Como é bom vencer em casa

Ontem, os outros dois brasileiros decidiram a sua sorte na Libertadores, e ficou claro comoé importante o jogo em casa. Tanto no aspecto positivo quanto no negativo, o primeiro jogo em casa foi fundamental para decidir o resultado final.

Estudiantes (ARG) 2 x 1 Internacional: O Colorado segue na disputa com dois gols feitos aos 43 do segundo tempo, 01 no Beira Rio e outro em Quilmes. O time jogou muito bem na Argentina, dominou as ações, mas foi surpreendido por dois minutos e tomou dois gols. O 2×0 tirava o Inter da próxima fase, o time gaúcho pressionava mas sem criar chances claras para de gol. O Inter só conseguiu dar o primeiro chute aos 30 do primeiro tempo.

Dessa forma, o Inter foi melhorando enquanto do lado argentino, Veron e Perez eram os únicos lúcidos do time. Quando veio o segundo tempo, Fossati resolveu mexer no time, primeiro tirando o bom lateral Nei e colocando Walter. De cara, preferia que ele tirasse algum dos três zagueiros, mas com o tempo me convenci que ele fez a coisa certa. Aos 30 do segundo tempo, Fossati fez a mudança que daria a vaga, tirou D’ Alessandro que estava mais preocupado em brigar com Veron do que jogar bola e colocou o menino Giuliano.

E aos 43 do segundo tempo, assim como no Beira Rio, o Inter teve uma chance e não despediçou. Giuliano apareceu livre na direita e mandou para os fundos da rede, o estádio que cantava enlouquecidamente a classificação ficou mudo e junto com ele o abatimento do time. Verón era o retrato disso, La Brujita parecia não acreditar no que estava acontecendo, era o atual campeão sendo eliminado e o time Colorado seguindo firme na batalha. Semifinal incrível entre São Paulo e Internacional, talvez Fernandão possa empatar a conta, eliminando dessa vez o Inter e se tornar mais ídolo ainda no Beira Rio.

Universidad do Chile 1 x 2 Flamengo: E o Flamengo fez boa partida, garra e empenho não faltou. O Império do Amor talvez tenha se despedido marcando dois gols, o time não teve técnica e habilidade, mas compensou com muito empenho. O rubro-negro jogou fora sua classificação no Maracanã, um time que almeja chegar a final de uma Libertadores não pode jogar tão displicentemente como o time jogou em seu territótios. O preço foi sua eliminação.

Durante o jogo, o Flamengo resolveu tomar a iniciativa do jogo, no ímpeto, principalmente com Love e Imperador, os dois queriam jogo, buscavam bola no meio de campo, partiam para cima do adversário no intuito de conseguir um gol logo no primeiro tempo, além deles os dois laterais contribuiam muito. Do lado chileno, o time mostrou que possui boa troca de passe e quando tinha a bola tentava ganhar tempo trocando passes. Kléberson foio aspecto negativo do time, parecia sonolento, o jogador parece que ainda comemora a convocação tem jogado em ritmo lento.

O Flamengo pressionava mas não criava uma chance clara de gol, além disso aos 36 foi surpreendido em uma bobeira da zaga, Montillo fuzilou o travessão rubro-negro, parece que o chute assustou o time que voltou a pressionar, e no final da primeira etapa o Império do Amor resolveu aparecer, Imperador cruzou e Love só teve o trabalho de cabecear para as redes.

No segundo tempo, o rubro-negro continuou pressionando, mas aos 28 veio o balde de água fria e de forma fantástica. Montillo aprontou e fez um golaço para os chilenos. O rubro-negro até conseguiu descontar, mas a derrota no Maracanã nunca doeu tanto. O time sai com a sensação de que podia facilmente estar na semifinal da Libertadores, agora resta esperar o ano que vem.

Anúncios