Pitacos: Libertadores é bom, mesmo quando o melhor perde!


Como é bom ver jogo de Libertadores.

Outra dinâmica, não basta técnica. E também não só raça. É preciso muita frieza, tranqüilidade e saber que chances na Libertadores podem ser únicas. Às vezes, uma só mesmo.

Assim começou o jogo entre Vasco x Nacional (URU). Os dois times se estudando e a maior posse de bola com o Vasco. Juninho e Felipe desfilavam sua categoria e tentavam achar um espaço na firme defesa uruguaia.

Por outro lado, os uruguaios começaram a perceber que havia uma enorme oportunidade pelo lado esquerdo do ataque uruguaio. O estreante Max demonstrava nervosismo. E foi por lá, que o Nacional chegou ao gol. Em bola alçada na área, Scotti antecipou Dedé e desviou para o fundo das redes.

O gol mexeu com o Vasco. O time ficou desorientado e passou a errar muitos passes. Nilton era o retrato do nervosismo cruz-maltino, o volante não conseguia acertar dois passes seguidos.

O primeiro tempo terminava com o Vasco nervoso e o Nacional deixando poucos espaços para o empate.

Veio o segundo tempo e Cristovão Borges tentou corrigir o time colocando Felipe Bastos no lugar do nervoso Max. Mas, logo no início Rodolfo saiu errado da defesa e o Nacional ampliou o marcado com Sanchez, que infernizava a defesa vascaína.

O gol fez o Vasco ficar mais nervoso ainda, deixando espaços para o Nacional ampliar o marcador. O time uruguaio desperdiçou boas chances de afundas de vez a nau vascaína, mas pecou na hora de concluir ao gol.

O jogo se arrastava e o Vasco não conseguia se organizar, até que Juninho resolveu mostrar seu talento e conseguir iniciar a primeira jogada trabalhada do Vasco após os gols sofridos. Em jogada na linha de fundo, Juninho encontrou Diego Souza que cruzou para Alecsandro mandar para o fundo das redes.

O gol animou um pouco o time, mas nada suficiente para melhorar a performance dentro de campo, o time continuava a esbarrar no bloqueio uruguaio.

No fim, o Vasco estreiou com o pé-esquerdo. Diego Souza e Juninho foram os melhores pelo Vasco, mas o sistema defensivo pecou. Ninguém individualmente, mas o sistema todo. O Vasco não soube se compactar para enfrentar um time da Libertadores.

Agora para o Vasco é obrigação vencer as partidas restantes em casa e buscar pelo menos 4 pontos fora.

É por isso que a Libertadores é diferente. Ontem o Fluminense jogou muito mal e venceu, hoje o Vasco não foi tão mal, mas perdeu. Hoje ainda tem o Internacional.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s