A Lista de 59 jogadores do Ballon D’or!

f1bcf

E saiu uma lista de 59 jogadores indicados para o prêmio Balon D’or da Fifa!

São 59 atletas distribuidos por 25 países. 13 da Europa (28), 6 da América do Sul (22), 2 Ásia (2), 2 da África (4), 1 da América do Norte (2) e 1 da Oceania (1).

Argentina com 6 jogadores lidera as indicações, seguido de Chile e Espanha com 5 cada.

Logicamente, todo mundo sabe que a disputa será entre CR7, Messi e mais um. Porém é interessante ver como evolui a lista, que passará a ter 23 nomes, para depois dez e por fim os três finalistas.

Fica claro também algumas questões políticas como a indicação de Luongo do QPR para ter alguém da Oceania, assim como os dois asiáticos.

Nosso país está mandando 3 jogadores nessa lista, Coutinho, Neymar e William. Para mim, incluindo Marcelo, formam as melhores peças de uma seleção brasileira.

Fiz o exercício de montar minha seleção do mundo com os indicados, confira:
Neuer, Sergio Ramos, Chiellini, Otamenti, Alaba, Kroos, Rakitic , Neymar, Messi, Hazard, Crisitano Ronaldo.

Nesse exercício, constatei que a defesa é uma piada, improvisei Sergio na direita, já que ele começou lá, mas tive a certeza de que não indicaria nunca Otamendi e Chiellini.
Percebi que faltou Godin, Varane, Hummels, enquanto sobraram Otamendi, Ospina, Medel, Morata, Luongo.

Confira a lista
ALEMANHA: Kroos (Real Madrid), Müller (Bayern), Neuer (Bayern).
ARGENTINA: Agüero (City), Mascherano (Barcelona), Messi (Barcelona), Otamendi (Valencia-City), Pastore (PSG), Tévez (Juventus-Boca).
AUSTRALIA: Luongo (QPR).
AUSTRIA: Alaba (Bayern).
BÉLGICA: Courtois (Chelsea), De Bruyne (Wolfsburg-Manchester City), Hazard (Chelsea).
BRASIL: Coutinho (Liverpool), Neymar (Barcelona), Willian (Chelsea).
CHILE: Bravo (Barcelona), Medel (Inter), Alexis Sánchez (Arsenal), Vargas (QPR-Hoffenheim), Vidal (Juventus-Bayern).
COLOMBIA: Bacca (Sevilla-Milan), Jackson Martínez (Porto-Atlético Madrid), Ospina (Arsenal), James Rodríguez (Real Madrid).
COREIA DO SUL: Son (Leverkusen-Tottenham).
COSTA DO MARFIM: Bony (Swansea-Manchester City), Touré Yaya (Manchester City).
CROACIA: Modric (Real Madrid), Rakitic (Barcelona).
ESPANHA: Diego Costa (Chelsea), De Gea (Manchester United), Iniesta(Barcelona), Morata (Juventus), Sergio Ramos (Real Madrid).
FRANCÊS: Benzema (Real Madrid), Griezmann (Atlético Madrid), Lacazette (Lyon), Pogba (Juventus).
GALES: Bale (Real Madrid).
GANA: Atsu (Everton-Bournemouth), Ayew (Marseile-Swansea).
HOLANDA: Depay (PSV-Manchester United), Robben (Bayern).
INGLATERRA: Kane (Tottenham), Rooney (Manchester United).
ITALIA: Chiellini (Juventus), Pirlo (Juventus-New York City).
JAPÃO: Ozakazi (Leicester City).
MÉXICO: Giovani dos Santos (Villarreal-LA Galaxy), Guardado (PSV).
PERÚ: Guerrero (Corinthians-Flamengo).
POLONIA: Lewandowski (Bayern).
PORTUGAL: Cristiano Ronaldo (Real Madrid).
SUECIA: Ibrahimovic (PSG).
URUGUAI: Cavani (PSG), Sánchez (River Plate), Luis Suárez (Barcelona).

E aí, gostaram?

Anúncios

Superclássico!! Graças a um super time!!

Galera do blog, acabei de acompanhar o super clássico entre Real Madrid e Barcelona. O jogo mostrou que mesmo após toda a preparação de Mourinho, de todo o rolo compressor que o Real aplicava em seus adversários, o Barcelona é o maior time do mundo.

A tática de Mourinho funcionou nos primeiros 20 minutos, o time conseguiu impor uma marcação pressão e não deixar o Barcelona jogar do jeito que mais gosta. Essa pressão acarretou na presepada de Valdes que entregou uma bola para Benzema e na sequência do lance o próprio Benzema completou para o fundo das redes com menos de 25 segundos de jogo.

Com 1×0 no marcador o Real optou por continuar pressionando e não deixar o Barça jogar. O Real ainda conseguiu criar mais uma grande chance, mas Cristiano Ronaldo desperdiçou. Aliás, aproveito para dizer duas coisas a respeito de dois jogadores já mencionados aqui. Valdes é disparadamente o único jogador abaixo da média no time catalão, o Barça podia ter qualquer outro goleiro. Cristiano Ronaldo começa a mostrar cada vez mais que é um artilheiro de campeonato, mas um jogador que pouco aparece em jogos decisivos. Até hoje não lembro de uma partida que ele foi fundamental e decisivo em jogo importante.

Voltando ao jogo, passado os primeiros 20 minutos, o time do Real não conseguiu manter o ritmo e afrouxou um pouco a marcação. Isso foi o suficiente para o Barcelona impor o seu jogo, e ele surgiu. Messi que até então tinha atuação apagadíssima, pegou a bola desmontou a defesa madrilenha e deixou Sanchez na cara do gol para empatar a partida aos 29.

A partir o jogo ficou mais equilibrado e Barcelona passou a mostrar seu futebol que vem encantando o mundo nos últimos anos. Muito toque de bola, tabelas rápidas.

Veio o segundo tempo, e a esperança do Real conseguir voltar a marcar forte, foi logo derrubada quando Guardiola inverteu a posição de Iniesta e ele passou a ser o dono do jogo. Iniesta e mais o talento de Messi que foi muito bem marcado por Lass Diarra começaram a massacrar o time madrilenho.

E foi em um chute de Xavi no meio da rua que desviou em Marcelo que começou a covardia catalã. A partir dai, parecia que o Real viu o filme dos últimos anos se criar a sua frente. Os jogadores do Barcelona pareciam se multiplicar em campo, Iniesta e Sanchez se movimentavam muito e desmontavam o esquema de Mourinho, ainda tinha Messi que mesmo em partida mediana é capaz de resolver em um lance.

E Messi novamente começou a jogada que culminaria no terceiro gol do Barça, marcado por Fabregas que também fez boa partida.

O Barça começou a dar aula, entrava na defesa madrilenha do jeito que bem entendia, não aplicou outra goleada, porque abusou do preciosismo nas jogadas.

Mas deu gosto de ver o time catalão jogar.

Fica claro que o time está anos-luz de seus adversários, algo como o Santos na época de Pelé. Aliás, falando em Santos, Muricy que me perdoe, mas na provável final do Mundial, o cenário será parecido, inclusive a cor do uniforme e como hoje a Barcelona é favoritíssimo.

Pelo Real, gostei apenas da atuação de Diarra e Casillas, o primeiro se matou para conseguir para Messi e obteve certo sucesso, o segundo mesmo buscando três bolas no fundo das redes, fez algumas boas defesas e evitou o que podia ser outra tragédia em Madrid.

Mais uma vez, fica a sensação de ter assistido a um espetáculo. Foi um superclássico, mas graças a um supertime!!