Classificação na Liberta ameaçada!!

Galera, estou no meio da convenção da empresa onde trabalho, então resolvi repassar a análise feita por Birner sobre o jogo do Santos, ontem. Concordo em grande parte com ele.

De Vitor Birner

Colo Colo 3×2 Santos

O Colo Colo havia disputado duas partidas na Libertadores, ambas como visitante. Perdeu do Cerro Porteño por 5×2 e derrotou o Tachira por 4×2. Sofreu 7 gols e fez 6. Diante do ofensivo Santos e seus defeitos defensivos, a tendência era de um confronto com vários gols.

Primeiro tempo em 3 partes

Por que Castillo decidiu ser goleiro e como conseguiu? (parte 1)
Com Ganso, Neymar e Elano entre os titulares, o Santos iniciou o jogo melhor. Precisava evitar a pressão inicial dos anfitriões no Monumental David Arellano, lotado pela fanática torcida da maior equipe chilena. Se mantivesse a posse de bola na frente, o espaço no frágil sistema defensivo chileno apareceria. Por cerca de 10 a 15 minutos, o Peixe conseguiu fazer isso. Aos 4, Elano, em cobrança de falta de longa distância, contou com o erro do goleiro Castillo, uruguaio, o mesmo que não deixou os torcedores botafoguenses com saudades da passagem dele pelo Glorioso.

Ele erra demais. É fraco. Não me convence que possui condições de trabalhar como goleiro. O frango deu a vantagem aos visitantes que pouco criaram no pequeno período de domínio. Reclamaram com o árbitro Sérgio Pezzota de um pênalti em Neymar. Não houve. Concordo com o apitador hermano.

Colo-Colo melhor e improdutivo
A superioridade do Santos terminou quando o Colo-Colo conseguiu ganhar o meio-campo e a posse de bola. Américo Gallego, que assumiu o comando técnico do Colo no meio da competição, escalou Scotti e Cabrera na zaga e Jerez na lateral-esquerda. Na direita, por causa dos avanços de Neymar, improvisou o volante Cabión. Mena, zagueiro de origem, atuou como volante, bem próximo à dupla de zaga. Se transformou em terceiro homem do setor quando Jerez apoiou. Salcedo foi o outro volante de marcação. Fuenzalida, meia que ajudou bastante nos desarmes, e Jorquera, responsável por articular as jogadas de gol completaram o meio-campo. O Colo Colo demorou para criar boas oportunidades porque os 2 falhavam na criação. Miralles, atacante argentino, teve que recuar para ajudar a levar a gorduchinha ao Paredes, o centroavante.

Adriano e Danilo, até aquele momento, acertavam a marcação e não deixavam Pará, Dracena, Durval e Léo em situação complicada. Como de costume havia um buraco entre a dupla de volantes, e Elano e Ganso. Neymar, apagado, e Zé Eduardo, isolado na frente, sumiram.

Colo Colo muito superior
Paredes, aos 34, Miralles, ao 37 e Scotti, aos 41, viraram o jogo. Adriano deixou Miralles dar o passe para o gol de empate Durval errou na marcação homem a homem, no segundo a zaga santista demorou para voltar e Miralles chutou bem, no terceiro Possebon, substituto de Léo (machucou durante a etapa inicial) perdeu a bola por cima para Scotti e o goleiro Rafael falhou. Os chilenos poderiam ter feito mais.

Arrogância santista
O Santos, antes do intervalo, passou a impressão de que não armou nada especial taticamente para encarar o Colo Colo. Os jogadores pareciam pensar que a qualquer momento garantiriam a vitória e perderam o controle. Na etapa complementar, a postura foi diferente. De forma bem simplória, em bom futebolês, decidiu correr.

Jogo aberto!

Aos 2 minutos, Miralles chutou no travessão e logo em seguida Castillo conseguiu evitar o gol de Elano. Aos 3, Ganso deixou Neymar na cara de Castillo e o Santos diminuiu a vantagem. O jogo estava completamente aberto. O Colo Colo apostou nos contragolpes, pois o adversário tinha a posse de bola. Pará, aos 14, , aos 26 e Neymar, aos 28, quase empataram. Wilches (entrou no lugar de Salcedo), duas vezes, Fuenzalida e Miralles, uam cada, desperdiçaram chances também. O 4×2 e o 3×3, 4×3, 4×4, qualquer placar assim teria sido justo.

O preço da arrogância

A falta de competitividade no primeiro tempo causou a derrota. E pode custar a classificação. O Santos precisa ganhar de Deportivo Táchira e Colo Colo no Brasil, e do Cerro Porteño em Assunção para se classificar.

O grupo 5 tem a seguinte classificação: Colo Colo 6ptos, Cerro Porteño 5, Santos 2 e Tachira 2

Cada time disputará mais 3 partidas.

Anúncios