Pitacos: Santo André 1×2 Palmeiras

Galera do blog, ontem assisti ao jogo do Palmeiras contra o Santo André pela Copa do Brasil, a partida terminou 2×1 para o alviverde. Para quem assistiu ao jogo, o resultado foi ruim para o Palmeiras.

O jogo do Palmeiras é aquele jogo previsível, algo parecido com o São Paulo de Muricy, você sabe como o time vai jogar, as jogadas são as mesmas, mas você não consegue fazer muita coisa para mudar o panorama da partida, apenas times muito rápidos poderão ter sucesso contra o Palmeiras. Mérito total do Felipão.

Voltando para a partida, o Palmeiras foi amplamente superior ao time do ABC, mas apesar do imenso volume de jogo, o Palmeiras não consegue criar muitas oportunidades de gol, até porque o time possui apenas Valdivia com talento criativo no time. Porém, tem sido suficiente até o momento, o Mago criou boas chances para Luan e Kléber, mas foi em uma jogada individual que Kléber sofreu pênalti. Ele mesmo cobrou, mas precisou do rebote de Neneca para abrir o marcador.

Veio o segundo tempo e o cenário não mudou muito, apenas o Ramalhão que conseguiu duas boas finalizações de fora da área e um “misterioso” gás de pimenta que ocupou “todo o espaço aéreo” do estádio. Aliás, foi um absurdo o que aconteceu no jogo, não ficou muito claro quem foi o culpado, mas foi lamentável ver os jogadores passando mal, tudo isso em um país que abrigará uma Copa.

Depois desses quatro minutos de parada por causa de mais um caso de gás na vida do Palmeiras, o jogo continuou semelhante ao primeiro tempo, o Palmeiras dominava as ações e pouco deixava o time do Santo André jogar, e essa é a especialidade do time do Palmeiras. Felipão percebeu que possui um elenco limitado em suas mãos, não dá para pensar em algo mirabolante, portanto, montou um time que trava a criatividade alheia, tenta ao máximo evitar que o jogo corra naturalmente. Quanto mais amarrado for, melhor para Felipão.

Portanto, não adianta que o Palmeiras não fará nunca um bom jogo, será sempre assim, brigado, truncado e as vitórias sempre passarão pelos pés de Valdivia ou Kléber.

No jogo, ainda houve tempo de mais um pênalti, que Kléber novamente desperdiçou, Neneca defendeu e mandou para escanteio. Neste escanteio, Thiago Heleno obrigou Neneca a fazer boa defesa, mas no rebote lá estava Kléber que novamente chegou rápido no rebote e completou para o fundo das redes. Já no apagar das luzes, o Santo André diminuiu em uma cochilada da defesa, o gol poderia complicar o Palmeiras no jogo de volta, por se tratar de um gol bobo, mas o Ramalhão mostrou-se tão fraco que dificilmente assusturá o Palmeiras.