Nosso DNA Futebolístico!!

Galera, ontem acompanhei 70 minutos da partida da seleção principal e a partida da garotada do sub-20. Confesso que perdi a grande atuação de Liédson, pois dormi nos intervalos da partida.

Agora, voltando aos jogos que acompanhei ontem, é impressionante como faz parte do DNA do brasileiro, mesmo os resultados sendo opostos, fica nítido que os brasileiros, precisam muito mais de um psicólogo do que um técnico. Digo isso, porque fica a sensação que alguns jogadores são extremamente talentosos, mas falta equilíbrio para assimilar tranquilidade em jogar com a camisa canarinha e responsabilidade para mostrar seu futebol.

No jogo da seleção principal, faltou isso para Hernanes, quando ele foi com sede ao pote em excesso no lance com Benzema, para mim, expulsão justíssima. Faltou isso para Renato Augusto, para simplesmente por em prática o que vem jogando na Alemanha. Faltou isso para o time que não soube deixar o tabu fora de campo e jogou o amistoso de forma nervosa. Faltou alguém avisar a eles, que nós somos a seleção temida e não a francesa. No fim, gostei da postura de Júlio César, David Luiz, Elias e Lucas. E acho que Jádson merece outra chance no time.

Vamos agora para a molecada, o Brasil enfrentou o Equador e venceu por 1×0 com um gol de Casemiro logo no começo do jogo. Contudo, o time passou um sufoco desnecessário na partida, exatamente pelos mesmos problemas apresentados pela principal, essa falta de equilíbrio. O time fez o gol, se fechou e não soube se impor na partida, passou sufoco a toa, Lucas e Oscar foram omissos, não puxaram a responsabilidade do jogo e seguraram a bola, não demonstraram o futebol que os levou a seleção, e no caso de Lucas, o futebol que ele já estava praticando no Brasil. Na sub-20, ontem destaque para Diego Maurício, Gabriel e Casemiro, o volante do São Paulo fez uma partida impecável.

Bom, no fim das contas o Brasil evidencia mais uma vez, o seu principal defeito, a instabilidade emocional de seus jogadores. Parodiando o sambista, jogador brasileiro, ou é bom da cabeça, ou é bom do pé!