Exaltando à toa nas mesas redondas de domingo.

arbitragem

Vira e mexe nossa arbitragem resolve aparecer, sendo que em algumas rodadas, a vontade é um pouquinho maior do que nas outras, como aconteceu nessa 16ª rodada que ainda tem um jogo para encerrá-la.

Com destaque para o jogo do Corinthians e da Ponte, onde os erros foram importantíssimos para o rumo da partida. No primeiro, a não expulsão de Cássio contribuiu para o Corinthians conseguir buscar o empate, assim como no da Ponte, o time do interior teve um gol anulado e dois pênaltis não marcados, interferindo diretamente no empate contra ironicamente o time do DVD.

O Inter que adora fazer um DVD para reclamar da arbitragem, que seria saber se a partida de ontem, entrará no playlist.

Aliás, aproveitei essa deixa do DVD para destacar exatamente isso, é quase impossível cravar que a arbitragem erra a favor de alguém ou de algum eixo, a arbitragem erra para todos os lados e erra muito.

Se existe algum esquema é com apostadores, e aí o erro para todos os lados é mais conveniente. Mas aí, é pura especulação, é preciso seriedade para fazer qualquer acusação. Eu simplesmente fico com a opção que os juízes erram.

Muito se fala na profissionalização como caminho, contudo, apesar de por muitas vezes, eu mesmo defender, existe uma questão curiosa, em qual outro país, esse formato funciona, onde o árbitro é exclusivamente árbitro, não possui outra atividade remunerada?

Portanto, mais do que a profissionalização, é preciso adequar o formato, o jeito que a informação é tratada. Escutando o Sálvio Spinola falar, o que acontece na maioria dos países que aqui não é a forma.

Por exemplo, os árbitros de cada campeonato são definidos antes e tem alguns encontros antes e durante para alinhamento e debate sobre alguns lances polêmicos. No Brasil, tem árbitro que é escalado para uma Série, por exemplo, quase no final do primeiro turno e os lances são apenas vistos pelo próprio quando acontece um burburinho muito grande, caso contrário, o árbitro pode ficar dias sem olhar seus eventuais erros.

E aí, voltamos a turma do DVD, onde agora incluo todos os times, eles também precisam querer arrumar isso, não adianta vir a público apenas para reclamar quando é contra si e fazer cara de “poisé” quando acontece a seu favor. Isso é jogar para torcida e não resolver nada.

Como já disse algumas vezes, é preciso união real para arrumar, pois senão continuamos apenas nos exaltando a toa nas mesas redondas de domingo.

Ou o fim dos braços no futebol ou o fim dessa recomendação sem pé nem cabeça.

Playmobil

Você concorda com esse pênaltis que batem na mão?

Primeiramente, quero lembrar que os árbitros não estão errados. A recomendação que eles receberam é que toda bola que bata na mão deve ser marcado o pênalti.

O problema é se isso está certo, já estou dizendo desde o pênalti marcado contra o São Paulo no clássico com o Palmeiras que a partir de agora fará parte das “jogadas ensaiadas” um bom chute na mão do adversário, um jeito prático e simples de chegar a uma penalidade e uma clara chance de gol.

Essa recomendação vai totalmente contra a regra do futebol. A regra diz sobre colocar a mão na bola deliberadamente, clique aqui para consultar as regras FIFA.

Para quem procurar o significado de deliberadamente no dicionário, perceberá que sinônimo é igual ao propositalmente e seu antônimo é acidentalmente. Ou seja, a regra é colocar a mão na bola propositalmente. E estamos recomendando a marcação da falta quando o toque for acidental.

Eu gostaria muito de saber se a orientação da FIFA foi essa mesma, ou se quem comanda a nossa arbitragem não entendeu o recado direito e passou completamente errada a recomendação.

Porque pênaltis (listarei os que vi) como o do Fagner a favor do Flamengo, o de Alisson a favor do Figueirense e do Antonio Carlos a favor do Corinthians fogem do bom senso do futebol. O esbarrão com o braço é inevitável em todos os casos, não tem como evitar o contato, vai bater no braço sim.

E não adianta pregar o discurso de o toque muda a trajetória da bola. Sim, muda e continua na regra, não foi intencional, não foi deliberado o toque, foi porque nossos jogadores ainda são seres humanos e não podem simplesmente deixarem os braços no banco, enquanto vão ali jogar uma bolinha.

Os árbitros estão cumprindo ordens de quem provavelmente nunca jogou bola e quem joga provavelmente começara a chutar bolas nos braços que entrarem em campo para ganhar uns penaltizinhos marotos por aí.

Alguém precisa decidir, ou o fim dos braços no futebol ou o fim dessa recomendação sem pé nem cabeça.

Surpresa, surpresas e surpresas…

arbitragem 21082014

Quem nunca ouviu a expressão: o futebol é uma caixinha de surpresas?

E ela serve para exemplificar a vitória do Chapecoense sobre o Fluminense. O inferno astral que Fred está passando, o time carioca vinha bem e continua jogando bem, mas desde a volta do centroavante, o time parou de ganhar.

Ela serve também para explicar a boa fase do Flamengo. São cinco jogos e quatro vitórias com o pofexô Luxa! Será que agora o pojetu, vai?

Ela serve para explicar como pode na mesma rodada, Leandro Damião e Keirrison terem feito gol.

Para explicar, como o Sâo Paulo e Corinthians conseguem ir tão bem contra os grandes e tropeçar nos pequenos. Uma síndrome de Robin Hood, danada nos paulistas.

Mas serve também, para explicar como um lance igualzinho, pode ter duas interpretações diferentes. No domingo, um chute de Felipe Meneses explode no braço de Edson Silva, o juiz marca pênalti para o Palmeiras. Ontem, Pato tenta uma finalização e ela explode no braço de Juan, qual a decisão do árbitro? Como diria Milton Leite: “seeeegue o jogo”.

Confesso que na minha cabeça, não considero nenhum dos lances como pênalti. Contudo, existe uma recomendação da Fifa sobre a questão do braço “muito aberto”, a entidade pede que seja marcada a infração nessas situações. Ou seja, para a Fifa, ambos os lances foram penalidades.

E é essa surpresa que me incomoda, ou seja, além das particularidades que todo jogo de futebol pode propiciar, precisamos ainda descobrir ao longo da partida qual o critério que o juiz irá adotar.

Alguém precisa reunir os árbitros e explicar para eles, que estilo de apitar é uma coisa e isso não envolve escolher critérios que serão adotados. Os critérios são únicos.

Que a próxima surpresa seja o mesmo lance em partidas diferentes com a mesma marcação no final.

Rapidinhas do Camisa 10 – 01.08.2012

Decepção das Américas. O pessoal criticando o Corinthians sobre a possível quebra da Taça Libertadores, mas após uma análise de um médico-legista ficou comprovado que o “bonequinho” que fica no topo da taça cometeu suícidio ao perceber onde tinha ido parar.

Quando a esmola é demais.. Pelo andar da carruagem, o Brasil terá um único rival nessa Olimpíadas, ele mesmo. Com a eliminação da Espanha e o futebolzinho mequetrefe do Uruguay, o Brasil se tornou ainda mais favorito.

Ainda não me agrada. Falando em seleção, Mano convocou a seleção que irá enfrentar a Suécia no amistoso em Agosto. A base é quase toda olímpica, com as inclusões de Dedé, Paulinho, Ramires e Jonas. Gosto dos jogadores, mas não gosto do discurso de Mano que a seleção não pode ter um volante pegador na frente da defesa. Ralf ou Luis Gustavo são os donos dessa posição.

Ah, o reino animal. Ganso novamente sentiu uma lesão e foi poupado do jogo de hoje, o meia do Santos começa ganhar cada vez mais dúvidas sobre ele, contudo, Ganso mostrou inteligência ao buscar apoio sobre como lidar com as lesões. Foi falar com Pato, um especialista em conviver com lesões.

Ajustes na linha de montagem. Por alguns instantes, a Nike ligou o sinal de alerta em sua fábrica. Assim que começou uma avalanche de pedidos dos corintianos, a empresa ficou preocupada em como conseguiria fazer uma camisa tão grande.

Remédio caseiro. Ainda existem algumas boas opções no mercado interno para quem quiser se reforçar, segue aqui uma escalação minha com reforços que ainda não fizeram 07 jogos: Felipe(Fla), Piris (SP), Vicotirno (Cru), Pereira (Ctba), Feltri (Vas); Marcelo Mattos (Bota), Bolatti (Inter), Ramirez (Ctns) e Rafinha (Ctba); Andre (Galo) e Rafael Moura (Flu).

Será que alguém consegue? Agora é a vez do Santos dizer que já tem um contrato pronto e enviado para Riquelme. Depois de recusar Corinthians e Flamengo, qual será a resposta de Riquelme. Em caso de negativa, vou começar a “desconfiar” que o rapaz não tem muita vontade de atuar no Brasil.

Apito fanho… Chega a ser curioso, como nossos árbitros escolhem uma rodada específica para fazer todas as presepadas possíveis, até com 12 em campo um time jogou. Acho que os erros fazem parte, mas que temos que admitir que nossos árbitros são mal preparados, são.

Adriano ou Ronaldo?. Vampeta disse em entrevista que festa boa era as do Ronaldo e do Adriano, os problemas era que na festa do Ronaldo, ele tinha que perguntar toda vez se aquela mulher era mulher mesmo e na do Adriano era conseguir chegar na festa sem tomar uma bala perdida.

Você sabia… que Michael Phelps, maior medalhista da história das Olimpiadas, possui 15 ouros na sua coleção, o mesmo que o Brasil conquistou nos últimos 24 anos de Olimpíadas.

Dúvida da semana. Será que o ouro olímpico salva Mano Menezes?

Quando o futebol vira marionete do gordinho frustado!!

É difícil comentar qualquer coisa, admito que o encontrão do Gil em cima do Ronaldo foi totalmente desnecessário, mas até aí ser marcado a falta existe um abismo imenso. Acima de tudo, me incomoda, porque um time de massa como o Corinthians pode ganhar novamente um título sob suspeitas.

Quero deixar claro que tanto em 2005, como agora em 2010, acredito que não existe “compra” por parte do clube, mas existe a necessidade de interesses maiores. Às vezes, parece que apenas os amiguinhos do bulldog que cuida da entidade maior do futebol brasileiro podem ganhar. Ou outros terão que sofrer muito para levar o título.

Deixo os comentários de três jornalistas que respeito muito.

Vitor Birner: “O Corinthians foi extremamente cauteloso. Quase medroso. Nunca se arriscou. O Cruzeiro saiu mais para o jogo, contudo só criou uma chance clara, e como tem Wellington Paulista de centroavante não pode reclamar do erro.
Sandro Meira Ricci, o árbitro, marcou um pênalti bem no estilo brasileiro. Eu temia isto, tal qual conversamos nos posts durante a semana.”

Cosme Rimoli:“A Comissão de Arbitragem da CBF o considerava como o árbitro revelação de 2010. Foi escalado sem medo para um das partidas que vai decidir o Brasileiro. Ele conseguiu manchar, estragar o campeonato. Foi mais um árbitro a cair na pressão de Ronaldo, da torcida corintiana. Tudo já estava estranho. Impedimentos inventados contra o ataque do Cruzeiro.
Marcações desmoralizantes. Cuca conseguiu encaixar a marcação na saída de bola corintiana. Bruno César foi anulado. Montillo sofria, mas nos poucos lances em que conseguia escapar de Ralf deixava a torcida corintiana arrepiada. Júlio César fez uma defesa maravilhosa, quando Wellington Paulista estava cara a cara com ele. O Corinthians tentava de qualquer maneira, mas os mineiros marcavam bem e mereciam a vantagem no placar. Aos 42 minutos do segundo tempo, a bola foi levantada em direção a Ronaldo. Ele estava de costas para o gol. Gil disputou a jogada com ele pelo alto. Choque normal, como acontece milhares de vezes durante todas as partidas. Ronaldo gritou, cobrou o árbitro, como se fosse um chefe falando com um subalterno.”

Lédio Carmona: “Ao final do jogo, o presidente do Cruzeiro, Zezé Perrella, e o técnico Cuca, sugeriram “armação” pró-Corinthians. O presidente, mais exaltado, fez acusações à comissão de arbitragem e ao árbitro. Zezé é dirigente do clube há 17 anos. Já viu de tudo no futebol. Suposições de dúvidas e sugestões de falta de honestidade todos já viram. Se Zezé souber (e tenha provas), que fale. Do contrário, melhor se resignar e entender que nossa arbitragem é pessima e não tolera contato numa disputa de bola. Na prática, árbitro no Brasil acha que futebol é tênis. É proibido encostar. Desde que a bola redonda o futebol brasileiro é uma fábrica de pênaltis. Acompanho isso há quase 40 anos. E duvido que um dia melhore.”

Nossa arbitragem começa muito bem em 2010.

Matéria retirada do blog Primeira Mão

A arbitragem brasileira está mesmo em baixa no cenário mundial. No ranking dos melhores árbitros de 2009 elaborado pela Federação Internacional de Historia e Estatísticas do Futebol (IFFHS, em inglês) não há nenhum brasileiro seguer entre os 25 nomes citados. Todos os outros tradicionais países sul-americanos têm pelo menos um juiz na lista.

O melhor árbitro de 2009 segundo a IFFHS foi é o suíço Massimo Busacca, que apitou a última final da Liga dos Campeões entre Barcelona e Manchester United e é um dos fortes candidatos para estar na decisão da Copa do Mundo de 2010. O italiano Roberto Rosetti aparece em segundo e o inglês Howard Melton Webb, em terceiro.

O melhor árbitro sul-americano no ranking é o uruguaio Jorge Luis Larriondo, que ficou em quarto lugar. O chileno Carlos Luis Chandía apareceu em oitavo. O argentino Héctor Baldassi ficou em décimo. O paraguaio Carlos Amarilla foi o 12º e o colombiano Oscar Ruiz terminou em 16º.

A última vez que um árbitro brasileiro apareceu na lista dos melhores do ano da IFFHS foi em 2004, com Márcio Rezende de Freitas. Na época ele ficou em oitavo lugar. Dois árbitros já venceram a eleição, que acontece desde 1986: Romualdo Arppi Filho, em 1987, e José Roberto Wright, em 1990.

Na minha opinião o que assusta é quando se compara com os demais sulamericanos, já que este ranking deve possuir o peso político, ou seja a arbitragem brasileira é tão ruim que nem com a força política consegue colocar um árbitro entre os 25 melhores, e ainda mais o último foi Márcio Rezende de Freitas (Que medo!!)..