Depois dizem que o passe não é tão importante…

Galera do blog, ontem acompanhei o jogo do São Paulo que fez questão de tornar o jogo complicado devido a um problema básico do futebol, o passe.

O São Paulo veio a campo com o conhecido 3-5-2, mas sem um homem de referência na área, depois dos últimos três jogos fica evidente que o São Paulo ganhará muito com a chegada de Luis Fabiano, não apenas pela qualidade do atacante, mas pela função tática nesse time.

O time do São Paulo possui vários jogadores dribladores que desmontam qualquer esquema tático, mas em compensação, a maioria deles não consegue dar continuidade na própria jogada, falta um pouco de bom senso entre momento de driblar com soltar a bola. Tanto que na única jogada que houve esse equilíbrio saiu o gol da classificação. Gol onde Ilsinho equilibrou drible com troca de passes, resultado, apareceu sozinho na cara do bol goleiro Tiago Cardoso.

Marlos é o tipo de jogador que irrita qualquer um, fico abismado com o talento desse menino desperdiçado. Ontem, em todos os lances ele deixou seu marcador facilmente para trás, não estou exagerando, basta ver o VT, foram todos os lances, sendo a maioria com uma caneta no adversário, mas no lance seguinte, ou ele tocava a bola completamente errado ou mandava um chute sem direção nenhuma. Afirmo, apesar da maioria não concordar, Marlos tem uma facilidade imensa de driblar, se bem trabalhado é peça fundamental no time do São Paulo, quase como Catê fazia com Telê Santana.

Gostei da atuação da arbitragem, foi correto no critério nas expulsões dos jogadores do Santa Cruz e soube conduzir bem a partida, diferente do que aconteceu em Recife. Em compensação, cometeu um erro grotesco, a expulsão de Lucas foi uma das mais injustas que vi nos últimos tempos, no máximo Dagoberto merecia amarelo naquele lance. Se não fosse por esse erro pitoresco, o árbitro teria tido grande atuação.

Carpegiani precisa ensinar aos seus comandados o que melhor fazia como jogador, tocar a bola. E sem dúvida, a presença de Luis Fabiano ajudará esse “habilidosos” jogadores a terem uma referência para as tabelas.

Só uma pegunta: Quem é o Jeovânio?