Rapidinhas do Camisa 10 – 15.02.2012

Crise catalã. Realmente a fase do Barcelona preocupa. Ontem, o time foi a Leverkusen e venceu os donos da casa por apenas 3×1. O time “jogou” apenas o segundo tempo e teve 76% de posse de bola. Acho que Guardiola balança.

Greve dos “pofexores”. Em estudo realizado, foi evidenciado que de dez anos pra cá, os salários dos principais treinadores do Brasil tiveram um “pequeno” aumento de 141%, para os treinadores dos quatro grandes de SP o reajuste foi de 220%. Eles deixaram de ganhar 193 mil reais médios mensais e passaram a receber mensalmente a irrisória quantia de 427 mil reais mensais. Que pobreza!!

Bola de Ouro. Zâmbia. Depois de 18 anos da tragédia que abalou o mundo, com a morte de 18 jogadores da seleção numa explosão aérea, a seleção conquistou sua primeira Copa Africana em Libreville, no Gabão, a mesma cidade do acidente.

Garoto de seleção. Jádson enfim mostrou porque é um jogador da seleção do Mano dos manos. Na primeira cobrança de pênalti pelo São Paulo, o camisa 10 lembrou a performance exímia da seleção canarinha na Copa América. Um chute nas estrelas.

E agora? Depois de passar uma semana enclausurado no CT corintiano para conseguir entrar na forma da lista de Tite, Adriano aguarda ansiosamente o Carnaval. E já prometeu o mesmo sistema que ficou na última semana. Ficará uma semana enclausurado no Rio de Janeiro como folião.

Coisa de time grande. Em breve, o Flamengo poderá comemorar mais um recorde da imensidão do seu clube. O time chegará a marca de R$ 500 milhões…. de dívida. Ronaldinho, Love e cia estão tranquilos, Patricia garantiu que se ela não pagar, “deus lhe pague”.

De vento em popa. Agora só faltam 26 gols para Barcos atingir sua meta no Palmeiras. Pela estréia e com Marcos Assunção no elenco, não duvide que essa marca será batida.

De fazer inveja a Lex Luthor. Em mais uma dessas pesquisas, Pepe foi eleito o maior vilão do futebol. Suspeito que a eleição foi feita por argentinos. Seguido de perto por Materazzi e Ibrahimovic. Kaddafi, Russein e Ahmadinejad ficaram fora dos top 10.

Paulistas noveleiros. Depois das novelas Corinthians-Montillo e São Paulo-Nilmar, foi a vez de Palmeiras e Santos lançarem as suas, um quer Wesley e outro Alex Silva. No fim das contas, parece que o autor é o mesmo de todas. Portanto, o final é igual também.

Você sabia que… a média de público da segunda divisão alemã é de 17.125 torcedores por jogo, 2.149 a mais que no Brasileirão/2011?

As janelas da nossa casa.

Galera do blog, mais uma vez fomos criativos, ao invés de termos uma janela de transferência, criamos duas, uma de entrada e outra de saída.

Com a solicitação dos clubes para que a janela fosse antecipada, novamente nosso calendário ficou descolado do resto do mundo. Confesso que quando surgiu a idéia no final do mês de Maio fui favorável, mas agora vejo que criamos uma adaptação que piorou ainda mais nosso cenário.

Vou usar o exemplo de Carlitos Tevez, caso nossa janela de transferência fosse igual a européia, o Corinthians conseguiria barganhar melhor as propostas para conseguir trazer o argentino, como nossa janela acaba muito antes das especulações européias, o Manchester City prefere esperar outra proposta mais próxima do ideal para conseguir vendê-lo.

Ou seja, mais uma vez estamos adaptando nosso calendário ao invés de corrigi-lo. Bom, vamos falar um pouquinho das contratações até aqui, já que a janela de entrada encerra hoje e não acredito e muitas novidades.

Primeiramente, vou comentar das transferências realizadas no período da janela, portanto não adianta falar de contratações feitas antes do dia 20 de junho.

Palmeiras e Flamengo fizeram contratações cirúrgicas, trouxeram bons jogadores exatamente onde eram carentes, Henrique e Alex Silva são ótimos zagueiros, juntos fariam uma dupla formidável, Jael atacante que o Flamengo trouxe, possui talento, mas às vezes faltam neurônios, se entrar na linha é uma ótima aposta do Flamengo.

Santos, São Paulo e Botafogo contrataram no atacado. O primeiro procurou se reforçar sabendo que o assédio aos jogadores do time será grande, mas fiquei surpreso com a qualidade dos jogadores que o Santos trouxe, se der liga é o elenco mais forte do campeonato. Botafogo e São Paulo trouxeram boas peças para o meio de campo e deixaram seus elencos fortalecidos.

Vasco, Cruzeiro, Grêmio, Internacional, Atlético-MG e Fluminense trouxeram pouquíssimos jogadores destaque para Juninho Pernambucano e para o meia Lanzini, promessa do River Plate que o Flu sonha ser o novo Conca.

E o Corinthians? O Corinthians trouxe seus jogadores antes de abrir a janela, portanto analisando a janela em si, o time não precisou trazer ninguém até porque líder do campeonato com folga e jogando o melhor futebol atualmente tem que se preocupar mais em manter o time do que em reforçar.

Aliás, hoje é o dia do seu time trazer que quer que seja, até o Felipe Melo, depois é rezar para que os craques não saiam, mesmo que ele seja o Paulinho.

Pitacos de 28.03.2011

Galera do blog, ontem acompanhei ao jogo da seleção, a final do campeonato paulista de showbol e ao clássico entre São Paulo e Corinthians.

No jogo da seleção, vitória tranquila contra um conhecido rival, Neymar teve boa atuação e foi decisivo ao marcar os dois gols da partida, gostei muito da atuação de Leandro Damião, além dos dois laterais, Dani Alves e Andre Santos. O único ponto negativo é a sombra de Ganso que parece atormentar todos que atuam como meia na seleção, ontem Jadson e Renato Augusto foram burocráticos. Em compensação, Lucas mostrou que será titular dessa seleção em breve. O camisa 07 do São Paulo tem tudo para formar com Ganso e Neymar uma seleção de encher os olhos de todos.

Na final do campeonato paulisa de showbol, o São Paulo venceu o Guarani por 12 x 11. Não vale a pena comentar muito sobre o jogo, a graça do showbol é rever aqueles que passaram pelo clube em algum momento do passado. De destaque, fica Alex Dias pelo São Paulo e principalmente Amoroso pelo Guarani, os dois mostraram que quem sabe jogar futebol não esquece com o tempo.

Chegamos enfim ao clássico de ontem, que jogaço! Nem tanto, pela qualidade técnica, mas pela emoção que um clássico proporciona. O jogo foi igual, qualquer um poderia ter saído vencedor da partida, mas quisera o destino que ele tivesse roteiro de filme, era para ser o jogo de Rogério Ceni.

Após um enorme tabu que já durava pouco mais de 4 anos e 11 jogos, o tricolor encarava seu maior rival paulista com a expectativa de seu maior ídolo chegar ao centésimo gol.

O jogo foi tratado em alta velocidade, com o São Paulo enfernizando a defesa corintiana, e com o Corinthians criando algumas oportunidades com Liedson, Ralf e Dentinho. O São Paulo procurou aproveitar a deficiência técnica dos zagueiros corintianos com atacantes leves. Castan e Chicão estão acostumados a marcar seus adversários dentro da área, mas o São Paulo de Carpegiani não joga com ninguém dentro da área, o time usa a velocidade e tabelas para entrar na área adversária. Dessa forma, o Corinthians teve sérias dificuldades em marcar os atacantes tricolores.

E foi no final do primeiro tempo, que Dagoberto de fora da área, abriu o marcador. Em belo chute, o camisa 25 colocou o São Paulo em vantagem. Dagoberto vive ótima fase no São Paulo, depois que fechou a boca, o jogador vem recuperando o futebol que o destacou no Atlético-PR e fez o São Paulo comprá-lo. Aliás, “fechar a boca” deveria servir de recado para Dentinho e Marlos, dois jogadores para mim que possuem um potencial técnico imenso, mas se preocupam com outras coisas durante a partida. Dentinho falou o jogo inteiro, catimbou e esqueceu de jogar bola, foi corretamente expulso. Marlos sofre com um excesso de “fome” e porque não abre a boca, o famoso triatleta, corre, pedala e nada. Ambos, podem ir longe, mas precisam rever seus valores dentro do futebol.

Voltando ao jogo, o primeiro tempo terminava com o São Paulo vencendo por 1×0, mas o segundo tempo guardava todas as emoções do jogo.

Primeiro, em um lance pela esquerda, Fabio Santos cruzou e Jorge Henrique deu um toque sutil para empatar, mas a tarde era de Ceni que fez uma defesa fantástica de puro reflexo, quase que no lance seguinte, uma falta na entrada da área, a única oportunidade na partida para Ceni fazer seu centésimo gol. E ele não desperdiçou, em uma cobrança maravilhosa, o camisa 01 tricolor colocou a bola no ângulo sem chances para o goleiro Júlio Cesar.

A partir daí, o jogo perdeu o rumo, Alessandro, Dagoberto e Dentinho foram corretamente expulsos. Antes de ser expulso, Dentinho teve tempo para descontar o marcador. Depois apenas alguns bons lances de Liedson que paravam em Alex Silva ou Ceni e inúmeros contra ataques desperdiçados por Marlos.

No final, vitória tricolor em um jogo que poderia ter qualquer final, mas foi escolhido aquele com cara de filme hollywoodiando.

Pitacos 24.03.2011

Galera do blog, ontem acompanhei simultaneamente os jogos do Fluminense e do São Paulo, confesso que é um pouco complicado, mas vou passar as minhas considerações e peço que vocês façam seus comentários para ver se posso continuar vendo dois jogos ao mesmo tempo.

O mais curioso dos dois jogos, foi a sensação de injustiça do resultado durante a maior parte do tempo, no do Rio, a justiça aconteceu no apagar das luzes, no de Jundiaí, o futebol mostrou porque é incrível e deu a vitória ao time “desmerecedor”.

No jogo do Engenhão, o Fluminense jogou muito mais com o coração do que com a técnica. O time entrou com espírito parecido da arrancada final de 2009 na fuga pelo rebaixamento, o time foi valente, guerreiro, mas totalmente desorganizado, e essa desorganização culminou em um lance curioso no primeiro gol dos mexicanos. Silêncio no Engenhão que durou pouco tempo, pois na vontade Gum empatou a partida e voltou a colocar a Fluminense vivo na Libertadores.

Após o gol o jogo seguiu por mais ou menos 50 minutos da mesma forma, o Fluminense tinha o ímpeto mas faltava tranquilidade para criar reais chances de gol, enquanto os mexicanos “catimbavam” o jogo a vontade. Foi quando novamente, o imponderável aconteceu, em um lance isolado na ponta direita da defesa tricolor, a bola foi alçada de forma despretensiosa na área e encontrou Digão que colocou a bola para dentro do próprio patrimônio. Nesse momento, o jogo marcava 27 do segundo tempo, e o cenário dava como impossível a situação do Fluminense na Libertadores.

Mas, como diria Nelson Rodrigues, o Fluminense possui o elemento Sobrenatural de Almeida em campo e ele resolveu aparecer, primeiro com Araújo para empatar e depois com Deco aos 44. Sim, Deco, ele que ainda não tinha justificado sua contratação, resolveu aparecer e decidir a partida.

No final, o Fluminense continua muito vivo na Libertadores, mas a tarefa será dificílima.

No jogo de Jundiaí, o São Paulo dominou o jogo inteiro, pressionou o Paulista no seu campo e criou inúmeras chances de gol, enquanto o Paulista teve 5 bons lances e um aproveitamento incrível, pois aproveitou três delas. Enquanto o tricolor, teve mais um pênalti não marcado, quando o jogo ainda estava 1×0 e algumas falhas de marcação no meio de campo. Concordei com a substituição de Carpegiani, Casemiro não estava bem mesmo, contudo ilsinho entrou mas não jogou, poderia ter sido substituído logo no começo do segundo tempo novamente.

O resultado não foi justo, mas o futebol é assim e o jogo serviu para prestar atenção para o próximo jogo que é o clássico com o Corinthians, o lado direito do tricolor está mais equilibrado, mas precisa alguém para tabelar com Jean, do lado esquerdo falta melhor postura defensiva, Juan não tem conseguido dar a mesma segurança que Jean.

Na defesa, fica nítido que Rhodolfo foi uma contratação cirúrgica, o trio composto por ele, Miranda e A. Silva formam a melhor defesa do Brasil atualmente.

Voltando ao jogo, o São Paulo teve uma noite desafortunada, mas nada que comprometa o rumo das coisas. Uma coisa é certo, será um grande clássico no domingo, inclusive com a possibilidade de Ceni marcar o 100º gol da sua carreira.

Pitacos do clássico – 28.02.2011

Galera do blog, esse fim de semana acompanhei alguns jogos entre campeonato italiano, inglês e paulista, mas como o que interessa para nós é o que foi visto em terra brasileira, vamos falar um pouquinho sobre o clássico entre São Paulo e Palmeiras.

Antes de falar sobre futebol, já fica aqui registrado de que não concordo em realizar jogos como nas condições de ontem, fui absurdo realizar a partida, mas ela rolou e fui ruins para as duas equipes.

O São Paulo dominou as ações da partida, seu trio ofensivo não sentiu o campo pesado e infernizou a defesa palmeirense. Dagoberto resolveu nas últimas partidas distribuir assistências, dizem até que foi por isso que caiu tanta chuva em São Paulo, principalmente para Lucas e Fernandinho, aliás esse último continua fominha, mas cada vez mais confiante o que ameniza “sua fome”, tanto que foi dos pés dele que saiu o gol tricolor em ótima jogada e driblou o zagueiro e fuzilou a rede de Deola, um golaço.

O primeiro tempo seguiu e o São Paulo continuava a criar chances, principalmente com Dagoberto e Fernandinho, já que Lucas não estava tão bem na partida, do lado palmeirense restava as tentativas de Kleber em literalmente lutar contra os zagueiros, entre pisadas que sofria e tapas que distribuia, às vezes sobrava lances de futebol, onde o atacante tentava em vão chegar a meta de Ceni, o mesmo vale para o chileno Valdivia que parece se sentir motivado em enfrentar o São Paulo, ontem fez com certeza sua melhor partida desde o seu retorno, mas também abusou de passar a mão na cara dos zagueiros são paulinos.

Mas, já no segundo tempo, em mais um lance de provocação do time palmeirense (já que no futebol não dava) Alex Silva foi corretamente expulso ao querer tirar satisfação de uma tentativa de Adriano Michael Jackson cavar uma falta. Essa expulsão foi suficiente para igualar a partida que até então era dominada pelo São Paulo, além do que, Adriano MJ deu mobilidade ao ataque palmeirense, confesso que me surpreendeu o futebol do menino, peço até ajuda dos palmeirenses, Adriano teve uma atuação expecional ou Luan estava com medo da chuva?

Já próximo do 40 do segundo tempo, Kléber resolveu ser o garçom e deixar Adriano na cara de Ceni, o atacante só teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes, no final um resultado justo graças a Alex Silva, o zagueiro que discursa querer ser o próximo líder tricolor precisa colocar a cabeça no lugar, o São Paulo perdeu dois pontos por culpa dele.

Apenas um comentário extra do campeonato, ontem a discussão entre são-paulino, palmeirenses e corintianos era qual dos times terminaria em primeiro, e, eis que quando termina a rodada aparece o Mirassol em primeiro, foi no mínimo cômico.

A Lista de Mano…

Galera do blog, como havia dito ontem, hoje era dia de comentar sobre a primeira convocação de Mano Menezes no comando da nossa querida escrete canarinho.

Confesso que fiquei surpreso e muito feliz, primeiro porque Mano conseguiu barganhar a convocação dos denominados “estrangeiros”, segundo por mostrar boa visão do que acontece aqui dentro e lá fora.

Para começar no gol, gostei das três escolhas, mudaria apenas Jeferson por Fábio do Cruzeiro, mas acho injusto aqueles que criticam o goleiro do Botafogo, Jeferson tem feito grandes partidas na meta do Glorioso. Renan do Avaí é uma grata revelação, mostrou personalidade ao desbancar o veterano Zé Carlos da meta do time catarinense e hoje é uma das principais peças do time de Guga.

Nas laterais, boas opções, na direita, Dani Alves ganha uma nova chance após péssima Copa, e Rafael do Manchester é uma tremenda aposta, totalmente no escuro, mas com credenciais. Na esquerda, a segunda chance foi dada para André Santos e Marcelo. Talvez aqui tenha sido o setor que menos me empolgou, mas gostei das opções.

Na defesa, achei excelente as escolhas. Henrique, David Luis, Réver e Thiago Silva tem tudo para se tornarem a nova geração de defesa brasileira, incluiria aqui apenas Alex Silva, por tudo que anda jogando no São Paulo.A renovação foi pesada na defesa e necessária. Fique evidente que Mano buscou zagueiros jovens com potencial e que tem tudo para estarem no auge durante a Copa.

No meio campo está a referência de Mano, o treinador almeja fazer o Brasil recuperar o seu estilo e jogar de forma parecida como a campeã Espanha. Não temos nenhum brucutu nessa relação, o volante mais marcador do time é Lucas, mas mesmo assim, se trata de um volante técnico. Compõem esse meio ainda, Hernanes, Sandro, Ramires, Jucilei, Ederson, Carlos Eduardo e Ganso. Questiono apenas a presença de Jucilei, Elias merecia muito mais chance do que o jogador do Corinthians.

No ataque, ótimas apostas, Neymar, Pato e André são as apostas, confio muito no último, André na minha opinião é um atacante diferenciado, consegue fazer gols de todos os tipos, acredito muito no potencial dele. Completam a lista Tardelli e Robinho.

Em linhas gerais, Mano convocou um time leve, jovem e de bom toque de bola. Ao que tudo indica essa será a filosofia de Mano. Diante disso, algumas considerações são possíveis, jogadores considerados “pesados” perdem todas as chances no time de Mano, Adriano, Lúcio, Luis Fabiano, Julio Baptista, entre outros, podem se naturlizar, pois não terão chance.

Outro aspecto importante é mescla entre jogadores que atuam dentro e fora do Brasil, tudo bem que para esse amistoso, a determinação era que mais jogadores do Brasil fossem convocados, mas é importante que essa mistura continue.

Mano começou bem, buscou atender aquilo que os outros 190 milhões de técnicos queriam, o que vale agora é acompanhar a continuidade do trabalho.

E vocês o que acharam da lista? Quem vocês tirariam, e quem vocês incluiriam?