Pitacos 31.03.2011

Galera do blog, ontem assisti ao jogo do meu tricolor contra o Santa Cruz pela Copa do Brasil. Foi frustrante, jogo truncado e com o São Paulo fazendo uma péssima partida.

O São Paulo veio a campo num 4-4-2, com Rhodolfo improvisado na direita e Rivaldo e Lucas voltando ao meio campo. Aí já começa um dos problemas do São Paulo de hoje, o time é leve, possui bom toque de bola e arrisca muito de fora da área, mérito total de Carpegiani, em compensação, o time não tem padrão de jogo, cada jogo um esquema, e me perdoem os brasileiros, mas na grande maioria os jogadores brasileiros não tem capacidade cognitiva para se adaptar a tantos esquemas, culpa de Carpegiani.

Carpegiani precisa encontrar esse equilíbrio, o time não pode ser imprevísivel tanto para o adversário como para os torcedores. Devido a essa imprevisibilidade, o time parece estar sempre uma pilha de nervos. COm exceção com trio de zaga, que parece mais alinhado, o restante do time é uma bomba prestes a explodir. Ontem, quase todos os jogadores tricolores tiveram momentos de destempero.

Afirmo, que não acho que seja hora de tirar Carpegiani do comando, longe disso, mas chega o momento de alguém chegar do lado do Carpegiani e dizer que ele precisa contornar essa “imprevisibilidade”.

Pois o jogo de volta será complicado, o Santa Cruz mostrou que fez dessa partida o jogo da vida deles, portanto o São Paulo precisará enxergar no Santa Cruz um rival que ele enfrentou no último domingo para seguir em frente na Copa do Brasil.

Apenas para não comentar coisas boas, do lado do time pernambucano, gostei muito do lateral esquerdo Renatinho e do atacante Gilberto, esse último que interessa ao Corinthians.

Silêncio dos inocentes!

Galera do blog, ontem a polícia inglesa “conseguiu” a confissão de um turista alemão sobre o incidente da casca de banana arremessada em Neymar no último amistoso da seleção.

Segundo a polícia, o turista disse que não teve nenhuma intenção racista no ato, que simplesmente jogou o que tinha em mãos, que “por coincidência” era uma casca de banana. Ainda bem que ele não estava comendo uma melancia.

Aliás, nos últimos dez dias, essa história tem se repetido. Roberto Carlos no confronto do seu time o Anzhi (que está no Palpitando!!) contra o Zenit “recebeu” do torcedor uma banana de presente, Diego Maurício (atacante do Flamengo) teve que agüentar os torcedores peruanos imitarem um macaco toda vez que ele pegava na bola no Sulamericano sub-20.

O mais curioso nessa história toda é a submissão dos envolvidos. Nenhum dos jogadores manifestou interesse em exigir uma atitude persuasiva contra o racismo, preferiram não enxergar.

Neymar, disse “Prefiro nem tocar no assunto para não virar uma bola de neve”. Roberto Carlos disse que a atitude não o afetou. Diego Maurício, coitado, nem teve a oportunidade de cobrar uma postura dos dirigentes. Lamentável!

Na minha opinião, não deveria ser papel dos jogadores ir atrás desse marginal, deveria ser natural que as autoridades responsáveis (Confederação, Policia, Governo) sanassem o caso, mas quando você vê a postura da polícia inglesa, percebe que estamos longe do ideal que um dia Martin Luther King e Nelson Mandela sonharam.

Vale lembrar que essa mesma polícia foi a responsável por assassinar o brasileiro Jean Charles no metrô pois fora confundido com um terrorista.

Mas como deixar passar em branco a postura passiva da CBF, que vê seu jogador ser hostilizado e nada faz, será porque existe uma certa “obrigatoriedade” dos comandados de Teixeira com o Emirates Stadium, devido a um acordo com a empresa que organiza os amistosos?

É triste, ver que às vezes o culpado do próprio preconceito continuar estar mais perto do que imaginamos, às vezes somos nós mesmos o culpado.

Muito AXÉ para os seus palpites!!

Galera, hoje é aniversário de curitiba e Salvador, além destas festas nessas cidade, hoje também completa um ano que o mestre Armando Nogueira resolveu acompanhar o futebol lá de cima. Veja o resultado da última rodada:
01º André Russo / Thiaguinho – 140 pts
02º Jorge / Wallace – 135 pts
03º Cadê Meu Camisa 10? – 130 pts
03º Rodrigo – 125 pts
04º Wagner – 80 pts

Clique aqui para conferir os resultados do post anterior.

Foi um mês disputadíssimo, terminei como vencedor mas pela diferença mínima de 05 pontos, fechei Março com 505 pontos. Na classificação geral está da seguinte forma:
01º Jorge – 1305 pts
02º Thiaguinho – 1175 pts
03º Rodrigo – 1150 pts

Vejam, os jogos a serem palpitados:
Quarta, 30 de Março de 2011
20h00 Juventude 3×2 Grêmio – Campeonato Gaúcho
21h50 Internacional 3×0 Jorge Wilstermann – Libertadores
21h50 Santa Cruz 1×0 São Paulo – Copa do Brasil

Quinta, 31 de Março de 2011
19h30 Guarani (PAR) 0x2 Cruzeiro – Libertadores
21h00 Prudente 2×1 Atlético-MG – Copa do Brasil
22h10 Brasil 1×0 Colômbia – Sulamericano sub 17

Sexta, 01 de Abril de 2011
15h00 Rubin Kazan 0x1 FC Anzhi – Campeonato Russo

Domingo, 03 de Abril de 2011
14h00 Milan 3×0 Internazionale – Italiano
14h00 Napoli 4×3 Lazio – Italiano
16h00 Santos 0x1 Palmeiras – Paulistão
16h00 Botafogo 0x0 Corinthians – Paulistão
16h40 Roma 0x2 Juventus – Italiano
17h30 Benfica 1×2 Porto – Português
18h30 São Paulo 1×0 Mirassol – Paulistão
22h10 Brasil 3×1 Equador – Sulamericano sub 17

Pitacos de 28.03.2011

Galera do blog, ontem acompanhei ao jogo da seleção, a final do campeonato paulista de showbol e ao clássico entre São Paulo e Corinthians.

No jogo da seleção, vitória tranquila contra um conhecido rival, Neymar teve boa atuação e foi decisivo ao marcar os dois gols da partida, gostei muito da atuação de Leandro Damião, além dos dois laterais, Dani Alves e Andre Santos. O único ponto negativo é a sombra de Ganso que parece atormentar todos que atuam como meia na seleção, ontem Jadson e Renato Augusto foram burocráticos. Em compensação, Lucas mostrou que será titular dessa seleção em breve. O camisa 07 do São Paulo tem tudo para formar com Ganso e Neymar uma seleção de encher os olhos de todos.

Na final do campeonato paulisa de showbol, o São Paulo venceu o Guarani por 12 x 11. Não vale a pena comentar muito sobre o jogo, a graça do showbol é rever aqueles que passaram pelo clube em algum momento do passado. De destaque, fica Alex Dias pelo São Paulo e principalmente Amoroso pelo Guarani, os dois mostraram que quem sabe jogar futebol não esquece com o tempo.

Chegamos enfim ao clássico de ontem, que jogaço! Nem tanto, pela qualidade técnica, mas pela emoção que um clássico proporciona. O jogo foi igual, qualquer um poderia ter saído vencedor da partida, mas quisera o destino que ele tivesse roteiro de filme, era para ser o jogo de Rogério Ceni.

Após um enorme tabu que já durava pouco mais de 4 anos e 11 jogos, o tricolor encarava seu maior rival paulista com a expectativa de seu maior ídolo chegar ao centésimo gol.

O jogo foi tratado em alta velocidade, com o São Paulo enfernizando a defesa corintiana, e com o Corinthians criando algumas oportunidades com Liedson, Ralf e Dentinho. O São Paulo procurou aproveitar a deficiência técnica dos zagueiros corintianos com atacantes leves. Castan e Chicão estão acostumados a marcar seus adversários dentro da área, mas o São Paulo de Carpegiani não joga com ninguém dentro da área, o time usa a velocidade e tabelas para entrar na área adversária. Dessa forma, o Corinthians teve sérias dificuldades em marcar os atacantes tricolores.

E foi no final do primeiro tempo, que Dagoberto de fora da área, abriu o marcador. Em belo chute, o camisa 25 colocou o São Paulo em vantagem. Dagoberto vive ótima fase no São Paulo, depois que fechou a boca, o jogador vem recuperando o futebol que o destacou no Atlético-PR e fez o São Paulo comprá-lo. Aliás, “fechar a boca” deveria servir de recado para Dentinho e Marlos, dois jogadores para mim que possuem um potencial técnico imenso, mas se preocupam com outras coisas durante a partida. Dentinho falou o jogo inteiro, catimbou e esqueceu de jogar bola, foi corretamente expulso. Marlos sofre com um excesso de “fome” e porque não abre a boca, o famoso triatleta, corre, pedala e nada. Ambos, podem ir longe, mas precisam rever seus valores dentro do futebol.

Voltando ao jogo, o primeiro tempo terminava com o São Paulo vencendo por 1×0, mas o segundo tempo guardava todas as emoções do jogo.

Primeiro, em um lance pela esquerda, Fabio Santos cruzou e Jorge Henrique deu um toque sutil para empatar, mas a tarde era de Ceni que fez uma defesa fantástica de puro reflexo, quase que no lance seguinte, uma falta na entrada da área, a única oportunidade na partida para Ceni fazer seu centésimo gol. E ele não desperdiçou, em uma cobrança maravilhosa, o camisa 01 tricolor colocou a bola no ângulo sem chances para o goleiro Júlio Cesar.

A partir daí, o jogo perdeu o rumo, Alessandro, Dagoberto e Dentinho foram corretamente expulsos. Antes de ser expulso, Dentinho teve tempo para descontar o marcador. Depois apenas alguns bons lances de Liedson que paravam em Alex Silva ou Ceni e inúmeros contra ataques desperdiçados por Marlos.

No final, vitória tricolor em um jogo que poderia ter qualquer final, mas foi escolhido aquele com cara de filme hollywoodiando.

Guerrilha Separatista!

Galera do blog, hoje trago um texto de Vitor Birner sobre a retaliação que o São Paulo vem sofrendo. Concordo integralmente com o que Birner diz, é lamentável a guerrilha que virou o futebol.

De Vitor Birner

Várias pessoas próximas ao presidente Juvenal Juvêncio defendem que ele deve recuar é fazer o jogo político. Dizem que o futebol é desse jeito mesmo e não dá para viver sem boas relações com a Federação Paulista, CBF e brigando com a TV Globo. Cada coisa que acontece, seja o tratamento diferente dispensado à candidatura do Morumbi para a Copa ou umm simples falha de arbitragem, aumenta o coro dos “pacificadores”.

A última decisão da Globo – contraditória se levarmos em conta que o São Paulo possui a terceira maior torcida do país – de transmitir menos jogos dos times reforçou a pressão. A exposição menor na tv aberta e no horário nobre deve diminuir o valor de cotas de patrocínio em futuras negociações. E o clube ficará mais fraco. O São Paulo e seus cerca de 17 milhões de torcedores pagam o preço pelas posições de Juvenal.

Enquanto alguns dirigentes são-paulinos defendem que o presidente do clube se pronuncie publicamente sobre a novidade, outros recomendam o silêncio, pois querem encerrar as brigas. Desejam que ele utiliza a situação para conseguir bons acordos comerciais com a Globo. Juvenal Juvêncio, ao menos por enquanto, mantém a oposição ao que se passa no futebol brasileiro.

Opinião

Lamento que haja defensores da mudança de postura de Juvenal Juvêncio. Elas deveriam ter ficado contra ele num aspecto. O da reeleição. E não fizeram isso.

As brigas contra FPF e CBF, e a luta para promover a concorrência pelos direitos dos campeonatos brasileiros de 2012 a 2014 respeitando as determinações do CADE são dignas. Dera outras potências do futebol nacional tivessem posições parecidas. Os clubes grandes seriam mais fortes e as federações menos. Mas vários cartolas dos times preferem dar o poder aos burocratas. Ajudam Ricardo Teixeira, o mesmo que foi pessoalmente à Brasília para evitar a CPI, a dar as cartas no futebol brasileiro.

O São Paulo, seja com Juvenal ou qualquer presidente, não pode recuar.

Seja qual for o preço.

Pitacos 24.03.2011

Galera do blog, ontem acompanhei simultaneamente os jogos do Fluminense e do São Paulo, confesso que é um pouco complicado, mas vou passar as minhas considerações e peço que vocês façam seus comentários para ver se posso continuar vendo dois jogos ao mesmo tempo.

O mais curioso dos dois jogos, foi a sensação de injustiça do resultado durante a maior parte do tempo, no do Rio, a justiça aconteceu no apagar das luzes, no de Jundiaí, o futebol mostrou porque é incrível e deu a vitória ao time “desmerecedor”.

No jogo do Engenhão, o Fluminense jogou muito mais com o coração do que com a técnica. O time entrou com espírito parecido da arrancada final de 2009 na fuga pelo rebaixamento, o time foi valente, guerreiro, mas totalmente desorganizado, e essa desorganização culminou em um lance curioso no primeiro gol dos mexicanos. Silêncio no Engenhão que durou pouco tempo, pois na vontade Gum empatou a partida e voltou a colocar a Fluminense vivo na Libertadores.

Após o gol o jogo seguiu por mais ou menos 50 minutos da mesma forma, o Fluminense tinha o ímpeto mas faltava tranquilidade para criar reais chances de gol, enquanto os mexicanos “catimbavam” o jogo a vontade. Foi quando novamente, o imponderável aconteceu, em um lance isolado na ponta direita da defesa tricolor, a bola foi alçada de forma despretensiosa na área e encontrou Digão que colocou a bola para dentro do próprio patrimônio. Nesse momento, o jogo marcava 27 do segundo tempo, e o cenário dava como impossível a situação do Fluminense na Libertadores.

Mas, como diria Nelson Rodrigues, o Fluminense possui o elemento Sobrenatural de Almeida em campo e ele resolveu aparecer, primeiro com Araújo para empatar e depois com Deco aos 44. Sim, Deco, ele que ainda não tinha justificado sua contratação, resolveu aparecer e decidir a partida.

No final, o Fluminense continua muito vivo na Libertadores, mas a tarefa será dificílima.

No jogo de Jundiaí, o São Paulo dominou o jogo inteiro, pressionou o Paulista no seu campo e criou inúmeras chances de gol, enquanto o Paulista teve 5 bons lances e um aproveitamento incrível, pois aproveitou três delas. Enquanto o tricolor, teve mais um pênalti não marcado, quando o jogo ainda estava 1×0 e algumas falhas de marcação no meio de campo. Concordei com a substituição de Carpegiani, Casemiro não estava bem mesmo, contudo ilsinho entrou mas não jogou, poderia ter sido substituído logo no começo do segundo tempo novamente.

O resultado não foi justo, mas o futebol é assim e o jogo serviu para prestar atenção para o próximo jogo que é o clássico com o Corinthians, o lado direito do tricolor está mais equilibrado, mas precisa alguém para tabelar com Jean, do lado esquerdo falta melhor postura defensiva, Juan não tem conseguido dar a mesma segurança que Jean.

Na defesa, fica nítido que Rhodolfo foi uma contratação cirúrgica, o trio composto por ele, Miranda e A. Silva formam a melhor defesa do Brasil atualmente.

Voltando ao jogo, o São Paulo teve uma noite desafortunada, mas nada que comprometa o rumo das coisas. Uma coisa é certo, será um grande clássico no domingo, inclusive com a possibilidade de Ceni marcar o 100º gol da sua carreira.