Zequinha, enfim aprovado


criancacap2310117

A volta da peneira foi uma mistura de sensações para Zequinha.

Enquanto ele via uma discussão animada e cheia de gestos entre Adenor e seu pai, onde ele debatiam sobre a atuação de cada menino, como Carlos tinha sido escolhido e o porque que os demais não foram, ele também via as reações diferentes entre os meninos.

Carlos estava meio sem entender muito o que aconteceu, ele sempre foi o menino que era escolhido porque ajudava na defesa, mas sempre se achou o mais fraco ou o “piorzinho” e de repente ele se via o único escolhido do grupo, ainda de maneira ingênua ele pensava, se ele tinha melhorado, ou se o cara escolheu errado, não sabia o que tinha acontecido.

Jão ainda não entende como aquele menino podia ser tão rápido, só a imagem dele vem na sua cabeça. Pedrinho e Gigante ainda discutem como perderam a oportunidade mesmo jogando junto e como era difícil jogar em um campo tão maior.

Zequinha não, eu já não lembrava direito da sua atuação, não tinha muita certeza se o campo era grande ou não, mas sabia que ainda não tinha entendido o futebol e que queria jogar mais vezes em um campo grande para ele se entender.

E assim, a rotina na família Silva mudou, os próximos anos foram dedicados a levar Zequinha para campos maiores, para alimentar o sonho do Seu Silva e para tentar explicar para o menino o que era o futebol.

Foi quando enfim ele passou em uma peneira, Zequinha já passava dos 11 anos, inúmeras peneiras já tinham sido visitadas, inclusive nesse tradicional clube formador de jogador, só nesse campo, Zequinha já tinha jogado 4 vezes. Aquela era a sua quinta, inclusive quando chegou, dois funcionários do clube o reconheceram. Chegaram até a desejar boa sorte!

E lá foi Zequinha, seu futebol já era diferente, ocupava mais o espaço do campo, mas ao mesmo tempo não usava ele todo, apenas aquilo que lhe interessava, Zequinha não teve a atuação que ele considera a melhor, mas o sufoco que o lateral esquerdo e o zagueiro passaram o fizeram ser escolhido e aprovado.

No caminho, Seu Silva feliz da vida contava para a família sobre a aprovação, Zequinha não lembrava de ver o pai tão eufórico na vida, e quando chegou em casa ele começou a entender um pouco mais da dimensão que o futebol ocupava, nunca na história da família Silva um evento tinha reunido tanto parente quanto a comemoração naquela noite da aprovação de Zequinha.

Todos na casa repetiam que não lembravam de tanta felicidade desde o nascimento do próprio Zeca. Ele começava a perceber um pouco do que seu pai tinha dito ao fim da primeira peneira, o futebol é isso e mais um monte de coisa.

E era só o começo na vida de Zequinha.

 

Capítulo 2 – Zequinha e sua primeira peneira

Capítulo 4 – Zequinha, seu primeiro treino e sua infância

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s