Pitacos: E o melhor time do Brasil está na final…

Galera do blog, ontem foi dia de acompanhar o jogo de volta entre Corinthians e Santos. E diferente da primeira partida, onde houve um amplo domínio do Corinthians, ontem a partida foi muito mais equilibrada, além de muito boa.

O Santos resolveu começar a partida como terminou na Vila Belmiro, com três atacantes e Elano no banco. No primeiro tempo, o domínio foi santista, principalmente porque Arouca “veio” para o jogo e Neymar resolveu se movimentar mais. Essa mudança de postura, acuou o time corintiano que não conseguia avançar a defesa santista com o mesmo volume de jogo que tornou normal ao time de Tite.

O Santos mostrou paciência no primeiro tempo, em trocar bolas, buscar as melhores alternativas até Neymar construir a jogada do gol, ganhou de Fabio Santos com um ótimo giro, partiu para cima da defesa e lançou Kardec na direita, o atacante só teve o trabalho de cruzar para dentro da área, Borges deu o toque providencial, mas a bola precisou encontrar Neymar para que o atacante tocasse a bola para o fundo das redes.

O Santos ainda continuou com maior volume e poderia ter ampliado, mas foi para o intervalo com um bom resultado e sabendo que a paciência seria a resposta para a classificação. Pelo Corinthians, parece que simplesmente Tite chegou no vestiário e disse “Vamos jogar??”.

Porque veio a segunda etapa, e a postura corintiana mudou e além de tudo premiada logo de imediato. Com menos de dois minutos, em bola alçada na área, a bola encontrou Danilo livre que só teve o trabalho de empurrar para as redes e mais uma vez o jogador é decisivo na Libertadores.

O jogo seguiu e Corinthians foi melhor no segundo tempo, voltou a ser mais sólido no segundo tempo e sofreu poucos sustos. Assim o jogo caminhava para o seu final e o Corinthians que foi melhor durante os 180 minutos se classificava para a final.

Após a classificação fica mais fácil pontuar algumas coisas. É óbvio que a fraca atuação do Santos na Vila foi fundamental para a desclassifcação do time. Neymar foi bem no geral, mesmo para um craque fica difícil resolver tudo sozinho. E aí vem o ponto principal do duelo, ficou claro que um elenco mais completo é melhor que possuir apenas um craque. Neymar teve apenas a companhia de Arouca e no segundo jogo.

Para o Corinthians não precisa muitos conselhos, talvez apenas a possibilidade de Tite sacar Jorge Henrique do time e deixar Liedson, contanto que Sheik ajude na marcação como JH. Fora isso, o Corinthians chega a final da Libertadores porque hoje é o melhor time do Brasil.

Pitacos: Nos primeiros noventa minutos, o coletivo venceu a invidualidade.

Galera, ontem aconteceu a primeira partida das semifinais da Libertadores. E foi a vitória do futebol coletivo.

Os dois times vieram a campo com suas formações tradicionais, o Corinthians no seu 4-2-3-1 com a mesma escalação que enfrentou o Vasco e o Santos no seu 4-4-2 com Ganso retornando ao time.

E o começo do jogo mostrou o Corinthians exercendo sua tradicional pressão na marcação e o Santos sucumbindo a essa marcação, ora pela péssima atuação de Arouca, ora pela nula movimentação de Elano e Ganso, portanto, era fácil para o Corinthians recuperar a bola, o Santos dependia de chutões que Neymar conseguisse dominar.

Após os 15 minutos iniciais, o Corinthians diminuiu a pressão e começou a deixar o Santos jogar um pouco mais, mesmo assim o time da baixada parecia não conseguir fazer seus jogadores jogarem. A saída de bola era concentrada em Adriano, Juan e Neymar.

E foi por concentrar as ações na esquerda que o Santos sofreu o gol. Ao perceber essa “esquerdadependência” do time, Tite foi preparando uma blitz para uma boa roubada de bola, Jorge Henrique que caiu pela direita, Paulinho e Alessandro apertaram o cerco e em roubada de bola, Paulinho saiu em disparada e entregou para Sheik que dominou a bola e acertou um lindo chute no ângulo. Golaço e 1×0 para o Corinthians.

O primeiro tempo seguiu com o Corinthians mandando no meio de campo e o Santos contando com o talento de Neymar. Contudo, devido a falta de atuação do meio de campo do alvinegro praiano, a jóia tinha que buscar o jogo muito atrás, o que tornava a tarefa mais complicada para o craque.

No intervalo, Muricy colocou Borges no lugar do inútil Elano, assim Muricy passou do 4-4-2 para o 4-3-3 com Kardec aberto na direita, Neymar na esquerda e Borges centralizado.

Porém, o problema continuava no meio de campo, Arouca parecia um simples volante, nem de longe foi aquele volante que todo mundo pede na seleção, em compensação o Corinthians atuava de maneira sólida.

A segunda etapa foi seguindo sem grandes chances e com o Santos ficando cada vez mais nervoso, até que em dividida mais forte, Neymar foi advertido com amarelo e no lance seguinte Sheik resolveu revidar e como já tinha amarelo foi para o chuveiro mais cedo. O Santos até esboçou uma reação, mas parou em Cássio e na defesa corintiana.

No Corinthians, destaque para Castan e Fabio Santos que fizeram uma partida impecável, o mais curioso é que são exatamente os dois jogadores que mais questiono nesse time. Em compensação, Alex foi o ponto baixo no time que atuou muito abaixo do time.

Pelo Santos, reclamar de Ganso é exagero sabendo que ele estava voltando de lesão e que não Ganso bichado é muito melhor do Felipe Anderson “voando”. Agora Henrique, Elano e Arouca foram muito mal, principalmente os dois primeiros, Henrique mostra que não consegue atuar na lateral e pouco ajuda o time no apoio ao ataque. Elano parecia recém acordado de sono profundo, pois estava estático, tentando em entender aonde estava e Arouca pareceu jogar machucado, pois não tinha a mesma explosão de sempre.

No fim, vitória corintiana que credencia o time a chegar a uma inédita final. No papel, o resultado deixa tudo em aberto, mas para o Santos almejar o 4º título, o time precisa jogar futebol, algo que não ocorreu ontem.

Pitacos: O melhor jogo da semana, com destaque para Muriel, Neymar e Ricci!!

Galera do blog, ontem foi dia de acompanhar o clássico entre Santos e Inter. Os dois últimos campeões da Libertadores entraram em campo para decidirem suas vidas na próxima fase do torneio.

E o jogo começou com a pressão inicial do time da casa, o Inter tentou superar o time santista na empolgação da torcida. Mas o time esbarrava na própria falta de criatividade, com as ausências de Oscar e D’Alessandro, a criação ficava apenas para Dátolo.

Mas, apesar de toda a pressão, o Inter abriu o marcador na bola parada. Em cobrança magistral de Nei, o time colorado abriu o marcador. O gol deu uma maior tranquilidade para o Inter que passou a criar mais chances, contudo essa tranquilidade relaxou um pouco o time que começou a deixar o Santos jogar.

E Neymar começou a aparecer, ainda bem marcado e sem pode contar com a ajuda de Ganso e Borges, ambos muito apagados na partida, a jóia santista viu o primeiro tempo terminar com o placar de 1×0 para o Inter sendo justo por aquilo que os times criaram.

Veio a segunda etapa, e o Santos voltou melhor, em parte pela relaxada do time gaúcho na marcação, e parte por Neymar conseguir mais espaços para criar suas jogadas. Até que Muricy resolveu lançar Kardec em campo e tirar um lateral, uma mudança bem ofensiva e que fez o Santos abrir mais a defesa do Inter e dar espaços para Ganso, Neymar e Juan.

E foi Juan que fazia uma partida burocrática que fez ótimo cruzamento que encontrou Kardec que conseguiu mesmo bem marcado testar a bola e empatar a partida.

O gol abalou a confiança colorada e o Santos passou a dominar as ações, principalmente com o craque. Neymar começou a mostrar todo o seu repertório e dar muito trabalho para o Inter, principalmente para Muriel. O goleiro do Inter terminou como um dos destaques da partida, pelas ótimas defesas que fez no segundo tempo. Muriel defendeu pelo menos três bolas complicadíssimas.

E o segundo tempo foi caminhando dessa forma, o Santos muito superior criando oportunidades e o Inter tentando acertar um contra ataque. No fim, 1×1 que de certa forma, ficou bom para todos.

No Inter, destaque individual, além de Muriel, para Dátolo e Tinga que fizeram uma bela partida. Em compensação, Damião e Dagoberto foram peças nulas na partida. No Santos, Neymar e Arouca foram bem, enquanto Borges vive uma péssima fase.

Outro ponto muito positivo, foi a atuação de Sandro Ricci. Diferente do que seus amigos europeus fizeram ontem e terça, o árbitro não quis ser protagonista mesmo em meio a toda a polêmica. O árbitro foi muito bem e controlou uma partida que podia ser complicada. Parabéns para Ricci.

Pitacos: Sansão de arrancar os cabelos!!

Galera, ontem foi dia de acompanhar ao clássico San-São.

Que clássico formidável, 3×2 para o São Paulo em um show de Lucas e a mostra que às vezes um futebol desequilibrado e que só pensa em atacar pode funcionar.

Os primeiros 30 minutos foram todos do São Paulo. Foram 10 chutes contra nenhum. No segundo chute dessa sequência, Casemiro contou com o desvio de Dracena para enganar Rafael e abrir o marcador. Os oito chutes seguintes, oscilaram entre chutes perigosos e outros nem tanto. Mas, o São Paulo jogou fora a chance de tentar ampliar o marcador e ir para o chuveiro um pouco mais confartável.

Nos 15 minutos seguintes da primeira etapa, o Santos conseguiu equilibrar um pouco mais as ações, principalmente com Arouca. Ganso e Neymar foram muito bem marcados. Denilson contou com a pouca inspiração de Ganso e Rodrigo Caio foi um marcador implacável de Neymar, o craque praticamente não jogou no segundo tempo. Porém, Caio recebeu um amarelo que iria complicar ele mais tarde.

Veio o segundo tempo, e Muricy promoveu a entrada de Elano no lugar de Ibson. O time santista melhorou e passou a dominar as ações no meio de campo, principalmente com Elano. E em um escanteio cobrado por ele, Dênis saiu mal e a bola sobrou para Dracena empatar a partida. Quase que no lance seguinte, Caio chegou pesado de novo em Neymar, mas se a falta podia ser discutível o conjunto da obra não, Caio levou o segundo amarelo e foi expulso.

Com a expulsão, Muricy resolveu por o time mais pra cima, enquanto Leão tirou Jadson e promoveu a entrada de Piris para repor o setor. Piris podia mais uma vez enfrentar Neymar, assim como na época de Cerro Porteno. A partir daí, O Santos passou a manter mais a bola em seu ataque, e o São Paulo buscava acertar um bom contra ataque e aí surgiu o talento de Lucas.

Em rápido contra ataque puxado pela jóia são paulina, ele lançou Luis Fabiano que tentou driblar Rafael e foi impedido, pênalti marcado para o São Paulo. Lógico que não houve o contato entre Rafael e Fabiano, mas só porque Fabiano pulou, caso contrário seria atropelado pelo goleiro. Se não fosse pela tentativa de Rafael, Fabiano teria marcado o gol, como Fabiano teve que pular para evitar o contato, entendo o pênalti como correto. Luis Fabiano foi para a bola e botou novamente o São Paulo na frente.

E nesse clássico maluco, o São Paulo com um a menos conseguiu pressionar o time santista e jogava melhor quando em um lance isolado, Kardec achou Neymar com espaço. E o craque santista precisou de um único espaço para anotar o seu gol. Essa para mim, é a diferença de um craque, Neymar foi muito bem marcado o jogo inteiro, mas uma bola que ele teve limpa decidiu a partida. Toque de craque!

Mas, o jogo não podia terminar por aí, tinha que ainda reserva uma polêmica. Já nos apagar das luzes, Lucas partiu em outra rápida arrancada e deixou Cortez na cara do gol, o lateral desequilibrado mandou a bola na trave que caprichosamente caiu no pé de Lucas que só teve o trabalho de empurrar a bola para o fundo das redes e premiar sua atuação. O único problema é que Lucas marcou o gol em posição de impedimento.

Individualmente, o São Paulo deve comemorar a recuperação de Lucas e Casemiro, as duas promessas foram os melhores em campo. Outro destaque, foi a dupla de zaga, o time jogou mais próximo uns dos outros, consequentemente, os zagueiros puderam jogar menos pressionados e aí Rhodolfo e Paulo Miranda mostraram suas qualidades. Menção honrosa para Dênis também, quando o idolo aposentar, o time estará em boas mãos.

No Santos, Ganso teve atuação apagada. Arouca foi bem. Elano ganhou pontos dessa vez, em compensação Adriano precisa recuperar tempo de bola, para mim o volante cometeu dois pênaltis e quase não conseguiu desarmar sem fazer falta ontem. Borges está em má fase, e Kardec começa a merecer uma “chancezinha”

De qualquer forma, o São Paulo (mesmo com um gol irregular) foi merecedor da vitória, jogou melhor que o Santos.

Pedido para o perdido… (Carta aberta para um treinador)

Caro Mano,

Sei que a vida de treinador da seleção mais vitoriosa do futebol não deve ser fácil, mas devemos lembrar que essa foi uma escolha sua. Você optou por ser treinador da seleção, portanto deve assumir a responsabilidade por tal.

Imagino também o quanto você deve escutar de pedidos de convocações, tanto de torcedores fanáticos, comentaristas esportivos metidos a besta e principalmente da corja de empresários querendo usar a seleção de trampolim para os seus jogadores.

Mas aqui vai mais um daqueles pedidos.

Pensando para a Copa do Mundo, serão 23 jogadores convocados, normalmente, 3 goleiros, 2 laterais direitos, 2 laterais esquerdos, 4 zagueiros, 4 volantes, 4 meias e 4 atacantes. Porém como falamos de Brasil, vamos diminuir um volante e um meia e fechar a lista com 6 atacantes, isso sim é Brasil.

No gol, não dá mais pra contar com a granja do nosso Julio Buzz Lightear Cesar. Diego Alves é um menino sério que está catando muito desde que surgiu par ao futebol. Entregue a 01 para ele e pronto. Para as camisas 12 e 23, fique a vontade para escolher quem você quiser, eu optaria por Jefferson do Botafogo e Rafael do Santos. Um experiente e uma aposta.

Nas laterais, Daniel Alves, Maicon e Marcelo são inquestionáveis, ou seja sobra apenas a reserva da esquerda. Eu não sei você, Mano, mas hoje só o Cortêz (agora com Z) vem atuando bem e sempre nessa posição. Adriano é reserva de Abidal, o único jogador questionável do Barça.. De repente, até perto da Copa, aparece alguma revelação, mas por enquanto, fico com o cabeludo estranho do São Paulo.

Além do que, existe uma mística na seleção, toda vez que a seleção ganhou tinha alguém do São Paulo entre os selecionados, portanto, lembra na hora de convocar os 23 tem que ter alguém do São Paulo.

Em 58, Dino, De Sordi e Mauro. Em 62, Bellini e Jurandir. Na de 70, só o Gérson. Já em 94, era Zetti e Muller. Para terminar, em 2002, Ceni, Belletti e Kaká.

Mano, pêra, que eu me empolguei, vamos voltar aos convocados. Chegou a hora da defesa. Somos a seleção, admirada e respeitada por todos, portanto temos que ter zagueiros craques lá atrás. Por isso, Thiago Silva e Dedé tem que ser os titulares. David Luiz também pode fazer parte. O quarto zagueiro eu deixo você a vontade para escolher tá..

Nossos volantes, de novo eu recorro a nossa tradição, tem que saber jogar bola. Ralf, Arouca e Elias são na minha opinião os melhores nesse quesito. E olha que dois deles, jogaram com você. Sandro e Fernandinho são bons para jogarem na seleção da Suécia, Dinamarca, Polônia, como diria o Mané, são Joãos.

Chegamos ao meio de campo, aquela região do camisa 10, lembra da importância dessa camisa, professor? Então, esse quatro são aquilo que há de mais bonito no futebol, são aqueles que o tempo parece andar mais devagar quando eles pegam na bola, não dá pra escolher qualquer um. Ganso é um desses jogadores, depois temos certa escassez no nosso futebol, mas dá pra tentar um Alex (Corinthians), Thiago Neves (Fluminense), Kaká (Real Madrid), Douglas (Corinthians), quem sabe arriscar William (Shaktar) ou contar com o aparecimento de um novo Ganso.

E aí chegamos ao ataque, ufa.. Eu colocava Lucas na direita, Neymar na esquerda e Damião para empurrar a bola para o fundo das redes. Além disso, levaria mais dois goleadores e mais um que caia pelas pontas. Para a função de goleadores temos algumas opções, tem o Fred, tem o Hulk, tem o Jonas, ainda podem surgir Luis Fabiano e Imperador. Fique tranqüilo que na hora, você terá várias opções para escolher. Já o habilidoso é um pouco mais difícil, hoje temos apenas o Robinho para fazer sombra para Neymar/Lucas, mas tudo bem, até porque você pode optar por jogar com dois daqueles nossos queridos meias, ai Lucas ficaria no banco um pouco.

Bom Mano, essa é apenas uma carta de coração aberto para tentar te ajudar. E não tenha vergonha de pedir ajuda ou pular fora do barco, essa função é para quem agüenta mesmo o tranco, não para quem ganha estadual e segunda divisão de nacional.

Pitacos: Santos 2×1 Corinthians

Galera do blog, ontem acompanhei a final do paulista, que terminou com a vitória de 2×1 para o Santos.

Durante a partida, aliás durante os 180 minutos da final, o Santos dominou todas as ações do jogo, foi superior ao Corintians e construiu o resultado de forma tranquila.

Do lado santista, reforço o que disse em posts passados, a chegada de Muricy mudou o time do Santos em pouco tempo, o treinador parece ter conseguido conciliar a forma compacta que ele gosta de ver o time jogar com o DNA ofensivo do Santos. Resultado disso, que o time do Santos quase não tem levado gols desde a chegada do técnico, aliás o de ontem foi muito mais por relaxamento do que mérito do adversário.

Individualmente, a dupla de zaga santista fez um partidaço ontem, Durval parecia zagueiro de seleção, Arouca foi o craque da partida, Adriano tem jogado muita bola e Neymar foi discreto para o que se espera dele, mas foi decisivo como os grandes craques devem ser nas partidas importantes. Confesso que estou impressionado com a maturidade de Neymar em 2011, o moleque mimado ainda tem suas crises, mas parece mais preparado para o jogo coletivo.

Do lado corintiano, o time até que fez uma boa partida dentro das suas limitações, mas é evidente que o time precisa de reforços para começar na linha de frente, com as saídas de Dentinho e Bruno César, e o “sumiço” de Jorge Henrique, o alvinegro precisa trazer um ataque titular inteiro. A chegada de Alex é ótima, mas o time precisa de mais. Do meio para trás também, o time é esforçado simplesmente, Fábio Santos, Castan e Paulinho são ótimos para compor elenco, não para titulares. Alessandro não tem reserva, e Júlio César é um bom goleiro, mas não o titular da meta corintiana, goleiro de verdade não faz defesas mirabolantes em algumas partidas, faz defesa fundamental em jogo decisivo.

Em resumo, o Corinthians precisa passar por uma reformulação, e toda reformulação precisa de tempo, isso que a torcida precisa entender. O objetivo do Corinthians esse ano será se classificar na Libertadores, enquanto o do Santos é disputar o título do Brasileirão, aliás na quarta-feira faço uma análise dos times na Série A.

Parabéns Santos!!