Concentração é necessário?

Galera, ainda falta um grupo para que acabe a fase de grupos da Liberta. Portanto, amanhã comento sobre os confrontos da próxima fase. De qualquer forma, um possível Corinthians x Internacional se desenha para a próxima fase.

Portanto, vamos falar sobre “futebolices” hoje.

Faz tempo que escuto os jogadores reclamarem da concentração, de que ela não serve para nada, segundo Loco Abreu, com a tecnologia atual, as pessoas pouco se falam, pelo que se entende, é mais fácil fazer amizade com o treinador do que com o colega de quarto.

Muricy Ramalho e Oswaldo de Oliveira já declararam que em breve irão abolir a concentração nas partidas em casa, segundo o próprio treinador do Santos, “não tem porque”.

Já faz tempo que na Europa, os grandes times aboliram a concentração quando os times jogam em casa.

Segundo eles, é responsabilidade do atleta estar preparado para as partidas em casa.

Concordo em número, gênero e grau. O jogador de futebol é um profissional como outro qualquer e precisa entender sua responsabilidade.

Acho engraçado, quando alguém fala para o jogador que a vida dele é um sonho, e aí o jogador responde que existem muitas obrigações e que a vida de jogador é bem difícil, ou seja, o jogador assume seu lado profissional na hora de justificar suas atribuições, mas não pode assumir a responsabilidade de ser jogador profissional.

Para mim, jogador deve ser tratado como um profissional qualquer, tem sua responsabilidade e que saiba cumpri-la.
Portanto, tanto faz se o cara quer ir para a balada, churrasco ou dormir, o importante é ele estar pronto para suas tarefas no dia seguinte.

Jogador tem que ter consciência sobre sua atividade e saber que seu corpo é seu maior patrimônio. Sem ele, ele não trabalha e tão pouco consegue receber seu “digno” salário ao final do mês. Se ele consegue sair e acordar bem no outro dia para treinar, tudo certo. Caso contrário, ele precisa entender que deve descansar para estar inteiro no outro dia.

Acabar com a concentração, não é simplesmente uma ação isolada. Falta apoio ao jogador, uma estrutura de RH é fundamental para um clube implantar essas “melhorias”. Não basta determinar uma ação, se não houver estrutura, conversa.
Como diria, um antigo chefe meu, “80% das coisas se resolvem com água e sabão.”

Acabar com a concentração é ótimo, mas melhor ainda é educar os jogadores. Preparar todos para serem cidadãos deveria ser obrigação de todos os clubes.