Complexo de rico decadente…


image

Ontem assisti ao programa Bola da Vez na ESPN com Muricy Ramalho.

Entre um comentário e outro, sua admiração por Guardiola, sua necessidade de assistir uma quantidade infinita de jogos, como foi sua recusa a seleção brasileira, Lucas Lima ser o melhor 10 da atualidade e várias outras ótimas histórias fiquei matutando sobre o tal 7×1.

Muricy foi questionado sobre o tal e respondeu de maneira sincera e simples o que me incomodou bastante.

Muricy em linhas gerais disse que reclamamos, acusamos e culpamos. Que nada foi feito, sobrou para imprensa, jogadores, dirigentes, todos que cercam o futebol, até para os próprios treinadores.

Para Muricy a primeira coisa a ser feita era um grande fórum sem hora para acabar com toda essa cadeia de pessoas citada acima afim de determinar quais os próximos passos. O que aprendemos com o 7×1, o que podemos corrigir, o que podemos começar a fazer e o que não serve mais para nós.

A sensação que Muricy passou foi que uma certa prepotência corre em nossas veias quando o assunto é futebol. Nos achamos dono da verdade, só nós temos razão e tudo não passa de um mero apagão.

Consequentemente toda as pessoas envolvidas nas decisões do nosso esporte preferido são acometidas desse mal.

Nosso complexo de vira-lata virou complexo de rico decadente, aquele que come frango para arrotar avestruz ou come patinho para arrotar filé mignon.

Somos a velha aristocracia do futebol almoçando a luz de velas porque já não paga a luz faz tempo.

Anúncios

Uma resposta em “Complexo de rico decadente…

  1. Talvez o 7×1 tenha sido a grande peneira da história.
    O time jogando mal, sem ligação entre defesa e ataque durante 6 jogos, dependendo da estrela de um garoto de 21 anos, com jogadores tecnicamente duvidosos, um estilo de treinamento e de jogo totalmente ultrapassado, mostrava que o problema era sério, daí veio o “71”, pronto ninguém mais falou do vexame que foi a copa apenas do jogo contra a Alemanha, que ganhou e pronto.
    Quem já jogou futebol sabe a ducha de água fria que é estar jogando na raça, segurando as pontas contra um time mais equilibrado, ralando sem 2 peças importantes no time e vendo até uma possibilidade de vitória (porque ela existia, a amarelinha é muito pesada); e então, tomar um gol idiota, daí na sequência outro num vacilo pior ainda e ver que a chance de derrota era 99,9999%. Isso é normal, abriu o bico e foi tomando um atrás do outro.
    Ficamos nisso 71 pra 71 pra lá….

    E o resto? Nada.

    Na minha opinião só havia duas opções:

    1. Fecha o país, as joias ficam, repatriar os brasileiros bons de fora, o campeonato se fortalece e reestrutura, a seleção só joga em casa e busca ganhar respeito com o torcedor, formar um time e fortalecer seleção principal e base. Colocar os técnicos pra estudarem e se atualizarem.

    ou

    2. Trazer o mundo pro Brasil.
    Trazer bons técnicos pra treinar os times aqui, levar o técnicos daqui pra fazer intercâmbio fora, acabar com os estaduais e colocar os times brasileiros pra fazer pré-temporada com os estrangeiros ganhando com isso inter-relação de cultura e modernização do futebol.

    Foi feito algo disso? não!!!!!

    O que foi feito? Trazer o dunga, usar os mesmos jogadores, manter a preparação do jeito que era feita na década de 90 e pronto.

    Técnico estrangeiro não fala português, oras bolas!

    E assim vamos caminhando rumo a década de 70-80-90 onde vimos nossa seleção (cheia de craques) ser alcançada em títulos pelos cinturas duras do futebol.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s