Pitacos: Altitude atrapalha futebol, e o jogo do Santos foi bom para diminuir a adrenalina do jogo da tarde.

Vamos ao jogo do Santos, confesso que esperava mais do time boliviano, vi um único jogo do time que parecia ter um pouco mais de habilidade do que o normal para times bolivianos e contava com a altitude, mas o que vi foi bem longe disso.

Ainda bem para o Santos. O time da Vila parecia cansado e sentindo de imediato o efeito da altitude. Se contra o The Strongest, o time conseguiu equiparar forças contra a altitude, ontem o time pareceu se render aos efeitos da altitude.

Para piorar, o time tomou um gol logo no começo. Um pouco de sorte, mas mérito do bom atacante Campos. Aliás, o único com talento no time. O jogo era de uma ponta a outra, pelo Bolivar sempre Campos criava as melhores chances, pelo Santos sempre ele, Neymar era quem tentava as jogadas santistas.

Porém o jogo se arrastou durante os 90 minutos. O Santos ainda conseguiu o empate com Maranhão após falta muito bem cobrada por Elano. A única boa ação feita pelo meia. E o Bolivar na metade final da segunda etapa, achou outro gol de falta com Campos e uma bobeada de Rafael, que apostou que a falta seria novamente cobrada em cima dele e quando viu que era no outro canto era tarde demais.

Pelo Santos ficou a sensação que o time não veio a campo. Borges, Ganso e Elano não jogaram absolutamente nada. Juan e Adriano estavam desesperados para recuperar a bola e permitiam faltas estúpidas para o Bolivar aproveitar a altitude.

Ficou bom o resultado para o Santos que tem tudo para passar fácil pelo time aqui na Vila Belmiro, precisará de paciência e um juiz mais rigoroso, mas passará pelo time boliviano.

Falando em arbitragem, parece chover no molhado, mas novamente Neymar foi caçado em campo. Concordo que em alguns lances, o menino exagerou no teatro, mas é inconcebível o que aconteceu com ele no segundo tempo e apenas dois cartões mostrados para os adversários. O rodízio de falta é algo tão sujo quanto uma falta dura, mas se o juiz não coibir não adianta culpar o adversário.

Sobre o episódio da banana, prefiro não estender, não é o meu comentário que mudará algo, mas sim uma punição séria da Conmebol.

Veja também: Em jogo fantástico, Bayern elimina Real, com Neuer parando Ronaldo e Kaká.

Pitacos: Em jogo fantástico, Bayern elimina Real, com Neuer parando Ronaldo e Kaká.

Galera ontem eu acompanhei dois jogos completos.

Primeiro assisti a Real 2×1 Bayern de olho no computador (com aquelas imagens que travam que é uma beleza, mas deu para ver bem o jogo.) e com o fone ligado na Estadão/ESPN.

Depois assisti a Bolivar 2×1 Santos.

Os resultados foram iguais, mas o jogo quanta diferença.

O clássico europeu foi uma ótima partida de futebol, uma das melhores desse ano, o primeiro tempo deixou sem fôlego até quem assistia.

O Bayern repetiu o mesmo time que atuou na partida de ida em Munique, apesar da pressão popular em ter Muller no lugar de Kroos.

Heyncknes optou por uma maior proteção defensiva, já que Kroos marca mais do que Muller.

No Real o time veio a campo com apenas uma mudança, em relação a partida de ida, Marcelo veio no lugar de Coentrão. Acho que Mourinho queria mais poder ofensivo e certeza de que não corria risco de tomar gol no final. Aliás, no final quase Marcelo decidiu a partida.

Sobre a partida, a crônica do jogo foi o Bayern com o domínio das ações e o Real com um contra ataque quase letal. A rápida saída de Marcelo ou os passes precisos de Xabi Alonso sempre encontravam a defesa alemã desarrumada. Defesa que já é lenta por natureza, desarrumada então, era um deus nos acuda, a cada ataque do Real.

No Bayern, Schweinteiger reinava soberano no meio de campo, aquele setor que era para ser tão recheado de jogadores parecia ter apenas o alemão. Ele ditava o ritmo, aproveitando o espaço deixado entre o trio Ozil-DiMaria-Ronaldo e a dupla Khedira-Alonso, Schweinteiger passeava em campo e criava as melhores chances do Bayern ora com Robben durante o primeiro tempo, ora com Ribery já no segundo.

Todos os gols saíram no primeiro tempo, pelo Real os dois tentos foram marcados por Ronaldo, sendo um de pênalti que seria um ótimo motivo para provocar Messi, mas como a classificação não veio, fica no inconsciente apenas. Pelo Bayern, Robben também cobrando pênalti anotou.

No calor do jogo, eu teria dado os dois pênaltis, mas depois olhando com mais calma, acho que o juiz podia ter evitado os pênaltis e deixado o jogo seguir. De qualquer forma, não considero erro.

No fim vieram os pênaltis, Ronaldo, Kaká e Sergio Ramos desperdiçaram para o Real, Lahm e Kroos perderam pelo Bayern. Os dois pênaltis do Bayern, mais Ronaldo pareceram frutos do cansaço que já abatia os jogadores.
A perna parecia mais pesada nas cobranças. Sergio Ramos era de se esperar que isolasse a bola, toda vez que ele viu uma bola dentro da área ele teve que isolá-la, não seria diferente no pênalti. Quanto a Kaká, acho melhor ele preparar sua malinha para voltar para Milão. Não deu liga sua passagem pelo Real.

Veja também: Altitude atrapalha futebol, e o jogo do Santos foi bom para diminuir a adrenalina do jogo da tarde.