Teve dança e pescaria no Pacaembu

Galera do blog, ontem acompanhei ao jogo do Corinthians contra o Santos. Até pensei em ver o jogo do meu time, mas algo me dizia que o jogo não teria a menor graça em Campinas, diferente do que aconteceria no Pacaembu. Sem sombra de dúvida estava certo, a única coisa é que meus amigos leitores santistas passarão a ter certeza de que eu sou o pé frio do time.

O Corinthians veio a campo sem um homem de referência no ataque, Dentinho e Jorge Henrique faziam a dupla de ataque, confesso que no momento que vi a escalação comentei com um amigo que acompanhava o jogo comigo, que a idéia do Mano foi muito inteligente, pois esse ataque mais leve daria movimentação necessária para enfraquecer o já fraco sistema defensivo do time santista.

E esse esquema tático começou a dar resultado logo no início da partida, o time corintiano dominava as ações no meio de campo e anulava muito bem Neymar e Ganso. Bruno Cesar e Danilo tinham liberdade e espaço livre para chutar, devido a movimentação de Jorge e Dentinho. E foi assim que surgiu o primeiro gol, Danilo mandou uma bomba, Felipe soltou e Jorge Henrique só teve o trabalho de empurrar a bola para o fundo das redes. Na comemoração, como não podia deixar de ser, dancinha!

O Corinthians continuou soberano no meio de campo, Ganso até procurava se movimentar para dar maior liberdade para Marquinhos conseguir armar, em compensação Neymar foi presa fácil durante todo o jogo, o jovem atacante santista teve um duro teste nesta tarde de domingo e mostrou que ainda precisa ser mais testado. Como Marquinhos era o único a criar algo pelo time santista, ele buscava jogar com André na tentativa de empatar a partida. E foi o próprio André que conseguiu empatar a partida, no curto período onde o Santos foi levemente superior ao time corintiano.

Contudo, quase que imediatamente, o time de Parque São Jorge respondeu de imediato com Bruno César, aliás, ao que tudo indica o “Tevez Caipira” foi a melhor contratação do Corinthans em 2010, o jovem meia parece não ter sentido o peso da camisa e tem jogado com muita autoridade, é titular absoluto nesse meio campo.

A movimentação do ataque corintiano continuava a atormentar a defesa santista. Arouca não conseguia segurar “a bronca” sozinho na frente da defesa, e novamente em outra trama do ataque corintiano, foi a vez de Ralf aparecer sozinho e de fora da área fuzilar o gol santista, era o terceiro gol com direito na comemoração, a pescaria.

Ainda houve tempo para mais um gol de cada lado, mas durante o jogo ficou a certeza de que o Corinthians voltou a ser muito forte, com um estilo parecido com o campeão da Copa do Brasil em 2009, e aí cabe a dúvida, existe espaço para Ronaldo nesse time? Pela proposta de jogo que Mano gosta de implantar, Ronaldo pode “atrapalhar” isso. Cabe ao Mano buscar a combinação entre esse estilo de jogo com a presença de Ronaldo.

Para o Santos, falta buscar o equilíbrio entre defesa e ataque, acima de tudo não adianta desmoronar tudo por causa de um jogo, o alvinegro praiano precisa de peças a altura para a defesa. Durval é um zagueiro razoável, porém é o melhor do elenco. Peças precisam chegar para o sistema defensivo.

Anúncios