Pitacos: Santos 2×1 Corinthians

Galera do blog, ontem acompanhei a final do paulista, que terminou com a vitória de 2×1 para o Santos.

Durante a partida, aliás durante os 180 minutos da final, o Santos dominou todas as ações do jogo, foi superior ao Corintians e construiu o resultado de forma tranquila.

Do lado santista, reforço o que disse em posts passados, a chegada de Muricy mudou o time do Santos em pouco tempo, o treinador parece ter conseguido conciliar a forma compacta que ele gosta de ver o time jogar com o DNA ofensivo do Santos. Resultado disso, que o time do Santos quase não tem levado gols desde a chegada do técnico, aliás o de ontem foi muito mais por relaxamento do que mérito do adversário.

Individualmente, a dupla de zaga santista fez um partidaço ontem, Durval parecia zagueiro de seleção, Arouca foi o craque da partida, Adriano tem jogado muita bola e Neymar foi discreto para o que se espera dele, mas foi decisivo como os grandes craques devem ser nas partidas importantes. Confesso que estou impressionado com a maturidade de Neymar em 2011, o moleque mimado ainda tem suas crises, mas parece mais preparado para o jogo coletivo.

Do lado corintiano, o time até que fez uma boa partida dentro das suas limitações, mas é evidente que o time precisa de reforços para começar na linha de frente, com as saídas de Dentinho e Bruno César, e o “sumiço” de Jorge Henrique, o alvinegro precisa trazer um ataque titular inteiro. A chegada de Alex é ótima, mas o time precisa de mais. Do meio para trás também, o time é esforçado simplesmente, Fábio Santos, Castan e Paulinho são ótimos para compor elenco, não para titulares. Alessandro não tem reserva, e Júlio César é um bom goleiro, mas não o titular da meta corintiana, goleiro de verdade não faz defesas mirabolantes em algumas partidas, faz defesa fundamental em jogo decisivo.

Em resumo, o Corinthians precisa passar por uma reformulação, e toda reformulação precisa de tempo, isso que a torcida precisa entender. O objetivo do Corinthians esse ano será se classificar na Libertadores, enquanto o do Santos é disputar o título do Brasileirão, aliás na quarta-feira faço uma análise dos times na Série A.

Parabéns Santos!!

Corinthians 0x0 Santos

Galera do blog, ontem acompanhei o jogo do Corinthians contra o santos que terminou 0x0. Eu acho que o resultado foi construído por causa do nervosismo inicial dos dois times, pelo azar santista e pela falta de inteligência do treinador corintiano.

Nervosismo inicial que tomou conta do jogo no início da partida, os dois times pareciam que duelavam pelo território chamado meio de campo, criar jogadas de gol era um detalhe, o importante era ganhar na força física o meio de campo. Dessa forma, o início do jogo foi truncado, com muita briga no meio de campo e pouco futebol. Pelo Corinthians nada de diferente, apenas a sensação de que Dentinho e Jorge Henrique ficaram pelo caminho, ambos ainda não “atuaram” em 2011. Já pelo Santos, um pouquinho do “Muricysmo” já começa a aparecer, o time santista já joga de forma mais compacta na defesa, o time não toma tanto susto e conta com o talento de Neymar e Ganso para resolver.

E aí começou o azar santista, as duas joiás não foram bem no primeiro tempo, e para piorar Ganso saiu no intervalo com uma distensão muscular que o afasta dos gramados por cerca de 30 dias. Neymar, que não foi bem na primeira etapa, resolveu ser o cara no segundo. Toda vez que ele pegava na bola era um inferno para a defesa corintiana, mas como o dia era de “azar” em dois grandes lances do menino, a bola resolveu caprichosamente bater na trave. Pelo corinthians, ainda no primeiro era Bruno César que voltava a jogar bem e o responsável pelas principais jogadas ofensivas do alvinegro da capital. Além disso, apesar de todo o inferno que Neymar causava, a defesa corintiana voltava a jogar bem, Chicão fez boa partida e Castán fez uma partida admirável, um dos melhores em campo pelo Corinthians.

Mas, eis que surge o treinador do Corinthians para atrapalhar um pouco o time corintiano. Ao mesmo tempo que ele acertou ao colocar o “talismã” William, ele acabou com a criatividade corintiana ao tirar Bruno César e colocar Morais. Morais é um bom meia, rápido de dribles curtos e algumas jogadas verticais, mas já está claro para todos que nunca ele conseguiu carregar a responsabilidade de um meio de campo sozinho, ele é uma espécie de Ricardinho, bom meia, mas precisa jogar com outro meia ao seu lado, caso contrário seu futebol fica limitado. E foi assim que Tite acabou com as chances de vitória do Corinthians, o time fez um jogo igual com o Santos e coletivamente melhor, tinha reais chances de sair vitorioso, mas preferiu a opção menos ousada.

Bom, nada decidido, apesar da vantagem técnica e do mando de campo pertecentes ao Santos para a próxima partida, o desgaste da viagem para a Colômbia e a ausência de Ganso podem equilibrar as coisas para o Corinthians. Para o alvinegro da capital, resta torcer para o seu Adenor não atrapalhar tanto

Pitacos 14.03.2011

Galera do blog, ontem foi mais um dia cheio de futebol e como há muito tempo não acontecia, assisti vários jogos. Vou fazer um resumo de três deles e comentar sobre Santos e Corinthians com mais detalhes.

No sábado, o Santos enfrentou o Botafogo-SP e venceu por 2×1. O resultado de verdade, pouco importa, fui um jogo difícil no primeiro tempo, o Santos viu Neymar muito marcado, Diogo caindo excessivamente pela ponta direita e Elano exagerando nos lançamentos de longa distância.

Mas, no segundo tempo, Ganso voltou a jogar e mais do que isso, continua sendo Ganso. O camisa 10 (ontem, jogou com a 16) santista mostrou porque é para todos um candidato a craque brasileiro da década. Eu ouso, um pouco mais, por toda elegância e personalidade que tem, para mim, só fica abaixo de Pelé e Zico, mas com certeza será o maior jogador que eu verei ao vivo.

Voltando ao jogo, a entrada de Ganso fez o Santos voltar a ser o time respeitado que é. O jogador distribuiu passes preciso e deixou o seu. Resultado, vitória santista e a sensação que enfim o ano começou para o clube paulista.

Ontem, assisti ao Corinthians enfrentar ao bom time do Mirassol. E esses fui um daqueles jogos, onde podemos entender a diferença do time “com camisa” e do time “sem camisa”. O alvinegro não jogou bem, na verdade, por diversos momentos do jogo o domínio foi do time do interior, mas faltava “camisa” para abrir o marcador. Até que Serginho acertou um belo chute, fazendo um golaço e mostrando que a tarde ia ser sofrida para o time de Parque São Jorge.

Mas, só foi começar o segundo tempo que a primeira “inocência” aconteceu, em bola cruzada na área, o time interior foi afobado demais e não soube tirar a bola ou mesmo esfriar os minutos iniciais do segundo tempo, resultado tumulto na área do Mirassol e a bola sobrou para William empatar a partida.

O que era para ser o início da reação,virou preocupação no instante seguinte, quando Jorge Henrique de forma imprudente deu um carrinho e recebeu o segundo amarelo. O Corinthians passava a ter um homem a menos. E aí, mais uma “inocência” do Mirassol, a chance de vencer o Corinthians empolgou os jogadores que se descuidaram defensivamente, tudo que o retranqueiro Tite precisava, e em um contra ataque, Dentinho encontrou William livre que só teve o trabalho de tirar do goleiro e marcar a virada corintiana.

Mesmo assim, o jogo reservava algumas emoções nos minutos finais. Esley, um dos protagonistas do jogo, resolveu arriscar um chute de muito longe que ainda contou com o desvio em Wallace para enganar Julio Cesar e morrer no fundo das redes, era o empate do Mirassol e parecia o fim, parecia, pois havia tempo para um último ato inocente do Mirassol, que ficou olhando Bruno Cesar receber sozinho e decretar a vitória corintiana.

Além desses jogos, acompanhei um péssimo Fla 0x0 Flu, que verdadeiramente parecia um duelo de “solteiros x casados”, assisti Roma 2×0 Lazio jogo muito pegado, digno de um clássico, mas faltou força física para o time de Hernanes, ou um pouco mais de equilíbrio. E ainda teve um Brasil 4×3 Venezuela pelo sulamericano sub 17 com destaques para o meia Adryan do Flamengo (o melhor da partida) e Lucas Piazon do São Paulo que teve boa atuação.

Nada tão inesperado assim, não é Tite?!

Galera do blog, ontem foi mais um dia cheio de futebol, acabei vendo uma boa parte do jogo entre Santos e São Caetano e depois vi na íntegra Corinthians e Tolima.

Pelo jogo do Santos, o time santista continua agressivo no ataque, contudo encontrou um Azulão inspirado que resolveu fazer um jogo de igual para igual. Pelo Peixe, Maikon Leite, Elano e Jonathan foram os melhores, mas Keirrison também merece destaque. Possebon que vinha fazendo boas partidas errou muitos passes e parecia cansado ontem. Aliás o sistema defensivo do Peixe como um todo esteve em noite infeliz. COntudo, o time segue na ponta e é o meu favorito para tudo esse ano.

No Pacaembu, os mesmos erros deste começo de ano, a mesma covardia do treinador e uma apatia no meio de campo ireeconhecível, esse foi o Corinthians diante do Tolima. Já tinha comentado anteriormente que diferente dos duelos anteriores nessa entitulada “pré Libertadores” o Tolima é o famoso time “encardido”, possui toque rápido e muita velocidade, mas ainda sim um time fraco. Porém o Corinthians resolveu jogar com o freio de mão puxado, Dentinho, Bruno César, Jucilei não foram nem sombra do que poderiam render.

Soma-se a isso a regularidade incrível de Alessandro e Roberto Carlos em deixarem buracos nas costas deles, são excelentes jogadores, aliás qualquer time no Brasil gostaria de ter os dois como laterais, porém ou o Corinthians adota um 3-5-2 para acertar a cobertura dos laterais, ou joga com dois volantes de contenção para cobrir as subidas, ficou claro ontem que qualquer time mas forte que possua atacantes leves irá dar muita dor de cabeça para o time alvinegro.

Para piorar, na minha opinião, o Corinthians não merece um técnico tão pequeno, tão retranqueiro, covarde. De qualquer forma, nada está decidido, o jogo na Colômbia é na semana que vem, e Tite poderá jogar do jeito que gosta no contra-ataque e terá novamente todas as chances de vencer o confronto. Mas, se eu fosse o Andrés já corria atrás de alguém para ganhar a Libertadores, com Tite o time não ira longe.

Clássico de verdade na Vila Belmiro

Galera do blog, ontem Neymarolândia e Corinthians se enfrentaram. Que jogão, principalmente porque o Santos voltou a ter aquele ímpeto ofensivo do primeiro semestre. O alvinegro praiano não se preocupou em defender, apenas buscou o gol.

O jogo começou em alta rotação, com os dois times lançados ao ataque, aos poucos o jeito de Adilson Batista vai tomando conta do time corintiano, o treinador que tem como característica por onde passa deixar seus times ofensivos está começando a por em prática essa filosofia no Corinthians. Pelo Corinthians, Elias, Jucilei e Bruno Cesar se movimentavam e criavam as melhores chances pelo time da capital. Já o Santos era Neymar, o pivo de toda a polêmica mostrou que é craque, apesar de tudo que aconteceu na semana, não fugiu da partida e mostrou seu bom futebol em campo.

O Santos abriu o marcador logo aos dois minutos em cobrança de escanteio, a bola sobrou para Durval que bateu como um atacante e abriu o marcador. Contudo, logo depois o Corinthians encontrou a igualdade, Jucilei fez ótima jogada e deixou Iarley com a obrigação de empatar, o atacante que desandou a fazer gols não perdeu a chance e empatou a partida. O Santos continuava marcando forte a saída de bola do Corinthians, entretanto, o meio campo do Corinthians dá orgulho, com calma e trocando passes com maestria, o time de Adilson tem sempre o domínio da partida, apenas em lances isolados que o time é assustado.

E foi em um lance isolado que o Santos voltou a ficar com vantagem no marcador, Marcel chutou uma bola fácil, mas Julio Cesar não foi feliz e soltou a bola nos pés de Neymar que só teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes. Explosão na Vila, e Dorival já virou coisa do passado. Com o gol, o panorama continuou inalterado, o Santos tentava marcar a saída de bola do Corinthians, mas a qualidade do meio de campo voltou a falar mais alto. Com calma, o Corinthians foi chegando perto do gol e quase no final do primeiro tempo, foi a vez dos outros dois personagens do meio de campo aparecerem, Bruno Cesar deu passe açucarado para Elias que só teve o trabalho de tirar de Rafael e empatar a partida. Assim, terminava o segundo tempo.

Veio o segundo tempo, e o Corinthians conseguiu levar o jogo em ritmo mais cadenciado. Contudo, um jogo que tinha todos os ingredientes de uma grande partida faltava o pior deles, a arbitragem, em dois lances, veredictos diferentes, e decidido o placar do jogo. No lance do Corinthians, o bandeirinha não viu o impedimento de Danilo, o lance seguiu e o cruzamento do meia corintiano encontrou Paulo André que desviou de cabeça e colocou o Corinthians na frente. No lance santista, o bandeirinha viu o impedimento de Marcel, que dessa forma anulou o que seria o gol de empate santista. No final, vitória do Corinthians por 3×2.

Em resumo, grande jogo. O Corinthians vive grande momento, hoje é o time a ser batido.

Clássico não se joga, se ganha!

Galera do blog, ontem acompanhei o clássico paulista entre e Corinthians e São Paulo. O jogo terminou 3×0 para o Corinthians, resultado justificado principalmente pelo primeiro tempo, onde o Corinthians dominou o meio de campo e soube aproveitar as chances que teve.

Logo no começo do primeiro tempo, deu para perceber aonde está a diferença fundamental da partida, no meio de campo. Parece óbvio que tal área do campo, faça a diferença, mas ontem, parece que a diferença ficou mais gritante. O meio campo corintiano foi a campo com Ralf, Jucilei, Elias e Bruno Cesar, apenas Jucilei se enquadra no conceito de jogador pesado (reforço que pesado, não significa ruim), em compensação no meu tricolor querido o meia foi formado por Rodrigo Souto, Casemiro, Cléber Santana e Marlos, apenas o último se enquadra no conceito de jogador leve.

Dessa forma, o jogo seguiu, quando o São Paulo dominava a bola, rapidamente era sufocado pelos jogadores de meio de campo do Corinthians, quando a situação era contrária, os jogadores do alvinegro tinha muito espaço e tempo para pensar o que facilitava muito mais a movimentação ofensiva do time corintiano.

E foi assim como esse meio rápido que o Corinthians chegou ao primeiro gol com Elias, ele que vem se tornando especialista em fazer gols contra o São Paulo, marcou de novo, em um chute mascado, mas que traiu Ceni no lance. O gol como vem acontecido ultimamente parece derrubar o time fortemente, o time que era pesado começou a abusar dos passes errados e em um deles, Cléber Santana deu o segundo gol para o Corinthians, aliás o Cléber Santana sinceramente devia repensar o que ele quer da vida, pois jogar bola ele não está nenhum um pouco afim.

No segundo tempo, Baresi tentou dar maior velocidade no meio de campo, e o São Paulo conseguiu equilibrar um pouco mais a partida, mas insuficiente para vencer a velocidade do time corintiano. Ainda houve tempo para o terceiro gol.

No final, placar justo pelo que apresentaram as duas equipes. Para o Corinthians a certeza que a saída do Mano não atrapalha a busca do time pelo título, no São Paulo a certeza que não basta mudar técnico, é necessário mexer na estrutura do meio de campo, o time precisa de jogadores rápido e de boa chegada, mudanças drásticas são necessárias, eu colocaria um meio de campo com Rodrigo Souto, Wellington, Jean e Marcelinho.