro é menos jogado do que ele imaginava, consequentemente, menos jogado do que na Argentina. Fica claro que novamente caímos no campo tático, para se jogar mais, o time precisa estar mais organizado, com os atletas entendendo melhor sua função.

Às vezes, tenho a sensação de que para o resto do mundo, o futebol aqui ainda é meio varzeano. Um catado, onde cada um é indicado para uma função e onde é necessário se impor pela força durante o jogo, antes de jogar é preciso brigar mais do que o rival.

Isso não é uma critica ao futebol varzeano, é apenas uma característica do jogo, o que acontece é que como a varzea fica categorizado de maneira inferior ao profissional, a expectativa é que o profissional seja superior a ele, ainda mais em uma primeira divisão. Talvez na quarta divisão, seja mais parecido, na primeira não deveria.

Sei que já está ficando chato o tanto que escrevo sobre, já está virando uma série, mas é possível tornar o campeonato brasileiro uma das ligas mais legais do futebol, se não a mais legal. Mas é necessário falar muito para que quem tem poder para mudar, faça.

E por enquanto, nossos jogadores vão brigando mais do que jogando pela vitória.

Anúncios

Pitacos: São Paulo 1×0 Cesar Vallejo

Bauza110216

E teremos cinco brasileiros na Libertadores, o último classificado saiu ontem, o São Paulo confirmou o favoritismo e passou pelo Cesar Vallejo.

O jogo não foi fácil, o São Paulo abusou do direito de criar pouco, entrou no jogo do rival no primeiro tempo, melhorou no segundo mas jogou bolas na trave e desperdiçou um pênalti.

A vitória veio na estrela de Bauza, os dois gols do confronto sairam de jogadores que ele colocou no segundo tempo e ambos fizeram os gols com menos de dez minutos em campo, na ida Calleri e ontem Rogério.

O São Paulo ainda está aprimorando seu jogo, todos entendendo o jeito de Bauza, o time já ganhou muito mais consistência defensiva, ainda precisa acertar alguns detalhes ofensivos. Um deles é Centurion, o argentino tem ajudado muito sem a bola, mas continua se atrapalhando um pouco sem ela.

Pelo menos, uma boa nova é o início do Ganso, o meia tem procurado mais o jogo, tem assumido o papel de protagonista nesse time, ainda oscila e vai ser normal isso, mas Ganso começou o ano muito bem. Outra boa é Hudson, o volante parece mais confiante e fez ótima partida ontem.

O nosso imediatismo pede resultados para ontem, mas o São Paulo vai trilhando um bom caminho e tem grandes chances em 2016.

O Portunhol vai virar idioma…

Maradona

E o meu tricolor trouxe Lugano, Mena e Calleri, já tinha Wilder e Centurion e ainda busca Buffarini e quem sabe outro gringo para a volância. Não lembro na história do meu time, alguma vez que o time teve tanto gringo.

E o mais engraçado que não somente o São Paulo, os times em geral tem saído para buscar seus reforços na América do Sul. Muitos alegam a falta de opção atualmente, os bons estão caros ou bem empregados, portanto é melhor buscar nos vizinhos.

Sinceramente, acho muito válido a aparição de gringos por aqui, acho rico para a composição do campeonato, seria bacana se conseguissemos mesmo de “segunda linha” trazer alguns europeus também.

Só acho que deve-se tomar o cuidado com o excesso, com preferir um segundo linha de outros centros do que investir na promessa da base. É quase um dilema gastronomico, entre escolher comida congelada ou preparar sua própria comida, o primeiro é rápido e atende a sua fome, o segundo dá muito mais trabalho, pode dar errado, mas pode ficar maravilhoso.

É preciso cuidado para não colocar lasanha congelada no lugar de um belo gnochi da vovó.

E aí eu pergunto para vocês, quem é o melhor gringo que passou pelo seu clube e quem foi o pior?

Pelo meu tricolor que eu vi jogar, foi Lugano e Aristizabal, um pela importância, outro pelo futebol. E o pior, foi o Ameli, mas confesso que foi difícil escolher, teve alguns…rs..